História How Much You Wanna Risk?-Interativa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Interava, Medos, Monstros, Romanace
Visualizações 21
Palavras 496
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Prólogo


Já se faz mais ou menos um ano e meio que estou aqui, e ainda assim me lembro de cada palavra que a Carin falou para mim quando cheguei aqui, ela fala cada palavra para todos que chegam aqui, porque claro, ela é um holograma, por isso repete cada palavra e cada pausa todo o tempo quando alguém chega, o que pode ser bem cansativo para quem a tem que escutar todos os dias.

Lembro-me de ter acordado em um dia comum, era uma sexta-feira e eu estava animada porque iria fazer uma festa, nesse mesmo dia, fui com minhas amigas comprar doces e salgados para a festa que teria na minha casa, a pior decisão da minha vida foi ter comprado uma bala, era uma bala que quando mordia saia um líquido preto dela, um líquido amargo.  Quanto eu reparei, não estava mais na sala da minha casa, e sim na frente de três prédios que não se encontravam em parte alguma da Noruega. Então eu pensei que fosse um sonho, foi quando Carin apareceu e começou a falar comigo.

—Todos que injetaram essa substância foram parar em um mundo totalmente diferente e apavorante. Onde seus medos se tornam monstros e te perseguem, você tem que mata-los, ou então, eles te matam.-a mulher de cabelos avermelhados e pele como de uma castanha faz uma pausa e se recupera, como se estivesse se preparando para minha expressão que viria a seguir.-Quem entra nesse novo mundo, não consegue mais sair. Terá que viver sua vida aqui. Prazer eu sou a Carin, uma das comandantes desse mundo, e antes que você tente me matar, saiba que não tem como.

Não sei como estava minha expressão facial mas tenho certeza que não era uma calma. Ela me entregou uma espada, como faz com todos, e apontou por cima do meu ombro.

Eu virei, e um homem encapuzado estava vindo em minha direção, segurando um estilete e com sangue na boca. Meu medo. Carin então falou que os medos (seus monstros) não aparecem há todo o segundo ou tempo, vem às vezes e gostam de te pegar desprevenido, o primeiro medo sempre aparece aqui, para decidir se você tem condições ou não de entrar e tentar sobreviver.

 

—Mate-o. Ele é seu medo. Seu monstro-eu olhava pra ela sem acreditar, não poderia mata-lo, nem mesmo sabia se ele tinha família ou tinha feito algo ruim.

Eu não o matei, mas consegui desviar, quando me esquivei dele, o estilete que estava em sua mão foi parar em sua garganta assim perfurando-a e o matando.

É. Já faz um ano e meio que estou aqui. E muitos dos dias tenho que ficar com a Carin e ajudar alguns novatos. Mas apesar de tudo Carin tinha razão. Os medos não vem sempre.

Estava ao lado do holograma chamado Carin, esperando alguém chegar, o programa novo que Carin está usado faz com que ela consiga ter emoções e falar mais do que uma simples frase.

 


Notas Finais


Ps: Aceito fichas só por jornal e comentários, só seu tiver uma desculpa muito boa.
Ps2: Fichas nos comentários
Ps3: Aparência de pessoas reais, reserve a aparência


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...