História How I Met Your Father - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Tags Draco Malfoy, Drarry, Harry Potter
Visualizações 362
Palavras 1.861
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


GENTE EU ACHEI QUE NÃO IA CONSEGUIR VOLTAR AQUI, SOCORRO!
Tô vindo rapidão só pra postar, já respondo os comentários.
Espero que gostem!

Capítulo 18 - Capítulo 18


-Pronto, idiota, podemos ir. - Ele disse enquanto descia as escadas.

-Poxa, você estava tão sexy na minha blusa… - Fiz bico.

-Cala a boca, Potter! - Brigou e eu ri.

-Vem, vamos para o antro das serpentes.

Revirando os olhos, ele pegou o saquinho de Pó de Flu, e logo fomos para a lareira. Falamos nosso destino, não demorando para aparecer na lareira da Malfoy Manor.

-Caramba… - Eu sussurrei, olhando surpreso para a enorme sala.

-Calma, leãozinho… - Ele disse enquanto abria a lareira, logo saindo dali comigo.

-Isso daqui é imenso, Draco! - Disse enquanto andávamos pela sala.

-É é, é lindo, emocionante… - Fez careta, parecendo procurar alguém enquanto andava.

-Quem procura? - Perguntei.

-Estou vendo se é seguro pro leãozinho andar por aí…

-Oh… Então, seu pai. - Conclui.

-Sim, meu pai. A pessoa que vai adorar te devorar vivo.

-Me sinto tão amado… - Ironizei.

-Fica quieto, garoto… - Riu enquanto me levava pela casa, me levando para o seu quarto.

-Agora eu entendo porque você é tão mimado… - Comentei enquanto olhava em volta.

-Mas você tirou o dia pra me encher, foi?

-Acho que isso é algo natural, que sai de mim sem eu perceber. - Disse sério, fingindo pensar.

-E depois eu que acordei animado… - Riu, logo empurrando a porta de seu quarto. - Bem-vindo…

-Por Merlin… - Sussurrei impressionado, entrando ali. - Draco, isso deve ser maior que a minha casa!

-Mas é exagerado, hein? - Foi para o guarda roupas, pegando algumas malas.

-Ah não não, isso não é exagero. - Neguei. - É a mais pura realidade.

-É grande, o que tem?

-Não, gracinha… Grande é seu banheiro. - Disse enquanto olhava curioso. - Isso daqui está bem longe de ser grande…

-Você vai ficar babando no meu quarto ou vai me ajudar?

-Acho que a primeira opção… Me parece mais legal… - O provoquei, logo me aproximando para ajudar.

-Não testa minha paciência não, Potter. - Negou enquanto começava a arrumar suas coisas.

-Awn, a serpente ficou bravinha?

-Idiota… - Respondeu.

-Mas você me ama… - Sorri.

-Estou começando a questionar o porquê…

-Hmmm, assim magoa…

-Magoa, é? Nem ligo…

-Não fala assim comigo. - Fiz bico, me aproximando mais.

-Nem se atreva a chegar perto de mim…

-Você está me rejeitando?

-Você percebeu?

-Como se você não me quisesse…

-Quem disse que eu te quero?

-Seu corpo todo implora por mim… - Coloquei minhas mãos na cintura dele, sentindo seu corpo ficando tenso.

-Isso é mentira… - Disse baixo.

-Ah, é? - Sorri de lado. - Me prove então…

-Como posso provar? - Endireitou o corpo.

-É só sair dos meus braços… - Sussurrei em seu ouvido, o fazendo arrepiar. Meus braços rodeando sua cintura, o abraçando.

Draco se mexeu, se virando nos meus braços, ficando de frente pra mim.

-E então? - Perguntei.

-E se eu não sair daqui?

-Aí você vai provar que me quer…

-Talvez não… Talvez eu só goste do seu abraço…

-Hmmm, será? - Aproximei meu rosto do dele.

-Você é muito convencido, Potter… - Olhou para os meus lábios. - Ninguém disse que eu te quero.

-Então é só sair daqui… - Sussurrei.

-Eu posso sair daqui quando eu quiser… - Sussurrou de volta, o rosto mais próximo do meu.

Eu sorri, meu corpo inteiro esquentando só com a ideia de beijar Draco novamente.

Me aproximei mais, sentindo a respiração dele contra meu rosto. Abri um pouco a boca, nossos lábios quase se tocando.

-Senhor Malfoy? - Ouvimos alguém chamando, e nos separamos num pulo, assustados.

-Você quase me matou do coração! - Draco brigou, olhando para o elfo doméstico.

-Me desculpe, meu amo. - Fez uma reverência. - Ouvi o senhor chegando, e achei que poderia precisar de algo.

-Não, está tudo bem. Só estou arrumando algumas coisas para uma viagem que farei.

-Tudo bem então… Estarei a disposição, caso meu amo precise. - Fez outra reverência.

