História Human Trafficking: The hope of a painless life - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Walking Dead
Personagens Aaron, Daryl Dixon, Merle Dixon, Rick Grimes
Tags Daryl Dixon, The Walking Dead
Visualizações 18
Palavras 2.792
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capítulo 10


Fanfic / Fanfiction Human Trafficking: The hope of a painless life - Capítulo 10 - Capítulo 10

Capítulo 10

O dia do desfile havia chegado, John e sua equipe viajaram para Nova York com apenas o essencial, durante toda a viagem o Chefe observou a mulher a alguns metros de distancia lendo alguns documentos e tentando gravar a história de vida da personagem que iria encenar, ao chegarem ao aeroporto pegaram taxis separados para chegar ao hotel que fariam toda a transformação, Lisa se arrumava em um apartamento alugado com seu nome falso, dois agentes que auxiliava toda a operação sincronizava seu celular com o computador enquanto Scott terminava de conectar os pontos de comunicação e câmera que ela carregaria nos acessórios de moda. Um brinco com um nano fone onde ela escutaria algumas coordenadas, e a lente de contato com uma nano câmera inserida dentro da gelatina ocular, todas aquelas tecnologias eram novas no governo dos Estados Unidos, a ultima e mais bizarra era o chip rastreador que seria implantado na nuca da agente.

Lisa já estava vestida e aguardava Scott injetar a imensa agulha com o GPS, durante toda sua vida profissional dentro do FBI nunca havia usado tais adereços e tinha medo de não serem seguros.

- Lisa, esta pronta? – Perguntou Scott se aproximando com a seringa, vendo a agente se virar de costas e puxar os cabelos da nuca expondo a pele para o Hacker.

- Vai com tudo Scott, quanto mais rápido menos dor. – Concluiu Lisa rindo, mas aquela frase atingiu o intimo de Scott, ouvi-la dizer “vai com tudo” o deixou excitado a ponto de ter que esconder a ereção dentro das calças.

Uma dor incomoda fez Lisa apertar os olhos e gemer baixo, o som fez Scott deixar um pouco mais a agulha dentro da pele da moça fazendo sua moralidade desligar sobressaindo à verdadeira face. Por alguns segundos o olhar de Scott mudou perigosamente, o rapaz logo percebeu o que estava fazendo e tratou de voltar à máscara de nerd e retirar a agulha dando um sorriso amarelo, todo o processo duraram segundos, mas foi o bastante para chamar a atenção do Chefe John.

Todos se empenharam para testar os novos brinquedos, a câmera e o fone, por ultimo o GPS. Quando estava tudo pronto Lisa se fechou num dos quartos sozinha com John.

- Agente Watson, se lembra de tudo que terá de fazer?

- Sim. – Respondeu Lisa firmemente. – Durante todo o desfile manterei contato visual com Justin, distribuirei sorrisos meigos e joviais para todos envolvidos, meu dever é descobrir quantas garotas eles vão sequestrar tentar descobrir o destino deles depois do desfile.

- Okay, esta com os documentos? – Perguntou John com um tom de preocupação.

- Sim, estão todos comigo. – Lisa sorriu e se aproximou do senhor em sua frente, tinha John como um pai há muito tempo, basicamente ele a adotara como filha, já havia passados Natais e Ações de Graça com sua família desde que o conhecera no FBI. – Fique tranquilo, sei me defender, você me ensinou.

- Sei que sabe, e confio em você. Só não quero que se machuque. – Ele a puxou para um abraço que se demorou em desfazer, Lisa sabia dos riscos, e sabia que era grande, não pensava serem riscos de morte, mas poderia levar por água a baixo toda à investigação.

Lisa saiu do apartamento se despedindo dos colegas e pegando o elevador, seu estômago revirou um pouco quando pensou em Justin, já que sabia bem o tipinho do Rapaz. Entrou num taxi e pediu para que a levasse até o endereço do desfile.

Eram 14h00minh da tarde quando chegou em frente ao teatro, quando entrou pela porta principal ficou encantada com toda a produção, por alguns momentos pensou se realmente aquilo era um desfile para contratações de modelos, mas sabia bem que muitos criminosos e traficantes usavam o glamour para não levantar suspeitas.

Lisa foi reconhecida por uma mulher com fones pretos e pastas nas mãos.

- Susan não é? – Perguntou a garota com um ar transparecendo medo.

