História Hunter Blood - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 14
Palavras 2.667
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Luta, Mistério, Suspense, Violência
Avisos: Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom, é a minha primeira história, perdoem os erros de ortografia kkkk
Nao sejam maus cmg... bom vejo vcs nas notas finais...

Capítulo 1 - O começo


Fanfic / Fanfiction Hunter Blood - Capítulo 1 - O começo

Bom, meu nome é Liam Griffin Nichols... Sim nome complicado, se preferirem me chamem de Lih. Sou de Long Beach uma cidade da Califórnia, nem parece grande coisa, achava isso também, entretanto muitos acontecimentos me fizeram rever meus conceitos em relação ao lugar onde vivo. Tenho 16 anos, cabelos castanhos cacheados curtos que formavam um topete, olhos cor de âmbar, pele bronzeada, porte físico... acho que estou em forma, não sou nenhum modelo, mas também não sou "feio".

Acordo com minha mãe gritando e me chamando, abro os olhos, mas fico 10 minutos admirando o teto e tomando coragem pra levantar e ir para a escola, mais um dia... Estou exausto, não no meu físico, nem na minha mente, estou cansado da minha rotina, a cada dia que passa me sinto vazio como se algo essencial para mim estivesse faltando.

Levanto antes que minha mãe me chame outra vez, acredito que meu pai ja está no trabalho, ele é um empresário e sinceramente eu não faço a mínima ideia do que pode ser a sua empresa.

Saio do meu quarto e vou até a cozinha onde minha mãe está vejo ela colocando seu café numa garrafa térmica, ela se despede, para mais um dia cheio como coordenadora de uma empresa de tecnologia.

Minha mãe é Katherine Venâncio Griffin Nichols(nome extremamente difícil eu sei), coordenadora de uma grande empresa tecnológica, ela é alta, forte, cabelos castanhos á altura do ombro com luzes loiras, olhos escuros e pele bronzeada igual a minha:

- Bom dia filho, preciso ir, se arruma direitinho... o dinheiro pro seu lanche está em cima da mesa. - Diz minha mãe as pressas indo para seu ofício.

- Okay mãe, brigado - Falo ainda sonolento.

Vou até o banheiro, faço minha higiene matinal, ando até o chuveiro e tomo um banho relaxante... que quase me faz dormir.Saio do banho, me troco com o uniforme da escola, respiro fundo e... Mais um dia...

Eu estudo numa escola particular( não sou mimado!) E todo dia vou de carona com as minhas amigas Peggy e Beatrice (Calma, o pai de Peggy que dirige). Somos um trio inseparável e formamos uma mistura perfeita em quase tudo, nós três somos extrovertidos, cada um com um senso de humor diferente mas que se completam, até nas próprias matérias de escola, eu com humanas, Peggy com biológicas e Beatrice com exatas...Enfim somos três pessoas com muitas divergências que quando se juntam, se tornam perfeitas.

Entro no carro, comprimento minhas amigas e o pai de Peggy e vamos conversando/rindo até o colégio que não era tão longe.

Peggy é linda possui cabelos incrivelmente escuros, pele bem clara, olhos verdes, lábios vermelhos e corpo escultural, não é nem alta nem baixa.

Beatrice não se parece com Peggy, mas não fica atrás, com seus cabelos cheios cacheados castanhos, pele como bronze, olhos escuros e um sorriso encantador, corpo como o de Peggy, porém com uma centímetros a menos (digamos que ela precisa pular bem alto pra subir na calçada)

Depois que chegamos, é claro saímos do carro e vamos em direção ao portão. A escola não era tão grande, tinha muros azuis bem reforçados de 5 metros de altura com câmeras de segurança em vários lugares, tinha uma quadra relativamente grande, havia dois andares, o de cima era para os alunos do ensino médio que estudavam de manhã(meu caso) ou a noite, e o período da tarde era dos alunos do fundamental 1 e 2 que ficavam no primeiro andar.

Entramos na sala, Beatrice fazendo barulho (como sempre), enquanto eu e Peggy discretamen... Droga ela acabou de tropeçar. Bom e lá se vai uma outra chance de sermos notados sutilmente... Comprimentamos todos, apesar de fazer uns 6 meses que estamos na escola, fizemos amizade com a maioria da sala, menos umas carnes de pescoço que se deixasse a gente pegava colocava numa caixa e... JOGAVA NO FUNDO DO TÁRTARO.

