História Howls on the moonlight - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Kris Wu, Lay
Exibições 338
Palavras 3.479
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bom pessoal, para quem não leu o aviso o que aconteceu foi o seguinte, eu ando muito ocupada com meu fim de semestre que praticamente se resume a essa semana, estou cheia de provas e justo na quinta eu tinha um seminário para apresentar então tive que deixar a atualização de lado, desculpem.
O capítulo não ta exatamente como eu queria, falta mais coisa nele e na minha opinião poderia estar maior e mais elaborado, mas como não queria deixar vocês na mão é isso ai kkkk
O próximo não está nem na metade, não tive tempo para escrever então se não tiver atualização essa semana de novo eu peço paciência que assim que possível vou estar postando.
Desculpem estar tudo na tristeza ainda, mas eu preciso de tempo pra passar essa fase logo e não estou tendo, mas isso não vai durar muito, mesmo que eu tenha que encurtar a história.
Boa leitura.

Capítulo 23 - Capítulo 23


 

BaekHyun observou as costas do maior enquanto este se afastava apressado, e quando não viu mais este abaixou o olhar suspirando, agora que estava quase do lado de fora só queria poder voltar ao quarto e se trancar, mas antes que pudesse cogitar a hipótese de tentar fazer isso sozinho um KyungSoo aparecia correndo e parando ofegante na sua frente.

- Desculpa demorar, eu estava meio longe. – o amigo se endireitou sorrindo em sua direção logo o estendendo a mão para o ajudar a se levantar.

- Tudo bem, você não demorou muito. – falou baixo se apoiando contra o corpo da mesma estatura que a sua para se levantar.

O ômega era quase o único que sempre era respondido pelo outro, não conseguia explicar isso a ChanYeol ou a qualquer um, simplesmente não entendia porque o amigo apenas respondi a si abertamente, mas via aquilo como uma vantagem e usando isso tentava o tirar daquela depressão que o consumia.

- Já que você finalmente pode sair, acho que está na hora de conhecer um lugar. – falou sorrindo, mas seu sorriso era um a qual BaekHyun não soube identificar, ele não era alegre por inteiro, era quase como se carregasse um pesar junto a ele.

O olhou desconfiado e curioso, mas resolveu não perguntar e se deixar ser guiado pelo amigo porta a fora, quis chorar pela paz que aquela brisa causou ao bater contra seu corpo, teve uma leve dificuldade para descer os únicos degraus que a entrada possuía, mas ignorou isso quando pode finalmente sentir o sol tocar sua pele.

Não soube como aconteceu, mas quando notou já estava sorrindo sendo acompanhado pelo amigo que o olhava contente, foram andando entre a grama se aproximando das arvores, caminharam por um tempo beirando a entrada da floresta apenas aproveitando a sombra que estas faziam.

E sem notar começou a ser guiado entre as arvores seguindo uma pequena trilha, olhava curioso ao redor tentando entender a onde estavam indo e quando os passos cessaram foi que notou que estavam em uma pequena clareira, da onde estavam ainda era possível se ver a casa entre os troncos das arvores e ainda confuso olhou para o amigo que olhava para uma arvore em especial.

Esta era um belíssimo pé de ipês, onde os galhos estavam forrados de flores amarelas que banhavam o chão de terra com sua cor vibrante, o ambiente lhe trazia aquela paz novamente enquanto a brisa brincava com seus cabelos e com as flores que caiam uma vez ou outra, apesar daquilo ser extremamente lindo ainda não entendia o que tinha de tão especial.

- Kyung, aqui é maravilhoso, mas porque me trouxe? – olhou para o amigo que lhe sorriu triste e apenas com uma mão apontou para a árvore frente de ambos.

Ainda perdido olhou para a arvore novamente, e foi só quando passou os olhos das raízes até o topo que algo em meio a grama bem embaixo do tronco lhe chamou a atenção, um pequeno bloco estava deitado ao chão, onde um pequeno ramalhete de flores se encontrava ao lado.

Confuso tentou se aproximar sendo assim levado pelo amigo, mas antes que pudesse se aproximar mais, lágrimas já banhavam seu rosto, ao longe podia se ler duas datas em especifico que marcavam o mesmo dia, aquilo era um túmulo, o túmulo do seu filhote.

