História How Deep Is Your Insanity (HIATUS) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, One Direction
Personagens Justin Bieber, Liam Payne
Tags Hdiyi, Justin Bieber, Liam Payne, One Direction, Psicopatas
Exibições 27
Palavras 2.938
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ARROZ
FEIJÃO
E
BATATA!
O QUE FALTA?

FALTA CAPÍTULO NOVO AQUI, MINHA GENTE....

HOJE TEM UMA SURPRISE MÃE DA FOCA PRA VCS!
LET'S READ !

Capítulo 13 - 11. Never Forget


New York,

06 de junho de 2016,

Segunda-feira,

6:00am.

 

Calliope Agnoletto POV

Eu não poderia ter lido nada melhor do que aquela mensagem de Justin. Seria ótimo não ir para a empresa. Eu poderia tirar o dia para comprar os móveis da minha casa, ainda faltavam algumas coisas como a mesa de jantar, pratos e talheres novos, e todos os acessórios de cozinha. Eu precisaria transformar o quarto de hóspedes em uma academia particular, eu não poderia frequentar a academia de Jake todos os dias.

Levantei e decidi dar uma geral no apartamento, eu não o limpei nos últimos dias e aquilo estava uma verdadeira bagunça. Comecei pelo quarto de hóspedes, já que seria o primeiro cômodo que eu ocuparia assim que chegasse das compras. Depois organizei meu quarto, o que demorou um pouco, pois era bem espaçoso e ainda tinha os livros para tirar a poeira e o guarda-roupas para arrumar. Lavei os banheiros – o do meu quarto e o do corredor – e em seguida limpei toda a cozinha e a sala.

Todo o processo demorou o suficiente para que desse tempo eu chegar no shopping e almoçar por lá mesmo.

 

Encontrei Kristen vagando pelo shopping, e como nós já tínhamos feito as pazes e eu ainda não a tinha levado na minha casa, decidi leva-la hoje. Aproveitei para pedir uma ajudinha extra, mesmo que eu não precisasse. Depois de tudo comprado e eu ter dado um jeito de caber tudo no meu carro e no da Kris, voltamos para casa. Só o tatame da minha academia e a mesa que eu tive que pagar o frete da loja para trazer aqui. O porteiro do prédio nos ofereceu ajuda, mas eu o dispensei e disse que não precisava.

- Finalmente em casa! – disse ao terminar de descarregar as coisas na minha sala –

- O que a gente faz agora? – Kristen perguntou –

- Pegamos uma cerveja e começamos o trabalho! – respondi abrindo a geladeira e tirando de lá duas garrafas da bebida –

- Assim que eu gosto!

- Bom, enquanto você organiza as coisas aqui na cozinha, eu vou ajeitando tudo na academia. – ela concordou e eu fui arrastando as madeiras do tatame e a lona para o quarto –

Aquilo levaria uma década...

 

 

New York,

28 de Junho de 2016,

Terça-feira,

21 dias depois,

11:49am.

 

Calliope Agnoletto POV

Eu me resolvi com Liam uma semana depois daquele dia, eu sentia falta apenas do maravilhoso café da manhã que ele preparava para mim.

Justin não tentou mais nada, nem me beijar, mas eu queria sentir seus lábios macios outra vez. Claro que ele nunca ficaria sabendo disso. Eu não vou atrás dele.

Por falar em Justin e Liam, eu também fiquei sabendo que eles se conhecem desde o colegial. Eles são amigos, o que torna a minha situação bem difícil. Já que me relaciono com um e desejo o outro. Também pensei na possibilidade de ficar com os dois. Como diria minha mente, quanto mais, melhor.

Bem, se eu quiser mesmo me relacionar com os dois ao mesmo tempo, preciso ter cuidado para não causar conflitos. Como se eu ligasse para conflitos causados por mim.

Saí dos meus devaneios ao ouvir as portas do elevador da empresa abrir no andar da sala de Justin e a mãe dele vir em minha direção.

- Bom dia, querida. Justin está? –perguntou com seu lindo sorriso estampado no rosto-

- Bom dia, Sra. Mallette. Ele está ocupado com Julieta, mas acho que não deve demorar. –respondi, e assim que fechei a boca, a porta abriu e os dois saíram de lá- Olha aí, já terminaram!

- Mãe, o que faz aqui? Aconteceu alguma coisa? –Justin perguntou, abraçando sua mãe e lhe dando um beijo na testa-

- Eu estava passando aqui perto e já está na hora do almoço, pensei em te levar para comer algo saudável. –Justin ia abrir a boca pra falar alguma coisa, mas Patrícia o interrompeu- Não, nem fale nada. Eu sei que você ia comer qualquer besteira na lanchonete daqui. Mas agora não vai mais, vamos naquele restaurante vegetariano no Upper East Side.

