História I AM WATCHING YOU | Jeon Jungkook - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Got7, Monsta X
Personagens BamBam, J-hope, Jimin, Jin, Joo Heon, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, T.O.P, Taeyang, V, Yugyeom
Tags Bigbang, Bts, Danger, Got7, Jungkook, Monsta X, Sobrenatural, Terror
Visualizações 131
Palavras 2.032
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Misticismo, Romance e Novela, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi
Voltei. Tudo bom?
Está tarde demais pra capítulos? Sorry baes.
Unnie demorou? Desculpa tb. Eu me esforçei muito pra montar uma interação Valkook das boas. Então se não estiver tão lecal assim, desculpa de novo.
Como estão? Hoje é niver do Youngjae né? SENGUÊCHUCAHAMINIDAAÁÁ. ♡♡♡♡

Comemorações a parte, bora pro capítulo ^^

Capítulo 11 - It's all destined


Fanfic / Fanfiction I AM WATCHING YOU | Jeon Jungkook - Capítulo 11 - It's all destined

 

 

 

* NARRADOR

 

Para a surpresa de Valentina, Jungkook estava sendo bastante receptivo em sua casa e a acomodou muito bem. Ela esperava ele voltar da cozinha com um chocolate quente pois ela estava com frio. Atencioso da parte dele. Ela ansiava ainda mais pelas explicações que ele tinha. Tudo a deixava insitigada. As regras do mundo deles, a história e como foram parar na Drop Klaus.

ㅡ Aqui. Tá quente, cuidado. ㅡ disse estendendo a caneca ao retornar da cozinha. Sentou-se do lado dela e esperou pelas perguntas que sabia que ela faria.

ㅡ Obrigada. Então... Incesto... Yang e Yoongi...?

ㅡ Ah, sim. Sim. São gêmeos, bivitelinos. Isso é, não são idênticos. Mas acho que o nome entrega que os dois são irmãos. Min Yang... Min Yoongi.

Val tentava processar em como nunca havia reparado nisso.

ㅡ Então, Yang também é vampira?

ㅡ Surpreendentemente não. Ela é humana. Comum, assim como você achou que fosse. Ela não herdou nenhum gene vampiro como Yoongi. É estranho, e raro. ㅡ explicou.

ㅡ Como descobriu que são irmãos? ㅡ perguntou e viu o desconforto da pergunta sobre Jungkook, era algo tão horrível assim de se perguntar?

ㅡ Ah... bem... eu... ㅡ disse sem graça. ㅡ Durante a madrugada eu fico bastante entediado. Aí resolvi invadir o sistema da direção... pra... stalkear uma pessoa, digamos assim... ㅡ riu soprado. Val pôde jurar que ele corou. 

ㅡ Quem? Sunmi? ㅡ sorriu cogitando a ideia de Jungkook estar apaixonadinho.

ㅡ Não importa... o que importa é que eu fui lá e no meio de tudo descobri que os dois são irmãos. Sabe como Yang foi parar no reformatório? 

ㅡ Não. Ela nunca me contou. ㅡ disse Val.

ㅡ Ela teve um transtorno de personalidade. E digamos que a segunda personalidade não é nada amigável. ㅡ disse Jeon.

ㅡ O que diz lá?

ㅡ A segunda personalidade fez ela esquartejar o cachorro e espalhar os pedaços pelos armários! ㅡ disse e Val arrepiou. ㅡ Passou a tomar uns remédios controlados e está bem, hoje em dia. Mas ainda não é seguro ela sair.

ㅡ Meu Deus... ㅡ sussurrou Val ainda em choque. ㅡ Por que você, Yoongi e Jimin estão lá?

ㅡ Porque é seguro. Jin nos disse para ficar lá. E lá estamos. Ele me acolheu. Nos acolheu. ㅡ disse sorrindo.

ㅡ O diretor Jin? Ele é sobrenatural também? 