- ChanYeol quem fez, disse que você se sentiria melhor se o tivesse sempre por perto. – a voz de KyungSoo juntamente com suas palavras fez suas pernas tremerem e sem forças caiu ao chão já em frente a pequena lápide – Ele não colocou um nome, pois não sabia qual você tinha escolhido. – não conseguia desviar o olhar daquele pedaço de mármore, onde em letras grande e bonitas estava escrito: “Nosso pequeno filhote”.

E cobrindo o rosto se pôs a chorar, era como se tudo o que tinha lutado para afastar voltasse, a dor, o remorso e a angústia, tudo ao seu redor era lindo como se deixasse claro o quanto aquele serzinho ainda era amado, mas nem a paz daquele lugar conseguia tirar do seu interior a falta que ele estava fazendo.

Braços amorosos o rodeavam acalentando seus soluços, mas aquilo não conseguia o acalmar, queria ChanYeol ali, estava sentindo a necessidade dele de um modo a qual não sentia a inúmeros dias, ele tinha feito tudo aquilo por eles, ele devia ter sofrido tudo sozinho e calado e naquele momento só queria poder que sofressem juntos, precisavam de um tempo deles, precisavam chorar juntos a perda daquele filho.

 

XXX

 

Ainda se encontrava sentado desleixadamente sobre a cadeira do escritório discutindo com JongIn como tratariam amanhã as coisas, mas suas palavras foram morrendo conforme lágrimas inundaram seus olhos sem nem ao menos entender o porque, aquele sufoco o tomava, algo estava acontecendo.

- ChanYeol, KyungSoo está dizendo que o BaekHyun precisa de você. – se levantou em um pulo pronto para correr pela porta – Estão no túmulo. – foi a única coisa que conseguiu ouvir antes de sair em disparada pela porta.

Não era a hora certa para o menor ver aquilo, ele não estava bem o suficiente para aguentar, deveria ter alertado o outro ômega, mas foi burro ao ponto de esquecer, e agora toda aquela dor tinha voltado e se sentia perder as forças conforme aquilo estava chegando como rios e mais rios em sua mente.

Saiu pela porta da casa ofegante parando um momento para se situar e se pôr a correr novamente pela grama até conseguir se aproximar da trilha que o levaria até onde precisava estar, mas antes que de fato chegasse a pequena clareira diminuiu os passos recuperando o folego e devagar foi se aproximando sentindo as lágrimas escorrerem sem seu consentimento, o corpo de BaekHyun estava ao chão encolhido e sendo amparado por KyungSoo que na mesma hora que o viu se afastou  dizendo apenas com um acenar que ia deixá-los sozinhos se retirando em seguida.

Lentamente se aproximou do castanho se agachando ao lado deste e o levantando em seus braços apenas para se sentar ao chão e se recostar ao tronco da arvore com o menor em seu colo, acariciou os cabelos lisos enquanto este agarrava sua camisa afundando o rosto contra seu peito se encolhendo mais em seu corpo, estavam bem ao lado da pequena lápide e sabia que este olhava para ela, não sabia o que dizer para tentar o acalmar então apenas se deixou chorar mudamente como fazia sempre.

- Estamos os três juntos novamente. – a voz baixa e quebradiça veio seguida de mais soluços, sentia o quanto aquilo doía no mais novo, e doía o dobro em si por não saber como o ajudar – Não sei se estou pronto para dizer adeus a ele Chan. – com muito esforço conseguiu levantar a cabeça deste e fazer com que lhe olhasse.

- Não precisa se despedir, ele sempre vai estar aqui. – enxugou como pode as lagrimas que caiam em abundancia dos olhos pequenos e inchados.

BaekHyun observava como o outro parecia abatido também, e tentando corresponder tudo o que ele fazia para si levantou uma de suas mãos a face deste tentando também limpar as lágrimas que escorriam ali vendo este fechar os olhos apreciando seu carinho, fazia tanto tempo que não o tocava que seu coração se apertava em saudades dentro do peito e foi movido por isso que se aproximou e selou os lábios de forma breve depositando ali todos os seus sentimentos antes de se afastar e se encolher novamente contra o corpo maior procurando refúgio para tudo aquilo que o estava consumindo novamente.

E ali ficaram sem ao menos notarem o tempo passar, o silêncio não era incomodo entre eles, não precisavam de palavras para se entenderem, apenas estavam aprendendo a lidar com a dor de um modo que não precisavam mais estar sozinhos, tinham em quem se apoiar agora.

