História How Deep Is Your Love? - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arrow, The Flash
Personagens Barry Allen (Flash), Cisco Ramon, Dra. Caitlin Snow, Felicity Smoak, John Diggle, Laurel Lance, Malcolm Merlyn, Moira Queen, Oliver Queen (Arqueiro Verde), Quentin Lance, Ray Palmer, Roy Harper (Arsenal), Sara Lance, Thea Queen, Tommy Merlyn, Wally West (Kid Flash)
Tags Arrow, Olicity, Snowbarry, The Flash, Theroy
Exibições 285
Palavras 2.966
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oooi gente, como prometido ta aqui o capítulo.

Espero que gostem <3

Tradução do título do capítulo: Bem vinda a sua nova casa.

Capítulo 2 - Welcome to your new home


Fanfic / Fanfiction How Deep Is Your Love? - Capítulo 2 - Welcome to your new home

"Ponha seus lábios nos meus

Contando que eles não se toquem

Fora de foco, olho no olho

Até que a gravidade seja demais

E eu farei tudo o que você disser

Se você disser com suas mãos

Eu serei esperta para ir embora

Mas você é areia movedica

Essa ladeira é traiçoeira

Esse caminho é imprudente

Essa ladeira é traiçoeira

E eu, eu, eu gosto disso [***]"

Treacherous - Taylor Swift

Felicity Smoak (POV)

-Vocês terão que se casar.

Meu pai disse com muita clareza e simplicidade, como se não se importasse com minha opinião. Meu coração disparou e minhas pernas ficarem trêmulas e eu olhei meu pai indignada. Ele não podia fazer isso comigo. Não podia obrigar- me a me casar, principalmente com o homem que mais odiarei em minha vida.

Não podia me casar com Oliver Queen.

Minha face se mostrava sem reação mas em minha mente se passava várias coisas. Ainda não conseguia acreditar como meu pai poderia fazer uma coisa dessas.

-Eu não posso fazer isso - finalmente disse, e meu pai respirou fundo, como se já soubesse de minha reação.

-Filha - ele aproximou- se tentando pegar em meu braço mas eu afastei- me.

-Não! - me exaltei e ele já mostrava um semblante irritado. - Como pode ser tão egoísta a esse ponto? Como pode só pensar em uma merda de empresa? A sua empresa é mais importante que a vida da sua filha?

-Olha só, vocês precisam disso para salvar sua empresa - Robert se pronunciou.

-Cala a boca - falei em um tom alto. - , você não tem direito de opinar aqui.

Ele pareceu assustar- se.

-Nem você - murmurou Oliver com um sorriso cínico no rosto o que me fez fuzilá - lo com os olhos.

-Você está mesmo nem ai pra isso? - perguntei irritada.

Ele deu de ombros e eu revirei os olhos.

-Filha esse é o único jeito.

-Não, esse é o único jeito porque é o mais fácil. Você sabe, eu sei, que você sempre opta pelo mais fácil porque nunca se importou com os outros - disse tudo o que pensava sobre isso, o que era verdade. Meu pai era a pessoa mais egoísta que conheci.

Ele pareceu ficar muito nervoso, segurou meu braço bruscamente assustando- me.

-Você vai fazer isso, ou senão aquele seu namoradinho de merda, Zack, irá pagar pelas consequências - sussurrou em meu ouvido e me soltou bruscamente, olhei- o totalmente decepcionada e assustada. Uma lágrima escorreu pelo meu rosto.

Como ele é capaz de dizer isso? Sabia que ele era egoísta mas não a esse ponto. Estava ameaçando Zack. Não podia arriscar perdê- lo, a única opção seria aceitar.

-Tudo bem - rendi- me e vi um sorriso vitorioso surgir nos lábios de meu pai.

Olhei para Robert e ele apresentava um sorriso satisfeito, já Oliver não apresentava nada, apenas aquela cara séria dele de sempre. Ah como eu queria odiá- lo nesse momento, mas o ódio por meu pai parecia vencer.

-O casamento de vocês será marcado, provavelmente será daqui seis meses - Robert disse fazendo- me revirar os olhos. - no ententanto, vocês irão morar juntos até lá.

-O quê? - indaguei totalmente sem acreditar. - Pai - olhei- o mesmo sabendo que ele não iria tomar nenhuma providência sobre isso, e eu acertei, ele apenas deu de ombro.

Suspirei e assenti, Oliver continuava do mesmo jeito, não sabia decifrar o que ele estava sentindo ou pensando no momento, na verdade nunca soube, ele não era um livro aberto como as pessoas que conheci.

-Arrume suas malas, Felicity, Oliver certificara de te buscar depois que estiver pronta - Robert disse com um sorriso cínico no rosto e eu apenas assenti.

