História Humans. Interativa - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yuma Mukami
Tags Interativa
Visualizações 17
Palavras 1.190
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, eu sei que eu demorei, e peço desculpas por isso. De uns dias para cá, eu venho pensado seriamente em deletar os capítulos de apresentação, para começar logo a história, mas eu também pensava seriamente em colocar as histórias dos personagens em capítulos extras, deixando os que eu já escrevi, e começando a história. Mas eu realmente não sei como eu poderia fazer, excluir os capítulos de apresentação, colocar capítulos de apresentação como extras num futuro, ou continuar da maneira que estava.
Eu sei que não deveria botar culpa nas coisas, mas em minha opinião, fazer capítulos de apresentação é mais difícil do que capítulos normais.

Capítulo 5 - Hinata Koyama


Fanfic / Fanfiction Humans. Interativa - Capítulo 5 - Hinata Koyama

"A desobediência, para quem conhece a história, é a virtude específica do homem. É pela desobediência que ele progrediu - pela desobediência e pela revolta."

Essa frase é uma verdade que ate mesmo historiadores usariam. A desobediência é a chave para várias coisas, mas raramente ela trás a uma felicidade imediata, ou a algo bom. As revoltas, poderiam ter trago o melhor por algum tempo, mas antes disso, algo ruim acontecia, como a morte de vários revoltos. Talvez isso se encaixe em nosso personagem de hoje.

Desobediência, revolta ou delinquência, a Senhora Koyama não saberia responder, o que seu "filho" era. Hinata Koyama é um simples jovens com tendencia a detetive, e com uma paciência relativamente minuscula. Ele é possuidor de diversos apelidos, mas definitivamente a poucos que o garoto gosta. Ele também é conhecido como Gekido-kun, Kido, Bishojo e Holmes, mas um concelho, nunca o chame de Bishojo. Ele possuí 16 anos, em Tóquio, no dia 11 de julho. Hinata é um garoto, mas sua mãe, apaixonada pelo nome "Hinata", acabou colocando este nome. Ele é filho de uma atriz e um dentista, Koyama Junko e Koyama Shuichi.

Hinata, por fora, é claramente um garoto como qualquer outro, não há absolutamente nada de especial nele. Não é como se você fosse passar perto dele e estranhá-lo, nada disso. É um menino comum, nem tem uma beleza excepcional, não que ele seja feio, porque isso ele não é. Não parece um anjo, nem um demônio, apenas um mero humano que você encontra pelas ruas da cidade. Os cabelos de Hinata são castanhos claros, que nunca aparentam estar arrumados. O mais arrumado possível, é como é visível nas imagens. Não tem como deixar mais arrumadinho que isso, e se tiver uma maneira, o menino desconhece. Eles são lisos e são curtos, que para a sorte dele, não dão lá muito trabalho. Obviamente, ele cuida deles, só que fazendo apenas o essencial, como lavá-los no banho e penteá-los, sem perfuminho, sem acessórios, sem trabalho extra. Os olhos de Hinata são verdes, em um tom fosco. É possível ver isto com mais clareza em lugares claros, porque em lugares mais escuros, eles parecem ser castanhos. O menino já está acostumado com pessoas errando a cor deles, e nem se importa com isso, apenas corrige dizendo a verdadeira cor de suas orbes. E só faz a correção por não suportar ouvir coisas erradas, senão, nem perderia seu tempo corrigindo, já que nada mudaria em sua vida. Hinata possui um rosto parecido com um oval, no entanto, ao invés de ele afunilar perfeitamente, existe uma “linha reta” [não literalmente, por isso entre aspas] que marca o “fim” das bochechas e o “início” do queixo. Cravos, espinhas, etc. são dificilmente encontrados por conta de sua intolerância à lactose o que deixa seu rosto liso sem qualquer uso de produto. Hinata tem 1,62 de altura, e se auto-considera baixinho, ver muitas pessoas de sua idade mais altas que ele o deixam revoltado, e quando o contrário acontece, ou seja, uma pessoa de sua idade ou mais velha ser menor que ele, obviamente surge um pequeno ânimo dentro de si.

