História Hurricane - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 59
Palavras 1.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mas oi gente! Fiquei um tempinho sumida, mas estou de volta. Saibam que nos próximos dias teremos vários capítulos de Hurricane, porque preciso ligar isso com Sunset pra dar certinho...

Espero muito que gostem. E meus amores do grupo no whats, esse capítulo é pra vocês ♥ As ideias que vocês me deram ainda não acontecem aqui, mas saibam que as veremos em breve ♥

Capítulo 27 - New York


New York. Cidade mais bonita que já acabei por conhecer. Eu nunca tinha vindo antes para cá e agora que estou aqui eu simplesmente estou amando a cidade. Exceto por uma coisa:

Alexis não está aqui comigo. Eu o deixei para trás, em San Francisco. E eu não tenho certeza de quando voltarei para vê-lo.

A princípio, no natal eu estaria de volta, mas agora já não tenho tanta certeza assim. A minha relação com meu pai ficou péssima, já que ele me obrigou a vir para cá com ele e, mais que isso, me manda fazer inúmeras atividades durante o dia, participar de vários clubes da escola e por aí vai.

Só fiz uma amizade, com uma menina chamada Gabriela, que, por acaso, se apaixonou pela minha história com Alexis e se tornou uma grande amiga de enorme ajuda. Graças a ela não me sinto tão sozinho, porém ainda é bem complicado por não ter exatamente quem eu queria por perto.

Em uma certa tarde, enquanto eu estava na aula de química, lembrei dele. Só que não lembrei de um jeito muito bom. Senti um aperto muito forte no meu coração e cheguei a sair da sala de aula para ligar para ele. Estava sem sinal no telefone.

Passei aquela tarde inteira preocupado, mas como participava dos inúmeros clubes da escola e ainda fui arrastado para um jantar com meu pai, precisei esperar que chegasse em casa para ligar para o Ale. E o sinal daquele telefone simplesmente não voltava, algo que começou a me irritar e entristecer a cada segundo mais. Eu sentia que algo ruim havia acontecido e precisava ajudar Alexis.

Se eu pudesse, teria ido atrás dele na mesma hora. Mas não é como se essa possibilidade verdadeiramente existisse. Ela era fruto apenas dos meus sonhos e mais profundos pensamentos e sentimentos. Eu o amava e queria estar perto dele, mas não podia. Não agora, não ainda.

Quando finalmente cheguei em casa, entrei em meu quarto e me tranquei. Aquela casa não parecia meu lar, era horrível. Por sorte eu tinha sinal e, naquele instante, não me preocupei com o fato de ser quase meia-noite. Eu precisava ouvir a voz de Alexis e não podia mais esperar por isso. Liguei e esperei que ele atendesse. Me senti levar um tiro e cair ao chão por ouvir aquela voz de choro. Eu sabia que tinha algo errado, sabia!

- O que houve, meu amor? – Já perguntei, muito preocupado para me conter.

- Topa Skype? É melhor de conversarmos... – Apenas murmurei que sim e já liguei o notebook.

Aquele negócio ainda demorou para se ligar. Justamente quando eu precisava, as coisas começavam a dar muito errado. Quando enfim consegui conectar e liguei a câmera, olhei para ele e vi seus olhos vermelhos. Ele estava mesmo chorando.

- Me conta o que houve, meu amor. Eu passei o dia inteiro preocupado com você, senti uma sensação muito ruim, como se algo tivesse acontecido, mas eu estava sem sinal no meu celular e não conseguia te ligar. Me perdoa por não ter conseguido, eu deveria estar aí para te ajudar. – Quase comecei a chorar enquanto falava aquilo.

- Não é culpa sua. Na verdade, foi meio estranho o que aconteceu. – Sua voz demonstrava uma tristeza enorme, algo que pareceu partir meu coração. – Aliás, Matthew está aqui agora.

- Oi, Nic. – Cumprimentou-me Matt.

- Graças a Deus você está aí. Mas agora me contem, o que aconteceu?

- Mônica foi quem te enviou aquela foto com a legenda, Nic. Daniel descobriu e deu uma surra nela e eu presenciei isso. Quando eu vi isso, eu pareci esquecer que era ela e me veio os pensamentos da surra que eu levei, aquela que você estava sendo segurado e que teve que assistir. Eu senti uma perturbação muito forte. – Contou-me, chorando novamente. – Mas aí eu resolvi que enfrentaria meu medo. Eu fui forte, pela primeira vez. Eu fiquei na sala, longe de qualquer coisa que pudesse me machucar. Eu só fiquei ali, chorando e pensando. Pensando em você, pensando na minha mãe... pensando que eu não podia me machucar e arriscar me matar agora.

- E eu liguei para ele porque estava preocupado, com a voz que ele falou comigo eu fui obrigado a vir aqui ajudar ele, Nicolas. Acho que parte de mim nunca vai ficar em paz por saber que uma boa porcentagem do que aconteceu com ele foi culpa minha. Deixei Daniel sozinho e fiquei aqui com o Alexis. – Explicou Matthew e eu sorri fracamente. Tinha feito algo bom em ter juntado aqueles dois ali. – E me perdoa pela foto, caso tenha pensado algo errado. Eu juro que nunca tentaria algo com Alexis, sei que ele é o seu menino e vai continuar sendo. Até porque ele nem iria me querer, ‘tá na cara que ele te ama.

- Mas é bem idiota esse Matthew. – Brinquei, arrancando uma risada dos dois. – Dessa vez eu fiquei mesmo sem sinal, mas qualquer coisa que acontecer você pode me ligar, Ale. Você sabe disso. Estou sempre a sua disposição. Disposição de vocês dois.