ㅡ O Jin é. Mas não como nós dois. Eu queria ser como ele. Ele é quase único. ㅡ disse e viu Val insistindo para dizer o que ele é. ㅡ Não vou falar. Vai ser mais interessante quando ver.

ㅡ E por que é seguro? O que impede de viver no mundo real?

ㅡ Este mundo não é o mundo real, Val. ㅡ falou pela primeira vez o apelido dela.

ㅡ Então é o quê? Matrix?

ㅡ Não, mas... está longe de ser um mundo real. Isso é só o que as pessoas idealizam de bem estar. O mundo real é esse que eu estou. Eu adoraria te contar sobre mim. Adoraria mesmo. ㅡ sorriu.

ㅡ Pode contar. ㅡ inclinou a cabeça no sofá, murmurando.

ㅡ Eu deveria? ㅡ murmurou de volta fazendo o mesmo. 

Val deu de ombros e Jungkook riu.

ㅡ Deveria sorrir mais vezes. De verdade. 

ㅡ Por que? ㅡ franziu o cenho. Os dois falavam baixo.

ㅡ Não sei. Fica bem assim.

ㅡ Significa que eu fico mais bonito sorrindo? ㅡ perguntou sorrindo. Valentina revirou os olhos mas sorriu de volta.

ㅡ Não vou responder, você me odeia lembra? ㅡ brincou, mas o fato de saber que Jungkook a odeia sem a conhecer como pessoa, quebra seu coração.

ㅡ Eu te odeio? ㅡ se aproximou delaou pelo menos, Val achou que sim.

ㅡ Claro que odeia. Eu tô quase acreditando que eu sou mesmo a culpada pelo que houve com seus pais.

ㅡ Esquece essa parte. Eu já esqueci. ㅡ sussurrou. Val encarava de perto o mar negro que era os olhos de Jungkook.

ㅡ Não dá. Você praticamente berrou pra mim que me odeia e que é culpa minha. Eu acreditei. ㅡ sorriu brevemente, mas era um sorriso triste.

ㅡ Se eu te odiasse mesmo, eu teria te beijado há algumas horas atrás no seu quarto? ㅡ soltou surpreendendo Valentina.

ㅡ Foi algo do momento. Você provavelmente estava com raiva. ㅡ argumentou.

ㅡ Para de colocar palavras na minha boca... ㅡ disse pondo fim ao assunto a puxando pela nuca selando seus lábios mais uma vez. Os dois arrepiaram com o toque. De início, Val tentou se esquivar, mas a partir do momento que Jeon desceu os braços para a cintura dela, ficou impossível de fugir. 

As mãos dela pousaram sobre a nuca dele, suas digitais sentiram os fios macios e sedosos dele. 

Afastou o rosto e tentou se afasta. Jungkook afrouxou os braços da cintura dela dando mais espaço.

ㅡ Eu tenho raiva... não ódio. Mas não é com você. ㅡ a soltou. Mas permaneceu no lugar. Porém, Valentina desconcertada com a situação, se esquivou um pouco.

ㅡ E o que é? ㅡ o olhou esperando 

ㅡ Eu detesto quando me mandam fazer algo, sabe? Ou quando me dizem que eu devo fazer aquilo porque é o certo. No nosso mundo, todos estamos destinados a algo. Exemplo, Yang e Yoongi não estavam destinados a ficarem juntos, foi uma falha na sina*. E se os dois insistirem em quebrar o que foi destinado a eles, haverá consequências.

ㅡ Que tipo de consequências?

ㅡ Depende sempre da situação. Há um réu que decide isso.

 ㅡ Um réu?

ㅡ Sim, temos isso. Eles organizam tudo. Apresentam e defendem as leis. Tudo para nada sair do controle.

ㅡ E onde fica isso? ㅡ perguntou cada vez mais curiosa.

ㅡ É difícil de explicar. Geralmente a pessoa visita o réu, mas não há um lugar físico! Entende? 

ㅡ Ok, acho que... não, não entendi essa parte. Mas tudo bem. ㅡ coçou a nuca. ㅡ Eu tenho uma curiosidade.

