História HTTYD - Still I Fly - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Personagens Originais, Soluço
Tags Corrida Até O Limite, Hiccstrid
Exibições 84
Palavras 1.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Tenho um aviso a dar a vocês!
Não vou poder postar todos os dias! 😭

Espero que gostem! 😘

Capítulo 33 - Castigo!


Soluço ( POV ) on...

Quando vi Banguela preparar uma enorme bola de plasma ir em direção a Astrid entrei em pânico. Tentei fazer ele parar mas foi em vão:
—BANGUELA! PARA AGORA!
Ele não me escuta e joga o ataque em direção a Astrid. Por sorte esse ataque ainda estamos treinando, a bola de plasma é muito grande e vai lentamente a seu alvo. Os outros pilotos voam ao meu lado e Heather pergunta:
—O QUE ESTÁ FAZENDO?
—NÃO SOU EU É O BANGUELA! –Respondi ainda tentando manusear Banguela porque enquanto a bola não encostar em ninguém ela não explode. – Banguela faça o que fizer, não exploda aquela bola!
—SOLUÇO, CONTROLA ESSE DRAGÃO ANTES QUE SEJA TARDE!– Meu pai grita colocando ainda mais pressão em mim. Tentei fazer Banguela trazer a bola de volta:
—BANGUELA... TRAZ AQUELA BOLA DE VOLTA!– Sério eu tava tão desesperado que estava com vontade de chorar.– Por favor...– Meus olhos começaram a marejar. Tomei coragem e fiz Banguela pegar aquela energia de plasma de volta pra onde veio– Banguela, traz aquele plasma de volta! AGORA!
Coloquei a mão na mandíbula dele e a levanto em direção ao céu e ele atira. O céu ficou roxo! Dá pra acreditar roxo?! Olho para Astrid e ela pousa com Tempestade. Eu e os outros pilotos pousamos ao lado:
—O que aconteceu lá?– Ela pergunta. Eu respondo me afastando um pouco de Banguela:
—Não sei! Mas...
—Eu acho que eu já sei o que aconteceu!– Perna-de-Peixe fala descendo de Batatão– Eles viram vocês dois competindo e então ficaram com a mesma personalidade!
—Mas a gente sempre competiu!– Falei não entendendo nada.
—Mas vocês dois sempre ficaram juntos em um time ou qualquer corrida e jogo!– Ele explica melhor.
—Mas deve ser passageiro, Perna-de-Peixe e o Melequento sempre brigam, e a Batatão e o Dente-de-Anzol também passam dos limites de vez enquando!– Heather fala acariciando Tesoura-de-Vento. Sorri e falei:
—Acho que tem razão! Mas o que eles fizera foi inaceitável. Vamos deixar eles de castigo!
—Como?
—Deixando os dois presos no mesmo lugar!

*
*
*

Voltamos para o domínio e achamos um lugar pros dois ficarem sozinhos. Colocamos eles na cela de Dente-de-Anzol que era a maior de todas.
—Agora vamos deixar os dois sozinhos!– Falei saindo de lá. Perna-de-Peixe me falou:
—Vamos ver o que a chama do Pesadelo-Monstruoso nos mostra!
—Vamos lá Dente-de-Anzol, hoje é a sua vez!– Melequento fala. Dente-de-Anzol faz cara de exibido e voa deixando Melequento pra trás –Ei! Volta aqui Dente-de-Anzol!

Soluço ( POV ) off...

Banguela ( POV ) on...

