História I Call Him Daddy... (Imagine Jimin) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin
Tags Babygirl, Daddy, Imagine, Jimin, Park Jimin
Exibições 852
Palavras 2.634
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Fluffy, Hentai, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Essa é a segunda fanfic que escrevo (≧ω≦)
Na verdade ela nem era planejada, apenas brotou hehehehe
Desculpem qualquer erro, mesmo revisada, algum sempre passa despercebido ಥ_ಥ
Desculpem também a capa 'morremeno', ainda tô aprendendo! (╥﹏╥)

Caso ainda não conheçam, vou deixar o link da minha outra fic (Imagine Jungkook) nas notas finais.

É isso, espero que gostem, boa leitura! (~˘▾˘)~

Capítulo 1 - ... And He Love it. (Capitulo Único)


 

Jimin estava se sentindo extremamente feliz nesse sábado nublado, o que para muitos podia ser sinal de um dia tedioso, para ele não mudava o fato de que seus sentimentos eram correspondidos e isso, em si, já iluminava seus dias mais do que o próprio sol. Não fazia muito tempo que notou sentir algo por sua colega de trabalho, ____ era seu nome, depois de se conhecerem melhor trocaram contato e assim o manterão, marcando sempre que podiam algo para fazerem juntos.

Com o tempo o sentimento de amizade foi sendo substituído por algo mais forte, e com alguns batimentos acelerados a mais Park tomou coragem e se declarou, não esperava por uma resposta positiva da moça em questão, apenas queria dizer-lhe o que sentia, mas para sua surpresa a mesma confessou que se sentia da mesma forma com relação a ele e depois de um abraço apertado trocaram seu primeiro beijo.

Jimin sorria para o nada com a lembrança que lhe invadiu, mas logo foi desperto pelo barulho de seu celular, e jurou que trocaria aquele toque estridente assim que pudesse. Sentiu seu coração acelerar ao ver de quem se tratava.

- Alô, ___? – Disse ao atender.

- Alô, Jiminie, sou eu.. – Sentiu-se feliz ao ouvir a voz da pessoa na qual estava pensando a pouco. - Só liguei pra confirmar se o filme ainda está de pé? – Perguntou.

- Está sim! Quer que eu vá te buscar? – Ofereceu-se.

- Não precisa querido, vou só me arrumar e logo estarei ai. Não comece sem mim! – Disse num tom divertido.

- Não começarei! – Devolveu no mesmo tom e escutou a risada que tanto gostava do outro lado da linha.

- Então, até já Oppa! – Despediu-se sem esperar pela resposta dele, que suspirava feliz enquanto encarava o celular.

 Do outro lado da cidade ___ terminava seu banho enquanto cantava uma música e sorria como se não existisse tristeza no mundo. Vestiu-se de maneira confortável e quente já que aquele fim de tarde ameaçava chuva e depois de se conferir e dá um ‘ok’ para si mesma no espelho saiu em direção ao ponto de ônibus.

Enquanto isso Jimin terminava de se vestir e conferia se estava bem apresentável, mal sabia ele que tudo que a ___ prestava atenção era em seu sorriso e não sua aparência. Sentiu seu coração quase sair do peito quando o barulho da campainha soou pela casa, e pela segunda vez no dia praguejou-se por ter tantos sons irritantes em sua própria casa. Sorriu bobo ao abrir a porta e ver quem tanto esperava.

- Olá Jiminie! – Disse ___ um tanto tímida.

- O-oi! – Jimin sentiu-se igualmente tímido. “Tão linda”, pensou.

- Não vai me convidar pra entrar? – Riu baixinho e chamou-lhe atenção já sentindo algumas gotas de chuva cair sobre si.

- Hã? Ah! Claro, desculpa. Entre por favor. -  Jimin disse sem jeito, nem notou que encarava a moça a tanto tempo que nem se deu conta da cena constrangedora que protagonizava.

- A propósito, está muito bonito hoje oppa! – Disse sincera enquanto se direcionava ao sofá.

‘É tudo pra você’, pensou em dizer, mas corou ao pensar que poderia soar atrevido demais.

- O-obrigado! Você também está muito linda hoje... – Disse sentindo seu rosto esquentar.

Jimin podia ter a fama de pegador que fosse, quando se tratava de gostar de alguém de verdade ele se transformava na pessoa mais amável e fiel do mundo era assim que se sentia em relação a moça que segurava o balde com pipoca ao seu lado no sofá. Sorriu ao ver que a mesma estava tão focada no filme que nem mesmo notou ele a encarando.

