História I am you, you are me - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B, Crush, DEAN
Personagens B-Bomb, Jaehyo, Kyung, P.O., Personagens Originais, Taeil, U-Kwon, Zico
Tags Block B, Delinquentes, Kpop, Taepyo, U-bomb, Yaoi, Zikyung
Exibições 154
Palavras 2.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Então gente, esse é o penúltimo capitulo da parte Zikyung dessa fic <3

Capítulo 13 - Finally - Park Kyung


Fanfic / Fanfiction I am you, you are me - Capítulo 13 - Finally - Park Kyung

I am you ☯ You are me 

Park Kyung

Meu estomago dava muitas voltas enquanto observava Zico dando os últimos retoques na sua maquiagem. Era engraçado ver meu corpo daquele jeito, se com o passar do tempo já tinha me sentindo avulso dele, agora todo arrumado e seguro com Zico dentro, realmente parece que nunca me pertenceu. Suspirei com uma estranha sensação de que ia estragar tudo. Olhei pras minhas mãos. Tinham vários anéis nos meus dedos, inclusive o anel que nos unia. Era agora, daqui a uma hora estaria no palco pela primeira vez.  

-"Você está pálido..."- Zico falou se aproximando de mim. Olhei pra ele e tentei sorrir.  

-"Eu me sinto muito nervoso!"- Repeti o mantra e ele revirou os olhos.  

-"Não tem como dar errado, você é maravilhoso Park Kyung..."- Me disse segurando minhas mãos com força. Dessa vez sorri sincero e ele se aproximou deferindo um beijo casto nos meus lábios.  

-"Gente eu posso me arrumar aqui? Não aguento mais Minhyuk  me enchendo o saco!"- Yu Kwon entrou sem camisa, ignorando nossa intimidade e começou a se olhar no espelho do camarim.  

-"O que ele fez dessa vez?"- Zico perguntou se afastando de mim e rindo pro amigo. 

-"Ele não quer que eu use a camisa aberta, ele disse que eu estou gordo demais pra isso! Me poupe sou muito gostoso!"- O loiro falou alto mais pra si mesmo do que pra Zico. Olhando seu tanquinho pelo espelho com cuidado. Parecia perfeito pra mim.  

-"Para de babar pelo Kwonnie..."- Zico falou empurrando minha cabeça de leve e dei uma gargalhada sutil.  

-"Viu? Até o teu namorado está me secando! Obvio que eu sou uma delicia!"- Falou convencido e pôs a camisa por sobre os ombros, toda aberta. Era uma camisa preta com detalhes brancos. E ele também usava botas e uma calça escura apertada. Aquele loiro estava deslumbrante, não fazia sentido na minha mente que ele estivesse chamando-o de gordo.  

-"Você sabe que ele esta com ciúmes né?"- Zico falou levantando as sobrancelhas e Kwon olhou pra ele tão rápido que seu cabelo mexeu. Os dois se encararam intensamente por um tempo, então o loiro sorriu sem jeito e voltou a olhar pro espelho. 

-"É porque... Você não o conhece direito Kyung... Ele me odeia!"- O loiro falou com um sorriso triste pendendo em seus lábios. E tão rápido como chegou ele saiu. Talvez fugindo da conversa. Franzi o cenho e olhei para Zico realmente intrigado.  

-"Porque eles se odeiam Zico?"- Perguntei meio triste.  

-"Não se preocupe com eles dois. Eles definitivamente não chegam nem perto de se odiarem."- Consolou-me e sorriu de novo pra mim. A música alta que vinha do palco principal fazia Zico ignorar qualquer sentimento triste. Ele dançava levemente e murmurava a letra enquanto cantava no espelho. 

-"Você realmente parece feliz!"- Comentei sorrindo. 

-"Estar no palco é realmente a minha maior alegria!"- Confessou olhando-me por um tempo e eu imaginava o quão incrível deveria ser.  

Imaginava se conseguiria ver as pessoas, se conseguiria lembrar a letra ou se ia conseguir fazer caras e bocas do jeito que tinha ensaiado. Mais o meu maior medo era gostar, amar estar lá no centro das luzes. Finalmente sendo amado por todos. Porque, logo eu voltaria pro meu próprio corpo e tudo não teria passado de uma mentira. Eu nunca terei sucesso, no máximo teria a carta na manga, a voz do Zico.  

