História Hybrid and I - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Fadas, Híbrido, Jhope, Jikook, Jimin, Jin, Namjin, Namjoon, Taehyung, Vhope
Visualizações 282
Palavras 986
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Lemon, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a demora
Eu tava com preguiça de escrever

Capítulo 2 - Babá do Wesleyrey


Fanfic / Fanfiction Hybrid and I - Capítulo 2 - Babá do Wesleyrey

Dois meses depois

Já se passaram dois meses desde que Jimin está na minha casa. Além do Taehyung - Híbrido do hoseok- Tem o Jin, híbrido do Namjoon. Parece que a tal aposta foi para todos. É uma pena não lembrar de nada ;-;

Eu sempre fui bancado pelos meus pais, por ser filho único. Mas agora, tem mais uma boca pra alimentar. O jeito é começar a trabalhar. "A Jungkook porque já não fez isso antes?" Por que eu estava com preguiça.

Agora estou me arrumando para o meu primeiro emprego, yep! Vou trabalhar como babá, no anúncio dizia que era só para eu cuidar de um tal wesleyrey, Vai ser fácil, fácil.

Terminei de botar o meu coturno marrom, peguei meu celular e meus fones, e sai do meu quarto.

- Jiminnieeee, vamos eu tenho que trabalhar! Você vai ficar na casa do Hoseok.

Logo vi o baixinho ruivo correndo em minha direção.

- JUNGKOOKIEEEEEE!

Pulou no meu colo. Sim, ficamos muito apegados nesse tempo que ele está aqui.

- Oi docinho, já comeu e arrumou a mochila com as roupinhas?

Eu to parecendo a mãe dele, sokoro

- O jimin arrumou tudinho!

Me deu um selinho. - O jin-hyung também vai estar lá?

- Vai. Agora vamos para o carro, não quero chegar atrasado no meu primeiro dia.

(...)

Cheguei em frente ao prédio que estava no endereço, e desci do carro.

O prédio era enorme! Pelo o que aparenta, só tem gente rica.

Fui até a recepção falar com a moça -Que era bem feia por sinal- Tinha cabelos vermelhos, com uns fios pra cima. E faltava um dente da frente. Se eu visse ela no escuro, ia achar que é o curupira

- Oi gato, no que posso ajudar?

Falou enrolando uma mecha de cabelo com o dedo indicador.

- Ér...Poderia avisar o casal -olhei no papel para lembrar o nome deles, por que não sou obrigada a lembrar- Pimposo, que o babá do filho deles chegou?

Ela soltou uma risadinha e acentiu.

- Só um minuto, gatinho.

Piscou, e logo pegou o telefone da recepção;

- Oi, senhor Pimposo? Tem um menino dizendo que é babá do teu filho...Deixar subir...ok!

- Pode subir, chuchuzinho.

Passou a língua no buraco que faltava o dente.

- Crendeuspai

Susurrei pra mim mesmo, e sai em passos rápidos até o elevador. Apertei o botãozinho do 8° andar. E comecei a cantar Clarice falcão.

- E QUANDO TE VI FECHAR A PORTA, EU PENSEI EM ME ATIRAR DO OITAVO ANDARRRRRR -me engasguei- COF* COF* ONDE A DONA MARIA MORTA, QUER DIZER, MORA* COF* COF*

O elevador abriu, e eu nem notei que tinha uma senhora me olhando.

- Que que é? Nunca cantou na vida, sua pilantra?

Empinei o nariz. - Deve ta com inveja da minha voz!

Passei por ela, e logo encontrei a porta do apartamento que eu ia trabalhar. Número 696.

Toquei a campainha, e enquanto esperava abrirem a porta, dei batidinhas na minha roupa, para tirar o amassado, e ajeitei o cabelo.

Quando a porta abriu, eu levei um susto. Tinha uma mulher vestida de palhaço.

- Oi querido, você deve ser o babá do Wesleyrey.

- Si...

Ela nem deixou eu terminar de falar.

- AMOR VEM AQUI PAGAR O BABÁ!

Logo apareceu outro palhaço. Eu estava quase tendo um treco. Já que eu tenho uma leve FOBIA de palhaços.

- Toma, meu jovem.

Ele me entregou uns 500 reias. - Agora entre! Nós temos que ir. O Wesleyrey está na sala.

Disse indo até o elevador, e apertando uma buzina. Que eu sinceramente, não sei da onde ele tirou.

Entrei, e fechei a porta. Estava um silêncio, que bom, adoro crianças quietinhas.

- WESLEYREEEY, cadê você? Vou ser seu babá, vem me conhecer.

Esperei...esperei...e nada de me responder!

Será que o menino é mudo?

Fui até a sala, e quase tive outro treco. WESLEYREY ERA UM BONECO. PUTA QUE PARIU.

- Crendeuspai!

Cheguei mais perto, e percebi alguns detalhes dele. Era um boneco de porte médio, era branco igual neve, tinha olhos escuros, em suas bochechas havia um circulo vermelho.

- Desculpa Wesleyrey, mas você é muito feio.

Me sentei ao lado do boneco, e liguei a TV. Não demorou muito para eu me distrair.

- Sabe Wesleyrey, eu adoro esse filme... Você está gostan...

Olhei pro lado, e travei. O boneco não estava ali. LEVEI UM CAGAÇO

- DEUS ME LIVRE, CADE TU URUBU

Sai procurar ele pela casa, com o cu na mão.

Mesmo sendo um boneco eu não posso perder ele, estão me pagando pra cuidar dessa praga!!!111

O achei no meio do corredor. Estirado no chão, igual um largato

- Tu tá aí né, encosto?! Como que foi parar ai, hein?

Quando cheguei mais perto pra pegar ele. O bicho sentou. SIM, ELE SENTOU.

- AIAI MEU CU

gritei. E, por impulso, chutei ele que voo de cara na parede.

- Meu deus, Wesleyrey!

Corri Até o boneco que estava todo estribuchado no chão.

- Vou ter que te colar! Mas..onde fica as fitas?

Larguei ele denovo no chão, e fui procurar.

- ACHEI!

Peguei umas durex, e fui pegar o Wesleyrey denovo. Cheguei lá, e graças a Hyuna, ele ainda estava no chão.

Peguei ele pela cabela, e arrastei até o sofá.

- Vou te deixar novinho!

Peguei a fita, e resolvi mudar ele um pouco. Tava muito sem graça.

Colei um braço na testa. Pra ser um unicórnio. As pernas não ia precisar, então joguei pela janela. O outro braço colei na bunda, pra ser o rabo do únicornio. E pronto!

- TA TODO TOP MODELO!

Ouvi a campainha tocar. E nossa, nem vi o tempo passar.

- Dever ser seus pais!

Abri, e era mesmo.

- Olá, senhores! Obrigada pelo emprego, o urubu, quer dizer, Wesleyrey nem encomodou. Se precisarem é só chamar. Tchauuu

Sai rápido de lá, por que tava todo cagado de medo. Quando o elevador abriu, só ouvi um grito, que ecoou por todo o corredor.

- WESLEYREEEEEEEEEY!

Soltei um risadinha, e em seguida coloquei meus fones.

Eu deveria ser Babá mais vezes.

Conclusão do capítulo: Cuide bem do Wesleyrey, ele pode estar atrás de você! ❤


Notas Finais


Podi pá


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...