História Hybrid Child (Jikook Vhope NamJin) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook Namjin Vhope
Exibições 32
Palavras 2.242
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ooooooe :') eu tô meio chorosa, mas é só por causa do capítulo mesmo.

Boa leitura :3

Capítulo 2 - Não chore (Jikook)


Fanfic / Fanfiction Hybrid Child (Jikook Vhope NamJin) - Capítulo 2 - Não chore (Jikook)

 

Jimin corria o mais rápido que podia, afinal, a casa barra laboratório de Namjoon, ficava um pouco próxima de lá.

Jimin

O Jungkook só pode aguentar por mais uma semana.

Gota da Lua, pelo nome, provavelmente é pequeno o suficiente pra caber na palma da mão, eu tenho que encontrá-la!

Eu já estava suado e ofegante, eu corria o mais rápido que podia, eu estava com uma pá em mãos, o que dificultava que eu fosse muito mais rápido, eu não era do tipo que corria, mas pelo Jungkook eu faria qualquer esforço sem medir as consequências. Por ele, eu procuraria a mais minúscula pérola no fundo do oceano.

A cor provavelmente é branco leitoso ou as cores do arco-íris irradiando a luz da Lua.

Se eu conseguir encontrar rápido, o Jungkook poderá ser salvo. Ela está por aqui discretamente, esperando para ser encontrada.

 Parei no ponto que Namjoon me explicou e comecei a cavar.

Se eu... Se eu a encontrar...!

Eu não percebi, mas Jungkook estava me acompanhando, pois chegou lá logo depois de mim, sentou-se em uma pedra, abraçou seus joelhos e ficou me observando cavar de um jeito desajeitado.

Jungkook

No fim das contas, meu tempo de vida está chegando ao fim.

Não há nada que você possa fazer sobre isso, Jimin. É melhor você não desperdiçar seu tempo, acho que não estou muito confiante agora, que estou a beira da morte.

- Que irônico né? – Perguntei enquanto o observava, com as mãos fechadas em cada lado do meu rosto, elas estavam apoiadas em meu joelho – Eu nunca tinha te visto com essa expressão séria antes.

Ele continuava cavando, fingindo que não estava me ouvindo.

- Escute, mesmo que eu morra, você ainda tem que passar em seus testes.

Mais uma vez ele me ignorou, tenho quase certeza que ele sentia dor. Não apenas a dor de dentro, mas as dores de suas mãos.

- Como sua família tem dinheiro, encontre um excelente tutor e...

- CALA A BOCA! – Parou de cavar e me olhou, não deixou que eu completasse a frase – FIQUE QUIETO! – Mandou firme e voltou a cavar.

Ele enfiou a pá na areia mais uma vez, mas a soltou assim que pôs força, ele gemeu de dor, então me levantei e corri até ele.

- O que aconteceu? – Perguntei preocupado e curioso.

- Não é nada – Disse ele escondendo as mãos.

Puxei suas mãos, elas estavam machucadas.

- Ah, olha isso... Suas bolhas estouraram – Ele tentou escondê-las mais uma vez, mas não deixei – Isso é porque você está fazendo coisas que não está acostumando e, além disso, você está segurando a pá de um jeito estranho.

- Para com isso!

- Não posso ficar vendo isso, me deixe ajudá-lo. – Pedi.

- Não, está tudo bem! – Disse ignorante.

- Isso não está nada bem.

- Eu não disse que está tudo bem?!

Me deu um cascudo e eu caí, eu não deveria, mas senti e doeu.

- Não me atrapalhe! – Ele estava realmente irritado – Você é irritante! – Fez punho e vociferou.

- Mesmo tentando me salvar, você ainda me bate, né? – Falei cobrindo meu rosto.

- Se você está aí à toa, então vá pra casa e durma! – Me puxou para que eu levantasse – Este é o meu dever.

Ele tentou parecer firme, mas senti em sua voz que ele estava prestes a chorar. Ele não estava olhando pra mim, na verdade ele evitava fazer isso.

Ah Jimin, como você é doce... Fiz peso para que ele me puxasse mais um pouco, então levantei.

- Jimin... – O chamei agora já de pé, peguei na gola de sua camisa e o virei para mim.

Ele me olhou numa mistura de susto e curiosidade, eu não podia esperar mais, então o beijei. Os lábios de Jimin eram macios e doces, essa foi a primeira e única vez que beijei e vou beijar meu dono, não terei outra oportunidade, afinal.

Ainda segurado na gola da minha camisa, fiquei de pé, ele era menor que eu, então tive que me agachar um pouco para ficar na sua altura.

Ele por um momento não demonstrou reação, apenas olhou para meu peito que subia e descia, o seu não estava diferente.

- Não brinque com isso, seu estúpido – Colocou a mão na frente da boca.

Apenas lhe olhei terno e sorri, eu sabia que ele havia gostado.