Sai daquela sala o mais rápido possível, não queria olhar nem mais um segundo sequer para meu pai, ou Robert. Simplesmente queria voltar pra minha casa e me afundar em um enorme pote de sorvete. O que não seria possível, dando ao fato que eu tinha que arrumar minhas malas para ir morar com Oliver.

Eu estava colocando tudo a perder aceitando isso, mas era colocar tudo a perder ou perder Zack, o que seria a mesma coisa de colocar tudo a perder.

Adentrei ao elevador e quando fui apertar do primeiro andar Oliver apareceu, suspirei e ele adentrou no elevador. Finalmente apertei no primeiro andar e o elevador começou a mover- a para baixo.

Me senti totalmente desconfortável no mesmo elevador que Oliver Queen, entretanto, tinha que me acostumar a viver com ele vinte e quatro horas por dia, porque agora seria assim minha vida de agora em diante.

Ele encarou- me e eu não o encarei de volta, apenas dei uma leve tossida e franzi o cenho.

-Perdeu algo sr. Queen? - perguntei formalmente.

-Talvez, futura Sra. Queen. - respondeu- me com um tom de voz irônico dando ênfase no “futura sra. Queen”.

Encarei- o terrivelmente irritada. Oliver com certeza tinha o dom de me deixar irritada e me provocar.

-Você gosta mesmo de me provocar né? - indaguei com as sobrancelhas levantadas.

-Não - deu de ombros. - Se você se sente provocada, é porque lá no fundo você sabe que é verdade - sussurrou em meu ouvido o que fez- me arrepiar inteira, e, antes que eu pudesse dar uma resposta incrivelmente grossa o elevador parou e abriu- se, fazendo com que ele me lançasse um sorriso irônico e saísse do elevador.

Senti meu sangue ferver, andei em passos largos até a saída da maldita empresa enquanto resmungava alguns palavrões. Esse definitivamente era o pior dia da minha vida.

Andei até meu carro e adentrei no mesmo, liguei- o e comecei a dirigir até minha casa calmamente. Estava sem pressa nenhuma para ir morar com Oliver.

Quando me deparei com um trânsito enorme, bufei e revirei os olhos, peguei meu celular e disquei o número de Caitlin, que seria uma das únicas pessoas no momento para me conseguir me acalmar. Dentro de uma segundos ela atendeu.

“- Alô - pude ouvir sua voz sonolenta o que me fez gargalhar - Felicity?”

“- Eu mesma, tá dormindo é bonita?”

“- Claro. Esqueceu- se que minha -chefe tinha uma reunião importante e me deu o dia de folga - deu ênfase em “chefe”.”

“-Sim, mas sua chefe já saiu da tal reunião importante - falei “chefe” no mesmo tom que ela.”

“-Ótimo! Mas então, como foi a reunião?”

“Hum… como definir o pior dia de sua vida em apenas uma palavra?”

“-Vish. O que houve?”

“-Estou sendo obrigada a me casar com Oliver Queen.”

“-O QUÊ? COMO ASSIM?”

“-Calma. Você sabe que minha empresa vem correndo sério risco de falência né?”

“-Aham.”

“-Então, para ajudá- la, meu pai resolveu fazer um acordo com Robert, o que resultou no casamento meu e de Oliver, o que fará ambas as empresa se juntarem em uma só.”

“-Meu Deus do céu. Você tá fudida, definitivamente fodida.”

“-Nossa, obrigada Caitlin por dizer o que eu já sei, você é a melhor amiga do mundo por isso - disse ironicamente”

“-Desculpe, você sabe que meus conselhos são horríveis.”

“-Tudo bem - percebi que os carros ja está se locomovendo - Até mais Caitlin.”

“- Até mais.”

Desliguei a ligação e o celular e comecei a dirigir até minha casa.

Só conseguia pensar em como minha vida seria daqui pra frente. E quanto mais eu pensava, mais ficava nervosa, porque com certeza minha vida não seria a que sempre desejei.

Cheguei em minha casa e abri a garagem pelo botão, adentrei meu carro na garagem e sai do mesmo fechando a garagem antes. Entrei pela porta que havia ali e foi como nunca tivesse entrado antes, porque talvez seria a última vez que pisarei aqui.

Subi a enorme escada e adentrei ao meu quarto, e quando olhei em volta e observei a luxúria do lugar, torci para que a casa de Oliver não fosse assim, tão luxuosa, porque tinha que ter um lado bom nisso tudo.

Fui até meu closet e tirei dali apenas o necessário, arrumei tudo dentro de uma mala calmamente e fechei a mala depois e terminar. Eu podia ser a pessoa mais exagerada com as palavras, mas quando se tratava de objetos eu era simples.

Andei até a porta com a mala na mão e coloquei a mão na maçaneta da porta, dei uma última olhada e dei um sorriso.

-Por mais exagerado que você é quarto, eu ainda sim sentirei sua falta.