-Tá tá, pode ir… - Mandou, voltando a mexer nas malas.

O elfo logo saiu dali, nos deixando sozinhos novamente. Olhei para Draco, que parecia extremamente concentrado em sua mala, e suspirei, indo o ajudar.

Arrumamos as malas em silêncio, sem trocar mais nenhuma palavra. Eu sabia que estava quieto porque estava frustrado, agora Draco… esse realmente era um mistério para mim.

Quando acabamos, ele sentou em sua escrivaninha, começando a escrever algo em uma carta.

Sem saber o que fazer, eu me sentei na cama, esperando até que ele acabasse.

-Harry? - Ouvi a voz dele, e só então percebi que havia adormecido em sua cama.

-Hm? - Me mexi. - Oh, desculpe…

-Não tem problema… - Negou e sorriu. - Eu já acabei… Vamos?

-Claro, vamos. - Assenti e me sentei. - Vamos antes que seu pai apareça aqui para me matar.

-Garoto esperto… - Brincou.

Rindo eu me levantei, me espreguiçando.

-Já acabou a carta? - Perguntei enquanto pegava as malas.

-Sim… Achei que seria bom me despedir da minha mãe. - Encolheu os ombros.

-Oh, eu não tinha pensado nisso…

-No que? - Me olhou.

-Você… Terá que ficar longe dos seus pais…

-Eles não podem saber o que está acontecendo… - Suspirou.

-Então você não contou?

-Não contei da gravidez, nem que estou indo morar com você…

-Eu achei que a gente só ia falar sobre morar juntos depois de Hogwarts… - Lembrei.

-Ah, então você acha que ainda estaríamos juntos até lá?

-Claro que sim… Você não?

-Eu não sei… Sempre achei que você ia acabar morrendo… - Pensou.

-Draco! - O olhei incrédulo e ele gargalhou.

-É brincadeira! - Disse enquanto ria. - Mas fala sério, você é um imã para desastres…

-Você está exagerando…

-Estou? - Perguntou enquanto andávamos para a lareira. - Você foi tanto para a enfermaria que madame Pomfrey estava quase reservando uma cama exclusivamente pra você. Só faltava colocar uma placa com seu nome em cima dela.

-Eu só sou um pouco azarado… - Murmurei.

-Jura? Um pouco azarado? Essa é sua desculpa? - Riu.

-Uhum, e acho bom você aceitar, é a única que eu tenho. - Respondi enquanto entrava na lareira, o fazendo rir mais ainda.

-Claro, vou aceitar suas desculpas horríveis…

-Obrigado. - Ri e logo voltamos para a minha casa.

Assim que saímos da lareira, fui atacado por um par de braços, que me abraçou como se eu estivesse morrendo.

Surpreso, deixei as malas caírem no chão.

-Harry! - Ouvi a voz de Hermione. - Eu estava tão preocupada com você…

-Urgh, Mione… Eu preciso respirar… - Pedi.

-Me desculpe… - Ela se afastou.

-O que vocês fazem aqui? - Perguntei, confuso ao ver ela e Ron ali.

-Mione estava quase surtando de preocupação com você. - Meu amigo contou. - Acabou me convencendo a aparecer aqui…

-Você sabe que não precisava, né? - A olhei. - Eu estou bem…

-É, nós reparamos… - Disse baixo, o olhar indo até Draco, desviando em seguida.

-Hmmm… Draco vai ficar aqui por um tempo. - Contei. - Longa história…

-Você saiu de Hogwarts não faz nem uma semana, e já está abrigando um Malfoy? - Ron torceu o nariz.

-Se ele deixa você entrar, por que eu não poderia? - O louro rebateu.

-Porque eu sou o melhor amigo dele. Você é o que mesmo?

-Será que vocês dois podem parar? - Hermione pediu.

-Só um instante, Sangue-Ruim. A discussão é entre o Weasley e eu.

-Draco! - O olhei incrédulo.

-Já sabemos porquê você não deveria estar aqui. - O ruivo disse.

-Você tem razão, talvez eu não seja mais nada do Harry. - Draco se aproximou dele. - Posso não ser mais namorado dele, mas estou gerando o seu filho. A amizade de vocês pode acabar, mas nada do que acontecer pode mudar o fato de que a criança que está crescendo dentro de mim, é dele. - O olhou furioso, o rosto bem próximo do dele. - É por isso que estou aqui, e garanto que o meu motivo é MUITO MAIS importante do que o seu. - Rosnou, saindo de lá em seguida, indo para os quartos.

-Draco! - Chamei mas ele me ignorou, subindo as escadas e batendo a porta com força.

-Tudo bem… O que aconteceu aqui? - Hermione perguntou. - Harry, você quer nos contar algo?

-Surpresa! - Levantei as mãos e encolhi os ombros.

-x-

-Então Malfoy é um veela? - Ela perguntou.

