História Hybrid - Destiel - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Anna Milton, Castiel, Charlene "Charlie" Bradbury, Chuck Shurley, Dean Winchester, Gabriel, Lúcifer, Miguel, Sam Winchester
Tags Bullying, Casdean, Castiel, Colegial, Destiel, Fluffy, Híbrido, Hibridos, Lemon, Romance, Yaoi
Exibições 269
Palavras 890
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ecchi, Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - OFF 2 - Desastre.


– Você é um inútil! – John dá um tapa no jovem de 12 anos, chamado Dean. O garoto cai no chão sem dizer uma única palavra, sabia que era verdade. – Não presta para nada! Não é ágil, seus dentes são fracos, seus braços parecem galhos. Mais inútil que uma pedra! - Sam que estava assistindo escondido atrás das pernas da mãe, se assusta com a agressividade do pai. Ele, Dean e seus pais eram uma família de híbridos lobos que viviam em uma montanha, onde todas as estações eram frias. John era um Alfa forte e robusto, uma de suas orelhas tinha uma parte arrancada em consequência de apenas uma de suas lutas por território e sua cauda era peluda em alguns cantos, e calva em outros.

– John, querido. Tenha pena do nosso filho… ele não tem culpa de ser assim. – Diz com tristeza na voz uma bela mulher loira, a mãe dos garotos. Mary Winchester era seu nome, esposa de John Winchester. Suas orelhas eram menores por ser uma fêmea, seus olhos tinham o mais puro tom de dourado, como o pôr do sol. Sua cauda era bastante peluda e macia, e era onde seus filhos gostavam de se deitar nas noites mais frias.

– Ele tem que aprender a viver na floresta, Mary. Se não o fizer, morrerá antes que perceba. Veja nosso filhote Sam, que tem apenas 10 anos e se cuida melhor que esse imprestável! – John bufa e soca uma árvore. – Isso não pode continuar assim. Se ele nasceu com essa doença, vou faze-la desaparecer.

– E como pretende fazer isso? – A mulher questiona.

- Irei treina-lo, deixa-lo cada vez mais forte. Se não nasceu assim por causas naturais, ei de fazê-lo por mim mesmo.

– Espero que não apronte nada que o machuque, querido.

– Pode confiar em mim, amor. E você. – Olhou diretamente nos olhos verdes de seu primogênito. – Venha comigo. E não pense que teremos descanso. Mary, cuide do Sam até voltarmos.

 A loira, com receio nos olhos, concordou. Sabia que realmente seria bom para seu filho, mas tinha medo do quão pesado esse treinamento poderia ser. A última vez que viu os dois naquele dia, foi quando já partiam em direção ao norte.

***

 Ele dava um soco, e mais outro, e mais outro. Não podia parar até que seu pai dissesse para o fazer. Céus, aquela árvore era muito dura, mas ele não podia ligar para isso. Sua testa estava parecendo uma cascata de suor, sangue saía de seus punhos, até seus ombros doíam, mas parar não era uma opção. Desde que tinha 12 anos, sua rotina era essa. Agora que tinha 15 anos, seus músculos já apareciam. Sentia falta de Sam e sua mãe, mas ele entendia que aquilo era o necessário.

- Dean! – O garoto ouviu um chamado de seu pai. Ele já tinha desenvolvido seu olfato em treinamentos de caça e concentração, mas infelizmente era apenas isso. – Vamos jantar! Peguei um cervo, você faz a fogueira.

 O loiro afirma com a cabeça sem falar nada e se afasta para procurar galhos secos. Estavam na época do outono, então o chão estava coberto por um manto de folhas dos mais variados tons de marrom, onde Dean adorava pisar em cima e ouvir o ruído que faziam.

 Quando já estava com uma quantidade considerada de galhos em seus braços, sentiu-se sendo observado. Já tinha sentido algo assim, quando seu pai o vigiava para ver se o que estava fazendo era o certo, mas aquilo era diferente. A sensação o dava arrepios em todo seu corpo, e o pior, não conseguia enxergar ninguém. Será que estava em perigo? Seria muito bom ter algum extinto animal agora.

 De repente, sentiu uma grande força em suas costas, o fazendo ser jogado a alguns metros de distância, e sentiu seu corpo inteiro doer pela brutalidade. Não deu nem tempo de se recuperar, e seu agressor já tinha pulado em cima de si, o socando e o arranhando com o que parecia ser garras extremamente afiadas. Então era isso, um híbrido. Já tinha desistido de lutar, pois já tinha percebido que o que estava o atacando não estava sozinho, tinha mais um com ele. Subitamente o peso foi arrancado de cima de seu corpo, o deixando confuso. O vento soprou e ele sentiu o cheiro. Seu pai.

 Foi tudo muito rápido, John lutava com todas suas forças contra dois híbridos, que quando recuperou um pouco da consciência, viu que eram felinos. Seu cheiro deve tê-los atraídos, pensou. Estava sentindo medo, seu pai estava em desvantagem. Sentia também culpa por ser fraco. Se apoiou com a mão esquerda no chão e com a direita, passou levemente no rosto para ver se estava sangrando, e como estava. Sua mão estava toda avermelhada de seu próprio sangue dos ferimentos causados pelas enormes garras, e nem isso conseguiu evitar. Não conseguia se levantar, se sentia muito fraco, seu pai estava ali, lutando por ele, e perdendo. Não tinha mais como segurar suas lágrimas, e seu coração pareceu explodir, quando viu seu pai jogado no chão com sua garganta rasgada.

 Mas os outros dois não tinham se dado muito bem. Estavam sangrando e cansados, então fugiram, deixando ali um corpo e seu filho.

 Dean nunca iria esquecer aquele dia. Aquele acontecimento. Onde dois híbridos felinos de pelos negros o arrancaram uma parte de sua alma.


Notas Finais


a continuação da história sai hoje ou quinta.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...