- Não queria preocupar você, Nic. – Alexis ainda parecia cabisbaixo. – Você estaria em aula, não queria te deixar pensando nisso. E também eu nem conseguia raciocinar direito.

- Tudo bem... pelo menos agora você está em boas mãos.

- Sem ciúme? – Alexis arqueou a sobrancelha, me encarando e eu apenas ri.

- Confio em você. – Pisquei para ele, que sorriu de maneira tímida. – E que história é essa de que a Mônica levou uma surra do Daniel?

- Ah, isso provavelmente tem a ver comigo. – Matthew também pareceu tímido ao falar isso. – Olha, Nicolas, você é meu amigo e como eu contei isso a Alexis não posso esconder de você.

- Não me diga que você e Daniel estão tendo algo. – Minha boca se abriu com aquilo e ele riu fraco. – Ok, tem algo a ver com isso. Conta logo!

- Curioso! – Brincou Alexis.

- Eu gosto dele... – Sussurrou Matt. Que amor, ele ficou envergonhado. – E não abra esse sorriso sapeca, não venha me zoar, me apaixonei pelo sapo e não pelo príncipe, mas torço para que ele ainda vire um príncipe, ok? Não precisa me olhar desse jeito.

- Isso é fofo. Gostei! Mesmo que eu já não consiga mais suportar a cara dele, nem mesmo achar que ele é uma boa pessoa ou sentir a amizade que eu sentia, espero que você o mude. – Ele fez um gesto obsceno com a mão para mim e eu apenas ri mais.

Estava feliz pelo clima tenso ter se dissipado e pelo fato de que Alexis parecia mais tranquilo agora, estava até rindo conosco.

- Assim como Alexis mudou você, não é mesmo? Porque o idiota que você era... – Negou Matthew com a cabeça, me fazendo revirar os olhos. – E como está tudo por aí, Nic?

- Fiz uma amiga, mas também é a única. O nome dela é Gabriela e ela adorou saber sobre eu e o Ale, ela quase teve um ataque até. – Movi a cabeça negando enquanto ria. – Tirando essa parte, tudo está péssimo, tanto a falta que eu sinto de vocês e da minha mãe quanto a minha relação com meu pai. Ele virou um verdadeiro ditador, mas não tem problema. Eu vou sobreviver.

- Você não sabe quando vem para cá? – Alexis perguntou e eu neguei com a cabeça. – Ah, sim.

- Prometo que vou tentar ir o mais rápido que eu puder. – Afirmei para ele.

- Nicolas, podemos conversar, por favor? – Ouvi a voz do meu pai.

- Já vou, pai. Só um minuto. – Ele apenas disse que tudo bem e se afastou. – Vou indo, gente. Matthew, cuida bem do meu Alexis, viu? E Ale, não esquece que eu te amo. Boa noite para vocês.

- Também te amo, Nic.

- Boa noite!

Desliguei o notebook me sentindo um pouco mais tranquilo. Se Matthew está junto com Alexis, então pelo menos o Ale está em boas mãos. E eu não estou mais com ciúme. Quem diria que Matt gosta de Daniel e mais do que apenas como amigo, não é mesmo? Eu nunca iria esperar por isso.

Saí do quarto e vi meu pai parado e escorado na parede. Ele respirou fundo e soltou um suspiro, descendo as escadas e pedindo para eu acompanhá-lo até a sala. Sentamos de frente um para o outro e o clima era péssimo.

- Vamos passar o natal na casa dos seus avós, em Los Angeles. – Meus olhos brilharam. Eu amava ir para a casa da minha avó. – Mas voltaremos antes do ano novo.

- Você podia pelo menos deixar eu ir até San Francisco ver o Alexis, não acha? Estaremos no mesmo estado, perto um do outro. E você sabe que eu sinto a falta dele, pai.

- Sei disso. Gosta mesmo dele, não é?

- Eu o amo. – Falei com convicção.

- Então, nesse caso, aproveite bem! – Me entregou um envelope. – Eu te amo, Nicolas, você sabe disso. Acha que eu não percebo que estou errando de novo e de novo uma vez atrás da outra e isso está nos afastando cada vez mais? Eu percebo isso, é óbvio que eu percebo. Você é meu filho e eu só quero te ver feliz, não me importa se estará comigo ou não. Claro que eu quero você ao meu lado, por isso peço que fique mais um tempo, mas também não posso te prender aqui para sempre, ainda mais te mantendo longe dos seus amigos. Não vou fazer com você o que uma vez meu pai tentou fazer comigo, não se preocupe. E quero que converse comigo quando as coisas estiverem ruins, prometo que serei mais paciente, atencioso e carinhoso. Prometo mesmo!

Abri o envelope e me surpreendi com o que tinha ali dentro. Não esperava encontrar aquilo.

- Pai... – Murmurei, finalmente o olhando. E ele sorria. – Já que está sendo tão bonzinho agora, provavelmente porque está morrendo de sono... – Acabamos rindo. – Pode me ajudar com uma coisa?

- Claro. O que seria?

E comecei a contar para ele o plano que me veio em mente de repente. Talvez o ano até acabasse mal, mas o outro provavelmente iria começar bem.

Muito bem!


Notas Finais


Deixei vocês curiosos? Porque se sim, atingi meu objetivo \o/
Próximo capítulo de Hurricane no dia 03/12. Amanhã temos Sunset \o/ Bjo ♥

E venham para o grupo no whatsapp ♥ Me mandem seus números *--*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...