-Metade veela. - Corrigi.

-E você o engravidou?

-Hmmm… Sim…

-Eu vou vomitar… - Ron levantou, indo até o lixo.

-E como vocês estão? - Ela perguntou, ignorando o namorado.

-Estamos bem, eu acho. - Encolhi os ombros.

-Quando ele chegou aqui?

-Ontem… Aí foi quando me contou sobre a gravidez…

-Vocês podem parar de falar sobre isso? Eu estou ficando enjoado. - O ruivo pediu.

-Você pode parar? Eles estão juntos, Ron!

-Eles não estão juntos, Mione. Harry deixou isso bem claro quando gritou pra todo mundo ouvir.

-Você não precisa me lembrar do que eu fiz, Ron. - Reclamei. - Sei muito bem o que aconteceu.

-E então?

-Então o que?

-Draco tem o veela como desculpa, mas e você?

-Como assim?

-Por que está com ele?

-Por que eu o amo? - Respondi confuso.

-Você não está falando sério… - Negou.

-Ron… - Mione o chamou.

-E por que eu estaria mentindo? - Perguntei.

-Harry… Ele é um Malfoy! É um comensal da morte!

-Sim, eu sei exatamente o que ele é. - Assenti.

-Você ficou louco? - Perguntou.

-Talvez… É bem provável. - Disse sério, o olhando.

-Você perdeu totalmente o juízo… - Negou me olhando.

-E agora você sabe porquê não contei antes. - Olhei para a morena.

-Ah não, eu não estou errado nessa história. - Meu amigo disse indignado. - Mione, ele está se atracando com uma serpente!

-Sim, Ron. Já entendi essa parte… - Ela respondeu.

-Ele engravidou Malfoy! Sabe quantos problemas vão surgir daí?

-Eu não estou muito preocupado com isso… - Neguei.

-Acho que deveríamos ir embora… - Hermione se levantou, preocupada com o namorado.

-Claro, vamos embora, deixar Harry a sós com aquela serpente traiçoeira.

-Você poderia parar de insultar meu namorado? - Pedi.

-Ele não é mais seu namorado. - Retrucou.

-Não se preocupe, isso é algo que eu pretendo consertar muito em breve. - Sorri de lado.

-Ron, vamos embora… - A garota o puxou.

-Melhor ir, antes que Malfoy entre mais na cabeça de Harry…

-Adorei a visita, voltem sempre. - Revirei os olhos.

-Tchau, Harry… - Ela disse baixo, logo sumindo com ele na lareira.

Suspirei ao me ver sozinho. Achei melhor ver como Draco estava, logo subindo para o quarto.

Abri a porta com cuidado, colocando a cabeça para dentro.

Meu coração apertou assim que vi Draco deitado na cama, encolhido, abraçado a um travesseiro.

-Loirinho? - O chamei, entrando no quarto.

-Eu quero ficar sozinho… - Ele disse baixo.

-E achou que o meu quarto seria o melhor lugar para isso? - Ri enquanto fechava a porta.

-Tem seu cheiro aqui… - Suspirou.

Eu sorri, me aproximando.

-O que houve? - Perguntei.

-Por quê?

-Você chamou Hermione de Sangue-Ruim, Draco… - Suspirei. - Sei que era algo que você fazia antes, mas eles são meus amigos…

-Eu sei que são…

-Então… Eu não gostei disso…

-Mas não era pra gostar mesmo. - Puxou a coberta, se ajeitando.

-Draco! O que aconteceu?

-Você ouviu o que o Weasley falou? Harry, eu não deveria estar aqui! Nós não temos nada, eu não sou nada seu… - Sussurrou com a voz chorosa.

-Você está chorando…

-Claro que eu estou chorando! O Weasley está certo, e ainda tinha aquela garota pendurada no seu pescoço, toda feliz por te ver.

-Você ficou com ciúmes da Mione?

-Nossa, parabéns, deveria ganhar um prêmio por isso.

Eu sorri, o olhando.

-O que foi, Potter? - Perguntou nervoso.

-Eu amo você… - Respondi simples.

-O que? - Me olhou surpreso.

-Eu amo você, eu quero você… Você não deveria ficar com ciúmes dos meus amigos…

-Claro, e o que você quer que eu faça?

Eu sorri, engatinhando pela cama, chegando até ele.

-O que foi?

Sem responder, eu levei minha mão até o rosto dele, acariciando ali, o beijando em seguida.


Notas Finais


EU AMO A BRIGA DELE COM O RON, ME DESCULPEM, MAS EU AMO!
Gente, a faculdade vai me atrapalhar um pouco nas postagens, então não me matem, por favor...
PS: SE PREPAREM PRÓ PRÓXIMO, SERÁ FODA E TERÁ O QUE VOCÊS TANTO QUEREM AHSISJSUSJSU
Voltarei assim que puder!
Obrigada <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...