História Hunters the Night - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anjos, Bts, Demonios, Lobos, Vampiros
Visualizações 12
Palavras 2.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Pulseiras douradas...


Fanfic / Fanfiction Hunters the Night - Capítulo 10 - Pulseiras douradas...

Os orbes castanhos deslizavam pelo pátio do colégio. As mãos suadas passavam entre o emaranhado de cabelos negros que caiam sobre o rosto delicado do rapaz. As maças do rosto estavam vermelhas pelo frio que fazia em Elydium. O céu era cinzento, como sempre, parecendo que a chuva poderia cair a qualquer momento, com o frio gélido que agora acariciava sua pele tão pálida.

     Ele sentou-se em uma cadeira ao lado de Seokjin que tinha os olhos castanhos presos no céu, refletindo sobre todo o corrido desde a manha.

 

— Temos um problema. — a voz de Yoongi saiu sutil, leve como uma pena e agradável aos ouvidos de Jin que estalou a língua provocando um baixo ruído. O fraco vento bagunçou seus cabelos de tons dourados. Ele sacudiu a cabeça em um aceno assentindo o que Yoongi tinha acabado de dizer, esperando que ele prosseguisse.

— Reconhece a garota? — indagou com a voz de igual forma, embora seu interior estivesse lutando contra seus pensamentos insanos sobre o motivo de tantos demônios a rodearem e, não era só isso. Seokjin podia ver os planos se fundirem, o véu que separava o mundo dos vivos e os dos mortos estava fraco, quase unidos, e por conta disso, vez ou outra ele acabava vendo alguma alma perdida percorrendo os corredores, o atormentando por conta de sua áurea pura que rodeava seu corpo em um espetáculo de luzes aos olhos daqueles que de certeza, não eram os mundanos.

— Foi uma das primeiras, suponho. — os olhos e a atenção de Jin desviaram-se para uma mulher translucida que vagava pelo meio do pátio perdida. Uma parte de seu rosto parecia estar queimada, assim como todo o seu corpo. Os cabelos estavam colados em sua pele, fazendo daquilo uma visão horrível. Os pelos dos braços de Yoongi se arrepiaram, mas, Seokjin já estava acostumado com aquilo. 

— Primeira, você diz... — vociferou levantando-se do banco, desviando os olhos para os lados percebendo que quatro garotas se aproximavam. Eram Juliette, Lexie, Kiara e Kate. 

— Aonde vai? — Yoongi indagou confuso.

— Preciso saber o motivo de tanta gente a almejar... — os olhos dourados do loiro o olharam de soslaio. — Fique e me informe se algo anormal acontecer. Preciso certificar-me de algumas coisas. Mande Lexie e Juliette voltarem para a mansão. Quero Alice e Mark pairando a cidade, se possível e a noite... Mande Hoseok para o clube. — Yoongi arqueou as sobrancelhas um tanto surpreso.

— Clube? — indagou confuso. — Outra festa? De mascaras? — os orbes de Jin desviaram-se para as meninas que agora estavam bem próximas.

— Fantasia... — resmungou contraindo os músculos do pescoço e saindo dali dando apenas um meio sorriso para elas.

 

 

                                                                            [...]

 

 

— Vamos Louise! Vamos! — Chloe resmungava sem parar. Emmy ria destrambelhadamente, Adelyn Harmy, sua prima, a acompanhava com suas amigas, o que era muito estranho, mas, desde que Louise tinha sumido na noite anterior Adelyn tinha ficado preocupada e mais uma vez, a louca ideia de que Adelyn apenas a tratava mal por tentar demonstrar que gostava dela, apareceu.

— Tudo bem! Tudo bem! Mas, eu não vou vestir isso... — resmungou cruzando os braços observando a fantasia que Emmy vestia. Emmy estava bem entretida com sua fantasia de pirata. Chloe procurava entre os cabides sua belíssima fantasia de vampira, a qual fez com que Louise se arrepiasse em lembrar-se dos lábios de Kian e principalmente... De Namjoon.

 

    Adelyn por outro lado escolheu uma bela fantasia de anjinho que Louise deveria confessar, ficou bem na garota, mas... Não deixou de soltar a piadinha de que uma fantasia de diaba seria mais adequada. Todas riram, menos Adelyn.

 

— Sem graça... — murmurou em resposta rindo logo depois do comentário, passando as mãos sobre os cabelos avermelhados como fogo. Louise deu uma rápida olhada pela janela, verificando se Jimin não estava por ali, a espreitando e se decepcionou ao perceber que ninguém estava parado próximo de uma das árvores.

— E você Louise? — sua atenção voltou para Emmy, Chloe e Adelyn que agora a olhavam mais atentamente.

— Eu não vou. — deu de ombros ignorando os olhares surpresos e as bocas abertas, todas estavam incrédulas.

— É claro que vai! — Chloe resmungou em um grito jogando várias fantasias em cima de Louise que logo estava afogada de tantas em seus braços, as soltando no chão, recebendo várias fantasias contra o rosto.

