História I Can Handle It - Capítulo 6


Escrita por: ~

Exibições 54
Palavras 1.375
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Lírica, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


lá em baixo

Capítulo 6 - Doutor


Fanfic / Fanfiction I Can Handle It - Capítulo 6 - Doutor

Min Yoongi:

Ele parecia assustado nem mesmo uma palavra dizia, apenas ficava parado com a boca aberta me afasto dele e sorrio meio triste, pego em suas mãos erguendo a cabeça para poder foca-lo em mim

Yoongi: Não se preocupe, não vai ter nenhum choque, é um procedimento novo, você só precisa fazer uns exames.

Tae: Isso é ótimo Hyung.

 

Ele solta minhas mãos me deixando só na sala, não entendia o que se passava naquela cabeça estava me deixando agoniado, sigo ele até o quarto respirando forte, pergunto-o se ele não gostou da ideia e o mais alto nega com a cabeça, ele apenas me puxou para um abraço, não entedia Tae, ele parecia tão sem reação mas agora me dava um abraço agradecido, me aconchego em seu abraço me sentindo seguro, mas acima de tudo me sentindo bem por finalmente acreditar que posso fazer um com trabalho, que posso curar as feridas internas das pessoas.

Dou leves tapas em seu braço o obrigando a ir dormir, afinal já era tarde e no dia seguinte teríamos muito que fazer.

.

.

.

 Estava de manhã, Tae vestida suas únicas roupas, eu achava extremante fofo suas vestimentas, coisa que eu não pude avaliar direito naquele momento de fúria, passo a mão na testa lembrando das palavras duras que falava para a doce alma de Taehyung, havia sido um idiota sem duvidas.

Ele sai do quarto exibindo um sorriso amarelo, dou minha mão para ele e vamos juntos até o carro oficial da empresa, ele não parava de roeras unhas, ansiava para que chegasse logo no local para não me sentir mais incomodado com o detalhe.

Chegando podemos ver uma grande clínica, com vários enfermeiros e poucos médicos, um homem alto de nariz empinado passa por nós sem nem ao menos virar o rosto, me sentia perdido naquele lugar, não imaginava que seria tão grande e conceituado, Tae aperta firme minha mão, apesar de eu me sentir assim não podia imaginar com o mais novo se sentia, como seu responsável serei forte pelo o mesmo.

Subimos a sala do médico, e me surpreendo ao ver um sorriso, ele parecia completamente simpático, ao contraio do homem de nariz em pé que passara por nós de manha, ele aperta minha mão simpaticamente e nos manda sentar, ele explica muito bem sobre toda a anatomia cerebral de Taehyung, explica que há um pequeno erro por conta de um acidente que o mesmo teve quando era criança, e que isso o fazer ter suas crises diárias de surto, meu corpo tremeu ao escutar que essas crises poderiam piorar com a idade, isso também concertar esse erros também significaria o fim de toda a energia animada e bipolar que Tae tem.

Tirava tudo o que ele era, mas poderia ser pior não muda-lo, Tae ficou trocando olhares intimidadores para o medico, senhor Kim SeokJin, o médico me olhava com total gentileza e as vezes trocava olhares confusos com Tae, dava chutes “acidentais” no pé do mais novo vendo que ele estava em uma guerra como medico em minha frente.

 

Ao sair da sala.

 

Yoongi: Que raios foi aquilo? -Falava dando tapas em seu braço, furioso.-

Tae: Aigoooo, para de me bater anão ele estava dando em cima de você.

Yoongi: Calunia. –Reviro os olhos começando a andar- Ciumento sem razão nenhuma. –Dou uma risada convencido. -

Tae: sem razão?? Aposto que você gamou nele com aquele jaleco feio, aish.

Yoongi: Por que eu me apaixonaria só pelo o jaleco de um homem? Eu tenho um também, nem é essa coisa toda.

Tae: Aish... Mas você fica sexy hyung.

Viro fazendo uma cara interrogativo e o puxo para o orelha lhe dando um sermão sobre falar essas coisas em um lugar público, afinal não era uma criança sabia que podia ficar constrangido com isso. Respiro fundo pondo meu queixo sobre seu ombro no corredor pequeno e escuro com algumas cadeiras de rodas jogadas de formas desorganizadas

Yoongi: Não precisa se preocupar com homens de jaleco, você não precisa de um ar superior pra fazer com que me interesse.