Fechei a porta e franzi o cenho com a frase que acabarei de dizer, podia ser meio clichê mas era verdade.

Desci as escadas e ouvi a porta bater, desci mais rapidamente e deixei a mala no final da escada e fui até a porta, no início era Oliver vindo me buscar mas quando abri me deparei com Zack. Meu coração acelerou na hora. Eu podia estar com trilhões de sentimentos positivos naquela hora mas só o que consegui sentir dor. A dor de deixá- lo. A dor de dizer que estava o trocando por Oliver.

O fiquei encarando sem conseguir dizer uma palavra sequer. Mas quem conseguiria?

-Felicity - se pronunciou com um sorriso mais bonito que carregará e aquilo fez meu coração partir no meio.

-Z-ack o que veio f-fazer a-aqui? - gaguejei com a voz trêmula.

-Vim te ver. - seu sorriso se desmanchou. - O que houve?

Respirei fundo tentando encontrar as palavras certas.

-A gente tem que terminar - ao perceber que não havia sido nada delicada coloquei a mão na testa. - Droga, eu não quis dizer que queria terminar com você assim, é porque, eu não, eu…

-Tudo bem, você cansou, eu entendo - ele disse com um sorriso forçado mas sua face mostrava outra coisa.

-Não, não é que - ao perceber que nunca encontraria as palavras certas apenas disse: -, um dia você irá entender, e quando tudo se resolver prometo que voltarei pra você.

Forcei um sorriso e aproximei- me dele, selei nossos lábios com um beijo calmo. Afastei- me e senti meus olhos ficarem marejados, observei ele se afastar e sair. Senti uma dor inigualável, tudo o que eu acreditava estava sendo tirado de mim, tudo o que eu amava. Mas era melhor deixá- lo partir do que fazer ele sofrer as consequências.

Deixei que uma lágrima caísse mas logo tratei de limpá- la, peguei minha mala e liguei para Oliver, que logo atendeu.

“-Oliver - sussurrei com uma voz chorosa.”

“-Oi, o que houve?”

“-Nada. Apenas estou pronta, pode vir me buscar. De preferência rápido.”

Desliguei a ligação. Por mais que não quisesse ir morar com Oliver, queria sair dessa casa o mais rápido possível para tentar esquecer a cena que acabará de acontecer.

Fui tirada de meus devaneios com Oliver buzinando. Andei até o carro com a mala na mão e Oliver saiu do carro, me ajudando a por a mala no porta- malas e a entrar no carro, antes de entrar no carro, murmurei:

-Não precisa fingir que é cavalheiro.

Ele deu de ombros.

-Por incrível que pareça,  Felicity, eu sou. - falou seriamente com a voz rouca, sem aqueles provocamentos que ele fazia. Algo estava errado.

Adentrei no carro e ele fez o mesmo, começou a dirigir enquanto o silêncio reinava.

-Oliver - ele encarou- me por uns segundos mas logo voltou seu olhar na estrada. - O que houve?

-Como você se importasse.

Bufei e franzi o cenho.

-Sério? - indaguei sem obter resposta. - Posso não lhe aturar mas não quer dizer que não me importo.

-Posso estar prestes a casar com você Felicity, mas não quer dizer que vou virar um livro aberto por causa disso - disse grosseiramente.

-Ok - me encolhi no banco tentando não fazer barulho, como se eu não existisse naquele carro.

Ficamos uns minutos no carro até que chegamos na casa de Oliver, o mesmo deixou que eu saísse e assim o fiz, ele estacionou o carro e tirou minha mala do carro, caminhei juntamente a ele até a entrada da casa, que parecia mais uma mansão, ele abriu a porta e encarou- me.

-Bem vinda a sua nova casa - murmurou e entrou.

Olhei em volta e me surpreendi com tamanha beleza do lugar. Tinha sua luxúria, mas não exagerada como em casa. Era tudo simples mas com sua beleza. Abri um sorriso satisfatório e olhei Oliver e antes que pudesse perguntar onde era o quarto ele já disse.

-Quarto primeiro a esquerda.

Assenti e peguei minha mala, subi as escadas e entrei no quarto indicado. Era tão lindo quanto a entrada da mansão, tudo arrumado e super cheiroso, nem parecia o quarto de Oliver Queen.

Guardei minhas coisas no closet e guardei minha mala, sentei- me na cama apreciando a leveza do colchão. Tirei meu sapato e assustei- me quando Oliver apareceu na porta.

-Calma, sou apenas Oliver Queen - ele disse quando percebeu que assustei-me.

-E é disso que tenho medo. - disse e ele riu. - Bom, irei tomar banho, já está anoitecendo.

Olhei pela janela e o sol já estava se pondo.

-Ok. Vou guardar o carro na garagem.

