História Hunters - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kaya Scodelario, Shawn Mendes
Tags Apocalipse, Drama, Hunters, Sobrevivencia
Exibições 19
Palavras 3.241
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense
Avisos: Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello!
Perdão pela demora, às vezes minhas simplesmente saem do meu controle. Desde já agradeço as pessoas que favoritaram essa história. Obrigado.

Capítulo 3 - The Pyramid


Fanfic / Fanfiction Hunters - Capítulo 3 - The Pyramid

Capítulo 2

                Kylie ainda encarava o homem a sua frente sem fala. Eles eram Enders — disto tinha certeza — mas nunca havia conhecido um que conseguisse ocultar quase completamente sua presença. Era perturbador.

                — Estou esperando por uma resposta garotas. — O homem que segurava Cora se pronuncia novamente. — O que uma sobrevivente e uma Ender barata fazem soltas pela floresta?

                Kylie avalia novamente seus oponentes. Era possível que pudesse desarmar o homem que lhe apontava uma arma, no entanto nunca seria rápida o suficiente para impedir que o outro homem mate sua irmã. Ela descansa o arco e flecha e engole em seco. Ela sente que na verdade a culpa de sua ineficiência se deve ao desbotamento de seu olho esquerdo. Estava realmente perdendo suas habilidades.

                — Estamos tentando viver em paz. Apenas isso. — Kylie encara o homem a sua frente. Ele era bem vestido e não possuía muitos machucados visíveis no corpo o que significava que ele era um morador de Olympia. Estaria o Governador aperfeiçoando seus homens ainda mais?

                — Não é uma resposta válida. — O homem sorri de lado e alisa os cabelos de Cora que estremece. Seus dedos contornam a clavícula dela e vagarosamente ele afasta seu casaco preto. O corpo de Kylie ferve de ódio e sua visão fica turva. — Sabe, homens mal intencionados podem acabar lhes ferindo.

                Na mente de Kylie, tudo que conseguia pensar era em sua pequena e frágil irmã que já havia passado por tantas coisas ruins. Sua ira aumentava e à medida que o homem prosseguia com as carícias seu corpo se retesava ainda mais. Afaste-se dela, afaste-se dela.

                Quando se deu conta já havia quebrado o pescoço do rapaz que lhe apontava uma arma. Ela sentia poder fluir de seu corpo e o outro homem estava claramente surpreso.

                — O que...  — Ele não é capaz de finalizar a frase. Sangue jorra de sua boca e uma lança atravessa sua barriga. Ele solta Cora que corre ao encontro de Kylie que ainda estava no chão por cima do corpo do rapaz que matou. Ao lado da poça de sangue estavam três homens.

                O primeiro era barbudo e tinha o olhar perdido. Ao seu lado dois jovens garotos encaravam com repulsa o corpo estirado no chão. Um desses garotos, que aparentava ter seus quatorze anos, segurava a lança que matou o homem há poucos segundos atrás.

                — Você realmente não sabe fazer nada sem toda essa sujeira.

                O garoto mexe em seus fios cor de mel e enfia a lança no solo.

                — Se é tão de seu desagrado faça você mesmo da próxima vez. O que importa é que elas estão vivas, não é?!

                — Sim, sim. — O homem mais velho encara as irmãs Pyrus que pareciam aturdidas enquanto se abraçavam lateralmente. — Ah é verdade. As meninas. Ron havia mencionado a sobrevivente, mas não disse nada sobre uma Ender.

                O menino mais novo fica corado, como se aquele fato lhe envergonha-se.

                — Eu vi apenas a sobrevivente. Talvez a Ender estivesse escondida.

                O garoto da lança sorri com deboche.

                — Ela poderia ter te matado antes mesmo de você notá-la.

                — Ah cale sua boca!

                — Quem são vocês? — Kylie já estava de pé com uma flecha pronta para ser disparada. A discussão entre os garotos se cessa.

                — É assim que você trata as pessoas que acabaram de lhe salvar?

                — É assim que eu trato desconhecidos. Respondam-me.

                O homem mais velho parecia realmente entretido. Ele colhe uma flor ao seu lado e sorri ao tocá-la.

                — Meu nome é Kevan. Os meninos ao meu lado são David e Ronnie.

                — Quero saber o que querem de nós!

                Kevan retira algumas pétalas amareladas da flor e inspira seu aroma. Ele parecia muito despreocupado e indiferente aos dois corpos que se encontravam em sua frente.

