História Hush Club Mascarde - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Festa, Futurista, Mistério, Novela, Romance
Exibições 10
Palavras 1.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Mistério, Orange, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Fiz essa fanfic para entreter meus amigos, caso alguém que não seja eles goste é só comentar.

Capítulo 1 - Baile de Máscaras


Fanfic / Fanfiction Hush Club Mascarde - Capítulo 1 - Baile de Máscaras

Dia 07 de Dezembro de 3056

A noite estava agradável, apesar do sufocamento que a proteção contra a poluição causava. Há muito tempo que uma noite de verão não dava a sensação de estar caminhando pelo Saara ao meio dia. 

Seu salto causava ecos enquanto mantinha o ritmo e o foco em uma porta. Situada em uma rua pouco frequentada, ao menos naquele momento, estava a entrada para uma das melhores festas da cidade. Claro que ter sua melhor amiga como gerente do local o tornou melhor do que costumava ser, e essa era uma coisa que parecia impossível na época, mas ela conseguiu. Estava a poucos metros da porta, quando avistou uma silhueta se formar em um canto pouco iluminado ao lado da porta. Continuou caminhando normalmente e conforme se aproximava, a silhueta ganhava forma, até se tornar um rosto familiar. 


- Está atrasada, garota. Disse o segurança, com um leve toque de humor na voz. 
- Aposto que não terei perdido nada. Respondeu. 
Ele abriu a porta e imediatamente ela percebeu que havia errado. O tranquilizador corredor escuro com mensagens em letras neon, que ligava cada cômodo do lugar até a pista de dança, estava agora coberto com cortinas de veludo vermelho. Era desconfortável. Imaginou que essa deveria ser a sensação de entrar no seu próprio quarto depois de um estranho ter redecorado. Não era feio, mas era estranho. 
Caminhou até a metade do corredor, onde deveria estar as portas para a área vip. Procurava uma entrada quando alguém apertou seu culote, fazendo com que gritasse.


- Se você tem tanto medo assim, como sai de casa todas as noites? 
- Quem disse que eu tenho medo, Anissa? Já vou te avisar, aproxima vez que tu fizer isso, eu vou te fazer ouvir as músicas da minha bisavó. Ridícula.
- Calma Mari, não é pra tanto. Respondeu Anissa, a assistente da gerência.
- Aham, mas enfim, viu Cady por ai?
- Ela está na área vip, vem, eu tenho que ir lá também.

Anissa puxou a cortina para o lado e magicamente a porta estava lá. Mari esperou que a outra fechasse a porta para subir, sem a agitação da noite aquele caminho era assustador.

Ali não tinha cortinas vermelhas, mas não estava do jeito que deveria. A iluminação estava precária, como se fosse feita por velas e as telas mostravam quadros mais antigos que piscavam. Mostravam pessoas em roupas estranhas e sem graça, okay, algumas não eram tanto, havia algo que prendia a atenção, até Anissa atrapalhar seus devaneios.


- Legal esses quadros né? Aposto que essa noite vai ser kiryal! Essa sem dúvida é a idéia mais sinkrik que a Natalie já teve.
- A Nat só tem idéias incriveis. Mas por falar nisso, o que vai ser essa noite?
- Você não percebeu? Achei que notaria assim que entrasse, a noite vai ter a temática de...
- ANISSA FINALMENTE TU APARECEU! 

Natalie estava vindo em nossa direção, com máscaras nas mãos e uma peruca ridícula na cabeça. 


- Que merda é essa? Perguntei apontando para a peruca de Natalie.
- Faz parte da temática, gostou? Se quiser tem uma pra você, mas não combina com o vestido que eu separei para ti. Respondeu Nat, enquanto me analisava.
-  E qual é essa gunking temática?!
- Eu esperava que tu já soubesse 
- Eu também. Retrucou Anissa - É tão óbvio...
- Eu não vou adivinhar. Falei de cara fechada. Minha paciência descia mais rápido que velocimetro de aeronave.
- Não faça essa cara para mim! Ta bom, eu falo, eu falo. A grande temática desta noite é... um baile de máscaras!

