História Hurricane - Jikook - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Fluffy, Jikook, Kookmin, Namjin, Vhope, Yaoi
Visualizações 79
Palavras 1.949
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente :3 essa é minha primeira fanfic.
Obrigada @ SxeokJin por me incentivar a postar <3

Espero que gostem, boa leitura.

Capítulo 1 - August 11, 20xx: Restaurant


Park Jimin

 

Durante minha adolescência fiz cursos de Gestão Comercial, Desenho, Designer Gráfico Básico; depois de formado no ensino médio, cursei Arquitetura e Urbanismo; hoje sou Park Jimin dono, administrador e arquiteto da minha própria empresa, Chul-Eunji A&C. Administrar empresa não é muito fácil, e sozinho tornava-se quase impossível, mas gostava do que havia escolhido para meu futuro e não me arrependia de nada.

Minha família dizia que preciso encontrar alguém, e que não se vive apenas de trabalhar e estudar, mas desde criança tive o pensamento de que não queria isso e depois de algumas decepções amorosas me fez acreditar e querer mais ainda. Eu não nasci para ter alguém! E eles escolheram ficar calados com relação a isso, os mesmo moram em minha cidade natal, Busan, pois os negócios se encontram lá, já ofereci para expandirem para Seul, para ficarmos mais próximos e visita-los frequentemente, mas dizem que da maneira que estão não precisa, e respeito, mas infelizmente os vejo apenas em datas festivas.

 

-x-

 

Eu nunca me atraso, principalmente se for para uma reunião de negócios, já era costumeiro chegar 1 hora antes, por mais que o projeto arquitetônico não fosse de minha responsabilidade, gostava de estar presente em cada uma, indiretamente. Não poderia fazer muita coisa para não se estar atrasado hoje, havia madrugado para terminar o projeto de uma reunião que acontecerá daqui à dois meses, muito tempo restando? Talvez, mas esse é o maior projeto e construção que minha empresa estava pegando até o momento, e havia decidido ficar a frente diretamente, pois não estudei 4 anos para apenas ficar indo a reuniões, fechar negócios, assinar papeis e ficar sentado atrás de uma mesa.

Corro, pois queria comprar meu frappuccino -mesmo estando atrasado- antes da reunião, poderia pedir para a secretária ligar e ter a entrega pelo delivery, mas gosto da adrenalina, me sinto vivo, porque se tem algo que gosto além de trabalhar, é aventurar-me e pelo pouco tempo que me resta na agenda, dificilmente faço viagens para conhecer novos lugares e então, esse torna-se um dos meus pequenos lazeres, -mesmo que seja raro em que esteja correndo-, seria engraçado se não fosse trágico, pois estou a caminho de uma reunião que falta 20 minutos para começar, porém o estabelecimento não se encontra muito longe da empresa.

 

-x-

 

Chegando na recepção da empresa, sou recebido com um sorriso agradável da secretária.

- Bom dia, senhor Park. –diz levantando-se e curvando-se educadamente.

- Bom dia, Dahyun. –digo sorrindo, colocando o frappuccino em cima do balcão e apoiando-me para recuperar o fôlego.

- Os clientes já se fazem presente na sala de reuniões, está apenas aguardando o senhor chegar para começar.

- Obrigado. –sorrio, pego meu frappuccino e viro-me para pegar o elevador para o andar da sala.

 

-x-

 

Ocorreu tudo bem na reunião, mais um negócio fechado, é um projeto menor, mas não menos importante. Recebimentos de equipamentos novos e planilhas atualizadas, pode parecer pouco, mas engana-se quem acha isso, é cansativo, mas o sorriso e reconhecimento final é gratificante. Mais um dia de trabalho terminado.

Dirijo até meu apartamento para tomar banho e sair, estava decidido que jantaria fora. Longe do trabalho chegava a ser irreconhecível por causa do uso de minhas roupas, sempre acostumados a me verem de roupas sociais, porém é sufocante usar constantemente, então geralmente visto-me com uma calça jeans reta, blusa de gola redonda com listras ou lisas e Dr. Martens.

 

-x-

 

Há um restaurante em particular que me agrada bastante, música ambiente e a melhor comida da cidade -é uma pena que seja tão cara, pois todos deveriam prova-la pelo menos uma vez na vida-, não há de todo um ruim em estar sozinho, pois gosto de observar as pessoas, ver cada um seguir a vida a sua própria maneira e que por mais errada que tenha sido a escolha de algo, tirar um aprendizado para o futuro.

