História How We Get Here - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Naruhina, Naruto, Sasuke, Sasusaku
Exibições 171
Palavras 2.277
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Famí­lia, Fantasia, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii gente! Voltei! Devia ter postado ontem, eu sei, mas a internet não me permitiu.
Bom, mas hj estou aqui e com o capítulo 53, lembrando que o próximo é o último e depois o epílogo, 55.
Espero que gostem do capítulo de hj que mostrará o fim de alguns personagens.
Boa leitura!

LEIAM AS NOTAS FINAIS, POR FAVOR, MAS SÓ DEPOIS DE LEREM O CAPÍTULO.

Capítulo 53 - O Pedido Tão Esperado


Fanfic / Fanfiction How We Get Here - Capítulo 53 - O Pedido Tão Esperado


                          NARRADOR:


 A chuva finalmente havia parado, era hora de cumprir suas tarefas e se redimir pelos seus pecados. Ume guardou a bandana, que dizia que ela era shinobi da Folha, no fundo da gaveta da cômoda. Colocou uma calça capri branca e uma regata azul escura com detalhes em preto nas laterais. 
 Os longos cabelos castanhos estavam de lado, em uma trança simples, com alguns fios caindo ao lado do rosto sem maquiagem. Ela pegou suas simples sandálias pretas e saiu em direção à academia onde as aulas estavam quase no horário de começar.
 Ume se encontrou com Iruka, um dos instrutores da academia ninja, o qual lhe mostrou onde ficavam os produtos de limpeza e os horários que as salas deveriam ser limpas, já que, quase o tempo todo, havia aulas.
 Assim que ela pegou os produtos, começou a limpar o local, porém não estava brava com essa punição ou chateada por não ser mais considerada uma ninja, pelo contrário, estava feliz, se sentindo mais leve e ela reconhecia que precisava ser punida, ela precisa disso para conseguir seguir em frente.
 "O que será que Katashi está fazendo? Queria tanto vê-lo, eu o amo, eu sei disso agora, não consigo viver sem ele. Eu preciso ir falar com ele o que eu sinto de verdade."
 Assim que terminou de limpar toda a academia, ela secou o suor do rosto e lavou as mãos para ir almoçar em um restaurante. Enquanto ela caminhava pelas ruas quase desertas de Konoha, sentiu que estava sendo seguida.
 - Oi. - Katashi falou assim que colocou as mãos sobre os olhos dela - Adivinha quem é!
 - Katashi, seu idiota! - ela falou, sorrindo, ao tirar as mãos dele de seu rosto.
 - Já começou o trabalho?
 - Sim.
 - E como se sente com tudo isso?
 - Mais leve. Eu preciso pagar pelos erros que cometi, só assim conseguirei viver em paz.
 - Fico feliz ao ouvir isso de você. Mostra que você é uma pessoa boa. - ele disse, sorrindo para ela, que respondeu com outro sorriso.
 O silêncio se estabeleceu entre os dois e na cabeça de Ume, um turbilhão de sentimentos se formou, e entre eles, o que predominava era a dúvida que a perseguia desde quando entendeu os seus sentimentos, fazendo-a pensar se realmente devia dizer o que sentia por Katashi Hyuuga.
 - Sabe, Katashi, muitas coisas aconteceram e eu... Eu... Eu acabei percebendo que... Eu... Percebi que...
 - Fala logo. - ele mandou carinhosamente.
 "Será que eu devo falar que eu estou gostando dele? Não, depois do que eu fiz, ele não vai querer ficar comigo. Eu não vou falar."
 "Será que ela vai falar que acabou percebendo que gosta de mim? Eu queria tanto ouvir isso dela... Mas, como eu posso ser tão idiota?! A Ume não gosta de mim do jeito que eu gosto dela e nunca vai gostar. Eu sou só um amigo." 
 - Não é nada. - ela falou, por fim - Eu preciso ir. - Ume deu três passos para frente, deixando Katashi para trás, ambos confusos e chateados, mas quando ia dar o quarto passo, parou, com lágrimas nos olhos. Ela precisava falar, mesmo que ele a rejeitasse, ela precisava dizer o que sentia por ele - Que eu te amo. – Katashi, nada falou, apenas ficou como uma estátua, parado, sem reação. Ume virou para fitar a face surpresa dele, chegando à conclusão de que ele não a queria mais - Eu só queria que soubesse, mas, se não gostar mais de mim, não tem problema... Eu não mereço o seu amor. - ela continuou a andar sem olhar para trás, as lágrimas já escorriam pelo rosto, então sentiu alguém segurar seu pulso e lhe puxar.
 Seu corpo foi de encontro ao dele e se chocaram. Os braços dele enlaçaram sua cintura, prendendo-a e antes que sua mente processasse tudo que estava acontecendo, um turbilhão de sensações a atingiu quando os lábios de Katashi tocaram os seus suavemente. No início, o beijo era calmo e cheio de paixão, mas, segundos depois, Katashi abriu passagem, por entre os lábios dela, com sua língua, deixando o beijo mais intenso. Era como se necessitassem um do outro.
 A falta de ar atingiu-lhes e, finalmente, se separaram.
 - É claro que gosto de você, Ume, eu te amo mais que tudo. Eu quero muito ficar com você... Para sempre. - as palavras de Katashi fizeram mais lágrimas caírem dos olhos dela, só que lágrimas de alegria, felicidade.
 - Eu também, Katashi. Eu também. 