Finalmente tudo fazia sentido. A decoração era exatamente como mostrava nos arquivos das aulas, até o detalhe dos quadros e a peruca em sua cabeça. 
"Como eu sou lerda!" pensou.


- VEM! Tenho que te mostrar tua roupa e a nova ligação que fizemos entre a pista e a sala vip.

Natalie pegou minha mão e me arrastou pela sala, me mostrou tudo enquanto me explicava. Havia dividido a sala VIP em dois, com uma pista pequena e tendas com camas. Ficou perfeito, tenho que admitir. Desde que Natalie tinha sido contratada por Cady, as noites nunca eram iguais lá. Essa a mais produzida de todas. 

Atravessamos o lugar e acamos parando na outra parede. Lá costumava não ter nada, porém agora havia uma escada decorada conforme o resto do local, mas eu conseguia ver o negro reconfortante em algumas partes. A pista estava impecável. Com grandes sofás e frutas falsas em mesas ao lado de cada, todas onde costumava ter cadeiras do bar. Aliás, o bar era a única coisa que não havia mudado, ao notar isso, pergunto.


- Ei, Nat, o bar não vai atrapalhar a decoração? 
- Ah, você acha? Eu queria deixá-lo de acordo mas não tem nada no registros de bares nas grandes festas dessa época, então vai ficar assim. Disse um pouco triste.
- É uma pena, porque a decoração está incrível! Ao ouvir isso Natalie deixou escapar um sorriso e falou com mais animação na voz:
- VEM! Tenho uma surpresa ainda para te mostrar. Cady acha que você vai amar, e eu também!

Natalie voltou a me arrastar, dessa vez fomos em direção à entrada. Um pouco antes da entrada havia uma porta, ou melhor, uma sala onde costumavam guardar as coisas para as festas, geralmente só haviam coisas pequenas, no entanto hoje seria uma espécie de vestiário. 

Como nossa sociedade enquanto jovem não ligava muito para pudores, não tinha problemas deixar ambos os vestuários no mesmo lugar. Era incrível como a decoração em todos os lugares estavam impecáveis. Ali havia uma arara, com roupas de varios tamanhos e em todos os números possíveis, nenhuma continha nome ou etiqueta para a sala vip, o que me deixou bastante contente.
No fundo da sala alguém me chamou.


- Mari! Deixa de devaneios e vem aqui rápido! Era a voz de Cady. 

Rapidamente fui em direção de sua voz. Ela estava no ultimo provador, Natalie a ajudava com os ultimos botões do vestido. 

Aquele com toda certeza era o mais bonito de todos! Um vestido vitoriano de seda negra, com flores azul celeste bordadas em suas sua saia, batia um palmo abaixo de sua bunda, deixando suas pernas amostra. Assim que Natalie terminou de prender o ultimo botão, Cady se virou para mim, pude então ver que havia uma parte lisa do tecido, no mesmo tom de azul. É o mais lindo que já vi em toda minha vida.


- Ei, Mari, já pode parar de invejar meu vestido, tem um quase igual pra você ali. Disse apontando para a terceira cabine.
- AI MINHA MAM! CARALHO CADY, NÃO PRECISAVA, O SEU É TÃO PERFEITO! SÉRIO, MUITO OBRIGADA!!!!!
Dei um abraço nela antes de entrar na cabine.
- Sabia que tu ficaria feliz, mas tem mais um parecido com o meu, esse deve ser o que a Ane usará, entendeu Natalie? Agora ajude Mari a terminar de se vestir, vou ficar na porta e vocês duas ficaram aqui até a meia noite, entendido? Ajudem todos que puderem com a roupa e aconselhem à usar as camas para "se divertir", não os sofás. Até mais tarde meninas. Disse Cady, vestindo uma capa negra e saindo pela porta.

 

Natalie tagarelava sobre o quanto estava animada e ansiosa enquanto me ajudava com o vestido. Esperariamos uma hora e meia ainda. Por sorte as primeiras pessoas começaram a chegar 10 minutos depois, um grupo pequeno que foi fácil de auxiliar, porém quanto mais próximo da meia noite chegava, mais pessoas começava a aparecer. Foi difícil impedir que as pessoas tirassem suas roupas ao invés de colocá-las quando avistavam o sofá. 