Depois de duas aulas o intervalo chega, e eu dou graças a Deus, não aguentava mais Matemática, sem contar que meu professor é uma mistura de muçulmano e latino que até assusta, nada contra os muçulmanos, mas já disse pra Beatrice que se ele falar ALLAH AKBAR e abrir aquela jaqueta de motoqueiro dele eu não deixo nem meu rastro de fumaça... pego a Peggy coloco em cima dos meus ombros(coitada ela correndo é um desastre), puxo Beatrice e a gente chega lá no Mississipi em três passos.

Saímos da sala e vamos em direção a lanchonete da escola, andando sou surpreendido com um soco no braço direito, e já sei quem é que está do meu lado, trata-se do meu melhor amigo Daniel Katsumoto, uma das melhores pessoas que conheci. Daniel é mais baixo que eu (um dos motivos para eu zoá-lo), ele tem traços asiáticos pela sua descendência, o cabelo dele é liso preto curto, ele é estiloso, parece metido mas é muito legal e apesar de não conhece-lo a MUITO tempo, sei que posso confiar nele...

- Eai Liam - diz rindo enquanto passo a mão na área onde um soco foi recém deferido. Sorrio e dou um soco mais forte em seu braço.

- Eai Dan - Continuo sorrindo vitorioso.

- Aí! doeu... Você vai na festa do Denny ? - Fala entusiasmado enquanto andamos atrás de Peggy e Trice para irmos comprar algo.

- Ah não, sem ânimo nenhum para festas hoje... - Falo exasperado

- E quando você está animado pra festas Lih? - Beatrice diz olhando para trás e sorrindo sinico. - Eu e Peggy vamos Daniel - Ela fala pegando seu lanche com Peggy e saindo andando enquanto as duas decidem sobre roupas.

- AAAAAAAHHH VAMOS LIH, É SEXTA! - Daniel diz com cara de cachorrinho pidão

- Okay, okay... eu vou mas se me deixar sozinho lá... Eu ARRANCO O SEU BAÇO - Digo dando outro soco em seu braço

- Ah seu... - Antes que ele revidasse, corro em disparada sem o meu lanche mesmo.

O resto das aulas foram, basicamente, irritantes, quimica, física... Quando ouço o som do sinal indicando o final do período de aula, agradeço a Deus, e voo com meu material pra fora da escola, preciso ir pra casa dormir, vou embora até o ponto de ônibus, sem esperar minhas amigas, elas iriam para o lado oposto pois iriam fazer compras... Principalmente pela festa do Denny hoje a noite.

Chego em casa, almoço o que tinha na geladeira, como fico sozinho em casa, assisto um pouco das minhas séries e caio no sono, acordo e levo um susto pelo horário 18:40, a festa começaria daqui 20 minutos, olho o meu celular vejo várias mensagens, em especial, de Peggy e Beatrice perguntando se eu realmente vou para a festa, e também do Daniel que dizia:

Te busco 18:50, Não se atrase... Mentira você sempre se atrasa.

Logo começo a digitar:

Acordei agora, vou me arrumar, você sabe a senha do portão, fica a vontade, não OUSE tocar em meus doces.

Corro em direção ao banheiro, tomo um banho rápido, meu coração pulsa rápido a casa instante como se a adrenalina do meu corpo estivesse extremamente alta. Ouço o barulho da televisão sendo ligada e logo deduzo que Daniel está aí, coloco uma camiseta lisa branca com gola em V, calça jeans preta um pouco rasgada, meus coturnos pretos, por último minha jaqueta de couro e um colar de prata que meus pais me deram, passo perfume e vou em direção a sala.

Daniel está jogado no sofá, assistindo um filme qualquer e comendo... meus doces que estavam guardados (Mas que PILANTRA, mexeu nas minhas coisas) chego de fininho, vou atrás do sofá:

-QUE FEIO HEIN!!- grito e em seguida começo a gargalhar pelo tombo que ele ganha caindo.

- A SEU SEM GRAÇA!- Ele diz se recompondo - Vamos lerdeza ?

- Vamos!

