História Hydrogen - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Capitão América, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens James Buchanan "Bucky" Barnes, Steve Rogers
Tags Steverogers, Wintersoldier
Visualizações 3
Palavras 1.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ficção, Ficção Científica
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Five


As noites eram companheiras de Evellin, assim como a presença constante de Jarvis. Naquela noite em particular a torre dos Vingadores estava estranhamente movimentada na área comum aos agentes. Todos corriam apressados.

Steve não havia aparecido para o treinamento e tampouco Natasha. Dr. Banner estava ocupado com sua pesquisa e ela não quis o incomodar. Após o dia solitário ela não sentia fome e muito menos sono, pois se exercitar até o ponto de exaustão não havia feito nenhuma melhora em sua insônia.

Caminhando pelos corredores do complexo ela se deparou com a porta que levava ao terraço. De lá se havia toda a cidade ao redor e a imensidão de luzes e pessoas vivendo suas rotinas. Vidas comuns e entediantes que ela daria tudo para algum dia ter novamente.

-É uma bela vista, não é mesmo?

Evellin ofegou se agarrando à grade de segurança à sua frente olhando em direção a voz. Um homem de cabelos castanhos e roupas escuras a encarava com atenção de sua posição mais afastada.

-Está tudo bem, eu sou um deles. - o homem indicou a grande letra A que se encontrava abaixo deles na lateral do prédio. - Meu nome é Clint.

Quando ele se aproximou da luz ela reconheceu suas feições. Jarvis a havia mostrado fotos dos outros integrantes dos Vingadores a seu pedido. Esse era o homem do arco e flecha.

-Evellin. - se apresentou inclinando a cabeça em um cumprimento.

-A garota da água.

-O homem das flechas.

-Touché! Você tem senso de humor, gosto disso. Por que você não se senta? Eu poderia usar um pouco de companhia.

Ela se sentou próxima à borda, as pernas sob o corpo, de modo que Clint estava em seu campo de visão assim como a cidade. Eles não fizeram menção de conversar, apenas se sentaram ali durante vários momentos absortos em seus próprios pensamentos e preocupações. Era formada ali uma estranha cumplicidade onde várias vezes por semana os dois compartilhavam aquele local, apenas aproveitando o silêncio da noite.

~~~~~~

-Natasha gosta de você. E ela não gosta de muita gente. - Clint comentou certa noite.

-Ela é legal. Eu aprendi muito com ela, mas acho que não fiz muito progresso. - Evellin respondeu.

-Você já pensou em usar seus poderes durante o treinamento? Pode ser uma vantagem.

-Não seria trapaça?

-É claro que não! Você deve usar todas as ferramentas em seu alcance. Se eu tivesse esses poderes eu usaria todo o tempo! Tenho certeza que dá pra fazer muitas coisas legais.

-Você tem um ponto... Quando eu era pequena eu me divertia muito com as outras crianças. Mas agora tudo é mais sério.

-Não precisa ser. Vem, deixe-me mostrar. - Clint disse se levantando e seguindo para o interior do prédio.

Evellin o seguiu até a área onde os Vingadores normalmente se reuniam, um local muito diferente do resto do complexo onde a maior parte dos agentes transitava. A decoração sofisticada e tecnológica era a marca registrada de Tony Stark, o excêntrico Homem de Ferro, que ela havia visto pouquíssimas vezes.

Clint foi até o bar que ficava ao lado da enorme janela de vidro, próximo a sofás que pareciam ser absurdamente confortáveis. Não havia sinal de que qualquer outra pessoa estivesse ali no momento, mesmo sendo um horário em que se esperava realizar refeições.

-Você bebe, certo? - Clint perguntou se sentando em um dos bancos altos.

-Na verdade não. - Evellin respondeu sem dizer que na verdade ela nunca havia bebido em sua vida.

-Alguns drinks não farão mal. Sente-se aqui. - disse indicando o banco ao seu lado e ela o fez - Agora, escolha uma garrafa.

Evellin olhou para a variedade de garrafas dispostas nas prateleiras de vidro iluminadas à sua frente com atenção. Os conteúdos variavam de um âmbar profundo à um vermelho vívido, que fora a cor que lhe chamara a atenção.

-Aquela. - disse apontando para a garrafa com conteúdo avermelhado.

-Tudo bem. Estou fazendo apenas uma suposição aqui, mas tente fazer o líquido sair da garrafa. Deve ter alguma porcentagem de água naquilo. - Clint instruiu.

-Não sei se isso vai dar muito certo...

-Tente! Qual a pior coisa que pode acontecer?

Concentrando-se no líquido carmesim, Evellin fez com que uma porção do mesmo saísse pelo bico dosador da garrafa formando um círculo no ar.

-Ok, agora divida isso no meio. - Clint sugeriu e ela o fez - Coloque metade no meu copo e metade no seu.

-Não vejo como isso pode ser divertido. - ela comentou ao colocar as bebidas nos copos que estavam diante deles.

-Você verá em breve, confie em mim. Agora traga o gelo. - ele gesticulou para um recipiente próximo. - Senhorita Hensler, é com prazer que lhe apresento sua primeira bebida!

-O cheiro parece bom. - comentou levando o copo até o nariz.

-E o gosto também. Você nem vai perceber o gosto de álcool, mas apenas se você quiser tomar.

-Eu quero. - ela assentiu levando o copo até os lábios. E de fato a bebida tinha um gosto adocicado, lembrando as balas de quando era criança. - Não é ruim. Uma vez quando eu era pequena eu tomei um gole do frasco do meu pai. O gosto era terrível!

-Provavelmente era algo do tipo daquelas garrafas. - Clint indicou os líquidos âmbar no topo das prateleiras - Aquilo sim são coisas boas, mas não recomendo isso a você. Pelo menos não agora.

-Não sei se quero também.

-Olha só isso. - ele disse pegando um amendoim que estava em um pratinho próximo e lançando dentro da pia do outro lado do balcão. - Te desafio a acertar o mesmo lugar, mas com os poderes.

-Fácil. - ela sorriu conjurando uma pequena porção de água e acertando o mesmo lugar.

-Era pra ser fácil. Agora eu te desafio a fazer o líquido daquela garrafa mais distante passar por entre todas as garrafas sem tocar em nada e chegar até meu copo.

-Eu posso fazer isso. - ela assentiu dando mais um gole em seu copo e gesticulando com o indicador para movimentar a bebida para fora da garrafa.

-Anted de colocar no copo, modele igual o formato do copo.

-Isso não é um desafio.

-Nós estamos apenas começando...