- Tá, tudo bem, vamos. Só vou pegar meu celular e a carteira. –deu-se por vencido e entrou na sua sala, saindo logo depois, ajeitando a gola do blazer- Não quer ir também, Callie? –voltei meu olhar para ele, já que estava concentrada nas planilhas inacabadas-

- Oh, não, obrigada pelo convite. –sorri- Eu preciso terminar isso aqui ainda hoje. –falei e eles assentiram com um “tudo bem” e logo saíram-

Julie ainda estava ali e eu me perguntei o que ela ainda fazia neste andar se seu assunto era com Justin e ele já saiu.

- Vai, levanta daí. Helena não veio hoje e eu não vou almoçar sozinha.

- Mas...

- Você termina isso depois, a fome afeta o psicológico e aí você jamais vai terminar isso. –revirei os olhos e me levantei, pegando apenas o iPad, o celular e meu cartão de crédito-

- Tá, vamos...

- E não revira os olhos pra mim.

 

Meu celular apitou, avisando a chegada de uma nova mensagem. Ignorei e continuei a comer o delicioso sanduiche natural da lanchonete da empresa. O aparelhou apitou de novo e na tela mostravam duas mensagens de Liam, o que me irritou e eu resolvi responder logo.

 

Liam: 12:24. Louis está me enchendo o saco pra te conhecer.

          12:30.  Calliope, me responda.

Callie: 12:31.  Diga para ele lhe deixar em paz, em breve marcarei isso.

            12:31.  Me deixe almoçar sossegada, Liam.

 

Respondi e voltei a comer, Liam não me atrapalhou mais. Julie lia algo importante no seu tablet, o quê eu não sei, mas não parecia ser uma fofoca de famosos ou a divulgação de uma nova marca de roupas.

- Não sei se Justin te falou, mas ele comprou uma empresa nova no Brasil. Eu terei que ir passar alguns dias lá. Eu e ele teremos, na verdade. –ela disse, mesmo sem eu questionar algo a respeito-

- Hum, espero que dê tudo certo. Quando vão?

- Acho que no próximo mês, quando a reforma for finalizada.

Não dei muita importância, afinal, eu não tinha nada a ver com aquilo. Terminei de comer o sanduiche e tomei o resto do suco de morango. Meu horário de almoço ainda não havia acabado, então eu continuei sentada na lanchonete, peguei meu iPad e abri o e-mail. Algo me chamou atenção. Era um anúncio da abertura de uma nova boate. Logo em baixo tinha um número para contato e caso quisesse ter o nome na lista VIP. Já fazia algum tempo que eu não via Harry e Niall, seria ótimo se eu os chamasse para irmos até lá.

Fechei meu e-mail e olhei as notícias locais. Não havia nada de importante acontecendo, só que na próxima semana haveriam os mais lindos desfiles cívicos, em comemoração ao 4 de Julho. Eu não perderia isso por nada.

Bloqueei a tela do iPad e olhei a hora no celular. Só faltavam dez minutos para terminar meu horário de almoço. Chamei Julieta e a avisei que já iria subir. Ela assentiu e continuou sentada com sua atenção toda no tablet. Dessa vez, era por causa da nova coleção de bolsas da Louis Vuitton.

 

Eu estava louca pra terminar logo essas planilhas chatas e poder aproveitar meu tempo livre. Justin me pediu – mandou – para fazer o relatório do estoque de vendas, estoque de pedras e das finanças da empresa. Eu quis joga-lo daqui de cima, mas não o fiz. Afinal, é o meu trabalho!

As portas do elevador abriram e Justin saiu de lá com algumas sacolas e sua mãe logo atrás, que não parava de falar. Meu celular tocou e eu olhei para ver quem era. Treinador Jake. Atendi, dando continuidade no que estava fazendo.

- Alô?

- Calliope? É o Jake... –ele disse-

- Oi, Jake. O que houve?

- Estou ligando para dizer que o campeonato local será no dia 20 de agosto, e eu queria saber se você vai poder participar. ­–caralho! Eu me esqueci completamente do campeonato-

- Eu vou, sim. Nossa, estava completamente esquecida. Obrigada por lembrar!

- Por nada. Você é uma das melhores alunas da minha academia, tive que guardar uma inscrição pra você. –rimos e eu agradeci novamente- Fica no valor de 70 dólares. Pode trazer amanhã.

- Ok, eu levo. Obrigada, mais uma vez.

- Que isso, é o meu dever como treinador. Tchau, Calliope! –respondi com um “tchau” e desliguei-

Ótimo, agora eu só teria um mês para me preparar pra o maior campeonato de muay thai em New York. Mas tudo bem, eu vou conseguir. Eu já ganhei várias vezes, não vai ser agora que eu vou perder. Eu nunca perco.