                                      . . .


 - Nori Yoshiaki, precisamos falar com você. - Kakashi e Ibiki Morino se aproximaram da cela dele, uma cela especial, que impossibilitava os presos de usarem chakra.
 - Agora, quero que nos conte se há mais aliados seus e do Takeshi pelo mundo. - Kakashi falou, encarando a expressão fria de Nori.
 - Não há mais nenhum renegado sob o controle de Takeshi ou nosso aliado, os últimos foram derrotados na luta contra o time sete... Mas, há mais um, ele não é uma ameaça, mas foi nosso espião.
 - Quem? - Ibiki perguntou.
 - Akio, um dos conselheiros do Mizukage. 
 - Está falando mesmo a verdade? - Kakashi perguntou.
 - Por que eu mentiria?... Pode confiar, eu não estou afim de causar mais problemas, eu cansei dessa vida. - Nori falou e parecia realmente sincero, então os dois foram em direção à saída – Esperem! Eu quero perguntar uma coisa. O que houve com Takeshi? - ele perguntou, afinal, estava preocupado, já que Takeshi era seu único amigo.
 - Ele está preso também, só que não está bem de saúde. - Kakashi respondeu.
 - Como assim?
 - Ele ficou louco. - o Hokage respondeu e saiu da sala, deixando o renegado sozinho com seus pensamentos.
 "Eu sinto muito por tudo que aconteceu, Takeshi e mais ainda por não poder fazer algo para te ajudar, mas estamos pagando pelo que fizemos e, querendo ou não, ficar aqui será melhor para nós dois."

 


                            SASUKE:
    