~~~~

-Não é possível você acertar aquela planta daqui! - Evellin exclamou com a voz mais aguda do que se lembrava ter soado antes.

-Me assista. - ele disse pegando o amendoim e com precisão o acertando dentro do vaso que estava do outro lado do ambiente. - Não é atoa o título de Gavião que me deram.

-Eu quero tentar. - ela disse indo primeiro para tomar outro gole de seu copo, porém Clint foi mais rápido o tirando de seu alcance.

-Acho que você já bebeu o suficiente. Não quero ser responsável por você passar mal. E talvez tentar acertar a planta também não seja uma boa ideia.

-Se você consegue, eu consigo fazer também. - ela retrucou com o sotaque soando mais pesado, a pequena esfera de água em sua palma flutuando.

Evellin tentou focar na planta mas sua visão vacilou um pouco, a fazendo apertar os olhos antes de conseguir enxergar propriamente.

-Espere um min... - Clint começou a dizer quando ela lançou a esfera através da sala sem um quinto da precisão dele.

A esfera descreveu um arco em direção a planta que talvez atingisse seu destino se não fosse o elevador se abrir naquele instante e Steve se por em seu trajeto. Acabou que a esfera não era tão pequena quanto Evellin pensara ser, pois o foi suficiente para molhar não só o rosto do Capitão como também sua blusa azul escura e seus cabelos.

Ele parou absorto após o impacto, a água pingando da ponta do seu nariz perfeito, os olhos focalizando em Clint e Evellin que o encaravam estáticos e boquiabertos.

-O que vocês dois estão fazendo? - ele perguntou com o tom de voz sério, os olhos se estreitando em uma feição que indicava que eles estavam em apuros vindo até eles.

-Nos divertindo. E treinando. - Clint respondeu com um sorriso travesso. - Mas já encerramos por hoje.

-Você deu bebida a ela!

-Ela concordou em beber, eu não a obriguei.

-É verdade. Foi divertido. - Evellin comentou encolhendo os ombros - Sinto muito por te acertar.

-Tudo bem. - Steve suspirou profundamente antes de se dirigir a Evllin - Você está bem?

-Sim, eu não bebi tanto, veja. - ela disse descendo do banco alto.

Quando seus pés tocaram o chão, sua noção de equilíbrio vacilou um pouco e ela segurou o banco para evitar cair. Tanto Clint quanto Steve se preciptaram para a segurar, mas ela indicou que estava bem. Evellin não notou, mas Steve lançou um olhar acusatório a Clint. Em alguns aspectos ela ainda era uma jovem fazendo descobertas e a expor assim as inibições provindas do álcool fora uma péssima escolha que Clint fizera, ainda mais com os poderes que ela possuía. Ele sabia que Clint tinha boas intenções, mas às vezes seus métodos não eram os melhores e Steve estava grato que nada de ruim tivesse acontecido.

-Acho melhor ir para o meu quarto. Eu sinto como se as coisas estivesse ficando menores. - Evellin comentou olhando para a própria mão.

-Vem, eu te ajudo a chegar até lá. - Steve disse passando um braço firmemente ao redor da cintura dela e sustentando praticamente todo o peso dela.

-Boa noite Clint. E obrigada. - ela sorriu preguiçosamente.

-Boa noite Evie. - ele sorriu piscando para ela.

O caminho até o quarto dela foi silencioso e até o momento em que Steve a deitou sobre os lençóis Evellin não havia dito uma palavra. Com os olhos fechados e os cabelos loiros em uma bagunça abaixo de si ela podia muito bem já estar dormindo no momento em que tocou a cama. Ele lhe retirou os sapatos para maior conforto.

Steve foi até o banheiro e pegou uma aspirina e um copo com água, os deixando na mesa de cabeceira. Ele também deixaria uma nota dizendo que tomar ajudaria caso ela não estivesse se sentindo bem.

Ele se preparava para sair do quarto quando ela murmurou algo em alemão, os olhos ainda fechados. Em perfeito silêncio para ouvir se ela diria algo mais ele esperou, mas Evellin apenas se ajeitou melhor na cama e ressonou.

-Jarvis. - Steve chamou após fechar a porta do quarto atrás de si.

-Sim, Capitão Rogers.

-O que ela disse? Você ouviu?

-É uma versão alemã de "Parabéns a você". Um trecho. - Jarvis respondeu prontamente - Provavelmente por ser aniversário dela o subconsciente trouxe isso a tona.

Aniversário dela. Como ele poderia ter deixado isso passar?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...