-"Vamos ficar perto dos meninos na coxia!"- Zico chamou me puxando e eu fui com ele.  

Enquanto esperávamos ouvíamos todos decorando suas musicas, inclusive eu que lia e relia aquela letra com toda a minha vida. Como se fosse algo de imprescindível importância e era. Era engraçado vê-los tão animados juntos, enquanto a cada segundo só me sentia mais nervoso. YuKwon e Minhyuk continuavam brigando com sorrisos nos rostos, como se nada demais estivesse prestes a acontecer. Nenhum deles entendia o quão difícil era pensar que essa era a minha primeira vez lá e a última também. Eu precisava aproveitar ao máximo.  

Dean foi o primeiro a se apresentar. Ele tinha o domínio completo do palco, que parecia cheio apenas com ele lá. Cantando uma música deliciosa de ouvir. As meninas continuavam gritando seu nome e se descabelando lá em baixo.  

Finalmente Kwonnie e Minhyuk entraram e escutei os gritos da plateia, sorri involuntariamente observando a apresentação da coxia.   

O primeiro a ir pro palco foi Kwonnie cantando com sua voz super diferente e viciante, as meninas gritavam tanto que estava ficando surdo. Logo Minhyuk foi pro palco também e todo mundo gritou chamando-o pelo apelido: "B-Bomb". Eu gargalhei ao ver como eles conseguiam dominar completamente o palco. Realmente Dean tinha um dom pra fazer música, aquilo era perfeito para os dois. Era uma música poderosa e incrível. O refrão ao longo da música começou a ser repetido pelas garotas que gritavam: "Bingle, Bingle, Bingle...". Era incrível como eles continuavam bonitos e concentrados em fazer uma performance divertida de se ver. Nenhuma garota conseguia desviar o olhar. A música terminou e os dois respiravam com força. O apresentador aproximou-se deles e disse algumas coisas. As meninas continuavam gritando e finalmente eles voltaram a coxia. Sorrindo e dançando como se tivessem arrasado. Todos faziam questão de abraça-los e gritar excitados pela performance. Esse era meu sonho, conseguir ter toda essa confiança e empenho em cima de um palco assim.  

Zico olhou pra mim sorrindo e super entusiasmado.  

-"É minha vez!"- Ele gritou para que conseguisse ouvi-lo. Acenei positivamente com medo porque depois dele, era minha vez. Ele se posicionou na entrada, esperando ser chamado. Os gritos foram ensurdecedores enquanto o apresentador enrolava sua entrada se divertindo com o mistério, quando soubessem que era apenas Park Kyung, iam desistir de gritar. Sorri da minha própria constatação pessoal.  

Naquele momento surdo pelos gritos, anestesiado pelo nervosismo e cego pelas luzes, decidi que sempre estaria do lado daquela pessoa. Eu não teria mais medo nenhum.  

Zico pós um semblante sério no rosto de repente. Olhou pra mim e o encarei sem entender qual o problema, mas quando tentei dar um passo na sua direção. Fiquei completamente tonto e se não fosse Kwonnie do meu lado teria caído no chão. Minha visão estava turva. Tudo parecia em câmera lenta. Ao lado de Zico estava o mesmo homem que me vendeu os anéis. Apertei os olhos sem acreditar no que estava vendo. Então como se tivessem desligado tudo, não havia som nenhum, apenas um timbre agudo dos dois anéis pulando no chão.  

... 

-"Kyung? Park Kyung? Park Kyung!!"- Ouvia os gritos de Dean enquanto minha cabeça parecia doer demais. Abri os olhos com dificuldade por causa das luzes na minha frente. Olhei pra ele sem entender, porque me olhava chamando Kyung? Finalmente a ficha caiu... Voltei ao meu corpo.  