ㅡ Claro que tem. ㅡ sorriu.

ㅡ Sobre o Jimin...

ㅡ Sério mesmo? Eu não gosto quando fala do hyung. Vocês estão sempre de coisa... ㅡ quase se revirou no sofá.

ㅡ Não responde se não quiser mas... como ele viveu? Yoongi me disse que ele foi uma experiência que deu errado.

ㅡ Sim, exatamente. ㅡ relaxou no sofá como se estivesse entediado ao falar do seu hyung. ㅡ Blá blá, in vitro, bla blá, sem pais, blá blá... Jin foi convidado pra dar uma palestra em um laboratório, e com isso foi fazer uma visita técnica também, no meio disso visitou a ala dos experimentos, e a ala das falhas, e numa gaiola, solitária, enrolado num cobertor azul, fino, lá estava Park Jimin tremendo de frio. Assim que Jin bateu os olhos nele, decidiu que precisava tirar a criaturinha "mal feita" de lá.

ㅡ Que termo idiota.

ㅡ É, eu sei. ㅡ suspirou. ㅡ Jimin era novo, tinha dez anos. Cresceu e viveu como um ser humano normal depois que Jin o levou para Drop Klaus. Pois como deve saber, é um híbrido errado que não desenvolveu nenhum dos dois lados. 

ㅡ Ele foi bastante mal tratado? ㅡ perguntou e Jungkook deu de ombros.

ㅡ Podemos falar de outra coisa?

 

 

Depois disso o assunto se esvaiu. Ninguém comentou mais no assunto "o mundinho dos sobrenaturais". Jungkook estava tentando ao máximo ver Valentina com olhos bons. Ele sabia no fundo que não deveria ter raiva dela, raiva da sina, se estava destinado, não deveria reclamar.

 

 

 

Não deu muito tempo até decidirem voltar para o reformatório.

Valentina foi na frente.

Ambos não queriam ser vistos andando juntos. Quem os conhece iriam enchê-los de perguntas do tipo: se vocês se odeiam, o que estão fazendo juntos respirando o mesmo ar?

Jeon a perdeu de vista assim que ela entrou na instituição, ele ajeitava a moto no estacionamento. 

ㅡ A levou pro seu cafofo? ㅡ ouviu uma voz atrás de si. Virou-se.

ㅡ Ah, oi Jin. ㅡ sorriu.

ㅡ O que foram fazer? ㅡ sorriu se aproximando.

ㅡ Fui responde algumas perguntas. Ela já estava sabendo de muita coisa.

ㅡ Tem muita coisa pra entender ainda. ㅡ reforçou e Jungkook assentiu. ㅡ Falou da sua sina?

ㅡ Falei, mas... não entrei em detalhes. Não tive coragem. ㅡ encolheu os ombros e olhou pra baixo.

ㅡ Veja bem, ela é uma boa garota. Vai entender.

 

 

 

 

 

 

 

 

...

 

 

 

 

Valentina estava sozinha no refeitório, lanchando um bolinho quando uma pessoa espalmou as mãos na mesa.

ㅡ Onde estava? ㅡ disse entredentes.

ㅡ Olá, Jimin, tudo bom? ㅡ perguntou irônica.

ㅡ Estava com Jungkook não estava? ㅡ ela subiu o olhar e sentiu o olhar fervendo de raiva.

ㅡ Por que diabos eu estaria com Jungkook?

ㅡ Eu fui te procurar, não te achei. Fui no estacionamento e não vi a motocicleta dele lá. Deduzi que estivessem os dois fora. ㅡ falou ainda fervendo.

ㅡ Jimin, se Jungkook me levasse pra algum lugar, viva eu não iria voltar. ㅡ argumentou, sabia que estava mentindo, mas precisaria morrer o assunto. Ou as pessoas iriam pensar que Jimin é louco 

ㅡ Certo. ㅡ sentou-se.

