História How to not Love You (JIKOOK) - Capítulo 54


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook Taegi Daddy
Visualizações 203
Palavras 2.215
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 54 - Quem com ferro fere, com ferro será ferido...


Fanfic / Fanfiction How to not Love You (JIKOOK) - Capítulo 54 - Quem com ferro fere, com ferro será ferido...

[PARK JIMIN]

– Jeon! – O chamo, cutucando - o pela quadragésima vez. – Jeon JungKook! – Levanto um pouco a voz, fazendo o mais novo se assustar. 

– Jimin, Jimin, Jimin, eu não vou te deixar morr – Jeon cospe tais palavras, atropelando - as. – Huh? O que aconteceu? O avião não caiu? – Ergo um semblante e rio baixo. 

– Não, Jeon, mas você caiu lindamente por cima de mim.– Digo, enquanto o observo; o corpo do mais novo estava por cima de mim, literalmente. O mesmo tivera dormido, e caído por cima de mim. 

JungKook se levantou, coçando os olhos. 

– Desculpa, hyung. Já chegamos? – Perguntou, deitando a cabeça em meu ombro. 

– Não, mas estamos perto. – Respondo, olhando a janela arredondada. – Afinal, o que tanto você sonhava que acordou tão desesperado? – Perguntei. 

– Ah, sonhei que o avião estava caindo conosco. Aliás, quando eu dormi? – Perguntou, rendendo - me uma risada baixa. 

– Quando falei para você me ditar tudo que tínhamos passado, você fechou os olhos e simplesmente dormiu em meu ombro. Acho que você é estava com a pressão baixa. – Respondi, tocando sua testa, ela estava deveras quente. – Acho que alguém está ficando resfriado e não poderá aproveitar as praias... – provoco.

– Nem vem, hyung! Eu vou sim! – Jeon cruza os braços com um bico infantil, fazendo - me rir. 

– Okay, amor. Mas quando chegarmos, lhe darei um remédio! – Digo e suspiro. Levanto a cabeça de Jeon de meu ombro, e deito - me sobre o seu. – Tá, agora é minha vez de dormir. – Fecho os olhos, enquanto sinto a mão de Jeon se entrelaçar a minha. 

{×}

– JUNGKOOK - AH, OLHA AQUILO! – Mostro, ao avistar de longe o mar, enquanto caminhavamos pelo centro. Era realmente quente, e nós já havíamos chego no dia anterior; Mas apenas chegamos e fomos dormir no hotel que estamos hospedados. 

As famílias se distribuíam para poder passar pelo monte de gente presente. A maioria, era turista. Muitas pessoas paravam para registrar momentos em máquinas fotográficas – profissionais por sinal –, enquanto outras observavam a paisagem deveras agradável. Eu e Jungkook, caminhavamos de mãos entrelaçadas, observando tudo que passavamos. 

A tarde estava próxima, então, resolvemos ir ao mar. Vestimos nossas sungas e por cima, uma bermuda cinza. Colamos uma regata igual e sorrimos, entrelaçando nossos dedos novamente, caminhando pela areia esbranquiçada da praia. Haviam muitas pessoas presentes; crianças principalmente. O mar não estava cheio, entretanto. 

– Amor, vamos pro mar? – Perguntou Jeon, me encarando. 

– Claro!

 Sorri largo e o puxei. O clima estava agradável, com um pequeno vento soprando meus cabelos, enquanto corríamos em direção ao mar. Jeon me pegou no colo no estilo noiva e continuou correndo, enquanto ria. Escondi meu rosto em seu pescoço, envergonhado, e logo senti gotículas molharem meus calcanhares; JungKook caminhou lentamente desta vez, por entre as ondas, e baixou um pouco dos braços para que minha pele entrasse em contato com o mar. Estremeci, e apertei o ombro de JungKook. 

– Tá com medo amor? – O Jeon debocha, rindo.

– Falou o que tem medo de avião. – Respondo, revirando os olhos com um bico. Eu nunca tive medo de água, praia, mas Jeon estava indo para o fundo, o que me assusta, já que quase me afoguei quando era pequeno. 

