História Hurts Like Hell. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alycia Debnam-Carey, Eliza Taylor-Cotter, Grey's Anatomy, The 100
Personagens Clarke Griffin, Indra, Lexa, Lincoln, Marcus Kane, Octavia Blake, Raven Reyes
Tags Clarke Griffin, Clexa, Lexa, Lexa Kom Trikru
Visualizações 255
Palavras 1.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Não serão capítulos tão longos, pra não deixar a leitura cansativa.

Capítulo 2 - O Pedido de Casamento - Parte Dois.


- Faça gratuitamente. - Fazia alguns minutos que Clarke corria pelos corredores ao lado do Dr. Kane, chefe de cirurgia. Tentando a todo custo fazer algo de bom pela paciente.

- Lexa precisa de cuidados médicos a longo prazo, o hospital não pode assumir os gastos. - O Dr. Já tinha explicado isso de maneiras diferentes para Clarke, mas ela continuava a insistir.

- Então não fazemos nada? - Clarke argumentava com revolta. E pacientemente  outra vez Chefe Kane respondia.

- Não, nos tratamos com medicamentos e marcamos visitas regulares à clínica. - Ele deu outra solução com esperança que a doutora deixasse de insistir.

- É o mesmo de não fazer nada. - a médica chegou a alterar a voz de tão frustrada.

- Olhe, eu gostaria de poder trala-lá. - Ele parou de frente loira pra explicar. - De Verdade. Minhas mãos estão atadas.

- Isso é uma grande mentira. - Clarke ousou dizer. - Já vi você contornar milhões de regras aqui. Se fosse Indra ou Monty, suas mãos não estariam atadas. - a loira ainda alfinetou. Faltando com respeito ao seu Chefe.

- Dra. Griffin, já basta.

- Desculpe. - Clarke respirou fundo tentando aliviar a tensão, não queria ter faltado com respeito com o Chefe. Entao fechou os olhos se acalmou e colocou as palavras de uma melhor maneira. - Raven Reyes foi pescar hoje. Ela é uma das residentes cirúrgicas mais talentosas que já conheci, e está pescando, ao invés de operar, em parte por minha culpa. - Por um momento a loira se alterou outra vez, mas dessa vez por causa da culpa e frustação que ela sentia com ela mesmo. logo respirou fundo outra vez antes de voltar falar. - Só quero fazer algo bom para alguém hoje. - logo a determinação voltou a sua voz. - Invente algo, adie o pagamento, o que quiser chamar. Eu só preciso fazer um bem. - O chefe Kane olhou a médica a sua frente dos pés a cabeça, parte um olhar de admiração, parte um olhar de julgamento.

- Marcarei uma reunião com o conselho. - Clarke respirou aliviada e não pode esconder o enorme sorriso que surgiu.

- Obrigada.

 

xxx - xxx

 

Finalmente a Dra. Clarke Griffin  conseguiu sua reunião com o conselho, como prometido pelo chefe Kane, que inclusive estava lá para apoia-lá, mas não estava sendo exatamente como ela esperava.

 - Uma pulseira médica de alerta? É essa sua solução? - Clarke estava se controlando pra não explodir com ninguém que pudesse tirar seu emprego.

- Se a paciente tiver uma crise hipertensiva…

- Quando. - Chefe Kane interrompeu o representante do conselho. - Quando ela tiver uma crise hipertensiva. - O homem ignorou a fala do Dr. e continuou com seus estúpidos argumentos.

- os paramédicos trarão a Srta. Woods para cá, e nós trataremos sua condição.

- Será tarde demais. Estará morta. - Clarke usou seu tom de chateação. - Então vai manda-lá pra casa para morrer, mas para você tudo bem, porque vai lhe dar uma pulseira com seu nome gravado. - Clarke se alterou, mas já não podia fazer muito.

 

xxx - xxx

 

- Receitei alfabloqueadores e a registrei na nossa clínica grátis. - Lexa estava pronta pra ir embora, mala feita, roupas adequadas. - Se precisar de qualquer coisa, me chame. - Clarke parou na porta do quarto no exato momento que o Chefe Kane entregava seu cartão para Lexa. - Vamos ajudá-la nessa luta. - O homem falou e saiu do quarto acenando com a cabeça quando passou por Clarke.

- Obrigada. - pela primeira vez Clarke pode ver aqueles olhos verdes cansados. mas tudo isso foi embora no exato momento em que ela ouviu a voz de Clarke.

- Oi. - Clarke entrou sem jeito no quarto se aproximando da cama. - Eu tentei, eu sinto muito… - um sorriso brincalhão voltou aos lábios da morena.

- Não se preocupe. Dr. Kane me deu amostras, estarei bem por um tempo. - Lexa brincou.

- Ótimo. - Clarke foi sincera, colocando um sorriso simples nos lábios. Elas se olharam por um tempo, cúmplices de um sentimento de esforço, frustradas por não terem mais nada a fazer. - Bem, boa sorte.  - Clarke se despediu com o olhar e então virou para sair do quarto. Sem querer olhar para trás, estava mandando um paciente para morrer. Lexa se permitiu tirar o sorriso do rosto e deixar a realidade daquela situação a dominar. - Meu seguro de saúde é excelente. - Lexa levantou o olhar em direção a porta e pode ver Clarke voltando a ficar de frente pra ela. Colocando outra vez aquele sorriso de canto de lábios no rosto.

- Obrigada por me fazer sentir inveja. - Lexa riu e Clarke perdeu as palavras por um momento, pensando como melhor explicar o que ela realmente queria dizer.

- Estou dizendo que… - Clarke não podia acreditar no que estava fazendo ali, mas ela realmente queria fazer algo bom hoje. - Estou dizendo que posso me casar com você. - Lexa realmente não esperava por aquela atitude, ao invés de brincar como usualmente faria, suas bochechas coraram e ela se sentiu errada, constrangida com a situação. Achando tudo uma brincadeira de mal gosto da Dra.

- É uma oferta muito generosa, mas não posso aceitar.

- Sou uma médica. Fiz um juramento. - Clarke se aproximou mais ainda da morena encarando aqueles olhos verdes. - E não posso deixá-la, tanto quanto não poderia se a encontrasse sangrando na rua. - Lexa engoliu em seco. Negando mais uma vez a proposta.

- Isso é um absurdo. Você tem consciência disso? - Lexa deixou o tom de humor voltar a sua voz, mesmo sendo algo tão sério. - e vai se arrepender amargamente amanhã de manhã. - Clarke sorriu abertamente do comentário, pra logo depois voltar a encarar seriamente a morena.

- Você está morrendo. - a troca de olhares voltou a ser a única comunicação entre elas por alguns segundos. A realidade de que negar aquela proposta era o mesmo que aceitar a morte. - Lexa você está morrendo. E você não precisa morrer porque eu posso ajudar. - e o sorriso outra vez volta aos lábios da morena. - Fala sério. Eu me casarei com você. - O sorriso no rosto das duas mulheres era para demonstrar a estranheza daquela situação. Era um pedido de casamento afinal.

 


Notas Finais


mais um, só pra deixar o gostinho.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...