Olhei para as palmas das minhas mãos e ao redor procurando Zico. Lá estava ele olhando diretamente pra mim, Kwonnie segurava-o com um semblante preocupado. Estava com tanta sede. Meu corpo ainda parecia estranho, como se não fosse meu. Mexi um pouco sem entender nenhuma das palavras dirigidas a mim. Levantei com dificuldade indo até Zico que levantou também ao perceber minha intenção de estar perto dele. Nossas mãos se tocaram e meu corpo ficou arrepiado. Olhei-o, não parecia estar no lugar certo. Parecia que tínhamos trocado de corpo pela primeira vez. Zico pousou sua mão no meu rosto e se aproximou lentamente, arregalei os olhos. Mas antes que conseguisse lutar ele me beijou, apenas um selar. Era tão estranho, como a primeira vez que tocamos nossas bocas, era o primeiro beijo com nossos corpos originais.  

-"Vocês vão ficar ai se beijando? Será que o Kyung consegue ir cantar? Crush foi primeiro quando desmaiaram, mas quando ele terminar..."- Minhyuk perguntou olhando pra mim. Minha garganta fechou ainda mais. Olhei suplicante para Zico.  

-"Você tem que ir!"- Falou logo, sabendo que ia ser contra isso. Neguei com a cabeça segurando em seus braços e olhando pra baixo. Todas as minhas inseguranças gritando na minha mente que simplesmente ia me humilhar publicamente se decidisse subir naquele palco.  

-"Eu não posso..."- Sibilei sentindo-me completamente fraco. Zico me fez sentar e Minhyuk me entregou uma garrafinha de água, que bebi inteira. Fechei meus olhos por um momento. Imaginando como isso pode ter acontecido num momento assim.  

-"Você pode Kyung..."- Ele apertou uma das minhas mãos me olhando com carinho.  

-"Eu só conseguia por estar no seu corpo... Como poderei fazer algo assim?"- Minha voz saiu como um sussurro, ainda me sentia inábil usando-a como antes. Fiquei pigarreando constantemente pela estranheza. Zico parecia avulso também, mas sinceramente se concentrava a me convencer.  

Eu realmente não queria ceder a isso, mas tinham tantas inseguranças em mim agora. Como seria amado quando voltei a ser eu mesmo, fraco e pequeno? Como cantaria? Perdi a minha ligação com Zico, O que me garantia que ele não ia me deixar pra trás agora? Não existia mais nenhuma dor, minhas cicatrizes deveriam estar saradas. Zico deve ter cuidado disso pra mim.  

Zico ainda agachado me puxou na cadeira fazendo nossas testas se encontrarem. Puxando a mão que segurava e pousando-a sobre seu peito, ele me fez sentir seu coração acelerado. Então pousou sua própria mão contra meu peito.  

-"Sente isso? Ainda somos um. Não está sozinho."- Prometeu falando baixo. Nossos corações batiam exatamente na mesma velocidade. Como se fossem realmente conectados como ele sugeria. Não consegui segurar a vontade de sorrir.  

-"Eu acho que posso cantar outra coisa..."- Dean falou quando anunciaram que Crush tinha terminado sua apresentação. Zico me olhou em suplica.  

-"Ele vai subir no palco!"- Zico falou e fiz careta pra ele. 

-"Você consegue Kyung!"- Kwonnie falou sorrindo e todos estavam sorrindo.  

-"Posso ficar do seu lado!"- Zico ofereceu e assenti positivamente com força. Talvez assim não fosse tão assustador.  

-"Minhyuk, coloque a música do Kyung primeiro! Vem Kwonnie!"- Zico pediu me puxando na direção do palco. Meu coração parecia um grão de arroz. Minhyuk ficou confuso, mas só eu entendia que era a música dele. Kwonnie apenas nos seguiu com o violão.  

Mesmo que eu quisesse realmente fugir dali. A mão de Zico continuava guiando-me até o palco. Os gritos iam ficando mais altos e as luzes mais fortes. Meu peito estava prestes a explodir. Finalmente estávamos no centro de tudo. E uma melodia doce começou a tocar a partir do violão de Kwonnie. Que estava lindamente sentado num banco ao nosso lado. Zico subiu o microfone até seu lábios e sorriu. Kwonnie olhou confuso pra ele, não sabia que seria ele quem ia cantar. 

