História Hwarang - The Guardian - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Hwarang: The Poet Warrior Youth
Personagens Personagens Originais, V
Tags Baseado, Hwarang, Romance
Visualizações 72
Palavras 1.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cap curtin pra descontrais dos dramas kkk nada demais <3

Capítulo 22 - O beijo do grande guerreiro, Kim Taehyung


Fanfic / Fanfiction Hwarang - The Guardian - Capítulo 22 - O beijo do grande guerreiro, Kim Taehyung

(TAE)

 

Um pesadelo em uma única noite. Nabi chorou seus litros quando chegamos na casa secreta, deixa-a sozinha por um tempo, mesmo que ela tenha vindo me procurar para resgata-la em seu pânico, eu estava com um pouco de medo de que ela estivesse me vendo como um monstro depois de me ver matando Banryu. Eu matei alguém, com razão, não posso me arrepender.

Depois de um longo tempo, voltei ao quarto de Nabi, ao abrir a porta lentamente me deparei com ela deitada de prantos da cama. Dei um longo suspiro sentindo aquela angustia subir na goela morrendo de dó da minha garota. Me aproximei dela e sentei ao seu lado, seu rosto estava virado e pude ver que sua respiração ainda estava ofegante. Ela ainda chorava.

 

- Nabi... – A chamei começando a chorar. – Me desculpe, talvez o que eu tenha feito foi horrível, mas eu precisava te proteger. É a única coisa útil que eu poderia ter feito. Me perdoa ter feito você ver toda essa agressividade e sangue. Só quero que saiba, que nada é culpa sua. Eu só... – Dei um suspiro trêmulo e chorando mais. – Eu só quero tê-la ao meu lado...! Preciso te proteger!

 

De repente, Nabi se virava para mim me abraçando forte. Me fiz surpreso e um tanto paralisado, mas lentamente fui fechando meus braços em volta de seu corpo. Era um consolo para mim. Acabei por lembrar a cena de cada flecha penetrar Banryu, aquilo me fez soltar toda a angustia, lembrar de toda a cena... o príncipe sendo esfaqueado, Nabi em pânico e correndo desesperada para meus braços. Eu agarrava sua roupa chorando demais, ela me abraçava mais forte e finalmente disse alguma coisa.

 

- Você me salvou. Não precisa se sentir tão culpado. Você não tem ideia do quão agradecida eu estou e quem deveria estar se sentindo culpada, sou eu.

 

Me afastei dela e a olhei confuso, a mesma limpava minhas lágrimas com o polegar.

 

- Porque...? – Perguntei e ela delicadamente tirava minha faixa hwarang. – Você não fez nada de errado...

- Claro que fiz. – Sorriu de leve me olhando com os olhos ainda cheios de lágrimas. – Primeiro, achei que amava Banryu e segundo mais importante... Acho que acabei por não notar algo muito importante para mim.

- O que? – Continuei a olha-la, dessa vez, curioso. – O que é?

- Você.

 

Todos aqueles sentimentos tristes e desesperadores foram embora na hora. Eu a olhava surpreso, aliviado e por dentro? Gritando! Ela finalmente me notará?! Eu sabia que precisava de paciência! Mas é claro que não tive essa exata reação, apenas mentalmente, eu apenas a encarava por um tempo.

 

- Taehyung... – Pegava minhas mãos. – Você faz tudo por mim e é o único que vi fazendo algo assim. Não sei o que sou para você, mas acho que é um cavalheiro e tenho certeza! Não por ser um hwarang e sim, por quem você é e virou para mim, por mim!

 

Eu continuei a encarar simplesmente... apaixonado. Sim, depois desses simples gestos dela eu acho que meu coração acelerou. Ela me olhava confusa e vi uma lágrima escorrer pela sua bochecha, logo tratei de seca-la e em seguida segurei seu rosto.

 

- Tae? – Perguntava, mas acabei por não prestar atenção. – Tudo bem?