Em seis anos morando aqui e treinando na academia do Jake, eu ganhei sete campeonatos diferentes. A maioria foi por aqui mesmo, mas umas três lutas foram em cidades vizinhas.

Justin entrou na sua sala com Pattie tagarelando algo sobre a casa dele estar carente de novos móveis e acessórios culinários. Continuei trabalhando nas planilhas até elas estarem completamente prontas. Revisei tudo com bastante atenção, observando se eu não havia errado algo. E, como sempre, estava tudo perfeito. Sem erros, e todas as contas corretas.

O telefone da empresa tocou, me fazendo pular de susto. Atendi e a voz enjoada de Henrietta soou do outro lado da linha, ela quase nunca ligava para cá, só quando tinha algo para tratar com Justin ou quando alguém queria falar com ele.

- Calliope, Justin está ocupado?

- Está com a Sra. Mallette na sala dele, por que?

- Liam Payne está subindo, avise para Justin. -nem de longe eu fiquei tranquila após ouvir aquilo-

- Tudo bem. -desliguei a ligação e tentei relaxar na cadeira-

Liam está subindo. Meu Deus, Liam está subindo. Eu preciso sumir daqui. Não, eu não posso simplesmente sumir.

Entrei na sala de Justin e lhe avisei sobre a chegada de Liam, disse que precisaria ir na academia pagar a inscrição. Ele me autorizou a ir e eu arrumei minha bolsa, desci para o décimo quarto andar pela escada de emergência e de lá peguei o elevador.

- Quando Liam Payne sair da empresa, me ligue. E eu não estou pedindo, Henrietta. Me avise discretamente e não diga isso a ninguém. – disse para a recepcionista e saí caminhando em passos largos até estar em uma distância consideravelmente segura –

Eu poderia passar em casa e pegar o carro, mas já que estou na metade do caminho, vou a pé mesmo.

 

- Você vai mesmo competir? – perguntou Jake –

- Vou, Jake. Eu já disse que vou. – respondi, caminhando lentamente ao seu lado –

- Eu já fiz sua inscrição antes mesmo de você me confirmar. – sorri com isso, eu era a aluna favorita de Jake –

- Mas você nem sabe se eu vou ganhar. Opa, sabe sim. Eu sempre ganho. – falei sendo convencida -

- Sim, eu sei. – ficamos um tempo apenas nos olhando e logo ele começou a falar de novo – Eu preciso te falar. Você tem quatro lutas com 3 rounds cada uma. Em duas delas você vai lutar com a Kiara. – fiz cara de tédio e lhe dei o dinheiro do campeonato –

- Você sabe que eu vou acabar com ela, não é? – ele concordou – Preciso ir...

- Tudo bem, minha academia está aberta para você treinar quando quiser, Callie. – assenti e saí dali –

 

Enquanto voltava para empresa, recebi a ligação de Henrietta. Liam já havia ido embora e o caminho estava livre para mim.

Nesse meio tempo, eu tive muito muita oportunidade para pensar sobre Justin e Liam. Eu gosto da companhia de Liam, mas gosto mais ainda do corpo sexy de Justin. Eu posso dar conta dos dois.

Bieber me deseja. Payne está apaixonado por mim. O que eu posso fazer? Eu sou um poço de beleza.

 

Estando de volta à empresa, entro na sala de Justin após dar duas leves batidinhas na porta. Ele olhava algo no notebook, até que decidiu prestar atenção em mim assim que ouviu o trancar da porta.

- Eu estive pensando, Justin... – abri o primeiro botão da minha blusa social preta, depois o segundo, o terceiro, até abrir lentamente todos os botões, deixando à mostra o meu sutiã vermelho – Sabe, eu decidi deixar você aproveitar um pouco do meu paraíso. – caminhei em passos lentos até ele, que girou a cadeira, ficando de frente para mim –

- Eu diria do seu inferno... Calliope, você é a minha perdição. – ele pousou as mãos em cada lado da minha cintura e apertou forte –

- Deixe de enrolação, Bieber. – ele se levantou da sua cadeira e colou seu corpo no meu, me prensando na mesa –

- Eu vou foder você, Calliope. – fungou em meu pescoço, passou a língua e depois mordeu no mesmo local, logo deixando um chupão ali – Eu vou te deixar louca, você nunca vai esquecer de mim. – agarrou meus cabelos e os puxou para trás, fazendo meu pescoço ficar todo exposto – Eu vou foder você, Darling.

Justin tomou meus lábios em um beijo cheio de vontade e desejo. Desceu as mãos por minhas costas, parando na bunda e apertando minhas nádegas. Me deu impulso para cima e eu entrelacei sua cintura com minhas pernas.

