História Human Universe (Steven Universe) - Capítulo 69


Escrita por: ~

Postado
Categorias Steven Universe
Personagens Connie, Garnet, Greg Universo, Jasper, Lápis Lazuli, Peridot, Pérola, Personagens Originais, Rose Quartzo, Rubi, Safira, Steven Quartzo Universo
Tags Amedot, Amethyst, Garnet, Greg, Jasper, Lapidot, Lápis-lazuli, Lasper, Pearl, Pearlmethyst, Peridot, Rose, Ruby, Sapphire, Steven, Steven Universe
Exibições 145
Palavras 1.263
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Orange, Romance e Novela, Super Power, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Estou experimentando algumas maneiras novas de escrever. Espero que gostem ;)

Capítulo 69 - Dia letivo


-Pearl-

Apesar de ter procurado algo suspeito no centro da cidade, não pude encontrar. Amy se arrastava atrás de mim, acho que ela veio só pra me fazer companhia. O que eu achava fofo. Sem meu carro, voltamos a pé pra casa. Desde que briguei com meu pai, nunca mais tive coragem de pedir meu carro, não queria ver ou falar com ele. Mas a questão de quem estava por trás disso me incomodava na aula, nem prestava atenção direito na matéria. Foi quando a professora fez alguma pergunta pra classe, sempre respondia, mas dessa vez não a fiz. Foi quando a professora se aproximava de mim.

-Está tudo bem Pearl? Parece distante hoje o dia todo.- Os olhos dela esbanjavam a preocupação que ela sentia, nunca fui de me comportar distraidamente na aula. Mas hoje não estava com cabeça pra isso.

-Estou bem.- Respondia de imediato, não conseguia evitar de soltar um suspiro. Chegava a sentir um aperto ao peito, sentia falta do conforto do meu lar, nada contra morar com Amethyst, eu até que gostava, mas sentia falta daquele cheiro perfumado das minhas cobertas. O cheiro de cigarro impregnado na casa era horrível. Aliás, as condições financeiras dela não eram tão boas quanto as dos meus pais.

Nesse instante a professora se virava de costas para mim, entreolhando meu rosto por cima do ombro. Ela desconfiava que algo aconteceu e eu sabia. Após algumas horas finalmente era o recreio. Ao sair da sala pude notar Morgana comendo sozinha, quem sabe poderia perguntar se ela conseguiu alguma pista. Me sentava próximo a ela na mesa, pelo visto ela comia lasanha. Imediatamente os olhos dela se voltavam para mim, o que me fazia olhar pro lado. Sinceramente? Algumas habilidades dela me assustavam.

-Conseguiu alguma informação?- Perguntava firme, mas sem olhar pra ela.

-Sinceramente? Acho que Pery saberia dizer melhor. O pai dela já trabalhou pra alguém dessa tal organização diamante. Acidentalmente acabei vendo o passado dela, onde ela estava na frente do computador, viu um vídeo onde a mãe dela descobria estar grávida, ela parecia ser submetida a algum tipo de experimento que eles fariam também no embrião. Eles não se importam se a pessoa vai sobreviver, quase morri nas mãos deles. Essas pessoas não merecem a vida que tem, isso tem que terminar.- Tomei coragem de olhar para o rosto dela enquanto ouvia tais palavras. Conseguia ver a determinação no olhar dela, por mais que sua expressão sempre fosse séria, imagino que ela se expresse através do olhar. Tratava de acenar de maneira positiva com a cabeça, confirmando que ela estava certa.

-Devíamos falar com Pery então. Juntar as informações que sabemos  e.. - Antes que pudesse terminar de falar ela me interrompia.

-Lazuli. Conversa com ela, também é de confiança. Temos que envolver as duas nisso pra garantir que nenhuma vai dar o pé atrás.- Ela tinha razão, portanto iria falar com Lazuli, o único problema é que eu era péssima em conversar com alguém que mal conhecia.

-Então falarei com ela depois da aula.- Respiro fundo enchendo o peito, queria parecer confiante, queria acreditar que conseguia. Fazia uma pequena simulação de diálogo em minha mente.