Foi quando o sol estava em seu pico no céu que ChanYeol notou que já deveria passar das duas horas e o menor precisava comer algo, mas o ressonar que este soltava contra seu peito onde ele agora não chorava mais e permanecia encostado deixou mais do que claro que ele tinha sido tomado pelo cansaço daquele momento.

Achou melhor não acorda-lo e deixar que dormisse por mais algum tempo, e foi pensando no conforto do menor que com delicadeza se levantou o levando em seu colo entre a trilha em direção a casa, por onde passava via olhos os miraram compadecidos, sabia que todos estavam a par do que acontecia com seu pequeno, mas tinha certeza que ele ficaria muito incomodado se visse esses mesmo olhos cheios de pena em sua direção e foi com isso na cabeça que soube que deveria ter uma reunião geral com todos para tratar não só desse assunto como também do convidado desagradável que teriam no dia seguinte.

Subiu facilmente os degraus indo em direção ao quarto de ambos, repousou o corpo pequeno sobre o colchão parando apenas para o observar, as bochechas mais cheinhas tinham as marcas das lágrimas secas nelas, a expressão demonstrava o quanto ele estava abatido, suspirou fundo passando as mãos entre os cabelos castanho sorrindo ao ver este ronronar.

Mesmo a contra gosto se levantou e deixou o quarto não sem antes olhar uma última vez o mais novo sobre a cama para ter certeza que este ficaria bem, e só assim fechou a porta com a intenção de voltar ao escritório, tinha coisas para serem organizadas do período que esteve ausente e apenas de se lembrar o fazia se sentir decepcionado consigo mesmo por não ter conseguido cumprir com seu papel, de fato talvez não fosse um bom Alfa, pensava.

 

XXX

 

Respirou fundo enquanto levava as mãos até os cabelos os bagunçando frustrado, fazia horas que estava em meio a aqueles papéis que pareciam não acabar mais, seu pulso já começava a doer de tantas assinaturas que tinha feito, e naquele momento nunca se arrependeu tanto de ter deixado tudo aquilo com JongIn, sabia que este não poderia lidar com grande parte de seus negócios, mas nunca imaginou que tudo acumularia daquele jeito.

Olhou para o relógio constatando que talvez já estava na hora de acordar BaekHyun, se levantou espreguiçando o corpo ouvindo suas juntas estalarem, não gostava de admitir que tinha perdido sua forma antes tão atlética para uma mais preguiçosa, mas não fora sua escolha e agora que tudo parecia estar melhorando quem sabe talvez poderia voltar as atividades que fazia antes podendo assim auxiliar o ômega em meios a estas também.

Esses tipos de pensamentos o faziam se sentir melhor, e foi animado que subiu as escadas com pressa para chegar o mais rápido possível no quarto, seu sorriso ia de orelha a orelha, mas foi apenas irromper pela porta que logo este sumiu, a cama onde antes o menor dormia tranquilamente estava vazia, e foi com a expressão retorcida em confusão que analisou o quarto o procurando tendo sua atenção desviada pela luz que passava por baixo da porta do banheiro.

Ele só poderia estar lá, mas antes que pudesse respirar aliviado a preocupação o tomou, como ele tinha conseguido chegar lá sozinho? E o que estava fazendo sozinho e com a porta fechada?

Em passos largos se aproximou da porta tentando abrir esta que pensou por um momento estar trancada, mas se surpreendeu quando ela abriu revelando a imagem de um BaekHyun de cabeça baixa sentado sobre o vaso com uma tesoura em mãos, seu coração disparou e sem pensar correu até este o assustando e arrancando de modo rude o objeto das mãos do menor.

- Que merda é essa BaekHyun? O que pensa que está fazendo?! – gritou vendo o corpo menor se sobressaltar e o olhar espantado – Você acha certo fazer algo desse tipo! E eu BaekHyun, você pensou em mim ao menos? – sua voz estava alterada e tinha certeza que qualquer um que estivesse próximo do quarto poderia o ouvir gritando.

Não ligou para o que iam achar de si, apenas não conseguiu se controlar ao ligar os pontos e analisar a imagem que tinha visto, em sua mente a única coisa que fazia sentido era que o ômega claramente iria tentar algo contra sua vida, e só de pensar que tinha chegado antes de uma tragédia fazia seu peito arder.