Arranhei seu pescoço e mordi com força seu lábio inferior, sentindo o gostinho do sangue. Justin empurrou as coisas que estavam em cima da mesa para o chão, menos o notebook, ele teve a paciência para guarda-lo em uma das gavetas. Me colocou sentada na beira da mesa e ficou no meio das minhas pernas, me fazendo sentir o volume dentro de sua calça. Tirou minha blusa por completo e observou meus peitos ainda cobertos pelo sutiã.

- Você é, literalmente, o inferno. – “você não sabe o quanto!”, pensei –

Pude perceber a luxúria expressa em seus olhos. Ele queria aquilo tanto quanto eu. Tirei seu blazer e desabotoei sua camisa social branca. Ele não está usando gravata hoje.

Coloquei as mãos espalmadas em cima da mesa e apoiei todo meu peso sobre elas. Aguardei Justin finalizar uma ligação para Henrietta, comunicando que não queria ninguém no andar dele.

- Vamos lá, Darling. – passou vagarosamente os dedos no vão entre meus peitos, em extrema agilidade, tirou meu sutiã e beijou cada um dos meus seios –

- Eu não gosto de esperar, Justin. – arfei em excitação –

- Aprenda a gostar, Calliope. – ele disse sendo um pouco rude. Ele sofrerá as consequências mais tarde – Do mesmo jeito que eu gosto de fazer tudo muito rápido, gosto mais ainda de aproveitar cada segundo de tudo que faço. – beijou meu pescoço mais uma vez e logo em seguida mordeu o lóbulo da minha orelha –

- Não posso tolerar a sua demora, Mr. Bieber. – empurrei-o para frente, fazendo ele cair sentado na sua cadeira, montei em cima dele, deixando minhas pernas uma de cada lado do seu corpo –

Suguei seus lábios em um beijo voraz. Enquanto as mãos de Justin passeavam por minhas costas e às vezes apertava minha nuca, eu tratei de desabotoar suas calças.

- Está apressada, hum? – murmurou enquanto chupava meus peitos –

- Sempre estive! – Justin se levantou comigo em seu colo e me sentou na mesa novamente –

Afastou-se minimamente para tirar sua calça e a cueca. Eu aproveitei o tempo e me livrei dos sapatos e das minhas calças também. A minha tarde seria frenética. Bieber voltou a me beijar e com certa força, me empurrou para trás, fazendo-me cair deitada na mesa. Ficando por cima de mim, roçou seu membro na minha coxa.

- Sabe... Eu não sou de ficar por baixo, Bieber. – em um movimento rápido, nos virei na mesa, fazendo Justin ficar por baixo e eu por cima, do jeito que eu gostava –

- Muito menos eu. Eu já falei. Aprenda a gostar do meu jeito de foder. – e lá estava eu novamente por baixo –

- Hoje, e somente hoje, eu lhe deixarei ficar por cima.

Ele desceu a mão direita pela lateral do meu corpo, enquanto me olhava no fundo dos olhos. Parecia querer examinar o que se passava na minha mente, talvez, na minha alma. Parecia querer achar algum resquício de sentimento em mim. Uma pena, porque não havia nada ali. Nada mesmo.

Saí do transe assim que senti seus dedos gélidos tocarem a minha intimidade. Justin parecia ter dedos... hum, digamos que, ágeis. Esfregou o indicador no meu clitóris bem devagar, fazendo-me contorcer por baixo dele.

- Você quer mais? – permaneci calada – Diga, Darling. Você quer mais? – calada eu estava, calada eu fiquei, apenas mordia o meu lábio inferior – Eu estou falando com você. – falou mais alto, me fazendo abrir os olhos –

Eu não queria responder. Aquilo seria demais para mim. Seria passar por cima dos meus ideais, do meu orgulho filho da puta. É claro que eu queria mais, eu quero responder. Mas ao mesmo tempo não quero. Eu não sei mais. Justin mexe com meu psicológico. Talvez até mais do que as vozes mexem.

- Quero. Eu quero mais! – finalmente respondi aquilo que ficou poucos minutos entalado na minha garganta –

Sem avisos prévios, Justin enfiou de uma só vez dois dedos dentro de mim. Eu arqueei as costas, dando a resposta que ele tanto queria. Eu estava gostando muito daquilo.

Em movimentos vagarosos, ele fazia um vai e vem até que gostoso. Mas eu já estava quase entrando em estado de tédio monótono. Antes que ficasse com raiva, Justin retirou seus dedos de mim e quando eu achei que era só aquilo. Ele sussurrou em meus ouvidos:

- Você nunca vai esquecer de mim, Calliope. ­– aquilo me fez arrepiar até a alma – 


Notas Finais


não me matem, tiau
até o próximo!

bjs QUERO COMENTS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...