História Tokyo Ghoul-Humanidade... - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Personagens Akira Mado, Hideyoshi Nagachika, Hinami Fueguchi, Ken Kaneki, Koutarou Amon, Kureo Mado, Personagens Originais, Rize Kamishiro, Touka Kirishima
Tags Etoken, Rize Kamishiro, Rizeken, Yoshimura Eto
Exibições 143
Palavras 3.455
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Seinen, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoal, outro capítulo quentinho para vocês, foi mal a demora, eu refiz algumas partes varias vezes entao levou um pouco de tempo (Teve um pouco de preguiça envolvida tambem).
Enfim...espero que gostem de ler tanto quanto eu gostei de criar esse capítulo em particular.
Curtam a leitura...xau...:-)

Capítulo 10 - Perfurações...


Fanfic / Fanfiction Tokyo Ghoul-Humanidade... - Capítulo 10 - Perfurações...

As horas se arrastavam naquele cômodo, gritos e súplicas faziam a sinfonia do lugar, havia um rapaz amarrado ali, uma garota sentada próxima e um aspirante a psicopata do ano fazendo coisas que nenhum ser humano com o mínimo de de respeito pela própria raça sequer cogitaria fazer, o suor escorria pelo seu rosto à medida que ele separava a pele da carne com movimentos semelhantes aos usados por pintores na criação das suas obras primas, e era isso mesmo, para Kaneki aquela era uma obra prima, as texturas e padrões dos músculos e ossos, o vermelho da carne e do sangue, o amarelo da gordura…tudo aquilo era a sua obra, e ele sentia orgulho daquilo, todo aquele jogo doentio lhe trazia orgulho e um prazer que só perdia para o corpo de Rize.

O sangue escorria por toda extensão do corpo do rapaz preso enquanto Kaneki esfolava lentamente as suas pernas, o garoto  gritava e chorava como uma criança, seus olhos e boca não estavam mais obstruídos, Kaneki queria que ele visse tudo e gritasse até não poder mais , o mesmo mantém um sorriso reservado apenas para os piores entre os piores,  aqueles que abriram mão do direito de se chamar de humano em prol de um prazer sustentado única e exclusivamente pela dor e desespero dos outros.

O torturador usava uma faca de lâmina curva e serrilhada de aparência ameaçadora , ele começou pelos tornozelos e foi descendo até os joelhos, cada corte representava um novo filete de sangue escorrendo e uma nova série de gritos agonizantes e lágrimas dos olhos  do garoto que ardiam como nunca.

Kaneki parou o seu trabalho atual e pensou um pouco, logo depois ele disse. 

 -Então...como é o seu nome mesmo?...apesar de nós nos vermos várias vezes lá na faculdade… você nunca me disse o seu nome…- Falou Kaneki, porém, não houve resposta do garoto. 

 - Não vai responder não é…tudo bem…vamos fazer do jeito divertido então… - Disse Kaneki sorrindo e se virando.

Ele pegou um pouco de sal, colocou em um copo com água e mexeu com uma colher,  se aproximou do garoto e jogou o líquido em suas pernas em carne viva

Os olhos do rapaz quase saltaram das órbitas, ele não sabia se gritava, chorava ou respirava, tamanha era a sua agonia, seu corpo se tencionou quando o mesmo teve várias e violentas convulsões e espasmos de dor.

Kaneki aguardou um pouco até os gritos e urros de dor fossem reduzidos apenas a respiração rápida e entrecortada. 

 -Quer dizer o seu nome agora? - Disse enquanto agarrava o garoto pelos cabelos e sacudia sua cabeça.

-Sh… shin… shinji… meu nome é shinji, por favor…pare com isso…eu faço qualquer coisa… - Disse entre os dilúvios em seus olhos, depois de tanta dor o arrependimento era inevitável, porém ele não fazia a menor ideia de onde estava, não sabia como havia chegado até ali ou quem o levou, mas ele reconheceu a pessoa a sua frente e quando seus olhares se encontraram ele soube que não haveria piedade ali…só a morte horrível e dolorosa, mas mesmo assim ele pede por perdão, não tinha nada a perder. 

-...p-por favor, me d-desculpe pelo que eu fiz com você…me perdoe…- Disse o Shinji enquanto tentava conter o choro.