Não importa quando ou onde, nós sempre estávamos juntos.

Jimin, depois que eu me for deste mundo, quanto tempo vai passar até que você me esqueça?

Estava de madrugada, ele insistiu para que eu voltasse para casa de Namjoon, então assim eu fiz.

***

- Aquele idiota ainda está escavando? – Namjoon perguntou e eu sorri ladino.

Estava sentado muito intimo no sofá, de um jeito muito confortável.

- Sim, sua família irá começar a reclamar em breve e eu estarei com problemas – Sorri – Essa tal, Gota da Lua realmente existe, né?

- Existe – respondeu simples.

- É mesmo? – Perguntei sarcástico.

- Sim, mas não afirmei nenhuma vez que ela poderia salvá-lo uma vez que a tivesse – Acendeu um charuto dessa vez – Ele realmente parece que está apaixonado por você. – Depositou o isqueiro em cima da mesa.

- Aquela pessoa é o herdeiro mais estúpido e mais inútil na história da família Park – falei sincero – Se ele perder alguém como eu que o apoia em tudo, ele estará com problemas.

- Você disse que foi acolhido, certo? – Sentou em uma poltrona – Isso significa que você foi abandonado?

- Sim, duas vezes – Respondi – Não – Me corrigi – Foram sete. Seria mais fácil nos criarem como querem se nos dessem amor – Minha voz provavelmente estava em um tom triste – Na verdade, é mais difícil cuidar de um de nós do que de uma criança humana.

- Sim – Soprou a fumaça – Especialmente de você que é o primeiro modelo.

- Eu provavelmente me tornei muito problemático, então eu fui abandonado duas vezes – Então o olhei – E então, fui acolhido por Jimin.

Sorri.

- Naquela época, eu já estava todo sujo e desgastado. As pessoas da família de Jimin continuavam brigando com ele, dizendo para que ele me jogasse fora, porque eu era uma coisa imunda. – Suspirei – Eles me jogaram fora quando Jimin não estava vendo ou por perto, isso aconteceu cinco vezes.

A última vez que ele foi me buscar, eu estava no fundo da enorme lixeira da família Park, ele tirou todo lixo de cima de mim e me puxou lá do fundo.

- Então você está dizendo que ele te recuperou todas as cinco vezes? – Namjoon parecia impressionado, soprou a fumaça – Que pirralho estranho. Normalmente as pessoas não vão tão longe assim.

Eu já estava parcialmente fraco, Namjoon me deu uma muleta para eu poder me equilibrar em pé depois que voltei da praia.

Peguei a muleta e me levante, logo lhe respondendo.

- E o que Jimin disse foi...

Eu não preciso de um novo! Eu só quero o Jungkook! Eu não quero nenhum outro além do Jungkook!

- Ele disse que eu parecia muito solitário – Comecei a andar com dificuldade, eu pretendia ir buscar meu dono, meu Jimin.

Eu não podia mais deixá-lo procurar por algo que não iria achar.

- Foram cinco anos... Demorou cinco anos para que eu começasse a me mover e mais um ano e meio para começar a falar. Ele é um idiota – Minha respiração estava parcialmente fraca.

Namjoon me observava em silêncio, minhas pernas estavam muito fracas, eu estava quase passando pela porta, porém fiz menção de cair, mas Namjoon me segurou.

- Não confunda as coisas, você é apenas um mero objeto, não um humano. Mesmo não entendendo bem as coisas, não tenha sentimentos românticos por humanos – Disse explicativo.

- Sentimentos românticos? Afeição? Amor? – O empurrei, ou quase isso – Esses não são sentimentos passageiros! – Me encostei na parede de modo brusco, e coloquei a mão no peito – Este corpo, esta voz, este coração... – Sorri mostrando os dentes - ... são todas as coisas que Jimin deu para mim, todo o meu ser pertence ao Jimin!

Três horas em ponto, marcou o relógio. Esse foi o tempo que Namjoon deu para que Jimin encontrasse a Gota da Lua.

- O tempo acabou – Disse com sua voz rouca.

Eu sorri e voltei a andar, eu tinha que ir buscar Jimin, saí pela porta antes de chegar a saída principal, havia um corredor.

- Não estou com medo... de morrer... – Falei enquanto saia – Só estou preocupado se ele vai viver corretamente depois que eu me for, por exemplo. De qualquer modo, ele é simples, tem memória ruim, é rude e também é tapado – Gargalhei um pouco, agora eu já estava no corredor – Mas ele é mais gentil do que qualquer um, ele se importa comigo mais do que qualquer um nesse mundo.

Neste momento, a porta principal se abriu e um Jimin desesperado, chorando e cheio de cortes em ambas pernas, pés, braços e mãos veio correndo até mim.

Ele se ajoelhou e agarrou minhas pernas. Ele estava muito ofegante e cansado.

