História Hundred - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Red Velvet
Personagens Personagens Originais, Seulgi, Wendy, Yeri
Tags Femmeslash, Flower, Fluff, Fluffy, Girl, Girlgroup, Hundred, Irene, Myegli, Red Velvet, Seuldy, Seulgi, Seunghwan, Waff, Waffy, Wendy, Yuri
Exibições 63
Palavras 1.900
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, FemmeSlash, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!!! Está aqui o capítulo final de Hundred, ele ia sair ontem, mas acho que minha cabeça explodiria se não postasse a Joyri que escrevi logo, é uma twoshot inspirada em café com o mesmo nome da bebida, nas notas finais eu deixo o link se alguém se interessar.

Amei escrever essa história, apesar de tão simples, viver a paixão que a Seulgi sente pela Seunghwan <333 Espero que gostem desse final, porque eu achei uma gracinha!!!

Capítulo 6 - H U N D R E D


Na medida que os dias passaram, minha disposição em cuidar de Seunghwan jamais parou. Se não é fácil para mim ver ela triste e não poder fazer nada para acabar com aquela tristeza, imagina como ela deve se sentir, sem os pais.

Donghyuk matou não só os pais dele como também os de Seunghwan e ele mesmo logo depois, Dongkyuk mais que todo mundo foi completamente estragado com tudo o que faziam, o deixando completamente louco. Também estragou Seunghwan completamente, como uma sombra grudada nela, e eu tive que arrancar essa sombra aos poucos.

Meses depois, ela ainda leva um pedaço dessa sombra e eu vejo no fundo de seus olhos que o que ela mais precisa é de carinho, ela precisa de mim, Seunghwan precisa de abraços, sorrisos, dormir do meu lado, passear numa praia e ver o pôr do sol. Eu nunca deixaria ela sozinha.

Uma coisa tremendamente irritante foi todo o dinheiro dos pais dela, Seunghwan tinha esse dever de herdar e dar continuidade a tudo, mas ela foi bem breve e simples sobre essa riqueza, a grande culpada de todas as coisas ruins.

— Vou doar o necessário para sobrar e eu usar até eu terminar um curso e arranjar um emprego, não quero isso. — disse firmemente.

— Tudo bem, vamos pra casa? Você disse que queria mudar o visual, Yerim ta esperando lá.

Levantamos da mesa e saímos do restaurante mais cedo. Os raios do fim de tarde acertavam o rosto pálido de Seunghwan, ela sempre foi tão linda e continua assim mesmo com a expressão vagante. Ela olhou pra mim e sorriu, me fazendo pegar a sua mão e fazer um carinho até chegar em casa.

Superando aquilo tudo é a prova de que nos gostamos de verdade, no começo ela queria me distanciar dizendo que eu não gostaria de vê-la triste todos os dias e seria cansativo. Eu respondi que ela não ficaria triste todos os dias, se dependesse de mim, Seunghwan não choraria nunca mais. Mas antes, é óbvio que não da pra segurar as lágrimas, por esse motivo eu fui seu colo e aconchego por muitas horas.

Não sabia até quando ela choraria todas as noites com saudades dos pais, e culpando a si mesma por não insistir em morar com eles antes. Seunghwan jamais teve culpa de nada, eu diria isso mil vezes se possível.

Meu pai preparava um lanche porque já sabia que Seunghwan e Yerim estariam lá, essa última já estava sentada no sofá com um pacote de salgados gigantesco.

— Seunghwan! Seulgi! — levantou e correu nos abraçando.

— Hoje tem chocolate quente, não é bom? — papai mostrou a calda marrom do doce com um sorriso.

Yerim estava super ansiosa para pintar o cabelo de Seunghwan, e ela foi tão indecisa que trouxe cinco cores pra escolhermos juntas qual cairia melhor. Aquela ideia de pintar o cabelo em casa me pareceu ruim pela possibilidade dela estragar o cabelo da minha Seunghwan, e sim, ela era absolutamente louca aquele ponto.

Pensando assim, fiquei completamente surpresa com o resultado depois da bagunça toda que ficou o quarto e o banheiro, eu só pude ver depois que Yerim secou ele e fez o penteado. Agora o cabelo de Seunghwan estava um vermelho macio e bonito.

