História I Can Handle It. Taegi- EM CORREÇÃO - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 193
Palavras 2.456
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Lemon, Lírica, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


notas lá em baixo

Capítulo 3 - Um Beijo


 

Kim Taehyung

Minha cabeça doía e minha garganta ardia havia um tubo grosso enfiando por meu nariz. Aperto meus olhos respirando fundo faria o de costume me esticando na cama, mas dessa vez não pois podia ao sentir meu braço pesar estranhei esse fato olhando para baixo e encontroando Yoongi dormindo no mesmo.

-- Yoongi...

 Falo com a voz rouca e baixa o mais velho pareceu não escutar então pensei em sair da cama e deixar dormir, mas meu corpo não queria isso. Continuava parado olhando para o teto sentido a pele e as bochechas quentes amaciarem parte das minhas roupas de tecido liso hospitalar. Os cabelos de Yoongi tocavam meu queixo e pescoço produzindo pequenos arrepios ao ter os fios finos tocando uma parte sensível da minha pele. Meu corpo suspirou fechando os olhos mesmo que produzisse uma gosto ruim na minha boca e garganta por causa do tubo, o abracei naquela posição buscando por mais contato, Yoongi cuida de mim, mas a verdade é que eu quero cuidar dele. Minha mão se mexe minimamente tentando afastar a dormência, escuto um suspiro alto por parte do mais velho e cubro meu rosto com minha mão livre pois podia sentir minhas bochechas arder de vergonha por ter-lo tão próximo e saber que a lembrança do meu corpo desejando o abraçar ficou grudada em minha mente, ele levanta a cabeça desesperando-se saindo de cima de mim. Quis protestar para que ele voltasse a se deitar comigo. Sem coragem pra isso.

– Você está bem? Deixou-me preocupado não faça mais isso!  – Falou o mais velho tocando meu rosto e braço esquerdo o qual levou  a agulhada.

– Eu estou bem por hora, receberei meu castigo em breve.

Ele parecia frustrado, mas preocupado acima de tudo. Coisa que eu não conhecia até hoje. Ele abre os lábios varias vezes andando pelo o quarto, queria manda-lo parar porque parecia que iria tropeçar nos próprios pés a qualquer momento.

– Eles não vão te castigar, eu disse que foi culpa minha. –Yoongi falou

– O que? Por quê? Está louco?!

– Disse que fiquei furioso com algo e me desconcentrei na hora de dar a medicação. -- Já foi dois sermões do chefe....

– Eu disse que se dependesse de mim ninguém levaria choque? Entendeu! Farei o possível.

Levanto-me com dificuldade tirando eu mesmo o tubo sem me importar, foi só uma baixa de glicose estava apito para qualquer coisa. Não sabia como responder isso, Yoongi estava colocando seu trabalho em risco por mim eu não saberia o que sentir se ele fosse demitido, mas seria algo péssimo. Vou em direção a fora do quarto com o passo apressado precisava me afastar de Yoongi, eu não entendia por qual razão tal pessoa faria isso, me protegeria assim, não tenho nada para dá em troca.

Meu braço é puxado com uma força fraca e um pedido apelativo para que eu não saísse vindo do menor não poderia nem mesmo pensar nada, não sabia como responder, então falei apenas:

-- Obrigado hyung, mas não precisa se arriscar por nada.

-- Não faça eu me arrepender Tae... você merece mais e sabe disso – A voz firme falara com calma. Não entedia bem Yoongi ele tinha uma voz grossa e um rosto quase sempre inexpressivo que me fazia confundir e até mesmo ficar um pouco soberbo enquanto abria a boca para falar algo.

Ele solta um sorriso meigo e sem graça de canto que me fez sentir um remorso grande por está ali, queria ter conhecido Yoongi de outra forma, não conseguia tirar os olhos daquele rosto cansado e branco que me olhava com compreensão quando vi ele se afastou largando meu braço, ele iria pegar minhas medicações e aprontar o quarto para que eu entrasse. Decido sair mesmo assim, de qualquer forma queria clarear meus pensamentos. Fiquei surpreendido em não escutar a voz imaginaria em um momento desses.

Começo a zanzar pelos os corredores sentindo uma coisa no meu peito, um sentimento péssimo um sentimento que me fez egoísta ao gostar do que do que Yoongi falou minutos antes, subo as escadas vendo Yoongi me olhar indiferente como de costume me troco colocando meu velho moletom e me sento em frente a ele.

-- Você parece cansado.

– Eu só consegui dormir quando entrei no quarto de manhã. -- Passou a noite em claro o que explica o porque dele estar dormindo em meus braços. 

Meu coração acelerou deixando meu corpo quente como de manhã quando era aquecido pela fofura que o responsável por minha sanidade produzia. Desde que chegou não conseguia entender o objetivo de guardar em minha memória alguns passos e algumas expressões que o mais velho fazia quando estava distraído com seus próprios pensamentos. mas achei que fosse um daqueles sentimentos que pudessem passar despercebido por qualquer um e que com o passar do tempo fugiria de minhas mãos. Mas não era amor, sem duvidas não era amor - dizia em minha cabeça-. Min Yoongi estava fazendo um mau trabalho, porque ao invés de controlar minhas ações ele fazia minha alma balançar em um ritímo lento e em uma altura alta que parecia me sufocar com a falta de oxigênio que existia em meus pulmões.