 

Fixando dos seus olhos fui para seus lábios, era uma estranha sensação de desejo que nunca tive. Então, eu simplesmente lhe beijei levemente. Esse era meu primeiro ato de agradecimento por finalmente me notar, mas eu não a via mais como uma garota que precisava proteger, mas sim, como uma garota que eu precisava conquistar.

 

(S/N)

 

Suspeitei de seu olhar e observei eles focarem em meus lábios, pensei na hora “ele vai me beijar?”, minha primeira reação seria encolhe-los e negar, mas...não fiz. Simplesmente deixei e sabe por que? Eu queria aquilo, então ele finalmente o fez. Retribui apenas fechando meus olhos e corando. Taehyung aprofundava o beijo docemente levando a mão em minha nuca e eu levei as minhas duas mãos em seu peito. Aquele era um momento perfeito.

Depois de um tempo, me afastei surpresa e o olhei, Taehyung continuava a me olhar de um jeito bobo e seus olhos exploravam todo meu rosto. Sinceramente, não sei se ele fez isso por agradecimento ou se está realmente... apaixonado por mim. Estaria? Realmente? Porque?

 

- Isso... – Ele começou a corar. – Foi um agradecimento.

- Certeza? – Sorri de canto e ele riu abafado desviando o olhar. – Diga que não.

- Tudo bem, não. Não tenho certeza.

 

Lhe dei um leve beijo e o mesmo arregalava os olhos surpresos, seu rosto corava e eu apenas ria.

 

- Taehyung? – Escutamos uma voz entrando na casa.

- Suho...! – Taehyung se assustava e logo ia para fora do quarto. – Fique aí...!

 

Ele fechava a porta e na hora fui até ela encostando minha orelha para ouvir, provavelmente era notícia do príncipe, eu precisava saber!

 

- Hyung, como chegou aqui?

- O príncipe disse que estariam aqui. Me deu o caminho.

-  Como ele está?

- Melhor e ainda com dor. Mas temos algo pior agora.

- Pior? O que é?

- A rainha foi lá e....sua garota está realmente em risco maior. Vocês tem que sair daqui!

- Não posso deixar a cidade! – Taehyung parecia desesperado.

- Leve-a para fora!

- Não posso!

- E porquê?!

- Eu...! – Um silêncio ficou. – Eu não posso deixa-la. Eu prometo que a esconderei bem!

- Taehyung... é arriscado e sabe.

- Ela procurou por ela na casa?

- Sim, provavelmente estão por todas as partes.

- Então voltaremos à casa. – Tae disse firme e ouvi seus passos se aproximar. Do nada, ele abria a porta e cai no chão. – Nabi? Estava ouvindo?

- Er...- Ri nervosa. – Meio que tudo.

 

Taehyung sorriu e me levantou, olhei Minho que se aproximava de mim preocupado.

 

- Ei... Cuidado, está bem? Estou lhe deixando nas mãos de um dos hwarangs. Entenda que se ele se dar mal, todos os hwarangs irão, pois a Casa está do seu lado.

- Está? – Estranhei.

- Sim, fizemos uma reunião à respeito um dia antes do festival. Todos estão do seu lado e do Taehyung. E garoto... – olhou Taehyung. – Eles estão lhe vendo como um verdadeiro guerreiro.

 

Ele sorriu e fui embora da casa pegando seu cavalo, olhei Taehyung que estava bem chocado com essa última frase do maior. Sorri para ele que me olhou surpreso.

 

- Eu disse que não teve culpa. É um verdadeiro guerreiro. Vamos voltar?

- O mais rápido possível. – Sorriu de canto. – Vamos arrumar as coisas.

 

Primeira coisa e única que peguei foi meu caderno, Taehyung também acabou por pegar nada já que saímos correndo de um lado para outro todo esse tempo, provavelmente, continuaremos assim.

Saí da casa com ele e acabamos voltando a pé, estava ansiosa e queria ver o príncipe, preciso agradecer-lhe também!

 

- Está muito longe? – Perguntei.

