História How I Met Your Mother - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 48
Palavras 2.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quero dizer que, a parte do sexo pode estar ruim por que eu não tava muito afim de escrever né mas nas próximas melhoras prometo, e bom é isso.

Capítulo 6 - A primeira vez, o primeiro adeus e a primeira ressaca.


Fanfic / Fanfiction How I Met Your Mother - Capítulo 6 - A primeira vez, o primeiro adeus e a primeira ressaca.

Às vezes uma hora pode parecer minutos, e às vezes um único segundo pode durar uma vida. - How I Met Your Mother.

Luke Hemmings – Melbourne.

Minha primeira briga com Camila veio a uma semana após o clipe de Heartbreak Girl. Nós nunca tivemos uma briga séria como essa, coisas foram ditas e por mais que eu quisesse dizer que estava certo parte minha sabia que assim como Camila eu tinha uma parcela de culpa em tudo que foi dito ali.

Solto um longo suspiro e balanço minha cabeça em negação, encaro o relógio que ficava sobre o criado mudo e logo desvio o olhar para meu violão que estava deitado ao meu lado na cama. Levanto-me ficando sentado sobre a cama e encaro meu quarto, bufo irritado e levanto de uma vez da cama. Deslizo meu celular para dentro do bolso de minha calça jeans e sigo para fora de meu quarto, eu precisava resolver minha situação com Camila e tinha que ser agora.

Desço as escadas rapidamente e logo passo pela porta de entrada, o caminho até a casa de Camila me faz pensar no que falar para que as coisas entre nós ficassem boas como antigamente mas nada me vem a mente, isso era algum tipo de sinal de deus me avisando para desistir desse relacionamento antes que desse errado? Bom parte de mim queria acreditar que não.

[…]

Paro em frente a porta de sua casa e conto até dez antes de tomar coragem para bater na porta, assim que faço espero com que Sinu atendesse ou até mesmo. Após longos minutos parado em frente a porta de sua casa resolvo finalmente desistir e ir embora para casa mas logo ouço o barulho de chaves e em segundos tenho a imagem de Camila apenas de pijama a minha frente.

– Você não vai desistir não é? – ela questiona cruzando os braços abaixo dos seios.

– Ainda bem que você conhece o namorado que tem – respondo e posso ver que Camila queria rir mas a pose de forte não deixava-a.

A morena da espaço para que entre em sua casa e assim que faço ouço ela fechar a porta detrás de si. Camila faz sinal para que eu a siga para o andar de cima, caminho dentre as escadas logo atrás dela e logo estou dentro de um cômodo que eu conheço bem, seu quarto.

– Te dou 5 minutos para dizer o que quer que seja – ela diz sentando-se na cama.

Prendo meu lábio inferior entre meus dentes e sinto o gosto metalizado do piercing na area, observo Camila sorrir fraco pelo ato mas logo volto minha atenção para o que eu deveria dizer a ela.

– Eu não sei na verdade, eu nem tenho ideia do que por que brigamos mas sei que lhe disse coisas horriveis e que eu devia pedir desculpas por meus atos egoistas – digo e Camila balança a cabeça em afirmação, solto um longo suspiro e resolvo continuar – Me desculpe Camila por lhe dizer tudo aquilo, lhe prometi tantas coisas no pedido de namoro e sinto que não estou cumprindo com nenhuma. Você é uma garota íncrivel e não mereçe um babaca que toda vez que está bravo lhe põe para baixo.

Entrelaço meus dedos uns aos outros e passo a olhar Camila com atenção esperando por algum sinal de sua parte, parte de mim sentia que eu devia ir embora e não olhar para trás outra parte acreditava que Camila me desculparia e eu passaria a tarde toda deitado em sua cama com ela em meus braços, e eu queria e precisava acreditar nessa parte.

– Não vou ser hipócrita e dizer que o único errado foi você. Eu lhe disse coisas horríveis também e sei que no fundo deve ter alguma parte que fica remoendo minhas palavras, mas eu apenas lhe devolvi as palavras que disse e por mais que eu queira dizer que eu estava certa por isso sei que estava errada sim e reconheço, me desculpa Lucas – Camila levanta-se e vem até mim.