Quando ele se levanta, ando junto com ele em direção a porta, mando uma mensagem para minha mãe dizendo que chegaria tarde em casa.

Daniel estava com um nike branca com detalhes em azul, calças jeans skinny preta mas sem rasgos, uma camiseta lisa vinho, e uma blusa da Bulls.

Coloco o alarme de casa e vou em direção ao carro de Daniel, uma BMW branca.

Daniel tem um pai empresário igual eu, a diferença é que meu pai acha que eu sou muito impulsivo pra ter um carro agora, apesar de ter carteira.

Passamos o caminho inteiro conversando/brigando/rindo sobre uma discussão tola onde vemos se o Batman é realmente necessário... Ele ficou nervosinho.

Quando chegamos, vejo a grande mansão de Denny, pilastras de gesso e mármore dão um ar de beleza antiga grega, saímos do carro e vamos para a entrada, á música já está num nível absurdo de altura, pessoas dançam e riem pelo efeito das bebidas. Olho para o lado e nossa! Cadê Daniel? Com certeza evaporou... Como sempre... Ando na casa e encontro Beatrice e Peggy conversando, as duas estavam lindas Peg estava com um vestido vermelho curto e salto alto, Trice estava com um vestido azul curto também é salto alto(nem combinaram).

Bom a festa, continua rolando danço um pouco com minhas amigas... Se eu bebi ? Não, não bebo e nem quero. Era 23:56 e eu já queria ir pra casa, aviso Peggy e Beatrice e vou á procura do Dan que me levaria pra casa, procuro no primeiro andar e não o encontro, piscina e nada dele, salão, Jardim, a única opção que me resta é ir no segundo andar, subo as escadas e sinto a pressão baixar, meu corpo esfria, e sinto um frio terrível, desço de novo. Ouço uma voz estranha em minha cabeça repetindo sempre...Prepare-se! Prepare-se!

Coloco as mãos em minha cabeça, tento ver onde está Peggy, Beatrice e Daniel para me ajudarem...

Foi tudo tão rápido... tão esquisito... se eu soubesse o que aconteceria naquela festa, nunca teria entrado naquela casa..

Enquanto estava perto do fim da escada, ouço estrondos de vidro sendo estilhaçado, observo as janelas e estão quase todas quebradas... Pessoas começam a gritar o pânico e o medo logo se infestam, muitos saem do salão correndo e por alguns minutos fico desnorteado, mas me recompus, me recompus quando vi aquilo.

De relance, achei que poderia ser bandidos ou até mesmo terroristas, mas indo adiante no corredor foquei minha visão... E depois disso, tentei puxar em minha memória se tinha algum remédio que precisava tomar, pois de fato, estava louco. Um homem... Não uma coisa em forma humanóide me olhava, seus olhos eram de um amarelo doentio, seus dentes afiados como navalhas, ele tinha chifres de touro negros, era alto e possuía muitos músculos, estava na outra ponta do corredor e me olhava como se a única coisa que iria realmente satisfaze-lo seria ver meu sangue em seus dentes. Ele rosna para mim e começa a correr em minha direção numa velocidade absurda, seus chifres arrancavam e estouravam as lâmpadas do corredor de acordo com sua corrida mortífera, antes que ele me mate saio em disparada para o salão principal... E esse foi meu erro. Havia um massacre, percebo que havia pelo menos mais uns 7 daquele monstro no salão, sangue manchava o tapeçaria valiosa, a mesa do som estava banhada de sangue, meu estômago embrulha quando vejo corpos rasgados e sendo rasgados pelos dentes daqueles demônios... Mortos em todas as partes, e as pessoas que estavam vivas corriam mas eram pegas antes de chegar a porta.

Nesse momento percebo que por mais que muitas pessoas tenham fugido, havia muitos em desespero ainda lá dentro... Se escondendo, aí que dou conta que preciso encontrar os meus amigos, antes que alguma dessas coisas me vejam, me escondo atrás do sofá "ignorando" os corpos perto de mim, de um pouco longe veja que tem algumas pessoas debaixo da mesa, como ela tem uma toalha, de longe só consigo ver silhuetas das pessoas.

Parece que não sou o único a perceber, nessa hora vejo um desses seres de dois metros colocando suas garras na ponta da mesa e empurrando-a e deixando-a em pedaços no seu encontro com a parede.