— Chloe! — disse em reprovação recebendo outra fantasia contra o rosto. — Caceta, para! — resmungou agora levando uma sapatada na cabeça e não deixou de retribuir o ataque jogando um salto alto contra a garota que grunhiu de dor, virando-se para ela.

— Loira abusada! — disse com os lábios abertos a olhando incrédula e disparou para cima de Louise puxando os cabelos da menina. Em poucos minutos ambas estavam, uma puxando o cabelo da outra.

— parem com isso - Emmy interviu a briguinha  

— Seu cabelo tá horrível... — Chloe resmungou cruzando os braços.

— O seu ta pior... — Louise retrucou revirando os olhos e ambas caíram na gargalhada logo depois.

— Eu juro... Que não tinha maconha naquele café. — Adelyn resmungou fazendo Emmy cair na gargalhada.

— Bem, voltando ao assunto de antes... — Chloe passou as mãos no cabelo como Louise, arrumando o mesmo. — Com que roupa você vai? — Louise mordeu o lábio inferior suspirando e dando de ombros.

— Isso importa? — indagou virando o rosto para o monte de fantasias que Chloe tinha jogado no chão da loja perto da avenida principal de Elydium. E, que era bem movimentada, além de ser muito cara.

— Claro que importa! — Adelyn ricocheteou irritada e cruzou os braços. — Vamos... Vai ser divertido. — as meninas arquearam as sobrancelhas.

— Adelyn Harmy acabou de tentar te convencer a ir em vez de te jogar de uma ponte. — Chloe murmurou estupefata e Emmy assentiu com a cabeça encarando Adelyn de olhos arregalados. 

— Senhor, tinha maconha no café! — Emmy levantou as mãos em rendição e adelyn revirou os olhos.

— Não tinha nada no café, Jesus... — murmurou irritada tirando do meio do bolo de fantasias um vestido longo e vermelho que ia até pé de Louise em um tomara que caia lindo, em partes feitas de renda. — Combina com você... — ela esboçou um sorriso enquanto Emmy puxava a bainha do vestido o esticando, arqueando as sobrancelhas e sorrindo eufórica. 

— Super combina com você! — murmurou rindo. — Vai ficar linda! — Louise negou com a cabeça soltando o vestido e encolhendo os ombros.

— O que foi? — Chloe perguntou aflita e Louise mordeu o lábio inferior. — Acha que Jimin ou Namjoon não daria em cima de você com isso? — revirou os olhos rindo com ela do comentário e corou.

— Falando em professor... Diga-me como é ser levada para a enfermaria? Olha, eu já tive muitas cantadas... “sou o anjo que caiu do céu especialmente para você.”, “esse berimbau no meu pandeiro seria capoeira a noite toda...” — todas desviamos os olhos para Emmy que corou.

— Berimbau? — o canto dos lábios de Louise arquearam-se em um sorriso. Uma gargalhada ecoou pela loja logo em seguida, vinda de Louise, Chloe e Adelyn. 

— Tudo bem, essa foi meu primo... E no caso seria ao contrário. — riu também da cantada. — Mas o caso é que... Você laçou o homem em menos de 10 minutos como professor, cara, qual é? Deixe um pouco para nós, meras mundanas, vossa alteza. — disse em uma reverencia e ela revirou os olhos estalando a língua.

— Não me diga bajulações... Estava de olho no moreno, o aluno novo... — as bochechas de Emmy coraram e ela encolheu os ombros indo até o caixa.

— Vou pagar sua roupa... E a minha.

— Como é? — perguntou aflita. — Isso é caro! — resmungou a seguindo e ela riu.

— Não tem problema, sei que seu tio não te da muito dinheiro, então... — ela deu de ombros e sorri em agradecimento. — Então coisa nenhuma, esqueça do moreno e pago seu vestido. — ri freneticamente com a negociação e concordei com a cabeça logo depois quando Emmy se aproximou do caixa.

 

 

                                                                            [...]

 

 

 

      Ele a seguiu por três quarteirões pelo céu, fundindo-se pelas nuvens, misturando-se entre elas como um pássaro sorrateiro, uma águia; para dizer a verdade.

      Jogou o corpo contra o vendo parando os pés sobre um terraço próximo onde conseguia ouvir toda a conversa dela com suas amigas atenciosamente. Louise parecia ser uma menina normal, levava uma vida normal, mas, o que a tornava tão diferente? Tão diferente ao ponto de Seokjin achar que talvez a garota, fosse a Hunter que Gabriel lhe entregara a missão de encontrar?

      Ele não sabia dizer. Talvez fosse às pulseiras enroladas em seus pulsos, uma história a qual ele ouviu nos sete céus sobre aquilo. Uma guerra que ela provocou, apenas por isso... Talvez fosse a líder de toda a revolução a qual movera terra e céu; e até mesmo alguns no inferno, por isso.

 

      Ele prestava atenção na conversa. Era o final da tarde e logo a boate em Elydium se iniciaria, mas, algo estava errada naquele final de tarde tão silenciosa. O céu tão nublado, a neblina que começava a recobrir a cidade, o frio gélido que fazia Jin estremecer vez ou outra já que seu recém formado avatar  ainda era muito sensível com o clima. 