                — Não queremos nada. Na verdade, talvez Jasper se interesse nas habilidades médicas da sobrevivente.

                — Como sabe que tenho essas habilidades? —Cora pergunta com interesse. Apesar de ter sido claramente afetada pelo toque invasivo do homem momentos atrás ela agora tentava mascarar isso conversando. Era a maneira dela de lidar com tudo.

                — É fácil, bastar prestar atenção nas ervas que estão na sua bolsa. São todas ótimas para curar doenças.

                — Espere... Eu acho que conheço você! — Cora exclama apontando o dedo para o menino chamado Ronnie. Como reação ele apenas dá de ombros.

                — Você me encontrou na floresta uma vez. Deixei cair um convite para A Pirâmide. Você deveria ter ido.

                — Pirâmide?

                David e Ronnie se entreolham em choque.

                — Primeiro de tudo, Ronnie, você não pode dar um convite para Pirâmide ou falar sobre ela para uma pessoa que não conheça. Sabe que Jasper odeia colocar o povo em situações de risco desnecessárias.

                Ronnie apenas assente, novamente envergonhado.

                — Segundo, não me surpreende que vocês não conheçam A Pirâmide, jovens...

                Ele lhes lança um olhar que dizia “seus nomes, por favor?”.

                — Eu sou Cora. Ela é minha irmã, Kylie. — E Kylie não parecia contente. Porque sua irmã tinha de ser tão boazinha? Revelar seus nomes tão facilmente não era legal.

                — Irmãs? — Kevan parecia realmente surpreso. — Não vemos muitos irmãos por ai hoje em dia, não é?

                Como ninguém responde, Kevan apenas suspira e se ergue ainda com a flor em mãos.

                — Permita-nos levá-las até A Pirâmide. É um local altamente protegido onde vocês terão acesso à água potável, alimento e uma cama decente para dormir.

                Kylie não consegue conter o riso.

                — Você quer me fazer acreditar que um lugar como este existe no meio da floresta? Que eu acredite que o Governador não está por trás de algo assim?

                — E porque nós perderíamos o nosso tempo mandando um dos nossos para enviar uma mensagem e salvaríamos suas vidas agora? Vocês não são melhores do que ninguém aqui. — Kevan atira as pétalas para longe. — A Pirâmide é um refúgio para todos. Pelo menos para todos que se mostrarem dignos aos olhos do nosso líder.

                — Deixe-me adivinhar. Seu líder é o tal Jasper que tanto fala?

                Ronnie e David fazem uma careta ao ouvirem as palavras de Kylie.

                — Não se refira a ele dessa maneira. Ele salvou nossas vidas e mantém todos nós protegidos. Se você não quer ajuda apenas dê meia volta e continue fugindo desses rastreadores. Uma hora ou outra eles irão te pegar.

                — Espere. Do que os chamou?

                David sorri alto. Ele não parecia de fato divertido então Kylie supôs que estava apenas sendo sarcástico.

                — Rastreadores garota. O Governador tem treinado alguns de seus melhores Enders para rastrear sobreviventes escondidos na floresta. Se haviam dois perseguindo-as, provavelmente mais estão pelas redondezas. Pagaria para ver vocês sozinhas tentando derrotá-los.

                Kylie sentia-se irritada e frustrada. Por isso usa sua velocidade inumana e derruba o garoto, imobilizando-o no chão. Ele não parecia impressionado.

                — Eu também sou uma Ender. Está duvidando de minhas capacidades?

                — Nem um pouco. Porém você esquece que é uma Ender sozinha e incapaz de sentir a presença de um rastreador.

                Kevan, que observava há um tempo toda a discussão, decide parar ao lado de Kylie e olhá-la nos olhos.

                — Você só estaria expondo sua irmã a perigos desnecessários. Acredito que queira protegê-la, certo?

                — Como poderia ter certeza de que não estão nos levando para uma armadilha?

                O homem parece pensar sobre o assunto.

                — Se estivermos mentindo, pode simplesmente arrancar nossas cabeças fora. Somos três pessoas sem poderes especiais. Aceita minha proposta?

                — Saiba que não hesitarei em degolá-los.

                — Ah, claro. Agora abaixe essa droga de faca criança e deixe o jovem David em paz. Estamos partindo agora.

                [...]

