História Hunters the Night - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anjos, Bts, Demonios, Lobos, Vampiros
Visualizações 38
Palavras 2.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Como é?


Fanfic / Fanfiction Hunters the Night - Capítulo 4 - Como é?

— Onde você esteve? 

     Virou-se lentamente para encarar os orbes verdes e os cabelos compridos e avermelhados que batiam na altura da cintura. A pele tão branquinha e o corpo tão frágil. Quem olhava assim até pensava por um minuto que Adelyn Saunders era uma menina doce e meiga que sentia pena da prima por ter perdido os pais em um brutal acidente.
    Porém, Adelyn não era toda aquela menina ingênua que aparentava ser. 
    Ambas tinham a mesma idade e Louise agradecia pelo fato de que Ade estudava em um colégio diferente do dela graças ao pai empresário que pagava a melhor escola para a filha. Sweet Amoris era um bom colégio, mas, não chegava aos pés do que Ade podia ter. 
     Anos atrás quando Adelyn passou por sua fase rebelde o pai tinha até ameaçado de transferir a garota para um colégio na Inglaterra, embora agora, elas estivessem morando na Espanha.
      Louise revirou os orbes cinzentos por um momento sentindo toda a irritação do dia crescer quase explodindo dentro de si quando Jungkook adentrou a sala segurando uma lata de refrigerante nas mãos.
      Louise permaneceu um tempo em silêncio o encarando com as sobrancelhas arqueadas. Jungkook vez ou outra parava para conversar com ela, normalmente perguntando sobre as matérias da escola, ou dizendo que tinha perdido Jimin de vista. Ambos não trocavam mais do que isso em suas conversas e ela tinha certeza de que Jungkook fugia de sua prima malvada o tempo todo já que Adelyn tinha um amor doentio pelo garoto, então, o que ele estava fazendo na casa deixada por seu tio?
     Adelyn podia morar com seu pai, mas, preferia dedicar boa parte de sua vida para infernizar a vida de Louise e algumas pessoas tinham até a suspeita que Adelyn fazia isso pelo simples fato de que apesar de diferente, essa era a maneira de dizer que gostava de Louise.
      Ou que tinha inveja dela.

— O que ele faz aqui? — perguntou aflita quando as sobrancelhas de Jungkook se arquearam. Ele abriu um tímido sorriso para a garota. Usava suas vestes tradicionais, camiseta branca, calça jeans largas e botas timberland.
       Jungkook sempre tivera o mesmo ar que Jimin. Aquele ar sedutor que fazia as garotas perderem o ar, embora que Jungkook, muito diferente de Jimin. Fosse desligado o suficiente para não perceber o que provocava sobre elas.
        Ele sempre estava junto de Jimin. Ambos dividiam a casa e aparentemente eram primos distantes ou qualquer coisa do tipo.
— Bem... — Adelyn suspirou. — Isso importa? — ela deu de ombros olhando Louise com desdém.

— Claro que importa. — Louise pigarreou. — Você divide essa casa comigo! — gritou irritada enquanto revezava os olhares entre Jungkook e Adelyn. O garoto por um minuto chegou a pensar que Louise tivera medo que ele fizesse algo imprudente e riu de seus pensamentos abrindo um amplo sorriso zombeteiro para a garota.

— Eu não mordo, Saunders. — Jungkook disse em provocação dando um gole no refrigerante e olhando por sobre os ombros a cozinha. Louise pode jurar que tinha visto caninos entre os lábios entre abertos. — Cara, saia daí! Ela está calma hoje! — ele riu ao gritar para alguém que parecia estar na cozinha.

     
      Jimin apareceu logo depois a encarando com uma expressão de quem não se importava com sua presença e a olhou com desdém logo de primeira.

— Que raio é isso? — Louise perguntou intrigada enquanto Adelyn se levantava rindo. 