– Quer descer coisinha chata? – Perguntou JungKook, e eu lanço um tapa em seu ombro. – Tá bom, amorzinho. – Ele ri, e sela - me. – Quer descer? – Ele pergunta novamente, porém, eu hesito, mordendo o lábio e dobrando meus dedos. – Está com medo é? – Bufo e o encaro.

– Desça - me! – Ordeno. – Vamos! – Jeon ri, e derruba - me na água, fazendo quase me afogar. – Hey! – Franzo o cenho, após cessar as tosses contínuas, enquanto JungKook ria. – Ah, mas você me paga! – Corro com dificuldade atrás dele, por conta da correnteza, e das ondas que batiam contra meu peitoral, já que sou baixinho. 

[JEON JUNGKOOK]

Estava a correr do hyung; ele é tão baixinho, que a água quase batia em seu queixo. É tão fofinho. 

– Hyung, você é muito devagar! – Digo, rindo.

– Jeon Jung– Ainda corria, e ria, mas parei, quando percebi que Jimin tivera ficado quieto. Girei os calcanhares, sentindo a onda bater contra meus tornozelos.

– Jimin? – O procuro com o olhar; ele havia sumido. Caminho lentamente, procurando desesperadamente com os olhos e tocando inquietamente a água. – Jimin, onde você tá– Sinto me empurrarem, e meu rosto ir de encontro a onda. Tusso, sentindo alguém em minhas costas. 

– Ya! Anda cavalinho! – A voz de Jimin, me fizera sorrir, mesmo que estivesse a apertar o nariz e tossir a água que quase bebi. Sua mão estava sobre a gola de minha regata. 

– Hey, você me assustou hyung! – Digo, com um biquinho. 

– Owwn, que fofo! – Ele aperta minha bochecha e desce de minhas costas. Viro - me para si, e enlaço sua cintura, puxando - o para mim, colando nossos corpos. 

– Você não devia brincar assim comigo... – mordo seu lóbulo. – Quem com ferro fere, com ferro será ferido. – sussurro rouco, distribuindo beijos por seu pescoço. O mesmo suspira pesado e toca com sua destra em meu peitoral, me afastando. 

–  Para o bom entendedor meia palavra basta...– Diz ele, encarando - me. – Mas aqui não meu amor. Quem sabe se, fossemos para nosso hotel, huh?  – Ele diz, aproximando seus lábios dos meus, apenas roçando - os. – Estou lhe desejando, Jeon JungKook... – Ambos encaravamos os lábios um do outro intensamente, enquanto Jimin brincava com minha sanidade; ele roçava as bocas e sorria em satisfação por me ver desesperado por seus lábios e corpo. 

[>>>>]

Fomos o mais rápido possível para casa (mesmo que o táxi tenha realmente demorado), e logo que entramos, já nos beijamos. Era como se não nós víssemos – ou beijassemos – a anos; se bem que, nunca irei me cansar desses beijos. As roupas encharcadas, molhavam o chão, fazendo Jimin rir por entre o beijo. 

– JungKookie... – Ele separa os lábios. – Vamos experimentar um jeito novo? – Ele retira sua regata molhada, e a enrola, colocando - a em seu pescoço em seguida. Penteou seus fios com os dedos e sorriu, movimentando seu indicador para me chamar. – Vamos tomar banho de duas formas hoje! – ele pisca, e caminha para o banheiro. Abre a porta e morde o lábio me encarando. – Anda, não aguento mais essas duas coxas cobertas! 

– Mas eu estou de bermuda. 

– Exatamente, quero sem nada. – Ele piscou e adentrou o banheiro. 

– Quando ele ficou tão safado? – Perguntei - me e ri baixo, logo adentrando o banheiro também e fechando a porta detrás de mim. 

[...]

O restante da semana, foi resumido em: praia, compras, e transa. Quer semana melhor?

Ao voltarmos para casa, estava um caos; Jimin xingou tanto os meninos que, cheguei quase a ficar com pena. Eles haviam feito tudo que Jimin tivera dito para não fazer: festas. O pior, é que quando chegamos, havia uma garota com Yugyeom que, dizia chamar - se Sana. Cabelos loiros e olhos penetrantes... Não vou negar, fiz um bom raio x nela. Mas que me rendeu em um soco no braço que a propósito, doi até agora. 