Adentro o estabelecimento, e ao escutar o dedilhado do violão do músico da noite me tira um pouco do cansaço do dia. Sento em uma mesa perto da janela e logo em seguida sou atendido.

- Boa noite senhor, o que deseja? –pergunta-me o garçom.

- Boa noite, gostaria de bibimbap e shigeunchi namu. – digo sorrindo enquanto o jovem anota em um bloco.

- Certo. –diz e retira-se.

 Enquanto aguardo, observo os letreiros iluminados, é encantador a harmonia e agitação que há entre todas as luzes à noite. E então, um rapaz aparentemente mais novo e alto que eu, entra e senta-se na mesa a frente da minha, -não muito distante- e pego-me observando-o... ele é bonito, retira de seu bolso o celular e começa a digitar no mesmo, e um sorriso surge em seus lábios ao ler, aparentemente, algo engraçado, e a cada minuto parece alagar-se mais e começa a gargalhar, uma risada que poderia ser facilmente trocada pela minha música favorita.

Acordo de meu pequeno transe com o garçom avisando-me da chegada do pedido, começo a comer mas sem deixar de observar o rapaz, pouco depois o pedido do mesmo chega, e como é bonito ele comendo, assemelha-se com um coelho, bastante fofo. Não sei em qual momento deixei de comer e apenas fiquei admirando-o, apenas percebo quando o mesmo vai embora e então a ansiedade me invade.

 

Jeon Jungkook

 

Quando criança sempre pegava folhas de papel e ficava rabiscando casas e edifícios, algo bem amador, mas que amava, com o tempo meus pais colocou-me em um curso de desenho e aperfeiçoei-me. Na adolescência, os mesmo tinham uma PENTAX K-1000, um pouco antiga, mas que ainda dava boas fotos usava a mesma para me divertir desde que me entendia por gente, minha avó percebera que amava fotografar na mesma intensidade que desenhar, e em um dos meus aniversários presenteou-me com uma FujiFilm S1, e a partir procurei cursos de fotografia e apaixonei-me por completo, tornei-a minha profissão, uma forma de guardar dinheiro para um estúdio fotográfico futuro e escritório de arquitetura.

Concluinte de Arquitetura e Urbanismo, mudei-me de Busan para Seul com o dinheiro que juntei boa parte da adolescência, iria abrir meu próprio escritório, meu sangue fervilhava com a ideia, no começo foi imensuravelmente difícil, mas aos poucos, com muita insistência -pois saia todo dia para entregar cartões em construtoras- fui ganhando visibilidade no mercado, não era todo e qualquer projeto que pegava, surgiam muitos, mas tentava ao máximo pegar os de longo prazo.

 

-x-

 

Levanto-me vagarosamente para mais um dia comum de trabalho, são 07:39h, sem motivo para pressa; não estava a frente de nenhum projeto, mas às 09:30h terei uma reunião com a empresa Chanel, fecharia contrato com os mesmo, que querem que avalie e se preciso, fazer alterações no projeto arquitetônico da empresa Chul-Eunji A&C, apesar da reunião com a própria ser daqui à dois meses.

Faço minha higiene matinal, tomo meu café e olho no relógio de cozinha que marca 08:50h, por sorte o escritório não fica muito longe de onde resido e as plantas encontram-se no mesmo. Dirijo e o transito está sem engarrafamentos, o que facilita a chegada ao local.

 

-x-

 

Com o tempo havia contratado um assistente e secretário que era mais um amigo, mas eu o pagava, então apenas tratávamos com informalidade longe dos clientes. Cheguei ao escritório e Minwoo já se encontrava olhando fixamente para o nada, sorri ao me deparar com aquilo.

- Pensando na morte da bezerra? -pergunto sorrindo enquanto pego a chave que dá entrada para a sala de reuniões, abrindo-a.

- Aish, Jungkook, por que não deixou a chave? Agora teremos que limpar a sala às pressas. -diz aproximando-se, trazendo-o com si uma vassoura, balde e pano de chão.

- Desculpe-me, esqueço que devo deixar as chaves. -digo enquanto pego o projeto dentro do armário próximo a mesa e colocando sobre-a.

- Então trate de fazer uma cópia para mim, apenas a da entrada não dá certo. -diz dando-me um tapa na cabeça e saindo da sala.