     Já era madrugada e desde a tarde quando Louise saiu da cafeteria e passou a casa de Emmy para deixar as matérias do dia ela não tinha visto Jimin a seguindo. Emmy estava doente aquele tempo. O clima frio de Elydium fazia a garota adoecer facilmente e Louise sempre se encarregava de deixar toda a matéria de semana em sua casa, embora fosse bem longe dali.

     Ela tivera perdido a noção do tempo conversando com Emmy.

— Sei lá, alguma coisa aconteceu com a casa deles e eles pediram pra passar a noite aqui. — ela deu de ombros lançando um olhar de apelo para Louise que soltou um longo suspiro.

— Só temos duas camas de casal. — comentou baixinho enquanto Adelyn abria um amplo sorriso.
— Ótimo. Jungkook dorme no meu quarto e você dorme com Jimin! — Louise desviou os olhos para Jimin que apesar de olha-la com desdém não deixou de erguer os cantos dos lábios em um sorriso malicioso que fez com que Louise se arrepiasse completamente.

— Não! — ela gritou segurando o braço de Adelyn. — Você dorme comigo e eles podem dormir no seu quarto, juntos. — Jungkook pigarreou e Jimin soltou uma alta gargalhada.
— Louise... Não é pelo fato de que andamos juntos e somos amigos que somos gay... — Jungkook comentou sentando-se no sofá e colocando os pés em cima da mesa de centro enquanto desviava os olhos para Jimin. 

      Os orbes castanhos desviaram-se para Louise observando as maças do rosto da garota e depois o decote da blusa que usava. Ela corou percebendo que Jungkook a encarava.

      Infelizmente Louise tinha seios grandes o suficiente para atrair olhares, mas, não era como se sua blusa estivesse estampada com “Olhe diretamente aqui e perca os orbes”. — Ela soltou um longo suspiro cruzando os braços fazendo Jungkook acordar do transe e corar logo depois percebendo o que tinha acabado de fazer.

      Puxou um livro e começou a ler em um falso interesse tentando quebrar o clima tenso. 
— Bem, eu não me importo de dormir com ele. — Adelyn deu de ombros e Louise separou os lábios ficando boquiaberta com a maneira que a garota tratava toda a situação. Tão facilmente que fazia parecer dormir com um garoto na mesma cama algo normal.

— Eu me importo! — respondeu imediatamente corando enquanto Jimin revirava os olhos se aproximando dela.
       Louise engoliu em seco observando os olhos castanhos a penetrarem divertidamente. O cheiro do perfume de Jimin a fez ficar tonta. A blusa aberta em V fazia a clavícula de Jimin aparecer e ela não conseguiu evitar pousar os olhos ali desejando roçar os lábios no local.

       Cristo! Tire esse garoto de perto de mim! — pediu mentalmente soltando um suspiro de agonia enquanto Jimin se divertia com a situação.
— Saunders! — ele se inclinou para frente fazendo Louise ficar séria. — Vamos, é só uma noite. — sorriu zombeteiro e com malicia enquanto Louise perdia o ar. 


      Não, nem uma noite! Nem meia! Nem um século! Muito menos um segundo! 
       Ele fazia com que ela ficasse fora de si, sem nem mesmo encostar suas mãos nela e, ela não queria esperar para ver o que aconteceria se ele a tocasse.

— Não! — ela disse lentamente se inclinando para ele que arqueou as sobrancelhas cruzando os braços.
— E onde vou dormir? — resmungou incrédulo e Louise sorriu divertidamente apontando para o sofá.

— Park , te apresento meu melhor amigo, o sofá! — disse se aproximando do sofá e sentando sobre ele enquanto Jimin a olhava com uma careta de indignação e reprovação.
— Qual é! Você tem uma cama enorme lá em cima e não pode dividir comigo? — ela se levantou do sofá ignorando a pergunta dele e subindo as escadas. — Louise! — ele chamou em um grito enquanto ela o ignorava.

— Boa noite Jimin! — disse por fim entrando no quarto e trancando a porta enquanto o garoto resmungava e falava algumas coisas ao lado de fora. 


