História I blossom for you, but I'm still thirsty. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook
Tags Imagine
Visualizações 17
Palavras 1.863
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha quem apareceu, espero que gostem. Comentem please meus coalas. ❤🌹

Capítulo 9 - Progresso.


Fanfic / Fanfiction I blossom for you, but I'm still thirsty. - Capítulo 9 - Progresso.

Em anos eu não estive tão feliz, eu não conseguia acreditar; Jeongguk realmente havia feito uma surpresa para mim?! Sua voz saia tão calma como uma pluma ao vento. Eu sorria como nunca em quantos meu rosto era banhado por lágrima, senti o mesmo aproximar-se e minha pele queimar feito fogo, e em sussuros ditou as últimas palavras. Abraçando-me carinhosamente mas, mesmo em toda aquela alegria em sentia que algo estava errado.


6 Meses atrás.


12/05.  17:21PM.


A vida de (s/n) estava bagunçada ao seu ver, ela não sabia quando ou onde ela e Jeon tinham aproximar-se mas, sabia que isso em parte a deixava feliz; dentro do carro de sua baba ela está a reencostada no Banco do passageiro apreciando a baixa cantiga que ecoava pelo rádio, Min-Hey por sua vez estava concentrada na estrada -mesmo que sua mente estivesse longe- não ditou uma sequer palavras. Seu coração estava apertado, não saberá qual seria a reação de sua menina quando soubesse oque lhe esperava. Ao estacionar o carro no lugar devido, o caminho para o apartamento foi silencioso e (s/n) estranhou que Min sempre fora alegre e brincalhona, adentrou sua residência com a ajuda da mais velha.


-Olá minha filha.


Girou seu corpo para tentar encontra o dono da Voz, não via seu pai a dias devido ao trabalho em ecesso; não culpava-o pois sabia que não era sua culpa. Sentiu pares de braços rodearam seu pequeno corpo e um abraço fraterno ocorreu de ambas as parte, seu pai estava com tamanha saudade que não saberia dizer em palavras; a menor não estava diferente.

-Como vai papai?.- perguntou ao desvencilhar dos braços alheios.


-Vou bem querida, agora conte-me como você estar.


A conversa fora longa que nem viram as horas passarem, apenas deram conta do tempo perdido com Min dizendo que o jantar estava pronto; nem mesmo haviam sentido o cheiro delicioso da comida da mais velha.


-Eu quero lhe contar algo.


-Diga papai.- disse com a boca cheia fazendo ambos ali na mesa rirem.


-Eu marquei sua cirugia para a alguns meses.-ao ver a feição de sua filha mudar bruscamente para uma  de espanto não tardou em prosseguir.- claro, se quiser.


O silêncio fez-se presenta na mesa, os mais velho sabia que ela precisaria pensar; a mesma por sua vez havia perdido totamente a fome, ela precisaria fazer isso... mesmo que não estivesse 100% com coragem.


- Eu farei.


Min sorriu encarando o Homem sentado ao seu lado -que ostentava o mesmo sorriso- eles estava felizes.


-Você tem certeza filha?.- a menor apenas asentiu com a cabeça sorrindo fraco.



23/06. 18:33PM.



-Irei comprar algo para comer.- O platinado disse frustado levantando-se da mesa.


- Eu não estou com fome Yoongi.- (s/n) disse pela milesima vez naquele mesmo dia.


-Você disse isso quando chegamos, tenho que lembrar-lhe que ficamos 10 horas presos aqui?!.- proferiu indignado.- você irá comer.


- Não, eu não irei.


O corpo da mesma formigou, ela sabia que Jeon estava-se aproximando; sua pele ardia com tal contato. Os Passos atrás de si cesarram-se.


-Oque está acontecendo?.- o mais alto disse rudemente.- da para ouvir de longe.


-Ela não quer comer dês que chegou.- era visível que o platinado estava irritado.


-Oque? O sinal irá tocar.- rude.- São 10 horas sem comer.


-Foi oque eu disse.- Yoongi exclamou.


-Levante-se.


- Eu não quero comer Jeongguk.


-Eu não perguntei se você quer.


Um bico formou-se nos lábios de (s/n), e contra-gosto foi para a lanchonete do Colégio; seu pulso doía com o aperto que Jeon dava -mesmo que sem querer- ainda com o rosto emburrado foi abrigada sentar-se e esperar o Sr. Mal morado voltar.