E se tivesse demorado mais? Poderia agora estar segurando o corpo deste repleto de sangue e sem vida contra seus braços, e saber que isso passava pela mente do mais novo o tinha deixado desolado, ele não podia ser tão egoísta a esse ponto, podia?

- ME RESPONDE BAEKHYUN! – se aproximou segurando o menor pelos braços o chacoalhando – Nunca pensei que você fosse ser tão egoísta e fraco a esse ponto. – ditou por fim apenas diminuindo o aperto que fazia neste quando os olhos ainda arregalados em sua direção começaram a deixar grossas lágrimas caírem.

- Eu só queria cortar o cabelo... – aquelas palavras foram ditas de modo tão fraco e quebradiço que quase fora inaudível, mas ChanYeol conseguiu entender e junto disso percebeu como tinha agido errado – Eu não ia fazer nada de mais, mas como eu não conseguia parar de tremer fiquei esperando que você voltasse para me ajudar. – o ômega agora de cabeça baixa falava fazendo cada vez mais o maior se sentir arrependido.

O menor se sentia extremamente mal, tentava segurar as lágrimas, mas apenas conseguia prender os soluços que queriam sair, sabia que não estava sendo a pessoa forte que costumava ser, mas ter isso jogado mais uma vez em sua cara apenas fazia com que começasse a acreditar no que diziam, talvez fosse apenas um estorvo.

E naquele momento só queria que ChanYeol saísse e lhe deixasse ali, sabia o que o maior tinha insinuado que deveria estar fazendo, mas fora tão inocente em suas ações que não cogitou a ideia, essa que poderia futuramente pensar a respeito, seria mais fácil deixar que eles apenas não tivessem que se preocupar consigo, não é?

- Amor eu sinto muito, eu... – o Alfa não sabia o que falar para reparar seu erro, tinha sido injusto em desconfiar dele e falar palavras dão duras diante de algo tão simples.

Não sabendo como agir deixou o silêncio reinar enquanto o arrependimento o consumia e permanecia a observar a imagem do menor encolhido ainda sentado, não via o rosto deste pois sua cabeça se encontrava baixa, mas via as lágrimas pingando no colo dele e foi se sentindo a pior pessoa naquele momento que o envolveu em seu colo se sentando ao chão com este entre suas pernas o abraçando fervorosamente.

- Esqueça isso, tudo bem? Eu estava exaltado e não pensei direito quando disse aquelas coisas. – acariciava os cabelos macios e longos, sentia a relutância que BaekHyun tinha em se aconchegar em si, conseguia sentir que tinha o magoado e mesmo assim não desistiu até este estar devidamente grudado em si – Eu estou errado Baek, não acredite em nada daquilo, ok? Você é a pessoa mais forte que eu já conheci e pensar que você poderia ter desistido fez com que eu me sentisse um nada, porque eu não sou um nada sem você, consegue entender? – sentiu um nó se formar em sua garganta quando pronunciou aquelas palavras, era praticamente a primeira vez que deixava aquilo claro em palavras.

- Me desculpe... – o menor se pronunciou, não queria ver o mais velho triste como a voz dele deixava claro que este estava, sabia que depois de tudo ele tinha o direito de pensar aquelas coisas, mas o ver se abrir daquele jeito tinha arrancado o seu chão.

- Não se desculpe, amor. – beijou o topo da cabeça deste aspirando o cheiro que se desprendia dos fios macios – A culpa não é sua, nada do que aconteceu ou está acontecendo é culpa sua, saiba disso. – respirou fundo apoiando o rosto contra a cabeça deste e ali ficou embalando em um leve balançar os corpos, era tão bom o ter de volta.

E novamente ficaram ali, era como se todo o mundo desaparece e apenas sobrasse os dois, talvez o remédio que tanto procuravam estava o tempo todo na cara de ambos, um no outro e apenas eles ainda não tinham percebido.

 

XXX

 

Tinha acabado de abrir os olhos e nem mesmo a sensação de nostalgia de ter BaekHyun deitado entre seus braços conseguia tirar o nervosismo e os pensamentos de apreensão para aquele dia, desviou o olhar do teto para mirar o baixinho que dormia pesado ao seu lado, as coisas ainda não estavam fáceis, mas estavam melhorando e o que menos queria era que tudo voltasse a estaca zero, não sabia se ele iria resistir a isso, afinal o ômega já não era o mesmo e se odiava por saber disso.