- Sim, ai me desculpe o atraso, eu não conheço muito bem Nova York, fiquei toda confusa com o taxista e perdi uma nota com ele... – Tagarelou Lisa sabendo que poderia deixar a moça confusa e chamando a atenção para si.

- Tudo bem querida, venha comigo. – Lisa imaginou que aquela garota poderia ser uma vitima de trafico, algumas meninas acabavam preferindo entrar no crime como cumplices apenas para se livrar das violências sexuais.

Enquanto seguia a garota a loira observava todo o espaço, com muitas meninas jovens rindo e conversando com moças iguais a que estava guiando ela até algum lugar.

- Susan, esse camarim é seu, vista essa roupa que esta ai e saia para ser apresentada. – Lisa sorriu e entrou no minúsculo vestiário feito de tecido e arcos de ferro, era um pouco transparente e sabia bem o motivo, de fora algumas mulheres e até mesmo homens “envolvidos” no meio da moda, observava o corpo das garotas enquanto essas se trocavam.

Lisa trocou a roupa que estava, vestindo o biquíni que permanecia pendurado para ela, a parte de cima um tanto pequena deixou Lisa preocupada, os corpos muito desenvolvidos não eram tão requisitado para o trafico, os desgraçados preferiam os corpos mais infantis.

Saindo do vestiário Lisa procurou a moça que havia escoltado até ali, passando por trás das cortinas do palco reconheceu a mulher que entrara em contato com ela via Skype e ao seu lado estava Justin e mais dois seguranças do desgraçado, Lisa não deixou a expressão de ódio transparecer em seu rosto, precisava manter a postura meiga e juvenil, quase apaixonada até o fim, iria babar ovo do rapaz mesmo que aquilo a enojasse.

- O que faz aqui? – Lisa se virou assustada encontrando a moça que a escoltara antes.

- Estava te procurando! – Respondeu fingindo, voltando a olhar para a fresta da cortina. – Aquele é Justin Malfoy? – Perguntou com uma expressão encantada para a moça.

- Sim, conhece ele? – Ela havia caído na armadilha, Lisa percebeu o olhar receoso da moça.

- Se conheço? O cara mais lindo e rico da região, dono da boate mais legal, quem não conhece? – Lisa respondeu fingindo uma empolgação juvenil.

- Ele é bem famoso mesmo não é? Ele que vai escolher as meninas, é para uma nova boate que ele esta abrindo no Novo México. – Revelou a garota olhando na direção de Lisa olhava, a agente viu um sorriso se instalar no rosto da jovem ao encontrar a figura do criminoso.

- Uau, que demais. Espero que verdade que ele goste de mim então. – Disse Lisa jogando com a moça, que abaixou o rosto tristemente soltando logo em seguida um suspiro.

- Você tem grandes chances, faz o tipo dele. – Lisa percebeu a moça lhe medir de cima a baixo parando sobre os seios fartos, e então Lisa reconheceu que talvez a única coisa que poderia tirar sua vantagem seria a maior que tinha, poderia abusar disso no momento que se encontrasse com Justin, uma boate no Novo México só poderia ser uma casa de prostituição.

Lisa já estava preparada para entrar na passarela montada no meio do palco quando a moça que a acompanhara fez sinal para ela entrar, vestindo a máscara da adolescente Lisa entrou pela passarela buscando com os olhos o rapaz que estava sentado ao lado da mãe. Como havia assistindo bastantes tutorial de moda nos últimos dias aprendeu a andar da forma necessária como uma modelo exagerada.

Sabia que tal atitude faria a família achar graça, e dessa forma mostrar que poderia ser ingênua, aumentando bastante a possibilidade de escolha por sua pessoa.

Logo que entrou viu que Justin não a olhou, não sabia o que poderia fazer para chamar sua atenção, sorriu abertamente para a mulher sentada ao lado dele, e nada do rapaz lhe jogar nenhum olhar de cobiça. Enquanto estava com as mãos na cintura sentiu o cordão do biquíni bater em sua mão no movimento do corpo, numa ultima tentativa puxou discretamente o cordão fazendo o biquíni desabotoar, fingindo não perceber viu o olhar do rapaz se prender em seus seios quase a mostra. Fazendo ar de surpresa puxou desajeitadamente para amarrar denovo.

- Susan, não é? – Perguntou a mulher enquanto Lisa tentava se cobrir docemente.

- Sim senhora. Sou da Georgia, meu sonho é ser modelo. – Tagarelou Lisa sem tirar os olhos de Justin que sorria para ela como um predador.

