História How I Met A Angel !!! - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Anjo, Draminha
Visualizações 48
Palavras 1.580
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom é isso, fim.

Capítulo 5 - V


 

Jaebum estava andando pela casa sem camisa, suas asas já estavam crescendo mais rápido, agora elas eram escuras como a noite e eu sabia que elas iria cair.

- Amor, elas pesam?

Ele me olhou e enconlheu-as.

- Não, quer dizer acho que se você tivesse asas, como nunca teve acharia que elas pesam, mas como eu nasci com elas, para mim não faz diferença.

- Me conta mais sobre como é ter asas?

- Conto. - Ele se sentou ao meu lado. – Nós nascemos com ela, elas são pequenas afinal nos nascemos pequenos como vocês, conforme vamos crescendo nós as desenvolvemos mais, as minhas por exemplo sempre foram cor de areia e não brancas como de alguns anjos.

- Asas tem cores?

- Sim, todas elas. Claro que anjos sempre tem asas claras e tem anjos de asas escuras.

- Como assim?

- Bom como eu já te contei, nossa missão é protejer vocês até que sua missão em terra seja cumprida. Quando nascemos temos uma coloração de asas, costuma ser areia, conforme vamos cresncendo tomamos a coloração da aura do nosso protegido, então se nossas asas continuam claras isso quer dizer que nosso protegido é uma pessoa livre de culpa, e inocente, logo se nossas asas mudam de cor quer dizer que o protegido não é uma pessoa tão boa.

- E o que acontece?

- Nós podemos escolher, podemos continuar guardando eles e dando bençãos para que eles voltem ao que eram quando crianças, ou podemos abandoná-los, mas o abandono é só em casos realmente extremos.

- E o que acontece quando as bençãos não funcionam?

- Os anjos viram demônios e mesmo assim cuidam de seus protegidos até a morte.

- Isso é complexo.

- Muito.

Conversamos por mais alguns momentos e eu saí, prometi que iria as compras com o Yugy e se eu não aparecesse ele iria me caçar certeza.

- Pensei que eu teria que ligar para a polícia.

- Quanto exagero eu estou bem aqui.

- Por que demorou em?

- Jaebum está em casa, mas não está se sentindo bem.

- E veio mesmo assim?

- Ele insistiu, vamos?

- Sim.

Chegamos ao shopping e passávamos por uma loja de roupas de praia.

- E então, Jackson se manifestou depois do que aconteceu no restaurante?

- Não. Pelo menos não veio falar comigo. Agora eu estou de férias não sei o que está acontecendo lá.

Eu ainda trabalhava no mesmo lugar com Mark e Jackson porém estava de férias e não sabia como estava as coisas entre eles. Já Yugy no mês anterior havia mudado de setor ganhando uma promoção que mudou sua vida. Nós dois estávamos distantes deles e tínhamos mais coisas para tomar conta do que da vida de Jackson e Mark.

- Será que eles conversáram?

- Eu acho que Mark até quis, mas Jackson deve estar dando vários perdidos nele. É a cara dele fazer isso.

- Bom, falar deles está azedando minha vitamina, vamos logo terminar as compras que eu estou morrendo de fome.

Não demorou muito para Yugy encontrar a bola de praia indispensável para a viagem, e fomos almoçar. Pelo menos era dia de semana e a praça de alimentação não estava cheia, pudémos escolher o lugar que iríamos sentar e isso era previlégio.

- Eu ainda acho que vocês deveríam vir junto conosco. Férias de verão, a quanto tempo você não tem uma?

- Eu sei, faz muito tempo que eu não viajo, mas não sei se Jaebum vai estar pronto para ir.

- Algo me diz que ele vai estar.

- Isso tudo é vontade de que eu vá?

- Sim.

Rimos e jogamos conversa fora.

Era noite quando cheguei em casa, estava tudo escuro e a janela estava aberta. O vento que passava por ela fazia as plumas se espalharem por toda a sala. Caminhei até a janela. A lembrança que me atingia não era a melhor, a última vez que eu estive ali foi quando Jaebum salvou a minha vida.

Me sentei ali e fiquei observando a noite, até que algo passou em frente aos meus olhos, eu não sabia o que era e forcei a vista para ver melhor, a mesma coisa chegou mais perto e eu não tive tempo de desviar quando Jaebum me pegou pelos braços e quando percebi estava sobrevoando Seoul.

- Oi amor.

- Jaebum o que pensa que está fazendo?

- Estou te levando para dar uma volta. Elas cresceram olha.

Olhei para cima e lá estávam elas. Dois parem enormes e magníficos de asas negras, sorri para ele.

- Vai sentir falta delas?

- Sim, mas eu abri mão delas por uma causa maior.