-Pegue.- não mexeu sequer um músculo.- Não faça-me enfiar guela a baixo.


Pegou o sanduíche das mãos do mais alto que observou-lhe comer tudo, depois bebeu uma caixinha de suco. Logo lembrou-se que Min deveria estar lhe esperando para ir embora. O mais velho arqueou uma sombracelha ao não entender o desespero da menina a sua frente.


-Oque houve?


-Min deve estar esperando-me para ir embora.


Jeon nem havia percebido que o sinal já tinha sido tocado. Riu baixinho e obteve o olhar da menor, que fez uma feição de desentida.


-Por que está rindo?


-Min não vira hoje, você irá embora comigo.


-Mas... Por quê?


- Ela não teria tempo para buscar-lhe então, pediu para que eu a leva-se para casa.


-Além de obrigar-me a comer ainda irá lervar-me em casa?!


- Eu não pedi por isso.- disse indiferente.- Mas se quiser posso lhe jogar do última andar do Colégio, assim você cala a boca.



03/07.  7:42AM.



- Você está atrasada.- rude.


-Desculpe-me.


-Desculpas não irá levar-nós ao Colégio, e também não irá nós livra de um bronca por chegarmos atrasados.


-Eu realmente não tive uma noite boa.-disse caminhado para fora do condomínio.


A menina não conseguirá pregar os olhos nem sequer uma 1 hora por conta dos pensamentos importunos, sentiu seu corpo doer e seus olhos clamarem para serem fechados; ela estava horrível tanto fisicamente quanto mentamente. Ela sabia que Jeon estava esforçando-se para não ser tão rude -mas isso era dele- não teria como simplesmente arrancar, seria o mesmo que querer para de respirar ao ver do maior.


-O problema não e meu se não consegue dormir.


-Eu apenas...


-Cala a boca.


- Você não manda em mim.


-Eu mandei calar a boca, ou quer que eu cale para você?.


A menina rubolizou ao lembra da última vez que lhe foi pedido o silêncio, sua garganta secou em pura ansiedade.


-Da próxima eu não irei esperar.


E realmente ele não esperou.



16/08.  18:33PM.



Sentada naquele pequeno balanço ela aproveitava o vento que chocava-se contra sua face, em quanto sentia o Moreno analisar-te por inteiro, ele estava muito pensativo já ela não estava muito diferente.


-Daqui a alguns meses você irá fazer sua cirurgia.


-Sim.


-Esta com medo?.


-Um pouco.


-Por isso está tão quieta esses últimos dias.-Afirmou.


Jeongguk não poderia negar que estava mais aflito que a menina, eles não tinham 100% de certeza sobre a cirurgia, era tudo ou nada; e seu medo era que fosse nada. A cima de tudo estava (s/n), sua vida estava em jogo e ao cogitar que poderia dar algo errado; prometeu a si mesmo que seria o suporte da pequena menina. Seria sua Ponte. Andou até de trás do pequeno balanço segurando as corrente para que a mesma parace com os movimentos, empurrando-a calmamente. Ela estava com medo -ele sabia- ficaram em silêncio, deixou com que a mesma aproveita-se seu brinquedo preferido -ou oque acreditava ser- e por segundos viu-se preso aos longos cabelos da menor, quis toca-los mas reprimiu o desejo balançando a cabeça. Por Deus, eles eram lindos; como nunca havia reparado. Ergueu sua mão quando o balanço ameaçou  parar direcionando-a em direção as madeixas de cor marrom da pessoa a sua frente, abaixando-a rapidamente quando viu oque faria; talvez ela não gostasse que tocassem-os.


-Balança mais forte.


-Não.


-por favor.- pediu.


- Por quê não cala a boca e fica quietinha?!.


-Eu não quero ficar calada, quero que balance mais forte.


-Que tal eu não lhe balançar?.- disse revirando seus olhos.- já estou lhe balançando, não enche, ou balance sozinha.


E naquele dia a menor teve que balançar-se sozinha.



31/09.  00:27AM.



