História I and creepypastas (pausado) - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Lendas Urbanas, Mitologia Japonesa
Tags Creepypasta, Romance, Suspense
Visualizações 42
Palavras 744
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Desculpem-me por qualquer erro, espero que goste!
<3

Capítulo 6 - Capítulo-6


    Acordo com uma incomoda dor de cabeça, me levanto da cama e vou até o banheiro, meu rosto esta vermelho... Também depois do que aconteceu ontem eu fiquei dando tapas em mim mesma até cansar.

    Escovo os dentes e desço até a cozinha onde Maria esta sentada comendo.

    -Bom... Oh meu deus oque aconteceu com você Sophia?! –Ela pergunta exageradamente. Vou até o armário pego um remédio, e um copo de água. Engulo o remédio e tomo a água.

    -Não foi nada. –Falo, porque é verdade. Isso não foi nada comparado ao que eu mereço.

    -Como não foi nada?! Parece que você andou chorando e apanhando! Sophia por favor me diga oque esta acontecendo?

    -Já disse que não foi nada! –Grito, ela se estremece. Uou, oque foi isso?! –Desculpa, eu... Eu estou com uma dor de cabeça dos infernos, e estou precisando sair para respirar ar puro. Então por favor não pergunte mais. Eu vou comer alguma coisa e vou sair ok? –Não deixo-a responder. –Ótimo.

    Nem eu estou me reconhecendo, mas até que isso foi legal. Pego uma tigela, cereal, leite e uma colher, coloco o cereal na tigela enquanto Maria me olha com... Medo?

    Enquanto como o cereal Maria não se arrisca a falar nada.

    -Olha Maria você deve estar assustada, mas não tem motivo para isso esta bem? –Falo e suspiro. Ela me olha e sorri. Ufa.

    -Eu não estou assustada. Agora se você me da licença eu tenho algumas coisas para fazer. –Ela sai da cozinha. Hm oque esta havendo aqui? Termino de comer e vou procurar ela passo pelo quarto que ela dorme, esta trancado encosto na porta para ouvir.

    -Mais ou menos é que a Sophia esta... Ela não parece bem. –Filha-da-puta. Ela para, acho que para ouvir oque meu pai diz. –Ela acordou com o rosto meio roxo, gritou comigo hoje, e como daqui a duas semanas ela faz quinze então eu pensei que isso tinha algo a ver com o... Você sabe quem. –Hm de quem será que ela esta falando. – Duas horas?... Não deixar ela sair de casa?... Ok eu posso fazer isso. –O melhor a fazer agora é sair de casa para essa fofoqueira se encrencar. Minha consciência tem razão. Vou para o meu quarto sem fazer barulho tranco a porta e ligo o som. Logo uma batida na porta.

    -Sophi será que da para você ficar em casa hoje? É que se o seu pai souber eu acho que é capaz dele me despedir... –Abro a porta e sorrio para ela.

    -Claro Mariazinha, pode deixar que eu vou ficar trancada dentro da minha prisão. –Falo e antes dela abrir a boca bato a porta na cara dela. -Hm odeio Kate Perry quero um rock. Coloco um CD de rock que Ben me deu, nunca o tinha escutado antes... Não sei se eu gostei da musica porque eu estou me sentindo diferente hoje, ou porque ela é realmente boa.

    Entro no closet, oque eu vou vestir hoje? -Algo que mostre que você já é uma mulher no corpo de uma adolescente. –Mas meu pai é tão rígido em questão as roupas...

    -Dãh seu pai é homem, e os homens sempre são rígidos em questão as roupas. Mas pense olhe seu corpo. –Vou até o grande espelho do closet, até que eu sou bonitinha, um metro e setenta cabelos pretos e lisos que vão um pouco abaixo da minha bunda, magra, peitos razoáveis para uma menina da minha idade, bunda também, coxas grossas...

    -Viu só? Você já vai fazer quinze anos porque esconder a sua beleza? –Fico pensando por um momento, minha consciência tem razão, uma hora ou outra eu vou ter que usar um vestido curto, ou uma saia. Vou até uma caixa onde meu pai guardou todas as roupas que ele achava “Vaporosas”. Pego um cropedd preto, uma calça jeans azul justa, um tênis branco e me troco rapidamente.

    -Transformação quase completa agora só falta a maquiagem. –Vou até uma outra caixa onde eu guardo (escondido do meu pai lógico) uma maleta de maquiagem que comprei com minha mesada. Passo um batom vermelho faço um olho de gato, um pouco de sombra e... Voá-lá.

    Me olho novamente no espelho e... Caramba! Eu pareço ter... 18 anos.

    -Realmente você esta gata, agora é só pegar o celular e tchau-tchau Maria.- Sorrio, eu estou começando a gostar da minha consciência. –Ahh minha querida eu também estou gostando de você. E pode me chamar de Zalgo.


Notas Finais


Até a próxima!!!
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...