                                                                             [...]
      Ela nunca tinha visto Jimin dormindo, não até aquele dia e, ele parecia tão calmo enquanto dormia. 
       As pálpebras fechadas, a respiração controlada quase que ensaiada enquanto o peito subia e descia lentamente. Os cabelos desgrenhados. — Ela desviou os olhos para observar melhor a nuca de Jimin. Ela estava nua, vulnerável e os lábios de Louise formigaram pela tentação de se aproximar da pele de Jimin para talvez beijar o local.

       Assustou-se quando o garoto piscou os olhos a encarando severamente e se sentando no sofá enquanto ela se afastava dele saindo do transe e voltando para si.

— Saunders... — ele resmungou baixinho enquanto ela se distanciava. — Não me veja dormir, isso é irritante. — disse com a voz rouca e sonolenta o que deixava Jimin ainda mais atraente.


       Céus! — ela revirou os olhos. Não tem nada nele que não seja menos atraente? — pensou se dirigindo até a cozinha.

— Você deveria ser mais gentil. — ela resmungou de volta para ele que caminhou até a cozinha também.
— Com você? — ele gargalhou baixo. — E desde quando sou gentil com “qualquer uma”? — perguntou em provocação fazendo Louise se irritar.

— Lembre-se que você está na casa dessa qualquer uma! — respondeu juntando as sobrancelhas em raiva enquanto Jimin a observava sério. Os lábios eram uma linha reta e as sobrancelhas estavam um tanto juntas enquanto ele mantinha a postura severa.

        Aquela postura de Bad Boy sempre quebrava Louise. Vezes com medo, vezes com desejo.


— Na verdade... — ele pigarreou arqueando o canto dos lábios em diversão. — Foi sua prima quem me deixou ficar aqui, então, tecnicamente falando... Isso não é problema seu. 

        Louise desviou os olhos para ele suspirando e abrindo uma caixa de cereal com força fazendo boa parte do mesmo voar pela cozinha sujando completamente o chão. 


— Menos força Saunders... — ele comentou zombeteiro se afastando dela e caminhando até a sala.
— O que você tem contra mim? — perguntou sem pensar no sentindo de suas palavras e corando logo depois quando ele se surpreendeu com a pergunta virando-se para ela. Se aproximando o suficiente para fazer Louise arfar.

— Tudo. — ele riu. — Você me irrita. É fraca, frágil, irritante, patricinha e uma perfeita garota estúpida. — ele deu de ombros enquanto Louise engolia tudo que ele tinha dito de uma vez.

— Olha quem fala, é um ignorante, Park! Rude! Estúpido e acha que tem o mundo na palma das mãos! — o que tecnicamente era verdade já que Jimin tinha herdado os negócios de sua família e com 18 anos já era o sócio da empresa do pai de Adelyn.
— O mundo? — negou com a cabeça aproximando os lábios quentes e macios do ouvido da garota sussurrando ao ouvido dela. — Não. — a pele de Louise se arrepiou com a aproximação e os pelos de seus braços se levantaram. — Mas talvez eu saiba como te controlar. — sorriu maliciosamente para ela que o empurrou para trás fazendo o garoto bater as costas contra a bancada da cozinha. As bochechas de Kaila coraram imediatamente enquanto ele gargalhava alto. 

— É você quem fica me seguindo pelos lugares! Vai negar que fica me olhando nas aulas? — Jimin deu de ombros.
— Gosto de ver seu decote. — ele mordeu o lábio inferior fazendo as bochechas de Louise corarem ainda mais.

— Idiota! — murmurou colocando leite em uma tigela derramando cereal dentro e saindo para a sala.
— Confesse Saunders! — Jimin gritou ainda gargalhando. — Sou o sonho de consumo de qualquer uma e logo serei o seu! — disse triunfante observando a garota sair da cozinha, mas, logo os lábios se tornaram uma linha reta em uma cara triste. Ele estremeceu ao olhar para a janela e perceber que era dia.