Após desligar a ligação levantou-se da cama caminhado rapidamente até a sala, calçando seus tênis surrados pelo tempo; não deu-se ao luxo de trancar a porta apenas encostando-a. Correu pelo corredor passando direto pelo elevador, não queria perde o tempo em esperar ele chegar; desceu vários lances de degrais correndo para fora do condomínio, por quê seu corpo tremia e seu coração doía? Corria em meio as ruas que a essa hora ainda estavam cheias, por adolescentes que provavelmente estaria indo a uma festa ou balada; passou entre algumas pessoas sem importa-se com esbarrar ouvindo alguns resmungos, não deu muita importância. Outra pessoa era sua prioridade agora.


Corria entre pessoas e viu-se preocupado; ele realmente estava preocupado....sua mãos soavam e seu coração apertava-se a cada Passo, não poderia aceritar o fato que a qualquer momento poderia perde-lá para sempre. Seus pulmões clamavam por ar mas, ele não parou, ele precisava chegar o quanto antes. Precisava vê-la, saber se estava bem. Não acreditará quando recebeu a ligação, estava com a mesma horas atrás e ela estava bem, ela estava sorrindo; o sorriso era para ele. Parou em frente ao grande edifício olhando-o por inteiro, andrentou o imenso Hospital sem cerimônia chamando atenção das poucas pessoas presentes, sua garganta secou ao ver Yoongi, Jin, Min-Hey e o pai de (s/n). Ignorou e recepcionista andando em passos pesados até os 4.


-Como ela está?.


Não obteve resposta apenas um choro insesante da mais velha, encarou o platinado que estava com sua feição sério e com seu maxilar trincado; ele queria chora mais era orgulhoso assim como Jeon. Direfernte de todos Jin permitiu que algumas lágrima descesse pelo seu rosto, olhou o pai da garota e sentiu seu chão desabar; o choro desesperado do mesmo só confirmava que o estado da menor era grave.


Por quê sentiu como se já houvesse vivido aquilo?!




06/10.  20:11PM.




Dês do ocorrido (s/n) não havia visto o moreno, Gabriela visitava-lhe todos os dias, levando pequenos agradinhos. Jin e Yoongi trabalhavam mas sempre davam um jeitinho de visitar-lhe, Jeon também trabalhava porém morava no mesmo condomínio; isso a frustava-lhe de certa maneira. A menina assustou-se ao escutar dois toque leves em sua porta.


-Entre.


-Que Belo modo de recepcionar visitas.


-Oque quer?.- era evidente sua raiva.


-Oque acha que eu vim fazer aqui?.- rude.


Sem dizer uma palavras a meninas continuo como estava a minutos atrás, depois de quase uma semana, ele veio vê-la agora. Por pura birra fingiu que o maior não existia, a cama ao seu lado afundou-se e a respiração em frutaçao de Jeon fora ouvida em alto e bom som pela menor. Escutou o mesmo soltar o ar lentamente estre os dentes.


-Eu não vim antes por que estava trabalhando.- falou simplista.


-Jin e Yoongi também trabalham.


-Eles tem pais que os ajudam em casa.


(s/n) engoliu em seco, como poderá esquecer-se desde detalhe; Ele mora sozinho. Abaixou a cabeça em forma de arrependimento, brincando com seus pequenos dedos.


-Eu lhe comprei algo.


O Moreno sorriu com os olhinhos curiosos da morena, pediu para que estende-se seu braço, tratando de tirar uma caixinha pequena de veludo. Colocou sobre a pequena mão alheia, em segundos ela já usava sua outra mão livre para saber os detalhe; O mais alto sorriu ainda mais ao ver a morena sorrir largamente ao abrir a pequena caixinha e deslizar seus dígitos por cima da bijuteria. Mas seu sorriso desmachou ao ver os olhos de (s/n) inundaram de água. Ela não havia gostado?.


-Por quê está chorando?.- observou a mesma levantar-se e abraça-lo fortemente.- não chore por favor.- nunca fora seu costume ser gentil com as pessoas a sua volta, o menino teve uma infância um pouco conturbada, mas quando ela estava ao seu lado, tudo mudava. Não por quê ele queria, ele sentiasse livre na presença dela.- não chore.



Atualmente.


- Por quê fez isso?.- perguntei em meio ao choro.- você disse que não gosta de cantar com pessoas observando-lê.


-Você não é qualquer pessoa.


Senti um beijo ao topo de minha cabeça, sentindo seus braços apertarem-me contra si.


-Você é minha pequena borbololeta.















































Notas Finais


Comentem se gostarem, a falta de comentários realmente me desanima. ❤🌹
Eu não corrigi, então desculpem os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...