– Pode dormir na minha cama – Engoli a seco voltando a realidade e dando espaço na cama, tive até a ideia de oferecer o braço também mas não sei se aguentaria o rosto assustado e a expressão interrogativa. Sim é óbvio o quanto sou gay.

– Vou ficar desenhando. – Sai da cama rapidamente. ficaria feliz em ter ele dormindo ali.

Fui para um cantinho do quarto fazer meus desenhos rotineiros enquanto o mais velho dormia. Já passara algumas horas que Yoongi dormia, tive que acorda-lo a diretoria o chamava e eu tinha que me arrumar para meu exame mensal. Odeio esse exame era triste me lembrar do quanto eu estou doente se bem que olho para os lados e posso ver isso, sempre há um jeito de ignorar ao imaginar que essas paredes sem graça tinham uma cor diferente como uma casa comum.

Entrou no banheiro.

As gotas quem rastejavam em meu rosto faziam um ecoo macabro em meu banheiro, era tudo tão perfeitamente arrumado e organizado na vida de Tae que nunca teve a chance de conhecer a bagunça e a diversão de filmes americanos bobos e clichês, mas estava tudo bem. Tae joga seus cabelos pra trás colocando sua roupa, podia não ter os brinquedos e as blusas listradas dos anos 80, mas tinha seu cachorro e alguns velhinhos simpáticos, oh e agora tenho Yoongi Hyung também.

-- Estou pronto. 

Falo olhando para o reflexo do espelho soltando um sorriso falso e bonito, saí sorridente do quarto indo em direção a uma sala especial, as outras pessoas do asilo tinham sua própria bateria de exames, me ponho em frente à porta esperando a voz nojenta da mulher que erra as veias do meu braço.

Franzo o cenho ao não escutar a voz dela mais sim a voz grave de Yoongi, entro interrogativo olhando em volta sem entender.

-- Hyung o que faz aqui?

-- Fazendo seus testes.

-- Você não é encarregado disso.

-- Acha que não sou capaz de ser algo mais que um cuidador?

-- Na-não é isso, é que... aish.

Balanço a cabeça e fico em sua frente ele começa a fazer perguntas sobre quantos surtos eu estou tento por dia, se estou me alimentando bem e se tenho saído de quarto, respondo tudo verdadeiramente sabendo que não poderia mentir me senti a intimidado pela a primeira vez o mais velho me olhava com clareza porque na maior parte do tempo ele parecia desviar os olhos do meus rosto, ele se apróxima de mim com uma agulha e tira meus sangue, ainda sim não era a parte que eu temia.

-- Pise aqui.  –Ele aponta para uma balança.

Afirmo com a cabeça e o obedeço ele se aproxima de mim olhando o número e dando um pequeno sorriso orgulhoso, ficaria feliz se não fosse pela a ação repentina mas já esperada, ele põe uma fita métrica sobre minha cintura, podia notar suas mãos eram bem brancas, mãos de médico com veias, mãos firmes não tremiam nem por um segundo sequer, Yoongi seria um ótimo cirurgião se não estivesse perdendo tempo com pessoas loucas. 

– Não acha que esta demorando muito para tirar minhas medidas?

– Hm? –O menor parecia distraído com nossa próximidade, ele ergue a cabeça e eu o olho om um ar confuso sem entender o porquê dele está parado ali, ele parecia inativo, mas seu olhar ainda sim era tão presente que podia me fazer sentir um peso sobre os ombros, tive que chama-lo a atenção pois estava ficando constrangido completamente desconcentrado, chamo por seu nome e ele parece levar um pequeno susto me manda ir para um acento de coro escuro. Finalmente a parte que temia.

-- Sinto muito, terá que continuar a tomar os mesmos remédios. –Ele falou.

 Abaixo o olhar suspirando forte não surpreso então apenas me levanto chateado saindo pela a porta sem dizer mais nada, vagar por aqueles corredores até o meu quarto nunca pareceu tão difícil parecia um sonho que tive há muito tempo, aonde uma tinha grande montanha de veludo vermelho, minha voz estava lá em pessoa, ela tentava me seduzir fiquei enojado mas a verdade é que sem perceber era seduzido pela a voz mesmo que não fosse atração física a fúria que ela me proporcionava era horrível, e não podia controla-la.

Bato a porta do quarto com força podendo sentir o chão tremer por baixo dos meus pés descalços, estava furioso, tão furioso...

Abracei-me encolhendo no centro do meu quarto toda aquela luminosidade me fazia eu estreitar meus olhos e berrar como um tigre ferido, de fato era um só poderia ser um tigre prestes a morrer, não poderia ter piedade por parte dos humanos que me rodeavam? 

-- Talvez seja a hora hora de sacrificar o tigre. –Disse baixinho.