     Elas finalmente se despedirão e Jin pode ver um vulto vagar entre os becos da cidade sorrateiramente. Começou com um, para dizer a verdade e quando deu por si... Estavam pra mais de quatro.

     Ele continuou a vigiando a distancia, andando por sobre os telhados, pairando algumas vezes, sem que ela notasse. Já estava próxima de sua casa quando Louise teve a atenção tomada por um menino. Estava encolhido no canto da rua, ninguém passava, ninguém andava na rua, nem mesmo um carro e Jin temia que o garoto não fosse exatamente um garoto. Talvez toda a sua preocupação em achar que Louise era realmente o que procurava estivesse sumindo aos poucos, ela não mostrava sinal algum de ameaça, era tão comum que chegava a lhe entediar, mas... Algo em sua cabeça, algo no interior de Jin dizia que não era bem assim. Que toda aquela capa dura escondia algo por baixo... E não moveu um único músculo quando os vultos que a seguiam começaram a se aproximar de todos os lados. O sol já não brindava no céu. Tinha descido, escondido-se atrás das montanhas e Jin estava esgueirando-a sobre os telhados atenciosamente. Ele sabia que precisava provocar na garota uma situação de desespero... Só assim ele saberia o que ela era, mas, valia mesmo matar uma vida inocente para descobrir algo como isso? Que era realmente ela? E se não fosse? Ele se culparia por tê-la deixado morrer?

 

    Ele não sabia. E, permaneceu ali, duro, com as postura firme, vendo tudo acontecer lentamente.

 

 

      Louise se aproximou sorrateira. Um pequeno frio na espinha lhe percorreu o corpo quando o garoto gemeu um baixo pedido de socorro. Ela se aproximou. As mãos tremulas e os olhos vagos segurando sua fantasia em uma das mãos.

     Ela se inclinou para o garoto que tinha o rosto escondido por baixo da escuridão do capuz de seu casaco, que parava em seu joelho. Ela arfou ao perceber que o garoto não se moveu com a aproximação e tentou tocar um de seus ombros gentilmente enquanto sorria.

 

 

— Ei! Está tudo bem. — murmurou pousando uma das mãos sobre o ombro do rapaz. — Eu estou...

 

    Sua frase ficou pelo ar quando o garoto ergueu a cabeça. Os olhos em um vermelho profundo, os lábios alongados em uma boca enorme com presas e dentes afiados. A pele pálida, as orelhas pontiagudas. Seokjin tomara a certeza do que via, não era nem lobisomem e nem vampiro. Talvez fosse um demônio qualquer, que recolhia alma de meninas inocentes no decair da noite. Saboreando-se com o assombro delas, mas, o que o deixava indignado era o fato de que... Vampiros e demônios a rodeavam de uma forma a qual ele jamais tinha visto.

     A garota cambaleou para trás quando o menino alongou as mãos e as pernas deixando a língua cair para fora da boca arrastando no chão, deixando um líquido gosmento e de mau cheiro escorrer até o chão. Ele pulou sobre as paredes quase como uma aranha, correndo em direção de Louise que parecia assombrada com toda a situação.  

     Seokjin pensou por um momento em intervir, os músculos já estavam prontos para contra-atacar; até suas asas tinham se erguido prontas para alçar voo. Mas, ele parou seus movimentos quando mais demônios se aproximaram e Louise olhou por sobre os ombros, exasperada, percebendo que não tinha saída. 

 

     Ela soltou a corrente de ambas as mãos, virando-se para o demônio que sibilava coisas sem parar, dizendo que iria devorá-la e permitiu que ele se aproximasse, mas, quando o fez, as mãos de Louise tocaram seu rosto lembrando muito o de um cadáver, fazendo o demônio parar imediatamente e todos os outros que estavam prontos para lançar-se sobre ela fizeram o mesmo.

     O rosto do monstro fora deteriorando, tornando-se apenas osso e por fim, pó. A calçada começou a rachar e quebrar, até mesmo a lata de lixo que permanecia intacta ao lado da garota se resumiu a destroços e por fim... Ela se levantou desviando os olhos cizentos que agora tinham um brilho diferente para o restante, aguardando que um deles avançasse, mas, nenhum deles se atreveu. A mente era obscura, um vazio a preenchia. Ela já tivera feito isso outras vezes, mas... Não sabia o motivo deles a prosseguirem tanto. 

 

     Os demônios que a atormentavam pelo poder que a aura da garota exalava correram para a escuridão. Jin sacudiu as asas aflito e estremeceu. Louise enrolou novamente as correntes nas mãos virando o corpo e pegando a bolsa que tinha sido jogada para longe dali pela fera de volta nas mãos. Ela suspirou, algumas lágrimas rolaram de seu rosto acumulando-se no queixo. 

     Era evidente que ela sentia-se confusa e Jin percebeu que aquela não era a melhor hora para conversar com ela, aliás, conversar com Louise naquele estado seria morte na certa.

     Ele sacudiu as asas aflito, alçando voo para o céu, retornando para a mansão, tomando a certeza de que...

 

 

                                                        Ela era o que ele procurava.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...