Seus braços passam ao redor de meu pescoço e consecutivamente minhas mãos descem para sua cintura puxando seu corpo para mais perto do meu, sinto a respiração de Camila bater em meu pescoço fazendo com que todo meu corpo se arrepiasse. Em seguida Camila levanta o rosto e aproxima seus lábios dos meus iniciando um beijo que demonstrava o desejo que ela estava no momento, não vou negar desde daquele quase flagra em seu quarto eu estava com vontade de por um ponto final naquilo que havíamos começado.

Empurro Camila em direção a sua cama com gentileza, desfaço-me de seus lábios e sigo em direção a porta de seu quarto que se encontrava aberta, tranco-a e volto na direção de Camila. Coloco-me entre suas pernas e deixo minhas mãos em sua cintura, as mãos de Camila estão em minha nuca e logo um beijo se inicia de imediato. Resolvo ir rápido com as coisas antes que a mãe de Camila chegue, puxo a blusa que Camila usava para fora de seu corpo e deixo-a jogada em algum canto de seu quarto, minhas mãos percorrem seu sutiã até que ache o feixe e abro-o rapidamente.

Após ter os seios de Camila serem descobertos, minhas mãos vão até eles e fecho-os entre minhas mãos. Ouço os murmuros de Camila e abro um sorriso largo e continuo a mover minhas mãos em seus seios enquanto observava as expressões presentes no rosto de Camila, paro os movimentos logo em seguida e desço minhas mãos para o cós de sua calça, desabotoou os botões da mesma, desço-a e logo a jogo com as outras peças de roupa de Camila.

Deslizo sua calcinha entre suas pernas e rapidamente levo meus dedos para sua intimidade, deslizo dois de meus dedos por seus labios vaginais e logo os adentro em sua intimidade, abro um sorriso largo e passo a mover meus dedos em um ritmo lento enquanto fechava meus olhos algumas vezes para saborear os sons que saiam da boca de Camila, ao perceber que a mesma estava perto de seu primeiro orgasmo retiro meus dedos da area.

Afasto-me para retirar minhas peças mas sou impedida pelas mãos suaves de Camila, a mesma sorri gentil e leva as mãos para a barra de minha blusa e puxa-a para cima. Ela desliza as mãos por meu abdomem e logo para no cós de minha calça, ela desabotoa e puxa-a para baixo, Camila sorri meio sem graça quando seu olhar para em minha cueca e sou obrigado a morder meu lábio inferior para não rir dela, afasto-as mãos de Camila de mim e termino de retirar a única peça de roupa que me cobria, pego o pacote de camisinha dentro do bolso esquerdo de minha cala, abro-a e logo ponho-a em meu membro. Volto a me aproximar de Camila e assim que fico por cima da mesma, conto até três baixinho antes de penetra-la, levo minhas mãos até as de Camila e entrelaço nossos dedos. Espero que a mesma se acostume e logo passo a me movimentar em ritmo lento.

Uma das mãos de Camila se desfaz da minha e vai até minhas costas onde passa as unhas com calma conforme meus movimentos dentro da mesma.

[…]

Ao que volto do banheiro encontro Camila vestida apenas com o conjunto de lingerie e sua blusa de antes, deito-me ao seu lado e passo a encarar o rosto de Camila como se tentasse memoriza-lo.

– Eu te amo – murmuro baixinho e Camila sorri.

– Eu amo você Lucas – ela diz baixinho e eu sorrio fraco. Levo minhas mãos para sua cintura e puxo-a para mais perto de meu corpo, meu rosto é afundado na curva de seu pescoço e após alguns minutos de carinho acabo por adormecer abraçado ao corpo pequeno de Camila.

Luke Hemmings –Melbourne – Três meses depois.

Observo Camila abraçar sua mãe e novamente o aperto em meu coração se faz presente, Ashton que está ao meu lado só murmura um ''tudo bem.'' A questão era que Camila viajava hoje para nova york para conseguir fazer sua audição para Julliard, parte de mim sabia que o momento que passaríamos afastados chegaria, seja minhas viagens com a banda ou então o sonho de Camila batendo em sua porta, mas do mesmo jeito aquilo doía, vê-la ali com o rosto vermelho pelas lagrimas me partia o coração.

– Seja forte – Ashton sussurra para mim ao que Camila começa a se aproximar.