Repetia seguidas vezes soltando algumas risadas sofregas, cubro minha própria boca com tanta força que paro de respirar preferia desmaiar sem ar a sustar, fechei os olhos lentamente esperando que seu cérebro entrasse em colapso e pudesse ser meu fim de dia, mas senti as mãos de Yoongi. Novamente essas mãos, estão sempre me cercando afinal, senti uma picada em minha coxa a seringa com o calmante fazia minhas mãos se soltarem de onde havia marcas devido a pressão.

-- Hyung, esse quarto é muito claro.

--Sim Tae... É sim. – Ele falava me envolvendo em seus braços finos enquanto mexia em meu cabelo, acabo dopado ali mesmo, dormindo diria

(...)

Abro os olhos mais não vejo nada, tento me levantar mais minhas mãos estão presas grito por meu hyung desesperado, assim como um tigre eu não gostava de jaulas, mesmo que sua vida fosse uma, não queria estar em uma menor.

-- Calma! Estou aqui –Falou Yoongi.

Respiro aliviado meus olhos brilharam ao ver as pequenas velas que rodeavam meu quarto, Yoongi ascendia uma por uma com cautela, ele se aproxima de mim tirando as contenções dos meus braços.

–Tive que prende-lo, Normas... Mas não contarei a ninguém que estou lhe soltando,está bem?

Afirmo com a cabeça esfregando meus pulsos, meus olhos passeiam curiosos pelo o quarto não entendo como essas pequenas velas poderiam ser tão bonitas.

– Por quê? -- Questionei.

– Achei que quisesse seu quarto mais escuro

– Sim... Mas

– Você não gostou? – Podia sentir um tom diferente e tímido da parte do mais velho.

– Eu adorei! hyung. Eu só não esperava, isso é lindo.

Saio da cama passeando vagarosamente pelo o quarto, hyung me faz rir ao fazer algumas sombras engraçadas com as mãos, tentava imita-lo mais nada aparecia além de algumas formas mal feitas.

– Aigoooo, você é um péssimo professor, que luzes idiotas.

– Você que é um péssimo aluno – Ele riu.

Pulo sentado na cama fazendo um bico e ele rir se aproximando e me rodeando, guardei todo o ar dentro da barriga. Sua barriga tocava minhas costas e seu cheiro era não tão forte marcado por um perfume de melão. Como sabia disso? Não sei. Porque naquele momento parecia perigoso demais respirar.

– Você tem que fazer assim com sua mão

Ele põe suas mãos sobre as minhas fazendo um nó com meus dedos eu ri anasalado dizendo que isso não daria certo então nos colocamos um em frente do outro e aproximamos da luz  fora da cama fazendo novamente, e lá estava, uma sombra de um tigre.

-- Hyung que legal!

Viro o rosto para ele e me assusto me afastando minimamente ao ver aquele olhar de mais cedo, ele estava olhando novamente para mim não me contive em fazer o mesmo, sua pele brilhava de uma forma dourada pela luzes daquelas pequenas velas seu cabelo estava tão comportado, seus lábios tão úmidos, completamente ao contrario de mim, com cabelos sempre bagunçados e lábios secos

Nos dois estávamos sentados próximos a vela, mas como se não fosse o bastante ele se aproxima mais.

-- Hyung, você... – sou interrompido.

Ele cobre meus lábios com o polegar, vira o rosto expondo seu belo maxilar, olha para mim de canto e dá um pequeno sorriso até apagar a vela com um simples soprar.

Estava escuro, mas ainda podia sentir o polegar do mais velho em meus lábios esse polegar desce até a ponta do meu queixo fecho os olhos, minhas mãos suavam não podia fazer nada além de esperar pelo o obvio.

Sinto minha cabeça ser inclinada e logo os seus lábios quentes, sua boca tinha um gosto ardente e fresco, fez eu suspirar entre o beijo quando senti uma breve mordida no meu lábio inferior.  Era bem melhor do que poderia imaginar, meu primeiro beijo acabara de ser perfeito. Os lábios se mexiam com lentidão dando espaço para as chupadas que ambos davam entre o beijo. Cerrei o punho ao sentir os dedos de Yoongi tocarem minhas coxas em busca de mais proximidade entre os dois. Podia sentir o quarto esfriando graças as velas apagadas que antes davam uma sensação de forno, mas não importava Yoongi em sí era uma vela que queimava com uma pequena braza quente, esse brasa aumentara assim que senti seus lábios relaxarem deixando nossas línguas se tocarem com vontade, beijar-lo era verdadeiramente bom. Real de mais para ser um sonho. 

Parou

Olhei para os lados sem enxergar nada o beijo parou do nada, comecei a tatear o chão procurando pelo o mais velho então engatiei até a porta ligando a luz tudo o que tinha ali era um quarto vazio lotado de velas apagadas e uma ereção entre minhas pernas, toquei os meus lábios com as pontas do dedo sentindo a dormência que seus dentes provocaram. Isso tem que ser real - rezei internamente.


Notas Finais


Se de certo amanhã eu posto mais, deixem suas críticas ou etc,
falem sobre meus erros e digam se gostaram,
ate o próximo cap bjbj.
-quem acha que o Yoongi vai virar um hokage? ninja mesmo kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...