-Sabe Shinji…quando você e seus amigos estavam me espancando…insultando… roubando, dia após dia, você me ouviu implorando? Não, eu só queria saber o porque daquilo…agora não importa mais…de qualquer jeito...suporte a sua dor, pois você merece tudo que ganhou,  e tudo que vai ganhar, é tarde demais para implorar…tarde demais para voltar atrás…você já entrou muito fundo nisso…não existe piedade neste mundo…só a dor, e se a escolha for minha eu prefiro ferir os outros do que me ferir…isso é fácil para mim porque só existe uma pessoa nesse mundo que eu amo...e ela é muito mais forte que eu...- Disse enquanto colocava a faca suja de sangue em uma bacia e olhava embaixo do fogão, depois de um tempo procurando entre várias ferramentas ele achou algo que lhe chamou atenção, seu sorriso se abriu ainda mais com o que viu, um maçarico portátil.

O rosto de Kaneki se encheu de felicidade, ele se virou para a ghoul que observava a tudo sem muito interesse. 

 -Olha só o que eu achei, Rize-san…você gosta de carne bem ou mal passada? - Disse Kaneki enquanto acendia o maçarico com um fósforo.

Ela respondeu rapidamente, demonstrando a sua impaciência com toda aquela situação. 

 -Não precisa passar, não precisa temperar, só coloque na minha frente, eu não sou o Tsukiyama - Disse enquanto se levantava e ia em direção ao garoto amarrado, a saliva escorria dos seus lábios e seus olhos ansiavam pela carnificina.

Kaneki ficou preocupado achando que a ghoul mataria Shinji. 

- Rize…o que você vai fazer? - Disse enquanto se aproximava.

A ghoul deu um leve sorriso em direção a Kaneki. 

-Eu  entendo porque você não o mata logo, mas já que você quer assim…procure uma coisa para estancar o sangue, eu preciso de um lanche-

A ghoul então levantou um dos braços e o usou como se fosse uma espada amputando o braço direito de Shinji, seu grito reverberou pelo cômodo .

Kaneki rapidamente correu até as gavetas que havia embaixo da chapa e procurou loucamente por algo para estancar o sangue, então ele olhou para o maçarico e teve uma ideia, ele se aproximou do garoto, calibrou a temperatura da chama em dois mil graus e começou a queimar o coto do braço de Shinji que logo desmaia devido a dor de ter um membro amputado e o fogo que veio depois.

O cheiro de carne queimada encheu o lugar, logo depois o ferimento estava totalmente cauterizado, impossibilitando a saída do sangue, Rize observou a tudo enquanto devorava o braço arrancado que fora reduzido a um esqueleto com pedaços de carne grudados.

Kaneki deu vários tapas na rosto de Shinji para que ele despertasse, seus olhos se abriram lentamente e depois se arregalaram quando a dor e o estresse infringidos em seu corpo foram sentidos, ele então se pôs a gritar e se balançar nas amarras, com o tempo suas cordas vocais já não respondiam mais e só o que foi ouvido foram ruídos longos e agonizantes , Kaneki percebeu que o garoto não aguentaria por mais tempo então ele resolveu terminar com chave de ouro.

Ele pegou a faca novamente e foi até Rize. 

 - Olha, vou acabar com o seu tédio , vamos fazer uma brincadeira agora, venha comigo - Disse enquanto oferecia sua mão a ghoul que aceitou o convite e se levantou.

Quando chegaram perto do garoto amarrado a ghoul perguntou. 

 -Que brincadeira é essa ? - Disse a ghoul cheia de expectativa.

Kaneki então sorriu e disse- Bom…não  é bem uma brincadeira,  é mais como o banquete que você tanto queria, a partir de agora eu farei o que você quiser que eu faça…com o nosso amigo Shinji aqui- A ghoul abriu um grande sorriso.

Os próximos vinte minutos foram os piores da vida de Shinji que nem podia implorar pela morte devido a sua voz debilitada, naquele momento ele orava para todos os deus de que já tinha ouvido falar, ele queria que aquela dor acabasse...ele queria a morte.

-Corte as orelhas…-

-Agora corte o nariz…-

-Remova os músculos das coxas…-

-Corte os mamilos dele…-

-As unhas, arranque-as, e depois os dedos…

-Remova os músculos do braço…

-Corte a cabeça dele…

(... … … … … … … … )

Aquilo durou muito além da morte de Shinji, Rize devorou quase todas as partes que foram cortadas, no final só os pés de Shinji ainda estavam pendurados e no chão uma poça enorme de ossos, sangue e partes que Rize não quis estavam amontoados.

Kaneki pegou a cabeça meio devorada e disse -Agora sim… estamos Kits-  Ele não conseguiu segurar o riso e caiu em gargalhadas.