Nesse momento, estávamos exaustos deitados sobre a cama.

– Estou estressadissimo! Que merda, eu pensei que eles iriam pelo menos desta vez, me escutar. – Jimin diz, suspirando. 

– Não esquece que estamos falando de Mark Tuan e Kim Yugyeom. – Disse, fazendo Jimin assentir. Emprestei meu braço como travesseiro para si, e o trouxe mais para mim. – Mas calma amor, eles disseram que irão limpar. Relaxa! Até a menina disse que irá ajudar. – Recebo um soco no abdômen, deveras forte. – Hey, o que eu fiz?

– Olhou para aquela mulher! – Respondeu o Park, franzindo o cenho. – Aliás, não só olhou, como quase babou por ela.

– Que exagero Jimin. – Disse, rindo. 

– Exagero nada! Tem que olhar para mim, pra minha bunda, pra minhas pernas, não pra ela. – Jimin formou um bico nos lábios e cruzou os braços, torcendo o narizinho. Ri e levantei - me, ficando por cima de si. 

– Jimin, entenda uma coisa: você é o único pela qual eu arriscaria minha vida para olhar bunda e coxa, okay? – Disse, rindo do semblante arqueado que fizera a expressão do mais velho. – Jimin - ah, eu te amo! – Ri nasal, e aproximei meus lábios dos seus, em um selar demorado. Ele segurou meu rosto com ambas as mãos, acariciando aquela região. Ao separar - mos, nos encaramos. 

– Jeon JungKook... Acho que de repente... Ficou quente, não acha? – Ele diz, mordendo o lábio inferior.

– Opa, parece que alguém não ficou satisfeito com a uma semana. – Digo. Ele ri e acaricia meu rosto.

– Eu nunca estarei satisfeito, e por mais que já tenhamos feito tantas vezes, para mim, vai sempre parecer a primeira vez. – Jimin sorri, fazendo seus olhos serem apenas dois risquinhos. Sorriu de volta e beijo seus lábios calmamente, enquanto aperto sua cintura. 

TOC TOC TOC TOC TOC TOC TOC ...

Escutamos a porta, com alguém desesperado. Paramos e Jimin riu.

– Novidade. – Comentou Jimin, enquanto ainda ria. Levantei - me e abri a porta, frustrado.

– JungKook, pelo amor de Deus. – Hoseok entra correndo e se escondendo. – Taehyung quer me matar. 

– Por que? – Perguntei. 

– Ele diz que eu pedi somente Yoongi em casamento, mas eu ia pedir ele também. – Hoseok responde - me, fazendo eu e Jimin nos olharmos confusos e espantados.

– VOCÊ FEZ O QUÊ? PEDIU DUAS PESSOAS EM CASAMENTO? – Jimin pula no colchão, abraçando o cobertor e rindo.

– É, mais ou menos... É que quando eu ia pedir Tae, ele... – Hoseok é atrapalhado por Taehyung que entra com uma feição nada boa.

– Desgracado de uma figa. – Ele aproxima - se de Hoseok, ignorando completamente nossa presença e o soqueia, de forma fraca. – Você disse que me amava cacete! – O Kim continuava a bater em meu pai.

– Aí ai ai! Calma! Taehyung deixa eu falar! – Diz Hoseok.

– Diga. – Taehyung diz, respirando fundo e cruzando os braços, deixando de bater em meu pai.

– Tae, eu ia pedir você também, mas você não deu tempo... – ele suspirou. – Casa comigo? – Hoseok diz.

– Yoongi vai entrar primeiro também? – Taehyung pergunta, ainda com os braços cruzados.

Que ciumento da porra.

– Okay, eu aceito. 

Que rápido.

– Selo de pessoa mais bipolar do mundo vai para... KIM TAEHYUNG! – Gritou Jimin, rindo, enquanto Hoseok colocara a aliança em Taehyung que, formou um bico.

– Aish, vocês nunca vão me entender! – Tae diz.

– Não vou mesmo. – Jimin responde, fazendo todos rirem. 