- Jungkook, eu sinto muito – Ele soluçava alto – Eu, eu não consegui encontrar.

Namjoon nos observava encostado na parede sem se libertar do charuto.

- Eu me esforcei ao máximo, eu juro. Mas não consegui encontrar nada, me perdoa – Suas mãos deslizavam – Eu sinto muito, eu realmente sinto muito – Seu choro era desesperador – Eu me odeio, eu me odeio!

Ele gritava para si mesmo enquanto lágrimas lavavam seu rosto.

Não chore meu pequeno.

- Porque eu sou sempre assim? – Soluçou – Por que não consigo fazer nada por você?

Coloquei a mão em sua cabeça e comecei a alisar seus cabelos enquanto ele chorava ajoelhado perante mim, com a outra mão, segurei uma sua.

- Viu? Ele é um idiota, certo? – Sorri e Namjoon ficou em silêncio.

 

-------------------------

Jimin

Mas uma vez o dia estava quente, porém não era nada que eu pudesse morrer ou fritar.

Estava até um dia calmo, eu estava estudando, minha escrivaninha estava cheia de livros e meu notebook ligado com algum assunto da faculdade em cima da cama.

Dei uma leve olhada para minha foto com Jungkook quando éramos crianças e voltei a escrever.

Fui tirado de minha concentração quando meu mordomo Yoongi, bateu a porta e entrou.

- Jimin-ssi, o senhor tem uma ligação.

- De quem é? – Parei de escrever e lhe dei atenção.

- É de um homem que disse “Apenas coloque-o no telefone”.

- Entendi, vou lá atender – Ele se retirou.

Depois de Jungkook, Yoongi era quem cuidava de tudo em relação aos meus bens, eu confiava cem por cento nele, ele é uma pessoa fiel.

Me levantei e desci para atender a bendita ligação.

- Alô? Quem fala é o Jimin, posso saber quem...

- Uau, você mudou bastante em dois anos.

Era o Namjoon, mais irônico impossível.

- Namjoon? É você seu infeliz?! – Perguntei surpreso.

Depois que perdi Jungkook há dois anos, essa foi à primeira vez que falei com Namjoon novamente.

- Isso significa que uma pessoa não consegue mudar tanto em apenas dois anos?

- Porque você está me ligando, afinal? – Perguntei irritado e impaciente.

- Você se lembra de ter escavado quase a praia inteira para encontrar a “Gota da Lua” há dois anos?

- Lembro, e daí? – Arqueei uma sobrancelha, mesmo sabendo que ele não ia ver.

- Tudo aquilo foi uma grande mentira.

- Como é? Mas que filha da putagem hein! – Gritei.

- Eu tinha que fazer um pirralho abusado como você, fazer algo assim.

- O quê? Não me enche seu cretino! – Eu estava o xingando à toa, ele não se importava, mas eu estava puto – Existe um limite entre o que você pode fazer e o que não pode! – Esbravejei – Você sabia dos meus sentimentos por ele quando...

- Em todo caso, eu te devolvi o favor.

Como assim?

- Mas já que isso e aquilo são duas coisas diferentes, eu dei para ele a fatura.

- Hã? O quê? – Perguntei confuso – Do que você está falando? – Minha voz estava trêmula.

- Isso me causou muitos problemas. Bom, seja grato por isso. Eu te dei vinte por cento de desconto. Então, adeus.

- Ei, que história é essa? – Ele desligou e não me respondeu – Ei, Namjoon!

O que foi tudo isso? Justo quando estou me esforçando para esquecer do que aconteceu.

**

Logo após desligar o telefone, a única coisa que Jimin ouviu foi passos, passos vindo da enorme porta de vidro blindado de sua enorme mansão, as portas estavam abertas para dar um ar fresco na casa.

Os passos pararam no arco da porta, Jimin engoliu seco e virou-se devagar. Seus olhos arregalaram-se e suas bochechas ficaram mais vermelhas que o normal, ele não acreditava no que estava vendo.

Jungkook encostou-se no batente da porta de forma sexy e lhe sorriu.

- Embora tenha vinte por cento de desconto, ainda são 49 milhões de wons – Jungkook mostrou a fatura entre os dedos e sorriu mostrando os dentes. – Cada um de vocês só sabem causar problemas.

Os olhos de Jimin encheram-se de lágrimas.

- Jungkook! – Correu em direção ao seu híbrido de humano.

Jungkook abriu os braços esperando para sentir o corpo de seu dono mais uma vez depois de dois anos. Jimin o abraçou com força.

Demorei cinco anos para começar a me mover e mais um ano e meio para começar a falar. Quando o verão chegar, vou me lembrar... Meu coração e todo o meu ser, pertencem apenas a Jimin.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :')
O próximo será Vhope <3

Até o próximo, desculpem qualquer erro, prometo que irei corrigi-los.
Beijão.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...