Vejo meus amigos, Peggy, Beatrice e Daniel juntos com expressões apavoradas, os olhos de Daniel parecem brilhar de medo, meu coração para (meus amigos não podem morrer), quando vou tentar algo para salva-los sinto uma formigação em meu corpo inteiro, e aí foi quando eles surgiram.

Eram 3... pareciam membros de um exército extremamente poderoso, um era jovem alto, possuía cabelos azuis num corte degradê, havia uma cicatriz no rosto, tinha tatuagens em seu braço esquerdo, sua pele era um pouco mais escura que a minha, usava calça jeans e blusa de couro igual a minha, e estava com um new balance em seus pés mas o que me chamou mais a atenção era seus anéis com símbolos que nunca tinha visto... O outro era moreno, mais baixo que o primeiro, seu corte também era degradê mas tinha cabelo preto, usava sobretudo, calça jeans e camisetas também pretas, sua expressão era fria e calculista, em seu cinto havia dois machados de prata. A terceira era a mais baixa do grupo, tinha cabelos castanhos longos com as pontas platinadas, usava um vestido azul marinho curto e saltos cor de prata... Todos com músculos, corpo atlético, seus olhos tinham um brilho estranho cor de bronze.

São tão distintos e ao mesmo tempo tão familiares, fico extasiado, eles surgiram do nada, literalmente... Me espanto ao perceber que um monstro me notou, ele olha pra mim e corre em minha direção..

- LIAM CUIDADO - Daniel grita.

Mas não há tempo, ele estava muito perto, só fecho os olhos e espero o pior acontecer... Mas nada acontece, quando abro os olhos de novo percebo que o monstro estava flutuando, bem perto de mim, com uma expressão irritada. Só então vejo que o garoto de cabelo azul está com as mãos estendidas sobre ele, o monstro voa até a parede do outro lado da casa, quebrando-a quando ele se levanta, ouço tiros vindo do revólver que o garoto possuía, o monstro grunhi e começa a se engruvinhar e pegar fogo, até estar desintegrado. Depois disso corro para perto dos meus amigos. E vejo os três misteriosos atacando os monstros, o garoto moreno acerta seus dois machados de prata nas cabeças de dois ao mesmo tempo, o de cabelo azul dispara suas armas e faz com que outros voassem, matando-os em pleno ar, a garota luta com eles a mão, mas eles ficam mais lentos quando chegam perto dela, ela pega uma bandeja de metal... E como as próprias mãos transformam ela em uma grande lança afiada...

- Você está bem ?- Peggy diz assustada

-Precisamos sair daqui- Beatrice fala exasperada, concordo com a cabeça e olho para Daniel, ele sabe no que estou pensando.

-Toma cuidado! - Daniel

- Pode deixar... - digo e saio correndo em direção oposta aos meus amigos que vai em direção a porta, grito pra chamar atenção de 2 que iriam pega-los.

Tudo bem Liam, parabéns! Você chamou a atenção deles e agora... Olhos para todos os lados mas não consigo ver nada que me poderia me ajudar, eles começam a correr em minha direção, abaixo... Quando vejo as garras dele vindo em minha direção, só consigo sentir alguém me empurrando, era o garoto moreno, mas... ele estava do outro lado do salão.

Ele chuta um enquanto o outro garoto luta com o segundo um pouco mais a frente, conseguem matar os monstros, sinto um alívio imenso... Olho para a garota que está vindo na minha direção:

- Precisamos acabar com as evidências e sumir daqui antes que os Magistris percebam ou os Sectatores apareçam...

- Sim, é claro, saia daqui!- o garoto de sobretudo diz, olhando fixamente em mim.

Sem pensar duas vezes, corro em direção a porta, mas antes olho para trás... vejo os três unidos, e a garota com um dispositivo na mão... O garoto de cabelo azul olha pra mim e diz:

- Se cuide Liam, sua vida está prestes a mudar. - Quando ele termina de dizer isso a garota aperta o dispositivo e labaredas de chama alastram o local no mesmo instante, não fico para ver, saio correndo em meio ao asfalto frio, numa noite aterrorizante.


Notas Finais


Entao... esse é o começo... espero q tenham gostado ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...