Quando percebeu as bochechas da garota corarem violentamente pensou que finalmente ela notara seus olhares sobre si, então desviou seu olhar para a tela a sua frente e deparou-se com uma cena de sexo e os gemidos que saiam do aparelho de som, isso explicava as bochechas vermelhas da moça e agora também as suas. Pegou o controle rapidamente mudando de canal.

- Aish, me desculpa, eu não sabia.. me desculpa – Tentou se explicar, nem conseguiu encara-la, e sentiu-se o maior babaca do mundo por estragar seu encontro e fez uma nota mental de sempre olhar a classificação etária dos filmes.

- T-tá tudo bem Jiminie.. – Disse calma, sabia que não era culpa dele.

Ao ouvir isso Jimin a encarou, ficou surpreso pelo tom calmo, pensou que ela ficaria furiosa consigo pelo momento constrangedor. Mal sabia ele que pela cabeça da garota a sua frente já se passaram coisas extremamente impuras sobre sua pessoa.

- Não está com raiva? – Jimin continuava sem acreditar em como ela agia como se nada tivesse acontecido.

- Não, por que estaria? – Disse a moça com um tom risonho dessa vez – Você não tinha como saber e além do mais eu não sou nenhuma criança Oppa. – Concluiu vendo os olhos do rapaz a sua frente arregalar.

Não que Jimin fosse alguém inocente, longe disso, já fez muitas coisas entre quatro paredes com outras mulheres. E não era como se ele achasse que ela fosse inocente e nunca tivesse feito esse tipo de coisa, mas ouvir isso vindo da mesma o fez cair na real. Ambos eram adultos e aquilo era totalmente normal, não sabia porque se sentia assim tão envergonhado. Talvez porque dessa vez ele não quisesse apenas se trancar em um quarto e depois de transar loucamente ir embora na manhã seguinte, ele queria algo a mais.

- Oppa.. – O silencio que até então, o Park perdido em pensamentos, não notara, foi cortado pela garota que exibia as bochechas novamente avermelhadas e a voz levemente rouca.

Jimin sentiu uma fisgada em seu baixo ventre ao ouvir a voz dela naquele tom manhoso nunca antes ouvido.

- Hum..? – Saiu mais como um gemido do que qualquer outra coisa e direcionou seu olhar a ela.

- O-oppa, faz.. – Mais daquele tom manhoso soou pelos ouvidos de Jimin.

- O-o que você quer que o oppa faça? – Mesmo sem qualquer malicia vinda da parte dele, tal frase soou muito provocativa.

- Fa-faz amor comigo oppa.. – Finalizou, agora encarando qualquer ponto na sala que não fosse os olhos de Jimin, no fundo tinha medo que o rapaz a recusasse.

Outra fisgada mais forte se fez sentir no baixo ventre de Park, não podia acreditar que finalmente tocaria intimamente na pessoa que tanto gostava.

- Tem certeza que... – Tentou não parecer ansioso demais.

- Tenho, eu quero sentir você oppa... – Disse olhando finalmente nos olhos do mesmo.

Outra fisgada. Porque aquela palavra naquele tom soava tão inocente e ao mesmo tempo tão pervertida? Park não sabia, mas jurava que podia passar a vida ouvindo-a chamar-lhe assim. Continuaram as trocas de olhares que alternavam entre olhos-boca-olhos-boca, até Jimin puxa-la pra mais perto e selar seus lábios.

No início o beijo era calmo, como se tempo tivesse parado, mas logo se tornou rápido e quente, como se precisassem disso pra viver. Logo Park pediu passagem com a língua e a garota cedeu prontamente, estava tão necessitada disso quanto ele. Exploravam a boca um do outro como se quisessem conhecer cada centímetro, e queriam. Mordidas nos lábios inferiores eram deferidas de ambas as partes. E mesmo com a chuva que já caia forte do lado de fora eles podiam jurar aquela sala estava pegando fogo.

Quando o ar se fez necessário, cessaram o beijo e ficaram por um tempo sorrindo um para o outro. Jimin levantou-se e estendeu a mão para que a garota a segurasse, e ela assim o fez. Seguiram para o quarto de Park enquanto trocavam beijos apressados pelos corredores e se desfaziam das peças de roupa pelo caminho.

Não era como se fossem perder a virgindade, não tinham porque encenar algo realmente romântico, eles queriam muito aquilo e estavam a vontade pra isso, do modo deles. Queriam se entregar um ao outro e sabia que era reciproco.