Como mágica, aquela tinta pintou seus fios e também a expressão sorridente em seu rosto, como se Yerim fosse alguma fada madrinha com uma vara de condão e ela a princesa.

— Você sempre fica mais linda do que já é. — beijei sua bochecha passando a mão delicadamente em seu cabelo.

— Deveríamos pintar o seu agora? — Seunghwan sugeriu olhando para Yerim.

— Não! Eu estou bem com meu cabelo natural. — recusei fazendo um bico.

— Já enjoei dessa cor morta, pelo menos de preto, não quer? — Yerim mostrou a caixa da tinta escura.

— Esqueça, Yerim.

Seunghwan desmanchou-se em risadas e passamos o resto da noite em cima daquela bagunça toda, dormi no meio das duas, mas abraçada em Seunghwan, trocando beijos silenciosos enquanto Yerim babava no outro lado do colchão.

                      °•°•° 100 °•°•°

Como Seunghwan estava praticamente morando comigo, Hyungwon aceitou que ela trabalhasse no restaurante por causa do grande movimento e poupasse preocupação em Minah, que achava que o restaurante estava uma bagunça enquanto cuidava da pequena Seulgi.

— Está cansada? — questionei voltando ao balcão depois de servir.

— Estou disposta pra beijar você. — disse baixinho e rápido no meu ouvido.

Acabei rindo com o que ela disse, sentindo o rosto quente e saindo para continuar o trabalho, ela ainda queria me deixar mais envergonhada apontando para minhas bochechas e dizendo que estavam vermelhas.

Como é possível me deixar sempre tão afetada de um jeito bom?

Marcamos de ouvir música a noite toda, e acabamos conversando bem mais sobre coisas que pretendíamos fazer, como uma brincadeira de desenhar o futuro na areia da praia.

— Tem tantas coisas que quero fazer... — Seunghwan disse olhando para o teto.

Nossas mãos estavam entrelaçadas, a caixa de chocolates já tinha acabado e no fundo eu previa uma dor de barriga mais tarde.

— Acho que você seria uma ótima professora.

— Tem certeza Seulgi? Eu me imagino sendo professora de crianças, mas de adolescentes... eles são tão complicados.

— Faça um curso de pedagogia então.

— Mas e você, já descobriu o talento que tem, não é óbvio o curso que deseja fazer? —  virou-se para mim.

— Tem vários cursos onde posso me sair bem, mas não sei qual, então... que tal decidimos isso até o fim do ano e começamos a nos preparar?

— Você parecia tão insegura com isso...

É verdade, sempre neguei o óbvio, se o meu talento e o meu prazer era desenhar, eu faria mais arte e viveria disso. Diferente de Seunghwan, desde muito tempo nunca me senti presa ou incapaz de fazer o que posso por causa das pessoas, seria desperdício enrolar na indecisão.

— Você me ensinou a aproveitar a liberdade, agora somos todas livres apesar de tudo, pode-se dizer assim.

Deitamos uma de frente para outra, e logo um pensamento invadiu sem pressa minha cabeça.

Eu amo Son Seunghwan.

O medo, ele não tinha tamanho, eu sentia tanto medo de perder aquela pessoa maravilhosa e linda que a maior injustiça do universo seria nunca mais ver seu sorriso ou não ter seus beijos só para mim.

— Seunghwan.

— Sim?

— Eu te amo. Vamos sempre ficar juntas e aproveitar a vida, sim? Você é parte da minha vida e talvez seja ela inteiramente. Prometo cuidar até a velhice de você.

Quase me arrependi de ter dito aquilo quando vi a lágrima escorrendo de um de seus olhos, me deixando preocupada a ponto dela secar rápido.

— Eu também te amo muito, estou chorando de felicidade, não se preocupe.

Rimos e começamos um beijo doce, que só eu sabia o sabor, não tinha como explicar e nem porquê fazer isso com seus lábios me tomando a mente, fazendo meu corpo reagir mergulhando em puro aconchego. Os dedos finos segurando minha cintura e puxando pra perto, deixando tudo mais intenso, me bagunçando toda numa caixa de sensações.

Serei grata até o fim dos dias por seguir Seunghwan acidentalmente, por ver suas cem fotos, receber cem beijos depois de cem abraços, superando centenas de gotas de lágrimas com cem risadas altas e gostosas.

— Seulgi... Ainda bem que nos conhecemos, não sei como eu estaria agora sem você.