- Okay querida, pode ir divulgaremos os resultados em uma hora. – Terminou a mulher fazendo Lisa se virar para sair, deixando soltar o cordão novamente rindo fingindo vergonha.

Quando lisa saiu para os bastidores a moça que a escoltou até ali estava olhando para ela com um grande ódio no olhar, que Lisa considerou sendo ciúmes por Justin, a agente correu para o vestiário e colocou novamente sua roupa, trocando alguns sinais na frente dos olhos mostrando para a câmera que ela estava bem.

Cerca de uma hora depois, um papel foi pregado no hall do teatro com os nomes das escolhidas, enquanto Lisa caminhava para o papel ouviu John dizer em seus ouvidos.

- Cuidado assim que ler seu nome, eles podem ser agressivos ou passionais.

A loira acenou a cabeça afirmativamente, quando consegui passar pelo mar de garotas até o papel procurou seu nome sem sucesso, não a haviam escolhido, ela pode perceber que três das escolhidas foram puxadas delicadamente para dentro do teatro denovo, bufou decepcionada e murmurou algo esperando ser ouvida por alguém.

- Droga, perdemos essa.

- Quem mais perdeu? – Lisa se virou num repente encontrando Justin próximo demais dela.

- Eu... E minha mãe tinha esse sonho, então perdemos... – Ela sorriu com meiguice.

- Desculpe não ter passado no teste, minha mãe é um pouco sistemática quanto ao corpo das modelos, e você tem um corpo...

- Sou gorda? – Perguntou Lisa tentando parecer ofendida, provocando Justin.

- De jeito nenhum, você é muito gostosa, e modelos não são assim... Cheias de curvas. – Lisa percebeu seus olhos descendo por seu decote, não era o que esperava conseguir ali, queria ser levada para o cativeiro e não para a cama de Justin.

- Você me deixa envergonhada assim. – Lisa tentou ser tímida, o que fez Justin dar um passo em sua direção quase encostando-se na agente.

- Você fica linda corada. Quer jantar comigo hoje? – Ele perguntou sendo cortês, ela podia aceitar e dar uma desculpa qualquer para escapar da cama dele, e tentar descobrir alguma coisa.

- Claro, você me busca?

- Onde você esta hospedada?

- Estou na Milford Plaza, na oitava avenida. – Disse Lisa abrindo mais o sorriso, enquanto tentava segurar a vontade de vomitar.

- Ás 20h00m? – Perguntou ele tocando de leve em seu rosto.

- Combinado. – Respondeu Lisa se controlando para não tirar a mão dele de cima de si.

Justin passou o nariz no da Lisa quase a beijando, e depois saindo em deixando um olhar para trás sorrindo para a loira, Lisa saiu pela porta ainda sorrindo e chamando o primeiro taxi, quando já estava em segurança no taxi desmanchou o sorriso ficando cheia de ódio até chegar a seu destino, no hotel.

 

(...)

 

Daryl havia viajado para Nova York para se encontrar com um cliente novo que Aaron atendeu outro dia em seu escritório, o sócio havia dito que o homem era um magnata muito conhecido, mas o nome que passou não levou Daryl a lugar nenhum, Malcon Jerome, Seja lá quem fosse o homem nem o Google conhecia.

Eles combinaram de se encontrar num restaurando na Time Square, o advogado parecia ansioso quando entrou no restaurando as 19h30m da noite, portando sua maleta e vestindo seu melhor terno, sabia muito bem o quanto a imagem fazia toda a diferença.

Encontrou sua mesa e nela estava sentado um homem bem vestido tomando um whisky que Daryl poderia apostar ser um 12 anos, não tão bom mas aceitável.  Quando o homem levantou o rosto para encontra-lo, Daryl precisou de alguns segundos para se recompor do choque.

Jeremy Malfoy estava sentado e lhe sorria abertamente se levantando para cumprimentar o advogado, Daryl diminuiu os passos entre os dois com uma feição confusa nos olhos.

- Bom conhece-lo pessoalmente Sr. Grimmes. – Ele estendeu a mão ao homem mais novo, Daryl retribuiu o aperto ainda confuso.

- Senhor Malfoy? Não esperava encontra-lo aqui, meu sócio disse outro nome. – Daryl se sentou no lugar indicado pelo homem, estavam num local publico não corria riscos, pelo menos não enquanto estivessem ali dentro.

- Senhor Grimmes, não costumo usar meu nome verdadeiro, pois pode atrair curiosos, pedi alguns conselhos sobre bons advogados e o senhor foi bem citado. Algum problema?

