História How I Met Your Father - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Tags Draco Malfoy, Drarry, Harry Potter
Visualizações 347
Palavras 1.465
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ACHEI QUE EU NÃO IA CONSEGUIR VIR AQUI!
Tô passando rapidão só pra não abandonar ninguém.
Espero que gostem

Capítulo 17 - Capítulo 17


No dia seguinte, acordei sozinho na cama. Me mexi, sentindo falta do calor de Draco, abrindo os olhos devagar e o procurando.

Ele não estava ali no quarto.

Levantei apressado, com medo de que algo pudesse ter acontecido com ele, e comecei a procurar pela casa.

Fui nos quartos, no banheiro, procurei na biblioteca, e logo desci apressado a escada.

Ouvi vozes vindas da cozinha, e fui para lá, encontrando Draco rindo e conversando com Tonks.

-É assim? - Ele perguntou, mexendo em algo no fogão.

-Quase… Faz desse jeito… - O ajudou.

Parei na porta, olhando confuso para a cena.

-Ah, olá Harry! - Remus disse, saindo da dispensa.

Os dois se viraram, me olhando.

-Bom dia, Harry. - Draco sorriu, enquanto Tonks acenava. - Está tudo bem?

-Eu… Eu achei que algo havia acontecido com você… - Contei. - O que está acontecendo aqui?

-Ninfadora me ensinou a fazer panquecas… - Ele contou.

-Remus e eu achamos que vocês estariam com fome, então viemos fazer o café pra vocês. - Ela encolheu os ombros.

-Olha! Ela me ensinou a fazer do jeito que você gosta! - Draco disse animado, colocando algumas panquecas num prato, trazendo até mim.

-Oh, obrigado… - Disse baixo, olhando surpreso.

-O que foi? - Perguntou me olhando.

-Nada… Só não achei que veria o mimado dos Malfoy cozinhando pra mim…

Ele semicerrou os olhos, me olhando.

-Vai pro inferno, Potter. - Respondeu e eu ri.

-Bom dia, loirinho. - Disse enquanto me sentava na mesa.

-Leão besta. - Fez careta, derramando mel nas minhas panquecas.

-Você gosta de mim mesmo assim. - Mostrei a língua para ele.

-Eu vou cortar essa sua língua fora, isso sim…

-Ah, o amor… - Tonks riu.

-Acho que isso está mais para bipolaridade. - Remus brincou.

-Hmmm, isso está gostoso… - Murmurei enquanto comia as panquecas.

-Você gostou? - Draco perguntou animado.

-Uhum, demais!

-Que bom, porque essa foi minha quarta tentativa, eu não aguentava mais. - Fez careta.

-Você já comeu?

-Já sim. - Assentiu. - Mas me deixe ver como isso está. - Pegou meu garfo, provando minha panqueca em seguida.

-Abusado.

-Quietinho que fui eu que fiz.

-Tudo bem gracinha, já pode devolver meu garfo então?

-Ah não… Isso está mesmo bem gostoso… - Comeu mais um pouco.

-Eu espero que nosso filho nasça bem gordinho. - Provoquei, pegando outro garfo para poder comer.

-Se ele puxar pra você, será gordinho mesmo… - Provocou de volta, a boca ficando suja de mel.

-Mas que absurdo! Eu não sou gordinho, sou musculoso!

-Se isso te faz dormir a noite… - Disse inocente e eu o olhei incrédulo.

-Bom, nós já vamos… - Remus anunciou. - Até depois, espero que não se matem… - Riu.

-Até depois, Remus… Obrigado. - Agradeci.

-Obrigado, Tonks. - Draco acenou para ela.

Assim que ficamos sozinhos, eu o olhei.

-O que foi? - Perguntou.

-Gordinho, é?

-Oh leãozinho… Ficou magoado, foi?

-Eu não sou gordinho!

-Qual o problema em ser gordinho, huh?

-Nenhum… Mas eu não sou!

-O que é então?

-Musculoso, eu já disse.

-Se você acha… - Riu.

-Tudo bem então, é excesso de gostosura.

-Excesso de gostosura? - Parou de mastigar e me olhou.

-Uhum. Sou tão gostoso que tenho gostosura acumulada.

-Ah Harry, cala a boca! - Deu risada.

-Só não gostou porque você é um magrelo.

-Ah não… Eu sou gostoso mesmo… Não sou igual a você, que se engana pra se sentir mais feliz.

-A serpente amanheceu animada hoje, foi? - Dei risada.

-Talvez… Ela descobriu que tem um leãozinho obediente aos pés dela. - Lambeu o mel que ainda estava no garfo.

-Você é pior que criança… - Neguei, me esticando pra poder limpar o canto da boca dele.

-Viu? Você até limpa minha boca. - Disse convencido.

-Mas a serpente está realmente animada… - O observei, comendo mais um pouco de panqueca.

-Pelo menos a serpente aprendeu a cozinhar suas panquecas…

-Uhum, agora também tenho uma serpente aos meus pés…

-Isso é maldade… Serpentes se arrastam, então sempre estão nos pés. - Pensou, parando seu garfo no ar.

-Mas uma serpente poderia matar um leão, não?

-É, acho que sim… - Voltou a comer.