 Sakura e eu fomos para nossas respectivas casas trocarmos de roupa, já que ficamos ensopados pela chuva, que minutos depois, parou. 
 Combinamos de passear apenas depois do pôr do sol, pois eu precisava trabalhar e ela também. Assim que saí da sede do esquadrão dois da Anbu, fui até o hospital encontrar com Sakura, que estava linda, usando uma regata vermelha com zíper na frente e uma calça capri branca.
 Fomos jantar em um restaurante tranquilo e enquanto comia, fiquei admirando a beleza da Sakura. Ela era maravilhosa, perfeita.
 - O distrito Uchiha ficou pronto hoje. - falei, fazendo-a levantar a cabeça para me olhar.
 - Sério? - ela perguntou com um leve sorriso nos lábios.
 - Sim, assim que terminarmos de comer, vamos lá.
 - Sim. 
 Continuamos a refeição em silêncio e assim que paguei a conta, fomos em direção ao distrito, que ficava um pouco afastado. Passamos pela entrada dele, onde o emblema do clã Uchiha estava totalmente novo. Caminhamos em direção à minha casa e durante o percurso, não pude deixar de perceber os olhos surpresos dela ao ver todas as casas arrumadas e bonitas, até que seu olhar mudou ao fitar a minha antiga casa, que estava muito bonita. 
 - Nossa, Sasuke, todo o distrito Uchiha ficou lindo, mas a sua casa ficou maravilhosa. - Sakura disse, com um lindo sorriso no rosto e com os olhos esmeraldas brilhando intensamente e, naquele momento, eu tive mais certeza ainda do que eu deveria fazer.
 - Nossa casa... Se você quiser. - falei e vi a expressão de surpresa em seu rosto.
 - E-está me chamando para morar aqui com você? - ela perguntou.
 - Sim. - falei e Sakura sorriu, balançando a cabeça positivamente. Um sorriso se formou em meus lábios, um sorriso que só ela sabia me fazer dar. Então ela se aproximou devagar, depositou um beijo suave em meus lábios e me abraçou.
 - Eu te amo. - sussurrou em meu ouvido.
 - Também te amo. - respondi e senti ela me abraçar com mais força, transmitindo muito amor e carinho. Assim que nos afastamos, notei que uma lágrima solitária escorria pela sua face, então me aproximei e com o polegar direito, sequei a lágrima - Vem, vou te mostrar a casa. A nossa casa. - segurei em sua mão e entramos.
 Fomos andando pela casa, passando por cada cômodo, onde Sakura reparava todos os detalhes e com um sorriso enorme no rosto, até que chegamos ao último cômodo que faltava mostrá-la, o nosso quarto. Abri a porta e passei por ela, seguido por Sakura, que olhava surpresa para o quarto em tons pastéis. Na janela, uma cortina azul se destacava, junto com o símbolo do clã Uchiha, o qual se encontrava em cima da cabeceira da cama de madeira escura coberta com uma colcha azul mais forte.
 - Nossa, ficou muito bonito! - ela sorriu ao dizer.
 - Que bom que gostou. - sorri de canto ao vê-la feliz e a puxei para um beijo, o qual começou suave, mas depois se tornou mais intenso. 
 Eu a amava, queria ficar só com ela a minha vida toda. Era um sentimento forte que não me deixava ficar longe dela. Senti-la em meus braços era uma sensação maravilhosa. Eu a queria, eu a desejava mais que tudo.
 Estava tão concentrado no beijo, que nem percebi para onde estava andando, só notei quando já estávamos deitados sobre o colchão macio da cama. Afastei meus lábios do dela e comecei a depositar beijos em seu pescoço. O cheiro de cereja, que emanava da rosada, entrava pelas minhas narinas e me fazia desejá-la ainda mais.
 - Sasuke, eu... Nunca... 
 - Nunca? - ela confirmou com um aceno de cabeça, o que me deixou feliz - Você quer continuar?
 - Sim. - ela respondeu e eu sorri, pois eu seria o primeiro a tocá-la... E o único.
 - Tudo bem. – falei, olhando naqueles olhos verdes que me hipnotizavam, mas senti-a estremecer e ficar um pouco nervosa.
 Eu entendia como ela se sentia. Estava tão nervoso quanto ela, pois também seria minha primeira vez, por isso decidi fazer de tudo para deixa-la mais calma e relaxada.  
 - Você confia em mim? 
 - Sim. - ela respondeu.
 - Então fica calma. - falei da maneira mais calma e doce possível, e tentando passar confiança por um sorriso de canto. - Eu te amo, irritante. - sussurrei em seu ouvido, então seus olhos se voltaram para mim e um sorriso surgiu em seu rosto, o sorriso mais lindo que eu já vi em toda a minha vida, e então ela me beijou suavemente.
 Beijo que se intensificou no mesmo instante.