Daryl acenou ainda sentindo um frio estranho subir por sua espinha, sabia muito bem que não era por isso eu que estava ali, mas precisava entrar no jogo antes que se tornasse um cadáver enterrado numa vala qualquer, ele acabou iniciando uma conversa amena sobre o que o homem precisava se era uma defesa ou um processo.

Enquanto Jeremy falava sobre quem o estava atacando em sua empresa, Daryl fez o pedido da comida, em poucos minutos estavam sincronizados na conversa, o que fez o advogado relaxar um pouco, não parecia ser mentira os fatos relatados por Malfoy, mas Daryl ainda duvidava se realmente estava ali para ajuda-lo a processar um sócio de sua empresa.

- Sabe senhor Grimmes, esses caras pensam que estão num aquário de trutas, enquanto esperam a próxima refeição para dar o bote, mas se esquecem de que sou um tubarão. – Daryl sorriu se sentindo incomodado com o rumo da conversa. – Mas que surpresa. – Disse num tom mais alto olhando para trás de Daryl. O advogado se virou para ver pra onde o homem olhava.

Lisa entrou com Justin no restaurando na Time Square, sabia muito bem que o local era seguro, então apenas combinou com o chefe para ele e um agente ficasse do outro lado da rua esperando. Ela ouviu alguém falar alto dentro do restaurante e se virou na direção, encontrando Jeremy Malfoy em companhia com Daryl.

Seu estomago revirou, e não conseguiu esconder a surpresa em seu rosto quando os olhos do advogado encontraram os seus, se ele dissesse alguma coisa tudo daria errado.

- Filho, que bom te ver aqui. – Disse Jeremy indo até Justin o abraçando com carinho, enquanto Lisa negava discretamente com a cabeça para Daryl, que ainda estava chocado em ver a loira ali, com o filho criminoso do desgraçado do seu novo cliente.

Ele não era burro, demorou alguns segundos para perceber que se tratava de seu caso infiltrado, e sabia que devia fingir que não a conhecia, porém não deixou de observar o quanto ela estava linda naquele vestido preto curto e justo.

- Pai, essa é Susan. Susan esse é meu pai. Jeremy. – Jeremy a mediu de cima a baixo, e sorriu com malicia.

- Prazer Susan, lindos olhos. – Ele estendeu as mãos para a jovem.

- O prazer é meu senhor Malfoy. – Lisa ofereceu seu melhor sorriso, enquanto Daryl se aproximava do trio,

- Ah, ia me esquecendo, filho esse é Daryl Grimmes, meu novo advogado. – Daryl cumprimentou o rapaz e em seguida estendeu a mão para a mulher.

- Prazer em conhecê-los. – Daryl acenou para Lisa, enquanto ela sorria aliviada por ele entrar no jogo.

- Não quero atrapalhar sua noite filho, amanhã nos falamos, até mais. – Despediu-se Jeremy do casal acompanhando Daryl de volta para a mesa, continuando a conversa da onde haviam parado.

A noite transcorreu tranquila, Daryl depois do encontro com Lisa deu mais atenção a seu novo cliente, já que nesse momento precisaria mudar o foco daquela noite, logo após terminar o prato principal, o advogado pediu licença e foi ao banheiro, Lisa no canto do salão enquanto ainda ouvia o rapaz se gabar de suas conquistas milionárias, pediu licença e saiu para o toalete.

Daryl abriu a portinhola do banheiro masculino saindo do cubículo, encontrando a loira em sua frente.

- O que faz aqui? – Ela perguntou empurrando ele para dentro denovo.  

- Ele marcou esse encontro com Aaron e usou um nome falso, eu não sabia que era ele até chegar aqui.

Lisa ouviu o Chefe falar em seu ouvido.

- Chefe John pediu para que recuse a parceria.

- Como sabe disso, nem eu sabia que seria advogado dele.

- Ele esta em meu ouvido nesse minuto ouvindo você e te vendo.

Daryl não entendeu o que ela havia dito, fez uma expressão confusa que deixou Lisa irritada.

- Vá até a oitava avenida no hotel Milford Plaza, Peça o quarto do Pato Donald, o Chefe quer conversar com você ainda hoje.

Lisa saiu do banheiro voltando para a mesa, deixando Daryl ainda mais confuso depois da informação, ele não tinha ideia da onde estava se metendo.


Notas Finais


Vim mais cedo... espero que gostem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...