- Um pouco, mas paciência e chegaremos lá. – Sorriu para mim e retribui.

 

Sinceramente, Taehyung tinha um charme peculiar. Seria seus olhos? Sorriso quadrado? Ou simplesmente seu jeito doce?

 

(TAE)

 

Não posso dizer que depois do beijo ela estava apaixonada, mas...ele não hesitou e foi até o final, o que me deixou confiante e bem feliz!

Minho me deu o aviso e eu tinha que voltar à casa já que a rainha já viu por lá, mas tenho noção de que ela poderia voltar. Aonde eu levaria ela?

Depois de um longo tempo de caminhada, já perto da aldeia, percebi que Nabi estava com dores nos pés, então tive que carrega-la mesmo que hesitasse em fazer peso para mim, mas como Minho me disse...sou um verdadeiro guerreiro agora. Chegando no portão da casa, olhei os dois guardas que me encaravam.

 

- Estão do nosso lado ou da rainha?

- Secretamente, todos nós no de vocês. – Um deles sorria e pedia para abrirem o portão.

 

Aquilo era incrível, até mesmo os guardas estavam se arriscando pela minha Nabi! Entrei no pátio e todos os hwarangs saiam da casa correndo até nós.

 

- Oh? – Estranhei. – Ya... o que há?

- Você matou Banryu! – Um deles dizia sorridente. – Depois de vermos seus verdadeiros modos, lhe agradecemos!

- E por isso... – Moo Myung saia do meio deles, coloquei Nabi no chão. – Você é o novo chefe da casa, grande guerreiro Kim Taehyung.

- Tae! – A mesma me olhou abrindo um grande sorriso. – Isso é incrível!

- TAEHYUNG! – Uma voz familiar soou no meio do povo, de repente, Woon saia correndo em minha direção me abraçando. – ESTÁ VIVO! GOMAWO, CHINGU-YA!

- Hyung! – Eu ria surpreso.

- Achei que te pegaria no caminho! – Woon me olhava chorando, era até cômico. – Você está vivo, chingu!

- Eu também. – Nabi ria nervosa e na hora ele fechou a cara para ela. – Ah...

- Poderiam te enterrar viva! – Bufou. – Só estou do seu lado por causa do Taehyung! Ele é meu único amigo!

- Tudo bem. – Riu mais nervosa e logo o cutuquei.

- Hyung... – Ri abafado. – Não me faça eu virar seu “hyung”.

 

Myung olhou para Nabi e se aproximou dela, apenas observei.

 

- Quer ver o príncipe? Ele está te esperando.

- Mesmo? – Ela dizia e senti uma queimação no estomago. – Quero sim!

 

Ela foi junto à ele dentro da casa, eu observava um pouco ranzinza...porque todos afastam ela de mim e me sinto tão mal?

 

(S/N)

 

Cheguei no antigo quarto em que Sammaekjong permaneceu nos primeiros dias hospedados aqui e lá estava ele, deitado de frente. Engoli seco e entrei lentamente, Myung ficou para fora e fechou a porta.

 

- Sam? – O chamei e o mesmo que estava com os olhos fechados os abriu me olhando.

- Nabi...! Você está bem?

- Pergunto eu à você? – Me aproximei e ele pegava minha mão. – Está bem?

- Melhor agora. – Sorriu bobo e ri de leve. – Ya... fique aqui na casa, tudo bem?

- Eu irei. Prometo não sair.

- Por favor, não me deixe preocupado.

- Mas porque tanta preocupação? – Suspirei o olhando.

- Nabi... Eu gosto muito de você. Gostar não como uma garota linda e exótica...mas, como mulher.

 

Arregalei meus olhos, simplesmente surpresa...! Essa coisa de apaixonados não acabou?! Antes era quarteto e agora...triângulo?! Preciso acabar com isso. Preciso focar em um só, Kim Taehyung...preciso tentar me apaixonar! Parece estranho dizer isso, mas...é! Tentar! Eu quero! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...