                Para Kylie era desesperador viajar no limiar do leste da floresta. Era um dos poucos terrenos dos quais ela não conhecia o bastante e isso a inquietava. A vegetação parecia ser a mesma apesar de estar levemente amassado devido aos passos humanos. Provavelmente de Infectados.

                David e Ronnie iam à frente utilizando facões para cortar um pouco das plantas que insistiam em impedir sua passagem. Ao passarem próximos a uma macieira de frutos verdes salpicados de vermelho o trajeto se torna mais escuro e coberto por folhas como um caminho escondido. Kylie nota que vez ou outra era possível ver ruínas de antigos casebres e cavernas. Cora acidentalmente pisa em um antigo prato que quebra de baixo de sua bota. Kevan olha por sobre o ombro com curiosidade, mas torna a seu modo disperso alguns segundos depois.

                — Quero saber mais sobre essa “sociedade” em que vivem.

                Ronnie franze o cenho.

                — Em tese, você descobrirá quando chegar lá, não é?

                Kylie bufa irritada. Odiava ter que explicar suas intenções.

                — Não pode esperar que eu fosse me meter em algo que nem ao menos conheço um pouco.

                — A Pirâmide é na verdade uma construção feita muitos anos atrás por um empresário vaidoso. Ele a utilizou para guarda obras de artes valiosas. Possui mais de oito andares além do subterrâneo. — disse Kevan — Nossa sociedade abriga sobreviventes, Enders, infectados...

                Kylie para bruscamente colocando uma mão espalmada na barriga de sua irmã.

                — Infectados? Vocês são loucos? Essas pessoas são capazes de comer vocês enquanto dormem. Está nos levando para uma armadilha?

                Era a primeira vez que Kylie via David sorrir durante a caminhada. Ele se vira para ela com uma expressão divertida no rosto.

                — Oh, você nos pegou. Estávamos mesmo pensando em assa-las com milho.

                — Você é tão deselegante, David. — disse Kevan — Essas duas crianças nunca tiveram contato com infectados controlados. Ela apenas conhece os bárbaros.

                — Infectados controlados? — a pergunta de Kylie soa quase como um ruído. Ela estava atenta a cada movimento que faziam.

                — Sim minha jovem. Nosso líder, Jasper, é um rapaz deveras inteligente. Ele descobriu que o sangue de um Ender é capaz de afastar a loucura da mente dos infectados. Uma única dose de seis em seis meses já é o suficiente para nos manter sãs.  David, Ronnie e eu somos infectados controlados. Jasper também e temos vários outros moradores na mesma situação. É por isso que não aceitamos que questionem o caráter de Jasper. Ele salvou nossas vidas.

                Kylie aos poucos se permite sair de sua posição de defesa e torna a olhar para os três em sua frente.

                — Nunca havia visto ou escutado algo desse tipo. Porém estou longe de tudo há tanto tempo que não tenho direito de duvidar de mais nada. — Cora revira os olhos e ultrapassa sua irmã caminhando ao lado de Ronnie.

                — Está perdoada garota. Agora vamos apressar o passo. Queremos chegar antes do anoitecer.

                Fizeram o resto do caminho em silêncio, Kylie observando atentamente seus arredores à procura de qualquer movimento suspeito. Em certo ponto as ruínas se fizeram ainda mais presentes e então Kylie viu uma grande muralha. Acima dela uma grande construção se erguia em direção ao céu. David assobia e logo uma mulher e um homem aparecem no topo da muralha. Eles seguravam armas e não pareciam contentes.

                — Samirah, Hedge, abram os portões! — Gritou David. A mulher sorriu de lado e em seguida sentou-se na muralha, suas pernas balançando tranquilamente.

                — Está sozinho, David? Onde está o outro imbecil que sempre anda com você?

                Ronnie cruza os braços, claramente irritado.

                — Isso não é algo legal de se dizer, Samirah. Abra logo esse portão.

                — Devemos abrir para eles Hedge? Ou deixamos que virem comida de infectado?

                Kylie encara Kevan assustada. Que tipo de sociedade era essa onde as pessoas deixariam um dos seus para morrer?

                — Calma Kylie eles estão apenas brincando. Não é mesmo? — Kevan então aparece no campo de visão de Samirah e Hedge. Ao seu lado Kylie e Cora permaneciam paradas quase incertas sobre o que estavam fazendo ali.

                — Kevan? Desculpe, não tinha te visto ai.

                — Sem problemas Samirah. Poderia abrir os portões, por favor? Estamos com convidadas aqui.

