História I can fall in love with you? - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Romance
Exibições 43
Palavras 1.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OIEEEEE MINHAS COISAS FOFAS!!!

~Boa leitura 💙✨

Capítulo 21 - Guilt


Fanfic / Fanfiction I can fall in love with you? - Capítulo 21 - Guilt

— Hum… – Yoongi pigarreou e eu o olhei – se sente tão desconfortável assim? 

— Ehr… um pouco… eu te devo desculpas, não deveria ter feito aquilo… – olhei para os meus pés 

— Tudo bem… mas porque fez aquilo…? 

— Eu não sei…

— Estava com ciúmes de Taehyung com aquela menina…?

— Oi? C-Ciúmes?! – o olhei com os olhos arregalados e com uma expressão de surpresa 

— Sim, ciúmes – ele me olhou sem expressar nada, tanto no tom de voz quanto na expressão do rosto 

— Por que EU teria ciúmes dele?

— Por que você talvez goste dele? 

              Após Yoongi ter dito isso eu fiquei quieta e comecei a pensar sobre isso. E se ele estiver certo? Sobre o fato de eu estar gostando de Taehyung…? Não sei ao certo se isso é algo bom ou ruim…. Até porque pelas minhas experiências, se apaixonar não foi algo muito bom. O motivo, é que eu ficava 24 horas pensando naquele imbecil, se preocupava mais com ele do que comigo mesma, era até como se ele fosse a razão do meu viver. Mas no final ele simplesmente me deu um chute na bunda. E foi horrível. Por este motivo, não quero ter que passar por mais um chute na bunda. 
             Com tudo isso, acho que posso concluir que sou muito medrosa e alguém que não gosta de se arriscar para fazer as coisas. 

— Eu não posso gostar dele… – disse encostando minha cabeça no vidro 

— Por quê? 

— Não quero me ferrar como da última vez… 

— O Tae não é assim 

— Independentemente se é ou não… eu não quero passar por nada disso… – fechei meus olhos 

— Desculpa, não posso dizer que entendo porque eu nunca passei por isso 

— Nunca se apaixonou? – olhei para ele 

— Nunca fui deixado – corrigiu-me – normalmente era eu que deixava as garota 

— Por quê?

— Não as amava e muito menos gostava delas de verdade… 

— Então por que as namorava?

— Porque não queria ficar sozinho… queria sentir como era amar e ser amado… porém, eu nunca conseguia sentir nada por nenhuma delas… 

— Humm… e está dizendo isto pra mim por quê?

— Porque eu precisava falar isso para alguém – ele disse me olhando – e antes que pergunte, não disse isso para os meninos porque… não sei dizer bem o porquê… só… acho que… não queria mostrar esse meu lado para eles… 

               Eu apenas assenti. Até que de certa forma entendia Yoongi, ele não queria mostrar seu lado fraco – sensível talvez – às pessoas, sejam elas suas amigas ou não. A maioria do tempo eu era assim, não queria mostrar sentimentos ou qualquer outra coisa as pessoas. Queria que elas me vissem como alguém frio como um robô incapaz de sentir quaisquer sentimentos, seja ele de tristeza ou alegria. 
               Sempre fui anti-social e nunca conseguia fazer amigos. Porém, com o tempo eu fui me acostumando à ficar sozinha boa parte do tempo. 
              O tempo me ensinou coisas, como ignorar e não se importar com o que os outros pensam ou falam de você. 
              Mas bem, deixando tudo isso de lado… este havia sido o término de nossa conversa. Depois disso, não conversamos mais e apenas ficamos quietos durante a viagem inteira. 

                          ***

              Após um certo tempo – que eu obviamente não contei por estar dormindo –, finalmente chegamos à escola. Tenho de admitir que já estava ficando com saudades da cidade, apesar do ar daqui ser poluído e todas essas coisas ruins que a cidade tem e as florestas e campos não. 
                Todos já haviam descido do ônibus, inclusive eu. Estava quieta em meu canto pensando em como iria embora com estas malas pesadas. 

— Ji-Yeong

            Alguém me chamou fazendo com que eu me despertasse de meu transe. Olhei para a pessoa e vi que era o professor de educação física, e bem, não posso deixar de comentar que ele não está com uma cara muito boa… parecia estar sei lá, com dó ou pena. Fiz uma pequena referencia a ele e perguntei o que o mesmo queria. 

— Então… eu… tenho uma notícia para te dar… – fez uma pausa – e ela não é muito boa…

— Professor, fale logo o que é – falei o cortando 

— Seu pai ele… – engoliu a seco só me deixando cada vez mais curiosa – ele… sofreu um acidente de carro e está com ferimentos muito graves 

            No momento em que escutei isso, deixei minhas malas caírem no chão fazendo um barulho um tanto alto, porém não alto o suficiente para todos ali escutarem. 
            A informação simplesmente não entrava em minha cabeça. Meu… pai… havia sofrido um acidente de carro…? 

