História Hunter x Hunter: Alguém além... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hunter x Hunter
Personagens Chrollo Lucilfer, Gon Freecss, Hisoka, Illumi Zoldyck, Isaac Netero, Killua Zoldyck, Kurapika, Leorio Paradinight, Personagens Originais
Tags Gon, Hisoka, Hunter X Hunter, Killua, Kurapika, Leório
Exibições 57
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura.

Capítulo 1 - Quase liberdade


Fanfic / Fanfiction Hunter x Hunter: Alguém além... - Capítulo 1 - Quase liberdade

Meu nome é Mizuke Ao, desde que nasci sempre fui tratado diferente. Dizem que na noite, do exato momento em que eu nasci milhares de pessoas morreram numa tempestade torrencial, com furacões, maremotos, terremotos e tsunamis. Quando fiz 3 anos fui marcado com um dragão-fenix que cobre todas as minhas costas, que no nos arredores onde vivo significa " algo que não deve ser tocado", eu era como um ser herege, não tinha amigos, e os únicos que se aproximavam de mim eram meus pais, e até eles as vezes eu percebia um resquício de medo.

Eu sempre ouvia histórias fantásticas sobre os Hunters, como eram fortes, como trabalhavam, o que faziam, eram histórias que me fascinavam, em nosso vilarejo sempre passavam muitos, viajando, sempre nutri uma infinita vontade de fazer parte daquele ilustre grupo, que eram simplesmente a meu ver fenomenais, por este fato sempre treinava todos os dias, incansavelmente afim de um dia ser um membro daquela associação, só que meu sonho se despedaçou, ao menos foi isso que pensei...

Fui raptado quando pré - adolescente aos 10 anos, eu era usado para diversão dos sequestradores uma gangue de assassinos de nome Yīnyǐng responsável pelo meu rapto,estupro e da morte da minha mãe, naquela noite ela me vestiu me escondeu e poucos minutos antes de morrer foi até o local onde eu estava escondido e me disse que o dragão-fenix me protegeria, pois ninguém ousaria me tocar mais que mesmo assim, eu jamais deveria revelar meu segredo para qualquer pessoa que seja, afim de evitar que a pior das hipóteses viesse a acontecer, que eu sempre deveria me comportar do mesmo modo, em que ela me colou naquela noite, e com isso entendi bem o que ela queria dizer, meu pai morreu tentando nos proteger da gangue...

Os meus raptores sempre me deixavam praticamente a beira da morte, com o mínimo de água e comida possível eu era a diversão deles, sendo treinado em todos os tipos de artes marciais desde criança, aproveitavam-se disso e me colocavam pra lutar com animais, assassinos, e todos os tipos de gente ruim, pessoas que praticamente me despedaçavam, os Yīnyǐng nunca me deixavam ser morto, e todos os dias era castigado, preso, chicoteado, queimado, eletrocutado, marcado a ferro, tinhas os dedos e membros constantemente quebrados, deslocados, unhas arrancadas, meu nariz vivia fraturado e mesmo estando ferido me obrigavam a lutar.

A única coisa boa de ser marcado com o dragão-fenix é que inibia-os a não me tocar, graças a esta marca que pra mim quando criança era pior que a morte é que coisas piores não aconteceram comigo.

Ouvi histórias que a vila deles teria sido dizimada na noite em que nasci e que o boato do nascimento de uma criança na noite em que milhares foram mortos se espalhou e isso chegou a eles e assim por anos me caçaram a fim de vingança, por isso me torturavam todos os dias incessantemente. SIMPLESMENTE POR VINGANÇA.

Sempre que colocavam seres humanos para lutar comigo usavam um intermediário, tipo pedaços de pau, cadeiras, tudo que se mantivesse longe o suficiente de algum contato comigo.

Mesmo assim, ainda tenho uma única alegria o meu amigo metamorfo, que estranhamente nunca teve medo de chegar perto de mim ou até mesmo de me tocar o que me deixava por vezes por entender o porquê não tinha medo de mim. Ele sempre esta na forma humana, que não é sua forma original, os assassinos acharam-no na noite em que me raptaram a beira de um rio machucado quase morto na forma de humano, porém por perder a consciência, voltou a sua forma normal de lobo-raposa, por isso os assassinos, cuidaram dele e colocaram-no como vassalo, pensando que ele fosse um bruxo.

Ele não tinha nome quando o designaram para cuidar de mim, chamavam ele apenas de bruxo, por pensar que ele era um, julgavam que ele poderia me tocar. Dei o nome a ele de kairo, este me disse que eu seria o seu dono, mais nunca considerei-o um objeto para ser meu, ele é a única família que tenho o único que sabe meu segredo, pois era o único que me ajudava a escondê-lo sabendo que se os Yīnyǐng ao menos sonhassem com essa verdade seria meu fim, é sempre ele quem cuida de mim, e sempre procuramos um modo de me libertar das correntes que me prendem, ele só não fugiu antes por minha causa, por que se ele quisesse poderia...

E finalmente conseguimos um jeito de me libertar, sendo que eu vivia acorrentado...

Colocaremos nosso plano em prática amanhã durante a noite que é quando me acorrentam no celeiro sozinho.

 

NO DIA SEGUINTE

 

Hoje eu acordei mais feliz que pinto no lixo, mesmo tendo uma surra pra levar. Mais tudo bem é só mais uma, e também não sento mais tanta dor, os anos de surra me deixaram com os sentidos um pouco deturpados então pra mim é fácil.

Escutei passos achei que era um dos Yīnyǐng para me levar mais graças a Deus ainda não, era somente kairo.

 

*kairo - Bom dia eu vim trocar os seus curativos, tudo bem?

 

*Mizuke - Tudo sim, muito obrigada... #sorriso#

 

Kairo jamais conversava comigo direito quando os assassinos estavam acordados, não por medo de matarem ele, e sim pelo medo de fizessem algo comigo. Depois de trocar meus curativos, kairo saiu um Yīnyǐng entrou e me mandou ir pro estaleiro,  já havia três homens me esperando com barras de ferro, na ale do normal pensei depois de três horas levando golpes, levantando e caindo eu apaguei, não por causa da dor, mais pelas pancadas.

Acordei por volta de 6 da tarde.

 

*Kairo - Pelo jeito foram horas bem cansativas, já te chicotearam te espancaram deram choques e até marcaram você novamente a ferro quente e você continuou apagado.

 

*Mizuke - há não sei, sei que apaguei e só acordei agora, tava sonhando com a comida da minha mãe. #risos#

 

*kairo – Comida de mãe é ótimo. Trouxe alguns panos molhados pra você se limpar e trouxe isto também .# sorriso#

 

Havia uma pequena bolsinha, onde havia algumas sementes de mamona.

 

*Mizuke - Então é hoje...

 

* kairo - fica esperto e ver se não dorme no ponto, demorei muito tempo pra conseguir essa quantidade pois não me deixam tocas em nada...

 

Eu assenti com a cabeça e ele saiu.

 

Esperei ansioso, até que kairo entrou...

 

# CONTINUA#


Notas Finais


Espero que gostem... :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...