-Maaaas como você me ama, não vai me matar…

-Mas eu poderia tentar…

-Mas você precisa da minha magia… Ou quer que seu filhote sinta falta do pai?

-Não o chame de filhote. - Fez uma careta. - Ele é um bebê.

-Hmm, você vai surtar se ele for parar em Gryffindor…

-Por que acha isso? - Perguntou me olhando.

-Não sei se você iria gostar de ver nosso bebê virando um leãozinho…

-Eu não sei se seria tão ruim assim…

-Ah não? - O olhei surpreso.

-Não… Se ele for como você, ficarei feliz…

Parei de comer, o olhando.

-Ah, não me olhe como se eu tivesse acabado de falar o nome de Você-Sabe-Quem. - Negou. - Você é uma boa pessoa, será bom se ele for como você…

-Um elogio… - Lembrei e ele encolheu os ombros.

-Eu só falei a verdade…

-Também teremos sorte se ele puxar pra você…

-Uhum, conta outra. - Revirou os olhos.

-O que? Eu estou falando sério!

-Claro, acredito muito em você…

-Draco, por que não acredita? - Perguntei o olhando, apoiando meus braços na mesa.

-Eu não sou uma boa pessoa, Harry. - Negou.

-E eu posso saber por quê?

-Eu sou mimado, metido, egoísta… Orgulhoso também… Se me der um segundo, consigo pensar em mais coisas.

-Mas e nas coisas boas? Você não pensa?

-Claro, e quais seriam as coisas boas?

-Você é inteligente, é carinhoso, protege quem você gosta… Draco, eu já te vi cuidando das “suas serpentes”. - Fiz aspas. - Você as protege com unhas e dentes!

-E? O que tem?

-E você está aqui… - Disse sereno, o olhando. - Eu não consigo nem imaginar o quanto deve ter sido difícil pra você, ter que vir atrás de mim, pedir ajuda… Eu sei que você fez isso porque realmente precisa, e eu admiro sua coragem…

-Mas eu iria acabar te procurando uma hora ou outra, eu te amo…

-Sério? - Arqueei a sobrancelha. - Você está mesmo me dizendo que viria atrás de mim? Você acha que vou acreditar?

-É, tudo bem… Essa não foi convincente… - Suspirou.

-Eu te conheço… Você iria preferir morrer a vir atrás de mim…

-Oh exagero…

-Não é exagero, eu conheço você, loirinho.

-Eu sei, isso me irrita. - Fez careta.

-Mentira, você adora isso.

-Será que você pode parar? - Fez bico.

-Você só está assim porque não sabe muito sobre mim.

-Aham leãozinho, nem você acredita nisso.

Dei risada, o observando.

-Posso fazer uma pergunta?

-Claro… - Apoiou o rosto em uma das mãos, me olhando.

-Por que sua marca está mais clara do que as outras?

-Oh… - Se endireitou, não esperando por aquilo.

-Não precisa responder se não quiser…

-Não, está tudo bem… - Levantou a manga da blusa, observando sua marca. - Eu ainda não sou um comensal da morte… Digo… Oficialmente…

-Não? - Perguntei confuso.

Ele negou.

-Se eu fosse, a marca estaria mais forte…

-Mas… Mas como assim, não oficialmente?

-Eu preciso usar uma das Maldições Imperdoáveis… - Contou baixo.

-Sério? - O olhei surpreso.

-Sim… - Suspirou. - É o que o Lorde das Trevas exige, antes de… Oficializar, podemos dizer assim…

-E… E você vai fazer isso?

-Jura, Harry? - Arqueou a sobrancelha, me olhando.

-Foi só curiosidade. - Encolhi os ombros.

-Mas é claro que não vou fazer isso!

-Okay, me desculpe… - Levantei as mãos, como se estivesse me rendendo. - Mas o que acontece se você não fizer?

-Eu não sei… - Suspirou. - E esse é o meu maior medo…

-Você sabe que não vou deixar nada te acontecer, não é?

-Isso não diminui meu medo, Harry… Temos um bebê em desenvolvimento aqui, lembra?

-Eu sei… Mas vai ficar tudo bem, eu te prometo… - Peguei na mão dele, a colocando entre as minhas, a acariciando.

-Eu sei disso… - Ele sorriu bobo.

-Você confia em mim, não?

-Mais do que eu deveria, muito provavelmente…

-Ouch! Assim magoa, loirinho! - Brinquei e ele riu.

-Podemos ir buscar minhas coisas hoje? - Perguntou.

-Claro que sim. - Assenti. - Você quer ir para lá quando seu pai não estiver, não é?

-Sim… Acho que ele não está lá agora, mas podemos acabar de comer.

-Não, está tudo bem… - Sorri, beijando a mão dele antes de me levantar.

-Nós já vamos? - Perguntou envergonhado.

-Se você quiser que seu pai veja suas lindas coxas… - Provoquei, já que ele ainda estava com minha blusa.

Draco corou furiosamente, me olhando.

-Vai pro inferno, Potter! - Esbravejou enquanto subia as escadas, me fazendo gargalhar.


Notas Finais


E então?
CALMA, ELES VÃO SE ACERTAR!
Logo logo eu volto <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...