— E-Em que hospital ele está? – perguntei com a voz falha

— Aquele que fica mais próximo da escola, sabe qual é?

— S-Sei – assenti

               Tentei me acalmar por um momento e respirei fundo. Me preparei e sai correndo, largando minhas malas lá. 

— JI-YEONG! AONDE ESTÁ INDO?! VOLTE AQUI! – gritou o professor 

                Esta havia sido a última coisa que eu havia escutado, porque em seguida, eu me desliguei do mundo e só foquei em chegar até o hospital. Sabia muito bem onde ele ficava pois sempre passava em sua frente quando estava voltando para casa. 
                Há uma coisa que não entendo… por que justo neste hospital? Que fica mais perto de minha escola? Por que não qualquer outro hospital? 
                Assim que escutei uma buzina eu parei de pensar e olhei aonde estava. No meio da faixa de pedestre. Se continuasse ali no meio iria ser atropelada – obviamente –, então sai correndo para a outra calçada. Já estava quase sem ar, minhas pernas doíam assim como meus pulmões. Meu nariz estava trancado, o que dificultava respirar. Para completar, eu não sou muito atlética então canso rápido, fora que também, meu tornozelo ainda não estava lá aquelas coisas. Talvez, se não fosse pelas minhas caminhadas de casa até a escola, e da escola até em casa, eu já estava muito mais cansada.  
                 Apesar da calçada estar razoavelmente cheia, e do fato de que eu estava realmente muito, muito, mas muito cansada mesmo, consegui chegar ao hospital. 
               Odeio os aspectos de hospitais. Sempre brancos e monótonos, com seus cheiros nada bons e com muita gente doente.  
                Tentei ignorar isto e fui até a recepção para falar com a atendente. 

— L-Licença, m-meu pai sofreu um acidente de carro e está com ferimentos graves – falei ofegante e tentando recuperar o fôlego 

— Qual é o nome do seu pai? – ela me perguntou enquanto olhava em seu computador e em seguida olhava para mim 

— Song Yong Shik 

— Ah… no momento, este paciente está fazendo uma cirurgia muito arriscada – ela disse num tom de pena – aquela mulher ali, seria sua mãe?

                 A secretaria me mostrou a tal mulher e vi que era a minha mãe… ela estava chorando enquanto Hyun Seok a tentava acalmar. Apenas assenti para a secretaria e fui até os dois. Só Hyun Seok havia me percebido, pois ela estava de costas pra mim. 

— Ji – disse ele 

                  Automaticamente ela se virou, estava com uma cara horrível e me olhava como se fosse eu que tivesse atropelado meu pai por pura vontade.  

— A culpa é toda sua… – disse um pouco baixo – a culpa é toda sua! Se você não tivesse nascido seu pai não teria ido buscá-la na escola e nunca teria sofrido esse acidente!!! A culpa é toda sua!

— Mãe, calma! – disse Hyun Seok a segurando, pois se não ela iria pular em cima de mim – não se preocupa Ji, a culpa não é sua – ele tentou sorrir e eu apenas abaixei a cabeça me afastando deles

                 Agora eu sei o porquê de  ser justo neste hospital…. Ele ia vir me buscar… e consequentemente… se acidentou… tudo faz sentido…. 
                Estava com calor e soada apesar do frio que fazia. Tudo graças à aquela corrida. Parece que minha preocupação foi completamente em vão… já que pelo visto… a culpa é toda minha… 


Notas Finais


E agora??? E agora??? *TAN TAN TAN*

Só no próximo capítulo 🌚✨💙

Tae: Nossa hein! Como tu é malvada com suas leitoras ou leitores

Autora: Fica quieto aí fio

Tae: 🙄

Autora: KIM TAEHYUNG CÊ TU REVIRAR OS OLHOS DE NOVO! Vai ficar sem comida

Tae: Entendido senhora!

Autora: Bom mesmo, agora se despede

Tae: Tchau! Tchau 👋🏻 😊

Tchau genteeeeeee! Vejo vocês nos comentário ou no próximo capítulo ✨💙

P. S.: Se quiserem mais participações dos personagens aqui é só pedir 😆, podem mandar perguntas também viu! ✨

🌚✨💙

Tae: A autora esqueceu mas obrigado a ~LayArmyLoka e ~MihCarvalho por favoritarem :3 obrigado também a todos que comentam aqui sempre 😊💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...