                Um barulho é ouvido e então os portões abrem vagarosamente. Samirah pula da muralha e cai suavemente no chão. Kylie percebe nesse momento que os olhos de Samirah eram de cores diferentes. Um verde e o outro quase laranja. Era uma Ender.

                — Vejo que trouxe uma Ender. Onde as encontrou?

                — Na porção central da floresta. Viveram anos sozinhas agindo como nômades e estavam tendo problemas com um grupo de Enders rastreadores. Tipos desagradáveis esses.

                — Nem me fale. Jasper está na cúpula se deseja falar com ele.

                — Ah, claro. Obrigado Samirah.

                Estava claro para Kylie que Samirah sentia algo por Kevan. A mulher quase não piscava ao falar com ele. Kevan por outro lado estava mais interessado em olhar em volta e examinar as plantas medicinais que cultivava aos arredores da Pirâmide.

                — Irão gostar daqui. É um lugar fantástico! — exclama Kevan em completo deleite.

                À medida que se aproximavam mais imponente parecia o edifício. A Pirâmide era gigantesca, completamente feita de pedras e por dentro sua estrutura era sólida e até mesmo um pouco moderna com pintura nas paredes e escadas que levavam aos próximos andares. Alguns dos quadros do antigo proprietário ainda enfeitavam o local e diversas pessoas — famílias inteiras, com crianças e idosos — passavam ao lado de Kylie sorrindo despreocupadamente como se uma terrível radiação não tivesse consumido tudo que existia. Kevan os guiou pelas escadarias e ao chegar ao terceiro andar David e Ronnie se despediram das irmãs Pyrus, provavelmente para irem para seus quartos. Kylie e Cora continuaram a seguir Kevan de perto tentando não perder o foco com tamanha grandeza.

                A tal cúpula ficava no ultimo andar. Era o local mais moderno, com paredes de vidro que possibilitavam ver toda a floresta e até mesmo um pouco da Muralha de Macabeus mais ao longe. A sala funcionava como um gabinete, tendo uma mesa de escritório e uma cadeira de executivo antiga. Sentada nela no centro da sala estava um homem loiro e esguio. Seus cabelos iam até os ombros e no momento estavam parcialmente amarrados com um nó. Os seus braços, que ficavam amostra devido a usar uma regata, eram cobertos de tatuagens. Ele aparentava ter em torno de vinte anos e algo que lia parecia o preocupar.

                Kevan bate rapidamente na porta aberta o que chama atenção do rapaz. Ele coloca os papéis de lado e senta-se corretamente observando-os se aproximar.

                — Kevan. Pensei que estivesse na ala médica.

                — Hoje saí com David e Ronnie para uma caminhada pela floresta. Estava procurando novas plantas para extrair suas sementes e plantá-las aqui.

                — Você sabe que não precisa fazer isso. Seu trabalho é outro.

                — Mas são plantas medicinais. Apenas eu conheço as melhores.

                O homem faz um sinal para que cheguem mais perto e pela primeira vez seu olhar recai sobre Kylie. Seus olhos pareciam penetrar-lhe a alma e vasculhar todo o seu ser. Kylie não conseguiu evitar desviar o olhar desejando fortemente sumir dali.

                — Quem são elas?

                — Bem, essas são Kylie e Cora. E meninas esse é Jasper Rodes, líder da nossa comunidade.

                Kylie sente que seu queixo por um momento quase caiu.

                — Pela cara que fez, tenho certeza de que esperava um homem mais velho.

                A garota agita as mãos contra o ar.

                — Só pensei que uma comunidade tão grande... Normalmente teriam pessoas mais velhas no comando.

                Jasper sorri de lado, claramente se divertindo com a situação. Ele põe uma mecha de seu cabelo atrás da orelha e suspira.

                —Eu não comecei isso com toda essa gente. Elas eventualmente se juntaram a mim. Mas me digam como conheceram Kevan?

                Kylie olha para Cora e em seguida para Kevan. O homem parecia incitá-la a falar.

                — Estávamos tendo problemas com Enders. Normalmente consigo lidar com eles sem problemas, mas esses eram diferentes. E usaram Cora de refém então estava pensando no que faria quando Kevan e os outros dois apareceram e nos ajudaram.

                Jasper permanece em silêncio como se avaliasse suas palavras.

                — Você é uma Ender, porém sua irmã me parece ser normal. É bem raro ver irmãos por ai ainda mais nessa circunstancia.

