História Hunt - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias DAY6
Personagens Dowoon, Jae, Sungjin, Wonpil, Young K
Visualizações 16
Palavras 831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Colegial, Comédia, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Sungjin- O Nephillim


Fanfic / Fanfiction Hunt - Capítulo 2 - Sungjin- O Nephillim

­­­­­­­­­­­­­Sungjin- O Nephillim

 

“...que minha solidão me sirva de companhia

Que eu tenha coragem de me enfrentar

Que eu saiba ficar com o nada

E mesmo assim me sentir como se estivesse pleno de tudo.

­–Clarice Lispector”

 

Passar por todos aqueles galhos grossos e ásperos definitivamente tinha arrancado uma porção de penas de minhas asas, se eu não tivesse a certeza de que elas já estavam se regenerando teria me arrependido de ter escolhido esse ponto para descer.

O vôo tinha sido bem tranqüilo, sem muitos pássaros ou outros nephillins, só eu e mais uns dois, mas eles não desceram comigo, escolheram fazer a aterrissagem alguns pontos atrás, em uma clareira. Eu e a minha falta de noção decidimos descer mais próximo da escola, mesmo que isso implicasse ter que descer em meio às árvores (o que, de fato, acontecera). A única coisa com que eu não contava era a chance de ter praticamente matado um garoto que estava parado bem no lugar onde os galhos despencaram, ele só não morreu porque aqueles nephillins que eu vira minutos antes tinham corrido para puxá-lo para longe. Graças a Deus! Definitivamente não queria passar mais alguns anos naquele reformatório por matar um outro ser sobrenatural de forma não intencional.

“Pelo amor de Deus, Sungjin!” Jiwon gritou, finalmente soltando o humano de seus braços. “Você podia ter matado ele!”

O humano, que agora eu podia ver não era tão humano assim, respirava em arfadas pesadas, olhando arregalado de mim para os dois Nephillins parados ao seu lado. Parecia não estar entendendo o que estava acontecendo e sua expressão assustada chegava a ser cômica. Aproximei-me, ignorando Jiwon que me fuzilava com o olhar e  Hanbin que parecia estar prestes a arrancar minhas asas com as próprias mãos.

“Oi, eu sou o Sungjin. Desculpa por isso, admito que não foi minha melhor aterrissagem.” Estendi a mão, sorrindo. Qualquer ser sobrenatural era mais do que bem vindo, ainda mais depois de ter passado quase toda a minha vida isolado em uma sociedade que não entendia o que eu era, achando que eu era o único no mundo. A única aberração.

Quando achei que o garoto iria me responder ele abriu a boca e começou a hiperventilar. Levou a mão ao peito, socando-o numa tentativa de amenizar o que quer que estivesse acontecendo com ele. As palavras que saíam de sua boca era desconexas e impossíveis de se entender. Dei mais um passo em sua direção e ele caiu de joelhos no chão, sua cor mudando levemente para uma roxa que definitivamente não era normal.

O QUE É QUE HOUVE COM ELE?” gritei, ajoelhando-me, sem saber o que fazer.

“Acho que ele está apontando para alguma coisa!” Hanbin se manifestou, tão chocado quanto eu.

Segui os movimentos débeis do rapaz até sua mochila e dentro dela até uma outra mini bolsa. Meio tonto, meio consciente ele enfiou a mão na bolsinha e tirou de lá de dentro uma bombinha de ar levando-a imediatamente para a boca. Em algumas sugadas do remédio sua cor começou a voltar ao normal bem como a sua respiração. Troquei olhares com os outros dois rapazes. Não sabíamos como reagir, meu coração estava acelerado e tudo o que eu fazia era olhar aquele menino deitar no chão e olhar para as copas das árvores com as mãos em cima do peito.

“Não se preocupem, está tudo sob controle.” Anunciou, olhando para nós.

“Como assim, tudo sobre controle? O que foi isso?!” Jiwon perguntou, por nós.

O garoto no chão deu uma risadinha, sentando-se e guardando a bolsinha que eu lhe entregara, dentro na mochila.

“Crise de asma.”

“Crise de asma?!” perguntei incrédulo. “Que tipo de bruxo tem asma?”

“Patético, eu sei. Enfim, obrigado por hoje.”

Ficou em pé, bateu nas pernas para tirar a sujeira da terra e começou a caminhar em direção a escola. Depois de alguns passos, porém, parou e virou-se para nós, parecendo estar curioso sobre algo.

“Como você sabe que eu sou bruxo?”

Olhei-o com estranhamento, essa não era uma pergunta que eu esperaria de um ser sobrenatural.

“Pelo seu cheiro...” respondi, hesitante. Não sabia dizer se o garoto estava com algum problema mental visto a falta de oxigenação no cérebro por causa da crise de pouco minutos atrás ou se ele realmente não sabia sobre nós.

“Maneiro... vejo vocês por aí!” acenou, continuando seu caminho como se nada tivesse acontecido.

Virei-me para Jiwon e Hanbin que deram uma risada diante da expressão chocada que eu sustentava em meu rosto. Hanbin enfiou as mãos nos bolsos do moletom enquanto Jiwon veio até mim, passando os braços por cima de meus ombros.

“Vamos, Sungjin. Já dá pra saber que esse ano vai ser um bem divertido. Aquele bruxinho branco é um tanto quanto... peculiar.”

“Alguém pode me explicar o que foi tudo isso? Nunca estive tão confuso em toda a minha vida.” Comentei, seguindo o ritmo dos passos de Jiwon.

“Sei lá, cara.” Hanbin riu pelo nariz, também nos acompanhando. 


Notas Finais


Essas frases que estão iniciando os capítulos são frases que dizem muito a respeito da personalidade de cada personagem...

Beijooo!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...