Camila se despede de Ashton primeiramente, ouço-o desejar boa sorte para a garota a respeito da audição em seguida ele diz algo que a faz rir e por um momento um sorriso se abre em meu rosto. Eu amava a risada de Camila. Desvio meu olhar para eles e logo vejo o abraço se desfazer, Camila caminha em passos lentos até mim e sem delongas ponho minhas mãos em sua cintura e puxo-a para perto de mim abraçando-a como se fosse a última coisa que eu fosse capaz de fazer.

– Se você chorar eu vou chorar Lucas – ouço a voz embargada de Camila pelo choro e prendo meu lábio inferior entre meus dentes.

– Eu não sei se consigo chorar o choro – digo baixo sentindo o bolo em minha garganta se formar.

– Você é o fortão do relacionamento – ela diz e isso me faz rir baixo, ouço a risada de Camila me acompanhar e fecho meus olhos afundando meu rosto na curva de seu pescoço.

– Desculpa – digo sentindo as lagrimas rolarem pelo meu rosto – Eu te amo Camila, eu te amo tanto. Espero que tudo dê certo para você em nova york, e vai dar sabe por que? Por que você é uma pianista incrível – digo e Camila aperta-me contra seus braços pequenos – Eu estarei aqui quando você voltar, eu prometo.

O primeira chamada para o voo de Camila é anunciado e com isso aperto-a mais uma vez, na segunda chamada solto-a aos poucos e assim que a terceira é a anunciada solto-a deixando um longo selinho sobre seus lábios, Camila afasta-se e deixa um último aceno para todos ali presente e antes de embarcar.

[Uma semana depois]

– LONDRES CARALHO! – solto uma risada alta ao ver o desespero de Calum.

– NÃO RI LUCAS – Ashton grita comigo e eu nego com a cabeça. Queria que Camila estivesse aqui e ai sim eu gritaria de felicidade, minha namorada ao meu lado enquanto gritávamos sobre abrir shows para o One Direction.

– Essa é a melhor chance do mundo, deus me perdoa por todas as vezes que falei mal das músicas chicletes dos caras, sério – solto uma risada incrívelmente alta com os dizeres de Michael.

Fujo para o andar de cima de sua casa, disco o número de Camila e espero que ela me atenda. Após três toques finalmente ouço sua voz do outro lado da linha.

O que aconteceu? – ela questiona preocupada.

– Iremos abrir para o One Direction. Camila você consegue acreditar nisso? – digo animado e ouço Camila gritar e isso me faz rir.

AI MEU DEUS PEGA UM AUTOGRAFO DO HARRY PARA MIM! – ela diz animada e eu rolo os olhos, ouço uma voz feminina de fundo e logo escuto Camila responder que o namorado iria abrir os shows do One Direction e só de ouvi-la dizer namorado, sinto a saudade bater – Oi amor desculpa, Hailee achou que era outra barata no quarto.

– Já fez amigos Cabello? – questiono.

Hailee é compositora e dividimos o dormitório – ela responde e posso ouvir a voz de Hailee dizer um oi – Hailee disse oi, ah ela achou o Calum muito bonito, se você puder... HAILEE EU ESTOU NO TELEFONE COM O MEU NAMORADO!

Solto uma risada alta e tenho que prender meu lábio inferior entre meus dentes após ouvir Michael me perguntar o que eu estava fazendo, murmuro um tchau e um eu te amo de forma rápida para Camila antes de encerrar. Observo Michael abrir a porta do porão e ele junto a Calum e Ashton saírem de lá.

– O que vocês querem? – questiono ao ver o sorriso deles.

– Vamos beber e eu não aceito um não como resposta bebe Hemmings – rolo os olhos ao ouvir o apelido de Ashton e logo sou puxado pelo mesmo, é não tem como eu recusar o pedido.

2017.

– Essa festa foi fo...

Encaro Michael de forma séria e ele apenas sorri como pedido de desculpas, viro-me para as crianças que apenas me olham sem entender.

– O primeiro deslize do seu pai, a primeira ressaca do mesmo e aquela bendita ligação. Crianças depois das duas da manhã, nada de bom acontece então quando for duas da manhã apenas durma – Michael diz por mim e eu mordo a parte interna de minha bochecha lembrando-me daquela noite.


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...