       O tempo estava passando tão rápido... 
       E, talvez ele não tivesse como aproveitar tudo com quem gostaria.
       Logo a noite chegaria...
       E traria de volta seu pesadelo real.


                                                                             [...]

      Quando Louise adentrou o colégio aquela manha sentia-se aliviada. Era uma terça-feira e provavelmente ela e Jimin só teriam duas aulas juntos. 

       Ela andou até o armário do colégio puxando alguns livros lá de dentro e os pressionando contra o peito enquanto suspirava. Não tinha conseguido dormir direito aquela noite. Mais uma vez ela teve a estranha sensação de que alguém a olhava pela janela, como se estivesse a vigiando o tempo todo.
       Isso era normal de se acontecer, mas, aquele dia parecia que algo estava errado e que a pessoa que a vigiava estava mais perto, como se ela corresse perigo.
        A sensação só foi embora quando Jimin mais uma vez tentou bater na porta pedindo e choramingando para entrar.
      Ela saiu de seus devaneios quando o sinal do colégio tocou iniciando o primeiro tempo. Girou o corpo para caminhar até a sala, mas, foi repreendida quando um corpo musculoso bateu contra o dela.
     Louise desviou os enormes olhos cinzentos para cima notando que quem a fitava era um garoto de cabelos castanhos escuros e os orbes de mesma cor. Ele arqueou as sobrancelhas ao nota-la parecendo assustado.

     Ele era bonito, muito bonito inclusive. 
— Perdoe-me. — o garoto de cabelos castanhos quebrou o silêncio imediatamente. As veias de seu pescoço saltavam. Ele levou as mãos até a boca a tampando enquanto os olhos se arregalavam. Parecia que finalmente tinha se tocado de quem estava em sua frente. — Não... — gaguejou. — Não te vi. 
— Tudo bem. — Louise murmurou de volta suspirando e desviando os olhos para o garoto que parecia aflito.

— Louise, não é? — perguntou tentando acalmar-se passando as mãos na nuca e suspirando.

— Sim... — respondeu timidamente enquanto ele sorria mudamente aproximando-se dela. — E você? — ele arqueou as sobrancelhas rindo da pergunta.
— Acho que isso não importa. — ele deu de ombros levando as mãos até o bolso da calça.
— Não? — perguntou curiosa e o garoto sorriu para ela inclinando-se para frente.
— Você é muito bonita. — comentou com os olhos cabisbaixos percebendo que Louise corou. — Desculpe-me. — pediu relutante. — É que me lembra muito uma pessoa que perdi... — os lábios de Namjoon tornaram-se uma linha reta. Ele percebeu o que tinha acabado de dizer arregalando os olhos. — Quer dizer... — tentou concertar sua fala nervosamente pigarreando. — Esquece... — disse por fim afastando-se dela e sumindo pelo correndo.


      Louise permaneceu um tempo ali, parada, encarando o garoto até sumir entra a multidão de alunos e andou até a sala de aula perguntando-se quem era aquele estranho garoto.


                                                                             [...]

    Namjoon andou para fora do colégio. O coração ainda descontrolado, as veias de seu pescoço saltando, o rosto lutando entre sua face monstruosa e seu lado ainda humano. Ele escondeu-se em baixo de uma árvore tampando o rosto com as mãos enquanto tentava se controlar.
    Era ela! Ele tinha certeza!
    Ele perdia as horas a olhando dormir pela janela do quarto, isso até Jimin tomar seu lugar. Ele estava aflito. Perdido em pensamentos e o desejo pelo sangue dela o deixava tão louco que ele chegava ao absurdo de aparecer no colégio dela para talvez se aproximar um pouco mais, sentir um pouco mais de seu cheiro.
    A última vez que ele a tinha visto foi em 1624, mas, ele a perdeu para Jimin e talvez, fosse melhor que as coisas continuassem desse jeito...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...