Quando havia poucos vestidos e faltava alguns minutos para a meia noite, Ane, conhecida ali por seus sadomasoquismo no banheiro, chegou junto com um grupo de 15 pessoas. Não pude deixar de notar que o terror infantil de Cady estava ali. Veronika. A pior pessoa que já conheci em toda minha vida. Era desconfortável o quanto ela frequentava aquele lugar, mesmo maltratando todos os funcionários e eu. 

Veronika ao contrário de todos ali, não se deu ao trabalho de nos cumprimentar. Passou direto por todos e foi direto para as araras ver os vestidos. Natalie rapidamente levou Ane para sua cabine e lhe entregou o vestido que Cady havia ordenado que lhe entregassem e a capa negra, que pelo visto era do próprio vestido, pois eu também estava vestindo uma igual. Assim que Ane deixou a cabine escuto um grito furioso, me viro e vejo Veronika, furiosa, com um vestido branco com detalhes dourados em sua mão. Olhava de Ane para mim com sangue nos olhos.


- Por quê as duas ai estão com esses vestidos incriveis e o único jikmo que eu achei foi esse aqui, que não chega à um terço da minha altura? Disse Veronika, cada vez mais irritada. - ANDEM! UMA DE VOCÊS DUAS ENTREM EM QUALQUER CABINE DESSAS E VISTAM ESSE LIXO E ME DÊEM O DE VOCÊS, AGORA!!! 

Como nenhuma de nós se mexeu, Veronika abriu sua bolsa e tirou um bolo de notas de 1.000 dracmas, amarradas com uma fita verde em detalhes lilás. Essa praga havia comprado essas cores para si, pelo visto. O silêncio se instalou na sala, e só foi quebrado quando um homem, de feições asiáticas se aproximou de Verônica, pegou o dinheiro e foi em direção de Ane. Todos aguardavam oque quer que fosse que aconteceria, no entanto o silêncio durou pouco, pois assim que chegou em frente à Ane, disse:


- Então, bebê, quer deixar eu gastar isso com você e tirar seu vestido depois?
- Claro, vamos nessa querido. Disse Ane enquanto saia em direção à porta com o homem, rindo. Parou para mandar um beijo para Veronika, que assistia tudo boquiaberta.

Quando voltou a si, olhou para Mari e falou com petulância.


- Eu acabei de ser roubada e continuo sem meu vestido. Se não quiser que eu vá a polícia agora e feche esse "putedo" exijo que me de o vestido que está vestindo. AGORA!
- Não, ela não vai te dar nada. Disse Cady, enquanto entrava no cômodo. - Eu e todos os presentes aqui vimos que tu queria pagar para que ela tirasse o vestido. O rapaz irá fazer isso por ti. Agora vista-se e vá pelo corredor até a pista. Desculpem queridos, hoje não teremos distinção entre vips ou não, por isso não haverá entrada pela sala vip. Terminem de se arrumar e peguem suas mascaras no fim do corredor. Disse Cady aos que assistiam todo o show de Veronika.
- E quanto a mim, fofa? Vou vestir o que? Disse Veronika, com tom de deboche.
- Você, você irá vestir aquele ali que havia pego. Nós três iremos te esperar para que não aconteça nenhum incomodo novamente.

Contrariada, Veronika passou batendo com o ombro em Natalie, com o vestido branco e flores douradas em mãos. Alguns minutos depois saiu da cabine, para que Natalie a ajudasse a fechar o vestido. Quando Natalie terminou, Veronika foi até o espelho e arrumou seu cabelo. Ela era muito bonita, ninguém poderia negar. Loira natural, de estatura média e olhos de duas cores, um olho era castanho e o outro verde. O mesmo verde que estava colorindo seu cabelo em mechas, ao lado do lilás, que combinava com seu tom claro de pele.

Quando finalmente ela terminou de se arrumar, restava somente Cady, Natalie, Ela e eu ali. Caminhamos com ela enquanto Cady fechava a porta, percorremos o corredor rapidamente. Onde terminava o corredor e começava a pista, se encontrava Nic, ele entregou uma máscara para cada. Imediatamente Veronika a colocou e foi em direção ao bar, enquanto atravessava o mar de pessoas que dançavam loucamente na pista.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...