Logo depois os dois se limparam, na medida do possível, voltaram a pôr suas máscaras e se dirigiram para o seu local privilegiado acima da arquibancada, o show já havia acabado e os humanos mortos durante o espetáculo doentio estavam sendo servidos a todos os presentes, Tsukiyama apareceu logo em seguida no local onde o casal estava, suas roupas estavam sujas de sangue em alguns pontos e ele usava um guardanapo para limpar o sangue ao redor de sua boca.

-E então, o que acharam do meu estabelecimento? - Disse com expectativa na voz. -

-Eu adorei, consegui fazer uma coisa que eu queria a muito tempo…- Disse Kaneki sorridente, Tsukiyama deu um rápido sorriso para ele e depois olhou para Rize.

- Foi uma experiência totalmente nova para mim, você está de parabéns- Disse a ghoul.

O sorriso de Shuu brilhou mais do que os holofotes do local.

-Estou honrado com suas palavras, sabe…trazer você aqui se tornou um desafio pessoal meu,  e saber que você se divertiu, pra mim, é  como…um vislumbre do sabor perfeito…obrigado- Disse enquanto se curvava perante a ghoul que tentava não rir, afinal ela tinha achado aquilo tudo um tédio total, só a parte da luta que ela nem viu direito e o momento final na cozinha com Kaneki  lhe trouxe alguma diversão.

Shuu se ergueu e disse para que os dois o acompanhassem  até a saída. 

Quando chegaram na entrada da mansão o seu carro estava esperando, Kaneki pegou a chave com o manobrista mas antes de entrarem no carro foram impedidos por Shuu que tinha duas caixinhas de madeira em mãos. 

 - Eu não poderia deixar que os meus convidados partissem sem ao menos uma lembrança do que tiveram aqui- Disse enquanto entregava para Rize uma das caixas, dentro dela havia vários olhos humanos, a ghoul observou por um momento e logo depois deu um risinho.

Shu então se aproximou de Kaneki e lhe entregou sua caixinha, quando o garoto olhou no seu interior seu sorriso se abriu, era a faca que ele havia usado para esfolar e esquartejar Shinji, e ainda havia sangue nela.

-Sabe...eu achei meio estranho, quando vocês expulsaram o chefe que eu mandei...mas...depois de ver o que fizeram com o garoto...eu achei que iria querer ficar com isso- Disse enquanto sorria para Kaneki.

- Muito obrigado...esse é sem dúvida nenhuma um ótimo presente- Seu sorriso ainda se mantinha, sustentado pelas lembranças recém adquiridas naquela cozinha.

… … … … …

O motor do carro rugia nas ruas noturnas de Tokyo, o som estava no máximo com a música R U Mine,  só as luzes dos faróis podiam ser vistas,  de repente uma pergunta veio a mente de Kaneki que abaixou o volume do som.

Ele olhou para a ghoul e perguntou. 

- Ei amor, você gostou mesmo daquele lugar? - Disse Kaneki. 

A ghoul riu um pouco e respondeu. 

- Não, foi um tédio total, a única coisa que me impediu de ir embora mais cedo foi o cara amarrado, ele sim foi o grande entretenimento da noite, apesar de que o presente foi legal - Disse a ghoul enquanto levava um olho a boca, o som daquele globo ocular se partindo com um som de "poc"  fez Kaneki sorrir.

-E aquele cara colorido...o que achou dele? -

- Ele me faz rir…toda aquela apresentação quando chegamos…eu tive que me segurar muito para não surtar de tão engraçado -

Kaneki deu um risinho -Sim, parecia até um pav…-

Ele não pode completar a frase pois Noro havia se jogado do prédio em que estava com Ayato e caiu bem em cima do capô  que afundou no asfalto fazendo o carro capotar várias vezes, Rize foi lançada pelo parabrisa pois a mesma não usava o cinto de segurança , já kaneki continuou dentro do que antes foi um belo Nissan GT-R mas agora não passava de uma armadilha de vidro e aço retorcido, vários estilhaços de vidro lhe cortaram e alguns pedaços da ferragem lhe perfuraram o corpo, o mesmo havia desmaiado no impacto inicial.

A ghoul se chocou contra o meio fio mas não perdeu a consciência, toda cena foi registrada por seus olhos, o carro girando no ar e o garoto ao qual ela havia dado o seu amor balançando feito um boneco de testes enquanto seu corpo era cortado e perfurado pelos estilhaços que voavam ali dentro, seus lábios se moveram inconscientemente para formar uma única palavra.

-Não… - Disse enquanto tentava se levantar.