ㅡ Por que esse ciúmes mesmo? Não namoramos. ㅡ Valentina rebateu.

ㅡ Não, mas... achei que ia dar em algo. ㅡ falou esperançoso.

ㅡ Jimin, eu disse que não. Não vou dar falsas esperanças. ㅡ disse deixando o bolinho na bacia. 

ㅡ Por que diz essas coisas? ㅡ perguntou visivelmente irritado e magoado.

ㅡ Você me obriga a dizer essas coisas. Tudo o que você fala me induz a responder isso. Quer que eu diga o quê? ㅡ começou a ficar frustrada.

ㅡ Quero que diga que me ama igualmente e que vamos ficar juntos. 

ㅡ Sinto muito, Park. Não vai acontecer. ㅡ murmurou passando a mão no rosto. 

ㅡ É o Jungkook né? ㅡ se levantou.

ㅡ O que isso tem a ver com ele? ㅡ se levantou também.

ㅡ Não mente Val. Eu sei muito bem que estava com ele. ㅡ aproximou-se em tom ameaçador. 

ㅡ Jimin...

ㅡ Jimin o quê? Hein? Por que ele? Ele te odeia. Ao contrário de mim. Eu sou louco apaixonado por você. ㅡ apertou os braços de Val enquando falava, chacoalhava ela aos poucos. ㅡ Me diz Val... por que saiu com ele?

ㅡ Me solta, Park.

ㅡ Não. ㅡ chacoalhou mais e apertou mais seus braços. ㅡ Não vou. Você é minha. MINHA.

Valentina fechava os olhos esperando que Jimin parasse de sacudí-la e apertar seus braços. Mas ele só fazia aumentar.

Senti seu corpo ser empurrado pro lado e Jimin pra trás.

ㅡ Ela não é sua. Hyung, se controla.

ㅡ Ah, só o que faltava. Chegou o herói. Veio partir pra porrada?

ㅡ Não, hyung. ㅡ Jungkook mantinha sem corpo na defensiva, como se fosse um escudo pra Val.

ㅡ Não? Eu faço isso sem sua permissão. ㅡ voltou a se aproximar.

ㅡ Hyung, por favor... respeita sua sina. ㅡ pediu tentando manter controle.

ㅡ Respeitar minha sina? Jeon por favor... ㅡ riu em tom de deboche. ㅡ Eu vou morrer de um jeito ou de outro. Dane-se a sina.

ㅡ Eu não quero ter que te machucar. ㅡ murmurou.

ㅡ Não... Kookie... ㅡ disse ironicamente. ㅡ Eu que vou te machucar.

Avançou pra cima do vampiro e Val foi um pouco pra trás tentando se proteger.

Os dois estavam no chão, Jimin sem sucesso, não conseguia se defender. O híbrido com anomalia não conseguia enfrentar o vampiro que lhe dera uma surra contra o maxilar, e um soco na barriga para deixá-lo no chão.

Se levantou e viu Jimin no chão cospindo um pouco de sangue.

ㅡ Pega uma mochila. Pega tudo de importante e me espera no seu quarto. ㅡ Jungkook sussurrou para Val.

ㅡ Mas o quê...

ㅡ Só faz o que eu tô mandando. ㅡ disse entredentes e voltou a olhar Jimin no chão. ㅡ Jimin não é mais bonzinho pra você. agora vai.

Assim foi feito. Val às pressas e assustada pelas palavras de Jungkook, saiu correndo arrumar tudo. Yang nem sequer apareceu para falar com ela. Na verdade, nem sabe onde está a amiga.

Mas de uma coisa estava certa, Jimin não estava longe de ser um problema.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


O que será que o Jin é? Hehe
Quem foi que o Jungkookie stalkeou? Sunmi?
Isso, no Globo Repórter.
Teorias? :]

*SINA: fatalidade a que supostamente tudo no mundo está sujeito; destino, sorte, fado.

Hey pípol, tô com página no face, procura pelo meu user: nochugukkie, cês vão me achar lá. ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...