Ele sorrir fofo e da um breve beijo em minha bochecha, rio em dá resposta andando para o carro, esperava fielmente que Tae estivesse me seguindo mas estava enganado, começo a entrar em desespero com todas as possibilidades possíveis, e se Tae estivesse tendo um surto? Corro pelo os corredores tropeçando em uma manada de crianças doentes que vinham em minha direção, já tinha passado meia hora, como falaria para meu chefe que perdi meu único paciente?

Levanta-se indo até a recepção para chama-lo pelo o microfone, mas antes que possa falar qualquer coisa com a senhora de cabelos vermelhos que iria pegar o microfone vejo Tae no canto do corredor com um sorriso travesso, só metade de seu rosto e uma mexa de seu cabelo era visível, ele corre e eu corro atrás ficando perdido em um corredor lotado de portas.

Pensando em todos os palavrões possíveis olhei no relógio vendo que estava atrasado, então me apresso abrindo todas as portas e pedindo desculpa para os pacientes que se encontrava lá, na quarta porta respirei aliviado encontrando Tae intacto o olhando pela brecha da cortina.

Yoongi: Isso não é hora de brincar de esconde-esconde –falo puxando a cortina que o cobria rispidamente.-

Tae: Brincar de esconde- esconde? Esse não é meu objetivo. –Ele sai passando as mãos em seus cabelos e ajeitando seu jaleco com um nome feminino do lado.-

Yoongi: Tira isso! Alguém pode sentir falta desse jaleco! –Falei praticamente bolando de rir no chão.-

Tae: Por que esta rindo de mim? Sou um medico, firme e sexy. –Rio mais ainda com essas palavras, ele faz uma cara emburrada me olhando do chão, revira os olhos ficando sobre mim, ainda ria um pouco, mas minimante agora, pois nossos narizes rosavam, e ele olhava para minha boca.-

Yoongi: O que está fazendo doutor Kim? –Me aproveito da situação. -

Tae: Cuidando de meu paciente especial.

Fecho os olhos dando uma pequena mordida nos lábios, apoio meus braços em seu pesço, e ele me beija de forma lenta dando varias mordidas, de fato ficaria com algumas pequenas marcas. Viro meu rosto para o lado deixando colada como chão tento-o afastar com minhas duas mãos, mas o mais alto nega com a cabeça, dando uma mordida em minha bochecha, por acaso parecia um bolinho de arroz para ganhar tantas mordidas? –pensei.- Ele roça seus lábios por toda a extensão do meu pescoço, fazendo-me me sentir intimdado, mais ainda quando passa as mãos por toda minha cintura, apertando minhas coxas em seguida, apertava os olhos com força não me permitindo arfar, muito menos gemer com simples toque.

Yoongi: Aish, isso não é lugar Taehyung!

Tae: E onde é?

O olho com uma expressão sem reação, não sabia como responder, então era assim que ele se sentia sem oportunidades. Levo um pequeno susto quando sinto sua mão me apalpar por cima da calça social padrão que era obrigado a usar, ele sorrir se sentindo vitorioso com minha obvia ereção, falo seu nome de forma suplicante para que parasse, mas ele continuava... E continuava, em um reflexo rápido dou um tapa em seu rosto o vendo se afastar.

Tae: AISH, PRA QUE ISSO? –Ele esfrega o rosto na mão tentando amenizar a ardência.-

Yoongi: Você deixa de ser teimoso!

 Levanto-me esticando a blusa para esconder o volume, constrangido o puxo pelo o braço para que dessa vez não sumisse e vamos até o carro chegando no asilo em seguida. As provocações não pararam no carro, minha vontade era de parar aquele carro e ficar nú ali mesmo. Graças a santo Namjoon eu fiquei firme e profissional, Tae simplesmente se jogou na cama com sua bagunça desenhando como se nada tivesse acontecido, me olhava de um jeito inocente fazia querer eu rir com tanta fofura.

Fui para a sala de pesquisa, odiava aquele lugar era cheio de livros jogados em grades pilhas desorganizados, mas era mais necessário do que nunca entrar lá, doutor Kim Seokjin me mandaria uma lista de procedimentos por e-mail, admito que estava nervoso, pois Tae se recusava a fazer quimio terapia, não sabia como seria tudo detalhadamente, me deixava louco me sentir perdido no escuro.


Notas Finais


sei que esse capitulo ficou meio "nhe"
desculpa ae
bjbj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...