O carro finalmente encontrou o solo e depois de mais três giros parou com as rodas para cima e no meio da rua que felizmente estava deserta devido ao horário e o local , Kaneki não se mexia, o tanque vazava combustível , Rize viu em sua mente o que ocorreria se ela não agisse e em questão de segundos ativou seus olhos e incríveis sete kagunes, foi até os destroços e arrancou a porta, havia um grande pedaço de aço fincado na lateral do peito de Kaneki.

Rize se desesperou ao ver aquilo, ela rapidamente torceu pedaços da chaparia do carro com as próprias mãos enquanto cortava outras partes com suas kagunes, o tempo estava acabando e a poça de gasolina estava chegando perto do painel que soltava várias faíscas, em pouco tempo Kaneki estaria livre ou totalmente carbonizado,Rize não pensou em mais nada, só agarrou o seu corpo e correu usando suas kagunes para se impulsionar e se afastar o máximo possível do carro que explodiu em uma bola de fogo e fumaça iluminando toda a via.

A ghoul levou seu namorado moribundo até um beco deserto e o colocou no chão, seus ferimentos eram em sua maioria leves,  vários cortes rasos por todo corpo, alguns pequenos pedaços de vidro havia se prendido em sua carne, talvez alguns ossos quebrados mas o ferimento do peito era o de maior gravidade, a ghoul tentou fazer uma massagem cardíaca mas o movimento no tórax fez o ferimento esguichar sangue, o desespero só aumentava e junto com ele veio um sentimento de impotência.

Lágrimas quentes saiam de seus olhos negros. 

- Ahh, meu deus…Kaneki, acorda…por favor…não me deixe…não me deixe aqui sozinha…você não pode morrer - 

Suas lágrimas pingavam sobre rosto de Kaneki que mal respirava. 

- Você lembra o que me disse…não lembra? Eu quero construir um futuro para nós …eu preciso de você…sem você ao meu lado…nada disso vale a pena…- Disse enquanto tentava conter a tremedeira em suas mãos. 

-  Por favor…se você morrer…nada disso valerá a pena para mim também - Disse a ghoul em prantos, quando de repente uma voz se fez ouvir na escuridão.

Alguém estava oculto nas trevas e sua voz era carregada de ódio. 

 - Você não pode fazer nada por ele Rize, nada, a morte virá pegá-lo logo - Disse Ayato enquanto saia das sombras junto com Noro e um monte de outros ghouls. Rize ficou paralisada por um momento, seus olhos vagavam de máscara em máscara.

-Seu maldito…foi você …você fez isso com ele…EU VOU TE MATAR!!! - Gritou apontando para Noro que já dava alguns passos para frente até que a mão de Ayato em seu ombro o fez parar. 

 - Deixa comigo, fique para trás - Disse enquanto lançava um olhar ameaçador para o ghoul maior que logo recuou, não por medo e muito menos por respeito, o motivo de ele ter desistido de lutar com Rize foi que um celular em sua cintura tocou, o mesmo então deu uma breve olhada na tela e rapidamente desapareceu em meio aos edifícios.

A expressão raivosa  de Rize se intensificou. 

- Para onde acha que vai seu miserável ? - Disse enquanto tencionava suas pernas para pular e seguir Noro mas logo desistiu,  ela não poderia deixar Kaneki ali sozinho então retornou para perto dele e se posicionou entre o grupo de ghoul a sua frente e seu amado.

Ayato deu um suspiro e voltou sua atenção a ghoul que havia dado um beijo na testa ensanguentada de Kaneki e se levantado com a mais pura e genuína fúria estampada em seu rosto, as lágrimas ainda escorriam dos seus olhos,  suas sete kagunes tremiam juntamente com suas mãos. 

 - AYATO!!! SEU DESGRAÇADO, EU VOU ESTRAÇALHAR VOCÊ, TODOS VOCÊS, ELE NÃO TINHA NADA A VER…-Gritou apontando para os inimigos à sua frente e depois para Kaneki que permanecia imóvel.

-Ele estava com você Rize...ele tem tudo a ver, e além do mais, se você tivesse vindo logo quando eu te chamei isso não teria acontecido, você deveria saber que não conseguiria fugir para sempre, não de pessoas como nós- Disse Ayato com um olhar de raiva direcionado ao garoto, apesar da expressão  em seu rosto o mesmo estava bastante surpreso com o que viu, Rize, a única garota que já havia lhe chamado atenção estava se desmanchando em lágrimas por um humano, um fraco e patético humano. 

Por um momento ele achou que a Rize de antes tinha desaparecido. “Será que ela amoleceu…?” Pensou, porém bastou um vislumbre daqueles olhos negros para ele perceber que ela havia ficado muito pior.