Jaebum me levou para voar acima das nuvens, disse que era o lugar favoritos dos anjos observárem seus protegidos. Sobrevoamos toda a cidade e ele me mostrava coisas que eu nunca reparei como as vezes os anjos desciam e andavam por ai como nós só para ficar mais perto dos seus humanos. Ele me mostrou como a lua era bem mais bonita vista de cima das nuvens. Estávamos voltando para casa quando eu senti as plumas de Jaebum caindo e por um momento seu vôou falhou.

- Está acontecendo, estou perdendo elas.

Ele me abraçou com mais força e mirou a janela aberta. Foi tão rápido, assim que suas asas sumiram em uma explosão de plumas no céu noturno, nós dois estávamos rolando para dentro de casa. Jaebum estava cansado por isso dormiu assim que caiu no chão e eu olhei o rastro de plumas entrando pela janela e as que ficaram do lado de fora se tornando pó. Era isso, agora ele era um humano. O levei para cama e me deitei ao seu lado, o dia seguinte seria cheio de descobertas.

 

Na manhã seguinte quando acordei, Jaebum ainda estava no maior sono de sua vida. Nem ao menos tinha se mexido. Desci e preparei um bom café da manhã e quando voltei para o quarto ele estava se expreguiçando.

- Bom dia amor.

- Bom dia Jae. O que é tudo isso?

- Pensei que iria acordar com muita fome.

- E eu estou mesmo, muito obrigada.

- Suas costas estão doendo?

- Não.

Ele virou e eu vi, elas estávam normais, como se nunca houvesse existido asas ali, sem cicatrizes nem machucados.

- Estão normais.

- Eu pensei que estariam mesmo.

- Posso fazer só mais uma coisinha?

- Pode.

Levantei correndo e peguei um espelho no banheiro. Me sentei e apontei para Jaebum que parou no mesmo momento.

- O que você está vendo?

- Eu estou me vendo. Eu não fazia ideia de que era assim. Agora eu sei porque não me expulsou. Eu sou muito bonitão.

- Cala a boca.

Depois do café Jaebum me ajudou a limpar toda a sala que ainda tinha vestígios de suas asas, eu disse para ele que naquela noite ele ia conhecer meu melhor amigo e o namorado dele e disse que era para ele se comportar.

- Até que enfim não é mesmo?

Yugyeom entrou procurando por Jaebum em todos os cômodos.

- Ele está aqui.

- Graças a Deus você existe. Eu já estava pensando que meu amigo estava louco, fora da casinha.

Bambam estava atrás de Yugy dizendo que o louco era ele.

- Ainda bem que conseguiram vir, eu pensei que os preparativos da viagem estava tomando todo o tempo.

- E está mesmo. Mas para você sempre tem um espacinho.

O jantar foi calmo, comemos kimchi. Depois de comer acabamos jogando conversa fora e Yugy nos chamou para irmos para a praia junto deles, Jaebum aceitou por mim e na semana seguinte estáriamos indo para a praia.

Dessa vez quem estava no shopping era eu, Jaebum estava perdido como sempre. Estava procurando-o quando encontrei com Mark.

- Você por aqui?

- Oi Mark, como vai?

- Bem e você?

- Bem também.

- O que faz aqui?

- Comprando mais algumas coisas para a viagem.

- Vai viajar?

- Sim. Vou para praia com Yugy.

- Entendo. Está sozinho?

- Não.

- Eu ia te chamar para tomar algo comigo, você está tão diferente, está mais bonito e agora que eu terminei com Jackson.

- Não sabia que tinham terminado. Aliás boa coisa que fez, Jackson não te merecia. Bom eu tenho que ir.

Jaebum chegou e me abraçou de lado. Sorri com a cara que Mark fez.

- Quem é ele?

- O que foi Mark? Achou que eu ia lamentar por você o resto da minha vida?

- Não, é que...

- Desculpe Mark, mas temos muitas coisas para comprar. Nossa viagem lembra?

Continuamos o caminho e eu tive certeza que Mark nos fuzilava com o olhar, sorri para Jaebum e continuamos o caminho.

Na semana seguinte lá estávamos nós tentando a todo custo colocar todas as malas dentro do carro, eu nunca pensei que Jaebum iria querer levar a casa inteira.

- Está pronto?

- Sim.

- Então vamos. Yugyeom vai nos abandonar.

- Não vai não, nós estámos com o carro.

Jaebum desceu correndo e entramos no carro. Passamos a jato para buscar Yugyeom e foi assim que fomos para a praia. Bambam implorava para deixar o rádio no último volume para que Yugyeom pudesse parar de reclamar sobre as coisas que achava que tinha esquecido. Jaebum cantava junto do rádio e eu, bom, além de dirigir eu agradecia pelo anjo que entrou e consertou a minha vida.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...