Não demorou a chegar Yoongi e nossos planos irem para o beleléu. Ambos os três, nos seguraram lá em cima por um grande tempo, e não nos deixavam descer por nada. Vez ou outra, Taehyung descia e voltava; eu queria saber o que tanto ele fazia lá embaixo.

Mas aí de repente, mandaram a gente descer. Fomos praticamente expulsos de nosso próprio quarto, mas não foi em vão; as escadas estavam decoradas com luzes beges, e tudo estava escuro, apenas as luzes nos corrimões iluminavam o caminho. Descemos com dificuldade, por quase não enxergarmos. 

Lá em baixo, as luzes fora acesas, revelando a face de nossos amigos e... Pessoas... Que não sei o que fazem aqui. 

– Oh meu Deus! – Jimin arregala os olhos, enquanto sorri. 

– Bem - vindo de volta, casal jikook! – Todos gritaram em um uníssono. Havia uma grande faixa sobre os pilares, escrito "Welcome couple JiKook". Ri, e observei a decoração tão bem feita; luzes de diversificadas cores, corações pendurados em fios de nylon, e todos batiam palmas. 

– Bem - vindo de volta hyung, e nos perdoe pela bagunça, apenas fizemos aquilo para lhe ver nos xingar! – Yugyeom diz, se aproximando de Jimin.

– Por que? Que masoquismo. – Jimin responde, rindo. 

– Sentimos falta de você nos xingando. – O Kim mais novo responde, rendendo risadas minhas. Mark se aproxima em seguida.

– Mentira, ele tá mentindo. Nós realmente fizemos a festinha, e eu disse para ele não fazer, mas ele não me obedeceu! – Mark diz, fazendo Jimin arquear uma sobrancelha.

– Aish, mentira do Mark Hyung! – Yugyeom desmente com um bico. Jimin ri e logo vemos se aproximar duas pessoas ilustres; Kim SeokJin e Kim NamJoon.

– Nossa, nem nos convidou para o casamento. – SeokJin disse, se aproximando. 

– Desculpa, me certifiquei de animais não entrarem em meu casamento. – Jimin responde, me fazendo bloquear uma risada com a palma da mão.

– Você me odeia né? – SeokJin diz e suspira. – Na real, eu também me odiaria se fosse você, mas ah, eu já pedi desculpas.

– Não pareciam sinceras. – Disse.

– Verdade, não eram. – Concordou SeokJin.– Mas eu tentei. 

– Eu e Jin, queremos ser amigos de vocês. – NamJoon se pronuncia e eu e Jimin nos entreolhamos. 

– Ah qual é! Deveras queremos começar do zero. – SeokJin.

Jimin ri baixo.

– Tudo bem. Bem - vindo... "Amigos" – Disse Jimin e eu assenti. 

A tarde, poderia ter sido perfeita, se não fosse uma ligação. 

[PARK JIMIN]

Alô? Park Jimin? [Desconhecido]

Sim, sou eu, o que deseja?

O telefone fez uns barulhos, como se estivesse trocando de lugar.

Jimin? Jimin? [Desconhecido]

Hyuna??? Que número é esse?

Por favor, venha me buscar. E-eu fui sequestrada! Por favor... Ele quer me matar... [Desconhecido]

COMO??

OLHA, NÃO DA TEMPO DE EXPLICAR TUDO! POR FAVOR, VEM ME BUSCAR NA RUA 88... [DESCONHECIDO]

Ele não conseguiu terminar, e um barulho forte ecoou. 

Afastei - o do ouvido, e olhei Jeon, que tivera escutado tudo.

– Acho que temos um resgate a fazer, em plena a nossa volta de lua de mel. – Brinquei.

–  Nossa primeira missão de casados? Uau. Me sinto lisonjeado! – Jeon diz e eu suspiro. 

– Vamos juntos... – O olho, estendendo a mão.

– E juntos voltaremos. – Ele completou, entrelaçando nossos dedos. 





Notas Finais


NO PRÓXIMO, SERA CAP EXTRA COMO ULTIMO, APENAS PARA EXPLICAR A TRAJETÓRIA DA HISTÓRIA E O QUE ACONTECERA COM OS PERSONAGENS... BOM, BEIJOS E BOA NOITE BABYS❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...