História HQ Boy - 2jae - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias CrystaL Clear (CLC), Got7
Personagens BamBam, Elkie, Eunbin, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Seunghee, Seungyeon, Sorn, Yeeun, Yoojin, Youngjae, Yugyeom
Visualizações 56
Palavras 1.108
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, desculpem a demora já tenho três capítulos prontos.
Eu resolvi ficar sem internet por um tempo, pra me focar nos estudos (Sim, mais ainda se é que isso é possível), e outras cosias mas eu percebi que não poderia deixar vcs sem att.
Enfim, boa leitura<3

Capítulo 10 - 1.0


Dois dias depois, Jaebum sempre falava com Youngjae por mensagem e até ligações, a desculpa era "o trabalho". Não desgrudava do celular e o Choi não estava diferente. Jaebum sempre sorria mesmo com uma conversa casual entre os dois pelo celular, Youngjae parecia bem menos irritante e mais engraçado virtualmente.

Estava estirado em sua cama conversando com Youngjae pelo seu celular. Mesmo sem perceber acabava rindo alto demais das brincadeiras do outro, ouviu batidas na porta dizendo que podia entrar. Seu pai entrou de terno e sorrindo, Jaebum pediu um momento ao mais novo do ouro lado da linha que respondeu com um "Ok~" arrastado e fofo.

— Filho, não querendo invadir sua privacidade mas...Com quem você tanto fala nesse celular? — Se sentou ao lado de Jaebum na cama ainda sorrindo. Seu pai estava bastante sorridente ultimamente.

— Choi Youngjae. — Disse desligando e mandando uma mensagem para o mesmo. — Um amigo. — Deu de ombros e largou o celular.

Seu pai sorriu assentindo mas logo seu sorriso sumiu, respirou fundo e olhou pelo canto dos olhos para o filho.

Hesitou um pouco em falar.

— Preciso que você se vista, coloque seu melhor terno, tênis e se arrume. — Disse checando seu celular. Jaebum perguntou o motivo sem muita vontade de sair de casa, era pedir demais querer ficar em casa no frio conversando com Youngjae e Mark no grupo dos três a noite toda? — É importante. Um amigo meu vai levar a filha dele de sua idade hoje ao jantar. — Completou. Jaebum bufou revirando os olhos, será possível? Até seu pai?

— Tanto faz. — Se levando mas seu pai o chamou.

— Eu sei que provavelmente você está tendo algo com esse Youngjae, Hweso me disse que vocês não se desgrudam na escola e que você não para de falar dele. — Não queria forçar o filho a nada, mas ele nunca saia para conhecer uma garota, como saberia se não gosta mesmo? Não queria que o mais novo sofresse por homofobia na rua.

Jaebum achou aquilo inacreditável, com certeza tinha dedo de Junhae nisso.

— Está presumindo isso só porque ele é um garoto. E não, eu não estou tendo nada com ele, ele não passa de um amigo...Próximo. — Bateu a porta de seu banheiro, começou a se despir para ir tomar banho. Estava fulo da vida! Poxa, até seu pai? Ele nunca havia ficado com uma garota, mas tinha repulso só de pensar numa sem roupa. Saiu do banheiro e se vestiu como seu pai pediu, arrumou o cabelo se jogando na cama e pegando seu celular, viu duas chamadas perdidas de Youngjae.

Sorriu e retornou a ligação, depois de alguns segundos foi atendido. Ouviu a voz do outro e sua risada nada discreta.

— Alô? Youngjae, por acaso está numa rave? — Perguntou rindo, de fundo tinha uma música alta e várias pessoas falando e cantando. Youngjae riu e disse que era tipo isso, sua voz embolada e pausada. Jaebum franziu o cenho, Youngjae estava bêbado? — Jae-yah, você bebeu?

“ — Sim, só um pouco, amor. Juro. —” Jaebum quase vomitou o próprio coração quando ouviu o outro o chamar daquele jeito, o que diabos acontecia quando Youngjae ficava bêbado? “— Não se preocupe, vou levar o leite das crianças, por favor não saia para comprar cigarro. —” Jaebum suspirou irritado, pensando na remota possibilidade de Youngjae sair comendo as pessoas, pelo jeito ele estava bem bêbado. Não sabe o por que de ter se incomodado com isso, massageou as têmporas continuando:

— Seu idiota, vá para casa. — Youngjae tentou contestar mas foi cortado. — Agora. — Jaebum disse por fim e desligou quando seu pai bateu novamente na porta o chamando. Fechou a cara e saiu do quarto, passou por Junhae e Hweso na sala. Lançou um olhar mortal para o irmão que andava falando de sua vida para o seu pai. Ainda sussurou um "Fale mais alguma coisa que eu conto sobre o Mark para a Junhae e o papai" e saiu batendo a porta. Hweso o olhou assustado e assentiu.

Foi o caminho todo com um bico nos lábios e braços cruzados. Seu pai havia perguntado o motivo mas ele somente disse que um certo amigo era um idiota. Seu pai já ligou as coisas à o tal de Choi Youngjae, e não estava errado.

Parou o carro no estacionamento do restaurante e olhou sério para Jaebum.

— Jaebum, abra o jogo comigo. Por favor. — Pediu calmamente se virando para o filho. Jaebum revirou os olhos, de novo esse assunto?

— Não tem jogo nenhum para abrir, pai. Eu já disse, ele só é meu amigo. Não é como Mark, admito que é diferente. Mas é só isso. — Completou, parou e pensou mais um pouco. — É só que... — Se calou quando viu o olhar atento de seu pai sobre si. — Deixa, não é nada. — Tentou abrir a porta do carro mas seu pai o trancou no automático.

Jaebum o olhou bravo e se encostou na porta novamente cruzando os braços.

— Filho, me diga como se sente a respeito dele. Preciso saber. — Na verdade seu pai só queria ter certeza se seu filho estava apaixonadinho mesmo por um menino, sendo assim não faria mais o que está fazendo agora. Ou seja, encontros com garotas.

Jaebum de uma hora para a outra pareceu triste. Seus braços se descruzaram e sua expressão se suavizou.

— Eu não sei, pai. Só conheço ele há quase dois meses. Mas...Eu gosto exageradamente da risada dele, do cheiro dele, de sua voz, seu jeito irritante e idiota. — Sorriu bobo pensando em tudo isso no mais novo, e foi aí que seu pai teve a certeza que Jaebum sentia algo a mais. — Mas ele não é do tipo que namora ou ao menos gosta de alguém, sabe? Antes de começarmos a nos falar ele ficava com as garotas e garotos lá da escola, mas depois que nós começamos a nos falar todos os dias e mais intimamente ele não fez mais isso. Acho que só estou atrapalhando. — Deu de ombros cabisbaixo. — Falando nisso, depois de amanhã ele vai lá em casa fazer um trabalho de Artes. — Seu pai o olhava fixamente como se pensasse em algo e isso já estava incomodado o mais novo. — Podemos ir? Estou morrendo de fome.

— Claro. — Deu um sorriso grande abrindo as portas.

Entraram e seu pai se dirigiu para uma mesa com seu suposto amigo e seu filha. A garota, Choi Yujin, era até que bem legal. Podiam conversar normalmente já que a garota também tinha bastante interesse em coisas em comum.

Talvez conhecê-la melhor não seja tão ruim.


Notas Finais


Junhae fdp tenho vontade de matar ela mas taok


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...