Não soube quanto tempo passou que apenas permaneceu parado zelando pelo mais novo, apenas se deixou despertar dos pensamentos quando este se remexeu e aos poucos foi abrindo os olhos inchadinhos e formando um leve bico pela claridade que provavelmente o estava incomodando, sorriu ao ver que a manha que antes o dominava apenas tinha aumentado, e logo as orbes sonolentas miravam em sua direção, um leve apertar tomou seu peito, pois o brilho que antes dançava no olhar deste já não estava mais lá.

- Bom dia. – ditou com sua voz saindo mais grossa que o normal, não obteve um resposta audível, apenas um leve levantar dos lábios finos demonstrando que aquilo deveria ser um sorriso, mas não se importou daria o tempo que este precisava, estava disposto a esperar – Está com fome? Quer descer ou quer que eu traga aqui? – perguntou já afastando os corpos demonstrando que iria levantar quando as mãos pequenas em seu braço o impediram de continuar.

- Eu quero ir junto. – a voz fraquinha ditou pela primeira vez em meses em um tom mais elevado, o que surpreendeu o maior e o fez sorrir mais, seu pequeno estava voltado a falar aos poucos.

- Claro amor, vem eu te ajudo! – falou animado se levantando e dando a volta na cama em passos rápidos se aproximando do menor e o ajudando a se levantar.

Estava o guiando para fora do quarto quando este parou de andar fazendo com que lhe olhasse com uma expressão confusa, BaekHyun o mirou de um jeito como se o chamasse de idiota, e apenas com isso notou que ambos estavam ainda de pijamas.

Sorriu sem graça pedindo desculpas pelo seu deslize e mais do que depressa se trocou e ajudou este a fazer o mesmo sendo muitas vezes repreendido, já que o ômega se sentia parcialmente envergonhado e irritado quando o ajudavam com coisas que sabia que conseguia fazer sozinho, mas deixava que ChanYeol o mimasse já que isso parecia fazer tão bem ao alfa e não queria de modo algum o magoar mais do que já tinha magoado.

Já prontos rompiam pela porta do quarto com passos calmos, não apenas pela limitação do menor, mas sim porque não estavam com pressa alguma, e quando chegaram nas escadas o maior novamente fez menção de o pegar no colo, logo sendo recusado.

- Se você ousar fazer isso eu me jogo daqui mesmo Park. – a ameaça saia de modo baixo, mas não deixa de transparecer a irritação deste, e mesmo receoso o alfa deixou que o castanho descesse cada degrau de modo torto, mas mesmo assim não conseguiu evitar de o segurar firmemente pela cintura temendo que algo o acontecesse.

Tudo aparentava estar extremamente calmo, calmo até demais para o maior que estranhou o silêncio e a falta de movimentação na casa, e se arrependeu amargamente por esquecer um detalhe muito importante assim que deram o último passo para dentro da sala de jantar.

A imagem dos pais de BaekHyun estavam ali, ambos se encontravam devidamente sentados um ao lado do outro enquanto comiam, e sem ao menos deixar que o menor se pronunciasse ou que fossem vistos o puxou rapidamente de volta para trás da parede encobrindo a visão dos mais velhos desse jeito.

Não se importou de ser repreendido quando o pegou no colo e se pôs a praticamente correr de volta ao quarto, não olhou uma vez se quer para o corpo que estava levemente tremulo em seus braços, temia ver os olhos banhados em lágrimas e tristes, aquilo não podia ter acontecido, ele não podia ter os visto assim de surpresa.

Se sentiu um idiota por não pensar naquela hipótese ou de ao menos se lembrar daquele detalhe e quando viu que estavam finalmente de volta a segurança das quatro paredes foi que ousou olhar para BaekHyun, e diferente do que esperava não encontrou lágrimas, o que viu o deixou mais alarmado ainda, já que os olhos se mantinha arregalados e sem foco algum, o que era aquela falta de sentimentos que não estavam vindo do menor, o que estava acontecendo?

 


Notas Finais


Como podem ver só tristeza e fracasso, desculpem por tornar essa história que deveria ser divertida em mais um dos meus dramas e tragédias, prometo que isso não vai ficar assim.
Até logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...