Assenti e o observei sair do quarto. Levantei da aconchegante cama, peguei uma roupa simples de dormir no closet e adentrei no banheiro, que era lindo e tinha um cheiro maravilhoso de rosas.

Por incrível que pareça, eu estava me adaptando ao lugar e tratando Oliver melhor. Mas isso não podia acontecer, de jeito nenhum, eu o odiava e já continuar sendo assim.

Me despi e entrei debaixo do chuveiro, abri o registro controlando a temperatura da água.

Tomei um banho rápido e me enrolei na toalha, me pus em frente ao espelho e o limpei com a mão já que estava borrado por conta do vapor da água quente.

Penteei meus longos fios loiros com os dedos e vesti- me. Sai do banheiro e me deparei com Oliver mexendo no notebook, ele fechou o notebook e se levantou ao me ver.

-Bom, já que já terminou eu vou indo.

-Vai, não tem ninguém te segurando que eu saiba - dei de ombros e ele franziu o cenho.

-As vezes acho que você tem um certo problema de bipolaridade - ele adentrou no banheiro e deixou a porta meio aberta.

Finalmente voltei ao normal.

Oliver estava tirando a camisa, e eu sem querer acabei observando, e por mais que não pudesse, fiquei com uma enorme vontade de arrancar o resto de sua roupa e fazer coisas inapropriadas.

-Droga Felicity, para com isso - sussurrei para mim mesma.

Quando percebi que ele ia tirar a calça desviei o olhar e encarei a cama. E ao perceber que teria que dormir na mesma cama com Oliver neguei com a cabeça e comecei e revirar o quarto procurando por um lençol e uma coberta.

Depois de uns minutos, achei e logo Oliver saiu do banheiro apenas com uma toalha enrolada na cintura, o que fez- me corar.

-O que vai fazer com esses lençóis? - indagou com as sobrancelhas levantadas.

-A- a e-eu - comecei a gaguejar tentando me recompor - Eu não vou dormir na mesma cama que você. - disse firme.

- E por que não?

-Não te devo explicações - respondi grosseiramente.

Ele se aproximou de mim e eu afundei naqueles olhos azuis, que por mais que não quisesse admitir, eram incrivelmente lindos.

-Tudo bem, pode ir. Ah, mas devo lhe avisar que se encontrar algumas baratas lá, não se preocupe, tem veneno no armário - deu um sorriso sarcástico.

-Fala sério - arquei a sobrancelha e cruzei os braços.- Se acha que com isso vai conseguir com que eu fique você se enganou feio.

- Só estou avisando - deu de ombros.

Me virei mas logo Oliver me interrompeu pegando em meu braço o que fez- me assustar e me virar.

-Calma, achou que eu ia te bater?

-De você eu não espero mais nada.

-Posso ser um babaca Felicity, mas se tem algo que eu não sou é covarde - falou seriamente e eu assenti.

Oliver admitindo que é um babaca?

-Mas, então, o que você quer?- indaguei.

-Devo lhe avisar que amanhã temos que sair cedo pra preparar as coisas para o casamento.

-Tô fora. Meu pai, seu pai e você que resolvam isso - revirei os olhos e me virei andando até a porta.

Sai do quarto e fiquei procurando o quarto de hóspedes até que encontrei, adentrei ao mesmo e comecei a tremer, será que ele não estava blefando mesmo ao dizer que havia baratas aqui? Mas como ele saberia que eu tenho medo de baratas?  Talvez ele esteja blefando mesmo.

Arrumei a cama colocando o lençol e logo deitei-me. Me cubri com a coberta quentinha e aconcheguei- me. Virei de lado e fechei os olhos tentando dormir. Ao sentir algo estranho, abri meus olhos e vi uma barata perambulando pela cama, fiz uma cara de nojo e dei um grito alto, levantei- me rapidamente e comecei a sacudir a coberta e suar, sai correndo no quarto e entrei no quarto de Oliver, me joguei na cama e me aconcheguei em seus braços.

Respirei fundo e ao perceber que já estava fora de perigo, percebi que estava nos braços de Oliver mas estava com muito medo pra sair de lá, ele me encarou e riu.

-Eu te avisei.

-Vai a merda Oliver - disse e limpei meu suor.

-Sabe, eu adoraria que você continuasse em meu braços, mas tá meio que machucando - ironizou me fazendo revirar os olhos e me afastar.

Virei pra ele e percebi que ainda estávamos meio próximos, mas não me importei. Observei ele fechar os olhos e fiquei o observando por uns segundos. Senti sua respiração ofegante se acalmando.

-Boa noite Oliver - sussurrei.


Notas Finais


GENTEEEE OBRIGADA PELOS 14 FAV E OS 6 COMENTÁRIOS, VOCÊS SÃO DEMAIS.

Sobre Zack, ele foi um namorado da Felicity que eu arranjei, podia ser o Ray, mais sei lá.

Enfim, espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...