"Mesmo contra mim, veja só, o tempo
Continua a correr me deixando para trás enquanto
Giro sem parar, minha alma se esvaindo
Lentamente até que eu não mais perceba"

Antes de falar sobre Hinata, vamos falar sobre sua mãe, Junko Koyama. Junko é uma atriz muito famosa, que era apaixonada por seu amigo de infância, Suichi. Na infância, eles acabaram se separando, mas graças ao destino, seus caminhos se cruzaram novamente. Suichi acabou se apaixonando por Junko, que ainda nutria o amor que tinha na infância. Não demorou muito para eles começaram a namorarem, e Junko começar a planejar o futuro. Infelizmente, todos os seus planos envolviam uma filha garota, não um garoto.

Junko não gostava de Hinata, antes mesmo do garoto nascer. Ela fez de tudo para convencer seu marido a deixa-la abortar, mas no final, não conseguiu convence-lo, mas deixou bem claro que o nome do menino seria Hinata, e Suichi acabou aceitando, temendo que talvez Junko fizesse algo preocupante e ruim para a saúde do bebê. Quando ele nasceu, Junko cuidou muito bem dele, junto com o marido. Porém, o desejo de ter uma filha não sumiu, e após muitos pedidos, Shuichi concordou em tentar mais uma vez.

"Tento me mover, mas as sombras não me deixam
Minha mente escorre sem volta aos confins do tempo
Não consigo ver, ou sentir, o mundo ao meu redor
Se esvaiu, me restou vazio"

Junko quase explodiu de tanta felicidade. Finalmente teria uma filha mulher, e não um homem, mas ela continuou cuidando de Hinata, ate o nascimento de sua amada filha, que chamou de Keiko. Junko, de alguma forma, agiu como se o garoto nem existisse, não o dando mais atenção, e dando todo o seu tempo para Keiko. Suichi, inconformado com a esposa, começou a dedicar seu tempo para o garoto, cuidando dele com um pouco mais de esforço e dedicação. Sempre que podia, Junko achava um meio de dar bronca ao pobre jovem.

Suichi, não aguentando mais conviver com Junko, divorciou-se dela, imaginando que talvez a mulher desse mais valor ao menino, mas ela não melhorou, ela piorou. Hinata não tinha o suporte de alguém, e os maltrato da mãe pioraram, o desprezo que ela sentia pelo garoto era mais do que visível, igual o amor que sentia por Keiko. As ações de Junko fizeram uma fúria indomável surgir dentro dele.

"Será que dormi? Talvez um sonho ruim?
As palavras que emiti não importam para mim
Eu não quero mais sentir, não quero me entristecer
Se eu deixo de sorrir, talvez pare de sofrer"

Hinata e Keiko cresceram como qualquer criança. E Keiko, enquanto crescia, via que as ações de sua mãe não eram nada aceitáveis, e por isso, discordava completamente dela, então, começou a ajudar e confortar Hinata, que a cada dia, ficava com mais fúria. Ele sabia que nada mudaria se continuasse obedecendo aquela mulher, ou sendo confortado pela sua maravilhosa irmã, e por isso, começou a se rebelar contra Junko. Ele quebrou xícaras, destruiu quadros, queimou comidas, rasgou lençóis, mas tudo apenas enfurecia Junko, e colocava um pouco de medo em Keiko.

"Mesmo se você tentar alcançar meu coração
Tão perdido que ele está, não lhe dará atenção
Se realmente me mover, todo o mundo mudará
Pois as cores vão ceder, tudo em preto tornará"

Junko talvez começou a temer Hinata, ela talvez imaginou que Keiko estava em perigo com alguém tão explosivo por perto, e então ameaçou à mandar Hinata para Ex-Humanos, e queria deixar isso bem claro para ele, tanto que ate mesmo jogou folhas de inscrição no garoto. Entretanto, Hinata não temia a mãe e nem acreditava nela, porque ela já havia dito que o largaria no lixão, mas nunca largou. Disse também que queimaria todas as roupas do garoto no inverno para fazê-lo passar frio, mas nunca queimou. Para ele, a mulher era um cachorro que latia porém não mordia.

Mas ao que tudo indicava, Junko tinha um limite, e Hinata havia brincado de mais com sua paciência.


Notas Finais


Música: Bad Apple


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...