 


                         SAKURA:


 Acordei feliz no dia seguinte, olhei para o lado e sorri ao ver o homem que eu mais amava na vida, deitado ao meu lado e me olhando com aqueles olhos que tanto me encantavam.
 Ele sorriu em resposta ao meu sorriso e me deu um beijo rápido, o qual me fez lembrar da noite anterior e sorrir novamente. Ficamos um tempo olhando nos olhos um do outro, até que senti sua mão acariciar meu rosto e colocar uma mecha de cabelo atrás da minha orelha.
 - Como se sente? - ele perguntou.
 - Muito feliz. – respondi, ainda fitando aquele único orbe ônix e o Rinnegan.
 - Eu estava pensando em uma coisa.
 - O que? - perguntei ao me ajeitar melhor na cama, pousando minha cabeça em seu peito.
 - Que nós... - ele começou a falar enquanto mexia em meus cabelos. Eu estava esperando, ansiosa, pelo que ele iria dizer, já que estava parecendo que Sasuke não sabia como falar - Que nós, sei lá, podíamos... Talvez... - ele fez uma pausa, me virei para olhá-lo e percebi que ele estava sem graça e suas bochechas estavam levemente vermelhas.
 Sorri ao ver como ele estava, algo que eu nunca pensei que veria na vida.
 - Fala. - segurei em sua mão, incentivando-o a continuar a falar.
 - Que nós podíamos nos casar. - ao ouvir aquilo, meu coração parou por um segundo, meu corpo ficou paralisado e eu não conseguia pensar direito.
 Eu ouvi realmente aquilo? Sasuke falou que nós podíamos nos casar? Era como um sonho, tudo que eu sempre sonhei estava se tornando realidade.
 - Você e-está falando sério? – perguntei.
 - Sim, então o que me diz? Aceita ou não? 
 - É claro que eu aceito! - respondi e o beijei intensamente, demonstrando todo o amor que eu sentia por ele - Eu te amo, Sasuke. - completei e vi um sorriso surgir em seus lábios.
 - Também te amo, futura senhora Uchiha.
 E me beijou como nunca antes. 
 Eu não podia estar mais feliz, eu ia me casar com o homem que sempre amei. O homem que fez desses últimos meses, os melhores de toda a minha vida, por, simplesmente, estar ao meu lado, sorrindo de canto e me protegendo.
 Eu tinha muito que agradecer à ele. Sasuke transformou a minha vida totalmente e foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. Todos os meus maiores sonhos estavam se realizando.
 Eu tinha, realmente, muito que agradecer ao Sasuke, pois com ele ali, eu me sentia feliz e completa, como nunca havia me sentido antes. Ao finalizarmos o beijo, eu só conseguia sorrir.
 Sorrir por tudo que estava acontecendo e, depois, sentir uma ansiedade imensa, porque finalmente eu iria me casar com ele. Daquele dia em diante, eu não seria a mesma Sakura Haruno de antes, eu seria dele. Só dele. 
 Eu teria uma vida diferente e seria uma mulher casada, outra pessoa.
 Seria Sakura Uchiha.
 Sorri mais uma vez com esses pensamentos.
 


Notas Finais


E então, o que acharam? E sobre o Nori e Takeshi? E sobre Ume e Katashi?
Peço desculpas se decepcionei alguém por não ter escrito o hentai SasuSaku, mas desde o início, eu pretendia fazer algo sem hentai.

Masssss... Uma amiga me deu uma ideia.
Decidi fazer arquivos perdidos de HWGH, uma fanfic à parte e fiquei tão ansiosa pra fazer, que já fiz o planejamento e terá 5 capítulos apenas. (Capitulos pequenos)
E para quem queria hentai...

TERÁ HENTAI NOS ARQUIVOS E CONTAREI DIREITINHO COMO FOI A PRIMEIRA NOITE DELES E ALGUNS OUTROS ACONTECIMENTOS QUE EU NÃO POSSO FALAR AGORA, NO PRÓXIMO CAPITULO EU EXPLICAREI DIREITO.

Bjos e me desculpem qualquer coisa.
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...