                — Cora era muito nova para receber a injeção na época. Apenas eu fui.

                — Então ela é uma sobrevivente. O lugar dela não é em Olympia?

                Kylie faz uma careta e rapidamente segura à mão de sua irmã. Ela lembrava uma leoa brava protegendo seus filhotes.

                — O lugar dela é onde eu estiver. Onde eu puder protegê-la.

                Ele sorri de lado e em seguida da de ombros.

                — Muito bem, muito bem. Se Kevan salvou suas vidas e as trouxeram até aqui então ele as considera confiáveis. Isso já é o bastante para mim. No entanto devo avisá-las de uma coisa. Todos os moradores da Pirâmide têm direito de usufruir de tudo que temos e produzimos aqui, porém com uma única condição.

                —Qual condição? — pergunta Kylie já impaciente. Algo naquele homem lhe dava uma sensação inquietante.

                — Façam a parte de vocês. Ajudem de alguma forma. Se já tiverem uma área da qual são boas então participem dela.

                — A garotinha, Cora, tem conhecimento de algumas plantas medicinais. Pode ser útil na ala médica. — Kevan se pronuncia. Ele sorri para Cora de maneira amigável e a mesma retribui.

                — Então Cora será sua nova aprendiza. Sugiro que vá com Kevan conhecer o seu local de trabalho.

                Kevan chama Cora para sair, entretanto Kylie lhe impede segurando sua mão.

                — Não pode achar que deixarei que ela vá sozinha.

                — Se vai ficar conosco, deve confiar em nós. Não tenho interesse algum em matar criancinhas. Você mesmo viu. Temos muitas famílias aqui.

                Kylie retira a mão do pulso de sua irmã devagar, ainda um pouco incerta. Cora faz um sinal de que está tudo bem e de que se encontrarão mais tarde e então deixa a cúpula ao lado de Kevan.

                — Você é bastante protetora em relação a sua irmã. Admiro essa ferocidade que tem. — Jasper comenta jogando um livro de lado e se levantando. — Normalmente os Enders que chegam até aqui costumam ajudar na segurança do local, afinal vocês são guerreiros naturais.

                — Então quer que eu proteja os muros?

                — Você é muito ansiosa. Venha até aqui.

                Ele chama Kylie até o vidro. A vista era magnífica, toda aquela vida que insistia em existir em meio ao caos.

                — Percebo que você tem seus motivos para manter-se longe de Olympia. E não precisa me contar o porquê de estar fazendo isso.

                — Não contaria mesmo se quisesse.

                Jasper ergue as sobrancelhas e sorri alto.

                — Realmente não vejo motivo para tanto riso.

                — Você é engraçada, Kylie. Normalmente uma pessoa que acaba de chegar costuma tratar melhor o líder da comunidade.

                Kylie crispa os lábios e torna a olhar a paisagem. Para ela todo aquele sistema era incomum.

                — Não sou muito boa em trabalhar em grupo.

                — Mas você precisa aprender. — Jasper aponta para algumas pessoas que passavam próximas as plantações. — a nossa ala médica recebe doações de sangue de Enders moradores da Pirâmide toda semana. Esse sangue serve para manter os infectados com uma vida ao menos digna. Eu sou um deles. Necessito desse sangue para continuar vivendo. Sem a ajuda voluntária dessas pessoas essa comunidade não iria funcionar.

                — Você parece ser uma boa pessoa, Jasper, de verdade. O problema é que eu fui acostumada a ver as coisas da maneira mais negativa possível. Minha vida foi um inferno interminável e eu me acostumei a isso. Acostumei-me a lutar contra tudo e todos.

                Jasper concorda com a cabeça. Algo em seus olhos dizia que ele verdadeiramente compreendia o que Kylie dizia.

                — Está a salvo agora. O quarto que dividirá com sua irmã é próximo ao meu então pode sempre me procurar se tiver problemas. Amanhã você conhecerá os outros membros da guarda.

                — Guarda? Não protegerei os muros?

                Jasper faz um sinal de desdém com as mãos.

                — Claro que não. Você acha que tudo que fazemos aqui é sobreviver? Somos bem mais ambiciosos docinho. Porém isso é conversa para outra hora. Agora vamos comer!

                [...]

 


Notas Finais


Até a próxima. Confiram minhas outras histórias!
twitter: @WESSAHOPE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...