Morgana agora prestava atenção apenas em sua lasanha, bem, acabou o assunto acabou minha atenção, ela era tão fria, era até estranho entender o que ela pensava. Mas bem, o importante é que podia confiar nela. Após ouvir o sinal, voltava para a sala. Estranhei não ter visto Amethyst, será que ela havia alongado a educação física? Claro que perguntaria pra ela depois, mas só depois da aula. Dessa vez me focava no diálogo, teria que puxar assunto com aquela garota e convidá-la para nos ajudar.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

-Amethyst-

Hoje pela manhã mal vi a Pearl, mamãe disse que ela foi mais cedo pra aula e pediu pra eu avisar. Pra mim ela estava levando muito a sério esse lance do experimento. Ficava preocupada com ela, mas claro, não havia nada o que eu pudesse fazer,  a não ser apoiar. Pela manhã encontrava o casal mais meloso e adorável. Era minha amigona Ruby, ia de mãos dadas com Sapphire pra escola, pelo visto dormiram juntas. Iria dar um baita susto nelas, já que estavam mais a frente. Eu corria, tentando não fazer barulho e num salto pulava nas costas da Ruby, ela me segurava jogando no chão. Deixava meu corpo mole,  portanto me esticava em frente a ela. Até um gritinho assustado de Sapphire eu ouvia. Após ela ver que era eu me ajudou a levantar, onde caímos na gargalhada. Mas acho que Sapphire não gostou da piada, estava séria.

-Só vocês duas mesmo hein. Quase me mataram do coração.- Ela comentava, com aquele tom de voz frio, chegava a causar alguns calafrios em mim.

Ruby me olhava sorrindo, eu também sorria, foi quando a mesma abraçou a namorada. Agora eu ia de vela, as duas iam de mãos dadas até a escola, como de costume flertavam uma com a outra. Era cada flerte esquisito como "Você é feita de fogo? Não por que? Por que você aquece meu coração gelado." Blá, blá, quanta melosidade.. bem.. mas confesso ser fofo. Finalmente chegamos a escola, elas se despediam com um beijo. Minha nossa, mas que beijo, era muito perceptível aquela língua da Ruby, parecia até entrar pela garganta da Sapphire.

Já estava na aula, como de costume não prestava atenção em merda alguma. Apenas rabiscava no meu caderno, copiava o que estava no quadro. Após algum tempo, parecia mais dias do que minutos. Era a aula de educação física, já ficava feliz. Trouxe meu short esportivo, já prendia o cabelo correndo pra quadra. Ruby já estava fazendo embaixadinha com a bola. Ahh como queria jogar. Montamos um time, dessa vez fiquei no mesmo que Ruby. Aquela atleta jogava muito bem, claro que eu era goleira, sempre fui mais preguiçosa. Estava empatado, zero a zero. O sinal do recreio batia, preferimos continuar jogando. Algum resultado teria que sair.

Ruby leva uma rasteira, saltando para não se machucar, ela perde a bola. Onde uma garota brutona corria para o gol. Com certeza era repetente pelo tamanho dela. Fixava meus olhos na bola, mas caramba que chutão. Saltava para pegar a bola, mas errei, ela bateu com tudo na minha cara. Eu caí ao chão. No rebote a garota chutou novamente. Torcia pra não ser gol. Estava com as mãos ao rosto, meu nariz doía pra caramba. Ouvia um estalo bem alto, o que me tirou aquele aperto do peito. O chute bateu na trave. Ouvia o urro de raiva da garota. Dessa vez Ruby comemorava. Imagino que ela tenha feito um gol, vinha toda feliz até mim. Mas a mesma percebia que não levantava.

-Amy, tudo bem? Nós ganhamos.- A voz dela era mista de preocupação com felicidade.

-Beu nabiz tá boendo.- Dizia fanha, estava segurando o nariz, pois tinha uma tremenda dor.

-Me deixe ver.- Ela me virava de barriga pra cima, fazendo sinal pra eu tirar as mãos da frente. Assim eu fazia, um filete de sangue escorria pelo meu nariz, onde Ruby negava com a cabeça. -Vamos pra enfermaria.- Ela passava meu braço sobre o ombro dela me ajudando a levantar. Levo a mão ao nariz, via o sangue na minha mão, mas que droga! Ela caminhou comigo até a enfermeira. Pra ela não era novidade, eu e Ruby sempre estávamos machucadas. Minha amiga aproveitava para mostrar seu joelho ralado, de algumas rasteiras que ela tomou eu até mesmo que deu. O sinal logo batia, pelo visto passamos o recreio jogando e ficaríamos um tempinho ali.


Notas Finais


Digam então, o que acharam de como reorganizei esse capítulo?
Aceito dicas, críticas, sugestões e ideias.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...