Seus olhos, apesar das lágrimas, eram frios como um cadáver de alguém que morreu afogado, sua voz foi um sussurro, só Ayato estava próximo o suficiente para ouvir mas o timbre dessa voz foi suficiente para causar calafrios até em seus subordinados mais afastados, ele só havia sentido um medo assim na presença de uma pessoa, Eto. 

 - Todos vocês vão morrer aqui… - Disse enquanto lançava suas kagunes em direção aos ghouls em sua frente.

Ayato se valeu de sua velocidade e se esquivou por pouco daqueles golpes, porém , alguns dos seus subordinados não foram rápidos o suficiente, seus corpos foram esquartejados quase que instantaneamente no mar de kagunes de Rize, todos que foram atingidos morreram no ato, somente Ayato e mais três ghouls se mantinham de pé.

-Droga, droga, droga,  que porra é ess…-Disse um dos sobreviventes antes de Rize, como um raio,aparecer na sua frente e lhe decapitar com as próprias mãos em um movimento de tesoura,  Ayato usou sua kagune em forma de asa para disparar vários cristais em Rize porém a mesma já havia desaparecido novamente e os projéteis só perfuraram a carne de seus companheiros mortos.

De repente um calafrio subiu por sua espinha e ele tentou se virar mas foi muito lento.

Rize fincou todas as suas kagunes no chão como forma de apoio e deu um chute com toda a sua força  em Ayato que colocou sua kagune na frente para se defender, a mesma foi despedaçada no impacto e o ghoul saiu voando até se chocar contra uma parede, seu braço esquerdo foi amputado e um buraco enorme foi feito em seu peito expondo seus órgãos, não houve gritos pois o ghoul havia desmaiado com a cabeça dentro do concreto.

Rize não enxergava mais nada, ela só queria matar a todos, de repente seus olhos se fixaram nos dois membros restantes do grupo de Ayato que logo tentaram fugir . 

Eles não correram muito pois a ghoul enlouquecida os alcançou e arrancou as suas pernas com uma passada de seus tentáculos rubros.

-AHHHHGGGG…ESP…ESPERA, ESPERA...NÃO NOS MATE, SÓ ESTÁVAMOS SEGUINDO ORDENS - Suplicaram os ghouls agora aleijados.

O rosto de Rize não se abalou e a mesma se abaixou próxima a eles e disse. 

- Eu ordeno que morram… - Suas kagunes cortaram os inimigos em vários e pequenos pedaços, um verdadeiro patê de ghoul, finalmente todos estavam mortos, toda a ação de Rize em modo berserker durou menos de um minuto.

Ela então ficou ali respirando rápido e tentando conter as lágrimas que nunca haviam parado de cair.

Ayato estava totalmente debilitado mas não morto, sem um braço, com um buraco enorme na lateral do tórax e vários ossos quebrados sua dor era enorme mas seu desejo de viver o fez se mover lentamente até que ele conseguiu sair do buraco, aquela foi a mais rápida e  também a pior surra que ele já havia levado, ele não percebeu mas estava a nove metros do chão e a queda fez suas dores se  tornarem insuportáveis e logo sua mente desligou.

Próximo a ghoul que chorava descontroladamente em cima dos corpos dos inimigos mortos e próximo a Ayato que ainda se mantinha desmaiado devido aos severos ferimentos em seu corpo havia um garoto deitado de barriga para cima com vários estilhaços de vidro e uma grande tira de aço fixada em seu peito.

Kaneki abriu lentamente seus olhos que não conseguiam focar em nada, no céu a lua era apenas uma mancha branca, seu braço que não estava quebrado se ergueu e tentava pegar alguma coisa que não estava ali, seus lábios rachados e ensanguentados se moviam lentamente e palavras quase imperceptíveis saiam.

-... … … Rize… … … -

            FIM…



 


Notas Finais


Então amigos, o que aprendemos hoje?
1°- Nunca faça bullying com os seus coleguinhas o você pode acabar amarrado e torturado como o Shinji.
2°- Nunca torture o amiguinho ou você vai acabar empalado como o Kaneki.
3°- Nunca pise no calo da Rize ou você vai acabar tão ferrado quanto o Ayato ficou (Bom...pelo menos ele ainda esta vivo...) ,de qualquer forma...não mecha com a namorada da Rize ou ela te ferra.
4°- Se você não tiver um corpo resistente como o da Rize e estiver em um carro com um maluco tirado a Paul Walker no volante, USE O SINTO DE SEGURANÇA!!!.
É isso, aos que chegaram ate aqui, muito obrigado.
Comentem por favor, eu sempre respondo :-).


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...