História HUman Defectors (interativa) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 13
Palavras 985
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Super Power, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIELA PRA VCS Q N FAZEM MAIS NADA DA VIDA E VIERAM ISSU DAQUI
AVISINHO: TO DE FERIAS = MAIS CAPITOS
RECADINHO: FICHAS DESTACADAS = PERSONAGEM VAI ENTRAR
QUE MAIS? ACHO QUI E SO ISSO MSM, JÁ FEZ SUA FICHA? AINDA NÃO? AHHHN VAI LOGO FAZER

Capítulo 2 - Ichi


Fanfic / Fanfiction HUman Defectors (interativa) - Capítulo 2 - Ichi

Capitulo: Ichi (um)

Ponto de visão Akira Fuyuki

                Bem... O que posso dizer sobre a minha vida? Em menos de seis meses tudo mudou drasticamente, e agora estou indo para uma escola na ilha de Hatemura onde vou aprender a usar o “dom” que eu tenho com pessoas com habilidades parecidas com a minha, quando descobri o que podia fazer achei que eu fosse único mais após receber aquela carta sei que existem vários como eu, e não sei se estou realmente pronto para encarar o mundo dessa forma diferente, ver o mundo da forma na qual eu pensei que não passavam de historias e mitos para deixar os contos mais divertidos e agora olha só para mim – Tiro a mão do bolso do moletom preto e estalo os dedos fazendo com que alguns pequenos cubículos de gelo se formassem – Nesses seis meses eu aprendi o básico dos meus talentos, ao menos não congelo nada sem que eu realmente queira no inicio era horrível eu mal conseguia beber água sem que ela empedrasse na minha garganta – Tiro a chave do bolso da mochila azul e adentro o quarto que estava completamente escuro uma cama forrada e arrumada com um lençol, um guarda roupa branco e um tapete no chão do outro lado do quarto apenas um colchonete mal arrumado e uma escrivaninha alguns aparelhos e uma luz clara que emanava da tela do computador.·.
                Na frente do computador uma cadeira giratória preta e um rapaz de aparência macabra sua coluna era curva e sentava-se de forma estranha com os pés sobre a cadeira e os braços ao redor das próprias pernas, a pele era tão pálida que somente com a luz que era emitida pelo computador as veias azuladas ficavam aparentes, os olhos negros com olheiras acinzentadas que ficavam ainda mais amostra na pele clara e os cabelos despenteados, ele usava uma camiseta branca amarrotada e uma calça moletom azul. O ar condicionado estava no mínimo deixando o quarto extramente frio me causando incomodo – Sim apesar de ser totalmente contraditório com minhas habilidades prefiro climas quentes.·.

- Olá! – cumprimentei meu colega de quarto e liguei a luz do cômodo, o outro presente apenas virou o rosto para mim sem tirar os olhos da tela enquanto seus dedos deslizavam rápidos pelo teclado. Abri o guarda roupa começando a guardar minhas roupas e objetos pessoais. – Meu nome e Fuyuki Akira, qual o seu? – Apresentei-me antes mesmo dele responder meu comprimento.

- Ryuuzaki – Ele fala mansamente voltando sua completa atenção para o computador. – Parece que nós não teremos muitos assuntos para conversar.

Ponto de visão Hanami Hikoto

E lá vou eu – Suspiro - Este já e meu segundo ano aqui na academia, nunca fui um pessoa de muitos amigos e os poucos que eu tinha saíram no ultimo ano e nós acabamos por perder o contato, ainda tenho o Ryuuzaki-senpai que é conhecido por todos, dizem que ele está na escola a mais de oito anos e mesmo assim ninguém sabe sua habilidade ele mal sai do quarto e costuma ficar em um quarto exclusivo, quanto a mim... Bem a minha habilidade não está na lista das mais excepcionais da academia eu apenas tenho sensibilidade com os elementos da natureza podendo assim controlar os mesmos, não e algo muito útil e eu quase nunca consigo usa-los costumo dizer que eles têm vontade própria já que eles só aparecem em momentos inoportunos, quando da vez que eu fiz chover no dia do campeonato de natação que só não foi cancelado, pois os coordenadores sabem lidar com esses tipos de problemas e me livraram de qualquer punição, mas o fato da escola inteira saber que eu fui responsável pelo acidente foi castigo o suficiente meu nome era citado a cada três conversas pelos corredores.
                               Ajeito minha mochila nas costas e rodo a chave do quarto 312 o mesmo quarto do ano passado, as paredes do lado da minha cama ainda estavam pintadas com símbolos e letras egípcias que eu e minha antiga colega de quarto fizemos – Ela tinha descendência de faraós e podia controlar felinos e fazer esculturas de areia e argila em um estralar de dedos, aquilo sim era uma habilidade que se preze, enquanto eu faço no Maximo uma chuvinha ou com que algumas ervam daninhas brotem do além.
                               Jogo minha mochila na cama deitando ao lado da mesma o outro lado do quarto estava vazio o que significava que minha nova companheira ainda não chegou, espero que seja alguém tão legal quanto Meieneh, ou pelos menos qualquer coisa parecida. Coloco meu aparelho Mp3 sobre a cabeceira – infelizmente o uso de celulares e estritamente proibido – Colocando uma música baixinha para tocar esvaziando minha mente devagar até pegar no sono.

Levanto em um pulo saltando da cama ao escutar o baque da porta e na frente um garoto de vestes negras gravata vermelha cabelo mal arrumado com uma enorme espada embrulhada em um tecido vermelho preso em suas costas, ele ofegava segurando uma espada maior ainda em suas mãos – Esse é Okumura Rin não posso dizer que somos amigos, mas eu o conheço.

- Hanami! – ele diz sorridente – Não se importa se eu ficar aqui um pouco não é?

- C-claro que não – Praguejei-me internamente por ter gaguejado – Isso... Pertence ao... – Fui cortada ao final da minha frase por um grito vindo do corredor.

- OKUMURA! Volte já aqui seu desgraçado – A voz de Ichigo se fez presente do lado de fora do corredor, mas ele passou direto o que indica que não sabe que Rin está aqui, Rin suspira aliviado.

- Se você ia perguntar se isso aqui é do Ichigo – Ele me aponta a espada – Eis sua resposta – Ele da uma risadinha apoiando-se na porta.

- Achei – Um ser de cabelos alaranjados e roupas pretas entra pela minha janela indo em direção à Rin que abre a porta rapidamente e sai correndo sendo seguido pelo outro.

...continue...


Notas Finais


então oq acharam? pra mim ta bom mais minha opnião n entra no caso entao digam a de vcs, bjão e até pprocimo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...