  

Gyaerangeun bigyodo andoege 

Eu serei incomparável 

Naega jalhalge waenyamyeon 

O melhor pra você 

Neon nago nan neoya 

Você está em mim, eu estou em você 

Nan neogo neon naya 

Eu estou em você, você está em mim 

Maeumi gatdamyeon 

Se nossos corações são os mesmos 

Dureun seoroga doel geoya 

Os dois iram se tornar um 

Neon nago nan neoya 

Você está em mim, eu estou em você 

Geurim neomu joha 

Nós fazemos uma imagem bonita 

 

Meu lábios entreabriam em surpresa e me sentia nas nuvens. Suas palavras faziam meu sorriso crescer cada vez mais. E todos batiam palmas no ritmo da música. Hipnotizados pela presença de palco dele. Só queria que nunca tivesse fim.  

 

Ogeuradeundaneun mareun nuga mandeun geolkka 

Quem surgiu com essa palavra? 

Chingudeuri malhae joheul ttaeya 

Nossos amigos dizem que é a fase de lua de mel 

Nan ttakhi geokjeong eopsgo 

Eu não me lembro de nenhuma preocupação, nem 

Hado johaseo munjeya 

Um problema que não tenha um cuidado no mundo 

Igeo bwa yokdo jurigo issgo 

Olha, não jurei tanto mais 

Bajido ollyeo ipgo 

Eu não deixei de mostrar meu sorriso a ninguém 

Amuhantena miso an boigo isseo 

Pare de olhar o espelho não 

Geoul geuman bwa gochil dega eodi isseo 

Há nada que precise de concerto 

Minnaccil ttae jeil ippeo 

Você é mais bonito quando 

I jangmyeon uri eomma 

Você está sem maquiagem 

 

A cada verso eu me sentia mais calmo e entusiasmado ao mesmo tempo. Prestando atenção nele, sorrindo feito bobo. Quando a música acabou ele andou na minha direção e sorriu.  

-"Muito bem, Uma salva de palmas para Zico, nos surpreendendo com uma nova face!" O apresentador gritou e as meninas foram a loucura. Talvez elas também estivessem gritando por ele ter segurado minha mão no palco. -"Agora vamos ver o que Park Kyung preparou para nós!"- Ele gritou e todo mundo bateu palmas. Soltei a mão de Zico e andei até a frente do palco. Escutei Kwonnie saindo e Dean ficou do meu lado esperei a melodia começar. Meu corpo parecia anestesiado e tudo era incrível pra mim, tentei lembrar da letra, mas tudo permanecia fresco na minha memória.  

Olhei para todas aquelas pessoas e sorri ao ouvir a melodia começando nos autos falantes, Dean começou a cantar a parte calma da música. Eu realmente ia me apresentar. Com os dedos trêmulos aproximei o microfone da minha boca e o tempo da música estava quase lá, mas eu o perdi. Todos estavam em silêncio olhando pra mim, mas meu sorriso morreu. Porque bem no fundo olhando diretamente em meus olhos estava Dok Ho.  

Ele era como a personificação de todas as minhas inseguranças. A música parou quando perceberam que eu não ia cantar e ele riu da minha cara abertamente. O silêncio embrulhou meu estomago.  

Ele costumava reforçar minha crença sobre me sentir feio, ele costumava me dizer que era pequeno e que precisava dele pra continuar. Eu me sentia tão pequeno que realmente deixava-o me controlar. Eu só queria me sentir menos sozinho. Realmente achei que merecia um amor assim. Humedeci os lábios.  

-"Vai, canta logo!"- Dok Ho gritou e sua voz fez eco por causa do silêncio repentino. Risos baixinhos começaram por seu comentário. Escutei os passos de Zico atrás de mim. Mas levantei minha mão avisando que ia falar algo. As risadinhas pararam quando levantei a mão. 

Sempre fiquei parado, sempre deixei que ditassem quanto eu merecia receber ou o que deveria fazer. Olhei Dok Ho nos olhos, decidido. Dessa vez eu decidiria o quanto eu mereço, dessa vez ele não ia conseguir me controlar. Eu mereço mais que isso, sou melhor que isso. Levantei o microfone mais até estar realmente perto dos meus lábios. 

-"Minhyuk, por favor... Coloque a melodia de novo!"- Pedi e minha voz saiu decidida fazendo-o parar de sorrir. Eu não estou sozinho. 


Notas Finais


Eaaai? <3 <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...