— Ainda bem que eu vi suas fotos e me apaixonei a primeira vista duas vezes, você é irresistível, super encantadora.

                  °•°•° 100 °•°•°

Semanas depois, montei um plano quase impossível para qualquer um, menos para mim, esse plano tinha o objetivo de impressionar Seunghwan e deixá-la ainda mais feliz. Para isso eu precisei levantar todas as noites com o máximo de cuidado pra não acordar ela e fazer tudo na sala.

Se ela acordasse no meio da noite eu ouviria a tempo de fingir estar sem sono e assistindo algum filme, mas com o sono pesado de Seunghwan, consegui fazer tudo perfeitamente, guardando tudo bem direitinho. Podia até parecer algo bobo e simples, mas simbolizava a nossa história, então era demasiado importante.

Decidi mostrar tudo apenas no natal, e lá estávamos, Hyungwon, Minah, a pequena Seulgi, Yerim e sua mãe, papai, e a mais importante e radiante, Seunghwan, com um vestido vermelho ela parecia a bonequinha mais linda de todas. O melhor natal que passamos, escolhemos o jardim da sra. Kim porque era enorme e tinha tudo o que precisávamos.

Quando todos terminaram de jantar, Yerim ficou com a pequena Seulgi porque ela estava sonolenta, eu e Seunghwan saímos silenciosamente para uma parte da sala onde ninguém estava nos vendo e trocamos beijos tímidos, ela dizia que sentia saudades quando lembrava dos pais nos natais que viveu na infância, mas que se sentia completa de certa forma quando estava do meu lado.

Aquele era o significado de liberdade para nós duas, estar sempre juntas, nem eu nem Seunghwan queríamos aprender a ser livres uma longe da outra, porque estávamos apaixonadas demais para isso.

Chegando em casa, logo coloquei a mão em seus ombros para relaxar com uma massagem, papai me piscou o olho e foi para o quarto dele, estava na hora.

Eu e ele combinamos de deixar tudo preparado, e quando eu e Seunghwan fomos na frente, ele ficou com a tarefa de terminar o quarto.

Meu coração batia como se quizesse desgrudar de mim, Seunghwan abriu a porta, as luzes coloridas piscando lhe fizeram abrir mais os olhos e sorrir, olhando a decoração e as fotos nas paredes.

— Seulgi! Você é a melhor pessoa do mundo! — selou minhas bochechas e minha testa contente.

Todas as cem fotos que me fizeram descobrir seu rosto e sorrisos estavam penduradas nas paredes, a diferença era que eu tinha as desenhado, todas cópias, com um toque de amor e carinho, sem deixar nenhum detalhe passar.

— Eu pensei que você e... nossa história também merece algo assim, foi por causa dessas cem fotos que encontrei o amor da minha vida. Son Seunghwan, eu te amo muito, quer namorar comigo? — puxei a caixinha vermelha da mesa e abri.

A esse ponto Seunghwan já estava emocionada para cair em lágrimas, contudo se segurava firmemente para deixar só o sorriso enorme à mostra e apreciar os dois pingentes com delicados corações em prata. Eu sabia que ela gostava de prata mais que ouro.

— Já estamos namorando, não precisa disso tudo, Seulgi... Mas obrigado, eu te amo muito também. V-Você fez todo esse trabalho para me pedir em namoro oficialmente, isso é tão lindo!! 

— Isso é um sim?

— Sim sim sim!!! Cem vezes sim!!

Com cuidado e me sentindo a pessoa mais completa do universo, meu lugar era do lado de uma das estrelas mais bonitas, Seunghwan. Coloquei seu pingente e beijei seus lábios. Ela fez o mesmo quase se atrapalhando em por o meu, a noite terminou com nós duas abraçadas e as luzes coloridas ainda acesas. As estrelas lá fora brilhavam muito mais naquele dia.

Ainda viriam centenas de coisas boas na nossa vida, completamente recheadas de amor e paz.

Jamais fomos tão completas.




             •°•°• FIM •°•°•


Notas Finais


Como é uma fluffy, eu acho que seria injusto que ela terminasse de verdade nesse capítulo, por esse motivo, eu prometo capítulos extras. Não sei bem pra quando, mas prometo que não demora muito.

A Joyri: https://spiritfanfics.com/historia/coffee-7145556

meu user no twitter é @myegli


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...