- Está certo. -sorrio- Ah, quando os clientes chegarem, me avise! -grito enquanto vejo-o sair da sala por completo.

 

-x-

 

A reunião havia acabado, e aprovado os projetos feitos, pediram para deixar guardado e levar para a reunião com a tal construtora. À tarde teria um ensaio fotográfico, que era como um segundo emprego, mas que aceitava com menos frequência, preferia tê-lo como hobby.

- Minwoo, já sabe, se ligarem, deixe agendado horário e pegue número para retornar a ligação. Se perceber que é de extrema urgência, me ligue. -digo, pois o garoto tem mania de me ligar em toda e qualquer situação, por mínima que seja.

- Sim senhor. Até amanhã. -diz debochado, pegando sua xícara com chá e bebericando-a.

- Até. –aceno para o mesmo.

E vou rumo ao ensaio.

 

-x-

 

No ensaio ocorreu tudo perfeitamente bem, o clima estava bom, a paisagem era linda e as pessoas com uma facilidade enorme de serem fotografadas, sempre fui um grande admirador de retratar pessoas, as tímidas, possuíam uma delicadeza incomparável em fotos espontâneas, enquanto as mais animadas transmitiam brilho e energia. É mesmo fascinante.

À noite gosto de ir até o restaurante Hwang To Gil, pois lá dá para ver uma das mais movimentadas avenidas de Seul, com seus incontáveis letreiros com diversas propagandas e luzes, e então na maioria, pego meu celular ou câmera e tiro foto dos carros em movimentos, da decoração rústica do estabelecimento e da música ao vivo transmitindo-me paz. E sendo de costume, dirijo até o local, estaciono o carro e adentro o estabelecimento.

Sento-me na mesa perto a janela, retirando o celular do bolso enquanto aguardo ser atendido. Verifico as redes sociais -nada de muito importante-, abro as mensagens e entre elas há mensagens do Minwoo, do grupo de amigos e Taehyung. Sinto um olhar sobre mim e por cima do celular vejo um rapaz aparentemente mais baixo que eu, e não consigo identificar ser mais novo ou velho, mas é bonito, isso não posso negar. O mesmo está vidrado em mim, faço meu pedido e decido responder Taehyung e comentar sobre o que está acontecendo.

 

Jungkook; 21:07h

TaeTae, calma, apenas tive tempo agora de visualizar suas mensagens.

Taehyung; 21:08h

Até que em fim Jeon Jungkook! Enfim, como foi o ensaio hoje à tarde?

Jungkook; 21:08h

Foi ótimo. Mas não é sobre isso que quero falar agora.

Taehyung; 21:09h

Ah, que maravilha.

Então o que é criatura?

Jungkook; 21:10h

Sabe aquele restaurante que costumo vir?

Taehyung; 21:10h

Sim, o que tem? Decidiram acrescentar algo no cardápio?

Jungkook; 21:11h

Não.

Taehyung; 21:11h

Então o que é, fala logo! Você sabe que odeio que me deixem curioso.

Jungkook; 21:12h

Tem um cara, me encarando, acho que dês da hora que cheguei, é engraçado, ele nem pisca o olho.

Taehyung; 21:15h

Uuuuui, já gostei do assunto.

Ele é bonito?

Jungkook; 21:16h

É sim, parece ser rico também.

Taehyung; 21:17h

Então dá o bote! Tá perdendo o que?

 

Gargalhei, não me contive, as vezes o Taehyung tinha cada ideia maluca, e essa era mais uma dele. Desde que nos conhecemos e ele soube da minha preferencia sexual, jogava praticamente todo tipo de cara bonito pra cima de mim, mesmo dizendo que não precisava.

 

Jungkook; 21:19h

Não TaeTae, enfim, já avisto minha comida chegando. Até mais.

 

Não o espero visualizar e guardo o celular dentro do bolso para me concentrar no alimento. Percebo ainda estar sendo observado, levanto o olhar e vejo o rapaz ter parado a própria comida para me olhar, abaixo a cabeça e sorrio para mim mesmo. Quem seria o maluco que deixa de comer para observar outro? Terminado a minha, pago a conta e retiro-me do local.

"O impacto do seu sorriso prendeu a minha alma a sua." 


Notas Finais


Se você chegou até aqui, muito obrigada <3 ~abraça~
Espero mesmo que tenham gostado.
Até o próximo capítulo, beijinhos :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...