Ao adentrar o quarto só restaram as peças intimas em seus corpos. A vergonha que sentiam foi deixada do lado de fora junto com o resto de suas roupas.

Agora estavam na cama. Jimin se encaixou entre as pernas da garota enquanto deixava chupões em seu pescoço, certamente ficaria roxo na manhã seguinte, não é como se eles se importassem.

Ela arfava por baixo sentindo a ereção de Park contra sua intimidade ainda coberta, porem úmida. Jimin mexia seu quadril simulando estocadas e isso estava deixando ambos com ainda mais vontade de arrancar as poucas peças que ainda estavam ali. Jimin finalmente arrancou o sutiã dela, direcionando seus lábios para um dos seios da moça sugava e dava mordidinhas em ambos os mamilos, e ela gemia baixinho ao sentir tais toques. Deu início a uma trilha de beijos pela barriga dela, chegando onde tanto queria.

Agora já de joelhos entre as pernas dela, começou a lamber e dar pequenas mordidas na intimidade ainda por cima da calcinha deixando-a ainda mais encharcada.

- Aaah.. Ji-miniiie – Soltou o primeiro gemido alto, logo cobrindo o rosto com um travesseiro.

- Ah, não, por favor, me deixe te ouvir.. – Pediu manhoso ainda com a boca encostada na intimidade alheia, o que causou cócegas gostosas na região. Um pedido feito dessa forma não podia ser negado, e ela prontamente jogou o travesseiro pra longe tornando a gemer.

Estimulado por isso Jimin tirou a peça azul-bebê que cobria aquela parte tão desejada e começou a investir com a língua quente e molhada contra o clitóris da garota, dessa vez direcionando um dedo a entrada da mesma.

- Aah, você é tão quentinha e molhada! – Disse ao introduzir seu dedo dentro da garota.

- Não fala essas.. essas coisas o-oppa! – Retrucou fingindo indignação com vergonha do que ouviu.

- Senão..? – Jimin deixou seu tom sair extremamente pervertido dessa vez.

- Se-senão.. eu.. aaah Jimiin! – Deixou outro gemido alto sair quando sentiu um segundo dedo lhe invadir.

A esse ponto a ereção de Jimin já doía então com a mão livre a apertou por cima da box preta, soltou um gemido sôfrego.

- Agora é minha vez.. – ___ disse se levantando e invertendo as posições, ficando ela ajoelhada entre as pernas do mais velho que já tinha jogado sua box preta longe antes de sentar na cama.

Sem muitas cerimonias a moça abocanhou todo o membro de Park, e deu início aos movimentos lentos de vai e vem, hora ou outra olhando para as expressões de prazer no rosto dele que se encontrava com a cabeça tombada pra trás os olhos fechados e a boca entreaberta, por onde deixava escapar gemidos roucos. Direcionou uma das mãos para os cabelos da moça e começou a ditar o ritmo, dessa vez um pouco mais rápidos e fortes.

- Assim eu.. eu vou.. vou aaahh – Não teve muito tempo de terminar a sua frase e já sentiu os espasmos em seu corpo que indicavam que havia acabado de gozar na boca de sua companheira.

Ao abrir o olho e encara-la esperava receber uma bronca, mas se surpreendeu ao ver a moça com uma sobrancelha arqueada e um sorrisinho sacana, havia engolido tudo e ainda lambia os dedos sujos com seu liquido branco.

- Oppa, você tem um gosto muito bom.. – Disse enquanto se deitava de bruços na cama – Mas agora quero que você suje outro lugar, hm?

Jimin levantou-se para observa-la e antes pudesse dizer qualquer coisa, a garota direcionou ambas as mão para a trás e puxando uma nádega pra cada lado dando visão perfeita de toda sua intimidade, dessa vez não só da sua vagina como também seu outro buraquinho, ambos pulsavam tamanha vontade que sentia.

 Só isso já fez o membro de Jimin pulsar, nem se deu conta do quanto já estava duro. Park lambeu os lábios e prendeu o inferior ao ver a cena e não pensou muito, tornou a encaixar-se novamente entre as pernas da garota, dessa vez segurando a base de seu membro totalmente ereto enquanto empurrava levemente sua cabecinha rosada contra a entrada completamente molhada da moça que gemia a cada centímetro que lhe invadia

- Aaaah, meu deus, Ji-Jiminiiie.. - Gemeu enfim ao sentir todo o membro de Park dentro de si.