Soluço me trancou em uma cela, junto com a Tempestade. Só porque tivemos uma discussão de nada:
—“Vou dormir um pouco!”– Tempestade fala se deitando em um canto da cela. Revirei os olhos.
—“Durma, quem está com seus olhos!” – Soltei um resmungo. Ela se levanta e prepara a cauda:
-“EU OUVI ISSO!”– Ela lança um espinho em minha cauda. Gritei:
—“Sua... Sua...”
—“Sua o que?”– Ela pergunta sarcástica. Eu já sem paciência lancei um plasma nela e disse:
—“Sua idiota! Eu só estava brincando!”
—“Uma brincadeira sem graça!”– Ela responde lançando um espinho ainda maior em minha direção, mas dessa vez consegui desviar.– Sempre nos demos bem! O que aconteceu agora?
Parei de atacar por um momento. Não queria que ninguém soubesse... Gostaria de ter filhotes com outra fúria da noite. Mas como sou o último da espécie, não tenho com quem acasalar, então... Sempre entro de mau humor nessa época!
—“Nada! Não aconteceu nada!”– Respondi. Deitando em um canto. Ela vem ao meu lado e pergunta:
—“Acho que eu sei o que houve!”– Ela se senta –“Você está assim... Por causa... Da época do acasalamento?”– Olhei pra ela com um olhar de ‘ Como sabia? ’– Tenho meus truques!– Ela responde convencida.
Ouvi passos vindo em direção a cela:
—O que aconteceu aqui? – Soluço pergunta olhando o que tínhamos feito na cela. – Vocês brigaram de novo?
—“Sim... Mas não foi nada!” – Respondi. Mas como ele não me entende...
—Tempestade! O que fizeram com você? – Astrid pergunta olhando a queimadura que Tempestade rinha na garra esquerda. E é claro que isso é fruto do meu plasma! Astrid olha para Soluço como se dissesse “Ele machucou ela!”
—Ei! O Banguela também tá machucado tá?!– Soluço fala, tirando o espinho de Nadder Mortal da minha cauda – Espinho de Nadder Mortal! Parece familiar pra você?!
—O que quer dizer? – Astrid pergunta indignada. Eu respondo:
—Quero dizer que não é só Tempestade que está machucada! Ambos estão!
—Ei! O que tá acontecendo?– Perna-de-Peixe pergunta entrando no estábulo. Não só ele como os outros pilotos.
—V-Vocês estão brigando?– Heather pergunta incrédula. Astrid respira fundo e explica:
—Olha, o Banguela machucou a Tempestade. Só isso que aconteceu!
—Ah! Agora quer dizer que a Tempestade é um anjo?!– Soluço me defende sarcástico.– Os dois tiveram culpa!
—Mas olha o que o seu dragão fez!– Astrid aponta pra garra de Tempestade. Que realmente estava feia. Soluço ainda me defendendo fala apontando pra minha cauda:
—E olha o que ela fez com ele!
—Isso não foi nada! O Banguela já perdeu até metade da cauda isso não é nada! Aliás você mesmo fez isso...– Astrid responde. Mas depois para e vê o que falou. – D-Des-Desculpa... Eu não quis falar isso!
—Tudo bem... Eu vou cuidar do machucado do Banguela. E... Eu aconselho você fazer o mesmo!– Ele responde sorrindo. Pra eles parecia que ele não ficou magoado com aquilo. Mas pude ver que aquilo magoou ele e muito. Ele vai sorrindo até lá fora do estábulo, quando chegamos a cabana ele desabafa pra mim:
—Ah! Banguela, se eu pudesse mudar o passado eu nunca... Deixaria você assim!
Consolo ele. Vou até Soluço e encosto minha cabeça nele. Ele acaricia meu queixo, falei já sabendo que ele não iria me escutar:
—“Não foi culpa sua... Bem, foi! Mas você não sabia quem eu era!”
—Obrigada amigo! Não sabia o que seria de mim sem você!– Ele fala me abraçando. Eu sai do abraço e o chamei:
—“Vem! Vamos voar um pouco!”
—Ok! Vamos ver o que a sua cauda nova é capaz!– Ele pensa e fala– EPA! Espera! Temos que cuidar de você, esqueceu que você tá ferido?
Ah! Porque tinha que lembrar?! Não que eu não goste que ele cuide de mim... Eu não gosto é do remédio que ele usa em mim! Esse remédio arde, e eu tenho que passar horas e horas sem comer... E se vocês pensam que é fácil ficar vendo os meus amigo comendo costela de Iaque e peixes defumados, ISSO É TORTURA!
Ah! Mas fazer o que. Vou ter que ir!

Continua...


Notas Finais


Comentem! 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...