Park sentiu uma onda de calor percorrer seu corpo ao ouvir tal gemido e logo deu início as estocadas, ia lento e fundo, tão fundo quanto pudesse. Apoiou seus braços na cama um de cada lado do corpo da garota e começou a dar leves mordidas pelas costas da mesma. A esse ponto os gemidos do casal já preenchiam totalmente o ambiente competindo com a forte chuva que caia do lado de fora.

- Su-sua bucetinha é tão quentinha e gostosa... aaahh – Park gemeu contra o ouvido da moça e sorriu sacana ao sentir que a mesma se arrepiou totalmente com esse ato, sentiu que ela empinou-se ainda pedindo por mais contato, já estava completamente entregue a ele.

- Só-só não é.. aahh.. mais do que o seu pa-pau oppa.. – Disse virando seu rosto de encontro ao de Jimin dando uma mordida no lábio inferior do mesmo que fechou os olhos e passou a estocar ainda mais forte a garota que soltou uma risada pervertida. Se a intenção dela era acabar com a sanidade do mais velho, certamente estava funcionando.

Jimin voltou a se apoiar na cama e continuou com as investidas.

- Mais.. mais forte Daddy! Aaahh - Provocou, fazendo Park investir com ainda mais violência contra a mesma.

- Do que.. você me chamou? – Mesmo que tenha entendido perfeitamente, “Daddy” certamente soava melhor do que “Oppa”, pensou.

- De.. Da-ddy... aahh – Falou pausadamente lambendo os lábios em seguida. Encarava a expressão de prazer de Jimin - que havia parado o ato na espera que a mesma repetisse o que havia dito - e gemeu ao por notar que ele havia gostado do novo nome e voltado a estoca-la com ainda mais vontade.

Se ainda restava alguma sanidade em Jimin ela tinha acabado de ser mandada pra puta-que-pariu. Respirou fundo, pendeu a cabeça para o lado e direcionou a mão direita aos cabelos da moça enrolando-os em sua mão e puxando-os pra trás enquanto deferia um segundo tapa dessa vez na outra nádega que logo adquiriu um tom avermelhado.

- Então você gosta de brincar, não é BabyGirl? – Disse entrando na brincadeira da mais nova, deferindo outro tapa contra as nádegas da garota.

As estocadas já estavam em um ritmo extremamente violento, o som dos corpos suados se chocando preenchia o local juntamente com os gemidos, a esse ponto, a chuva lá fora já nem era mais ouvida.

- Daddy.. eu.. meu Deus, Jiminie.. eu vou.. – Ao tentar falar o corpo por baixo do de Jimin agora era tomado por espasmos que indicavam que a moça acabara de ter um orgasmo.

- Isso.. isso.. goza pro seu Daddy! – Ofegou pendendo a cabeça pra trás enquanto dava suas últimas estocadas, dessa vez mais lentas e profundas, e soltou um gemido rouco e alto, logo preenchendo o interior da moça com seu liquido quente.

Retirou-se de dentro da garota e deitou ao seu lado. Ambos tinham a respiração descompassada e um sorriso estampado no rosto.

- Podia jurar que você era um anjo.. – Jimin quebrou o silencio.

- Eu nunca disse que era. – Respondeu rindo anasalado.

- Tem razão. – Ponderou – “Aaah Jiminie.. aahh oppa.. aahh Daddy” – Imitou os gemidos que a garota fazia – Me chame de Daddy mais vezes, eu gostei. – Sorriu até seus olhos se tornarem dois risquinhos.

- Ah, Cala a boca Park Jimin! – Sentiu-se envergonhada e deferiu um tapa no braço do rapaz que fez biquinho, logo a risada dos dois preencheu o quarto.

Após algumas conversas aleatórias e provocações de ambas as partes - considerando a hipótese de um segundo round - finalmente se renderam ao cansaço.

- Boa noite, BabyGirl.

- Boa noite, Daddy.


Notas Finais


Wooooow Fantastic Baby! (づ ̄ ³ ̄)づ
Genteeee, mais de 2000 palavras e boa parte é safadajin.. ( ͡° ͜ʖ ͡°)
Mereço um beijo, né non?! ashauhsauhshahsauhs ¯\_(ツ)_/¯
Obrigado por lerem e comentem o que acharam, eu não mordo. Quer dizer... ( ͡° ͜ʖ ͡°)
Isso é tudo pessoal hahahaha
Até a próxima ≧◡≦
Anyooooo (~˘▾˘)~

Noona, Help Me? (Imagine Jungkook): https://spiritfanfics.com/historia/noona-help-me-imagine-jungkook-6158631


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...