História I Can Handle It. Taegi- EM CORREÇÃO - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 150
Palavras 2.600
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Lemon, Lírica, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


lá em baixo

Capítulo 8 - Desconhecido


Fanfic / Fanfiction I Can Handle It. Taegi- EM CORREÇÃO - Capítulo 8 - Desconhecido

Min Yoongi

Estava mais uma vez atrasado, dessa vez por acidente. Subo as escadas apressado vendo meu chefe aperta a mão de um rapaz ruivo com os cabelos partidos no meio, franzo o cenho passando por eles me sentindo incomodado e confuso, aquilo seria uma ameaça de demissão?

– Senhor min Yoongi. – Meu chefe pronúncia e eu paro completamente ereto meio comicamente ali de costas para ele, escuto uma risada baixinha da pessoa ao lado do chefe.

– Não dará bom dia para seu novo colega de equipe, Park Jimin? –Me viro apertando a mão do Jimin com um sorriso desconfortável – Bom dia.

– Bom dia hyung. –Ele fala me deixando desconfortável novamente, só ouvia essa palavra vindo de Tae.

Cerrei os olhos fitando bem o rosto do garoto ruivo com olhos rasgadinhos, ele tinha duas pintinhas na testa e labios cheinhos com bochechas que eu não sabia definidir como magras ou cheias. Não percebi mas ja fazia o garoto se entortar e reclamar pela a dor na mão graças a força que fazia nela. Meu chefe pegou no meu ombro me fazendo acordar do transe ameaçador que conduzia. Jimin respirou aliviado pegando em sua propria mão. Seu rosto estava completamente corado e seu rosto abaixado, o chefe se afastou e eu pedi desculpas por estar meio inativo no momento em que apertava sua mão, mas ele não dizia nenhuma palavra, seu rosto corado e labios pareciam querer se esconder em um lugar bem distante. Logo notei.

Jimin tem problema com pessoas atoritárias.

Ele gosta de homens intimidadores.

Yoongi as vezes era isso sem perceber.

Tive que mostrar todo o local para Jimin, ele parecia ficar mais confortável quando ajudava ele com um coisa ou outra, como uma dica para decorar os corredores e em como não se meter com Hoseok. ele era um tanto estranho. Finalmente chegamos a porta de Tae.

– Bem, esse é o meu paciente Jimin – Abro a porta já recebendo um soco forte de Tae, sou jogado no chão me sentindo surpreso não era o horário que Tae costumava a surtar, estava ficando pior e mais constante, isso me deixava preocupado, Jimin o prende de costas na parede dando uma injeção sem cuidado nenhum, queria socar a cara de Jimin mas não podia, ele estava fazendo que eu devia fazer.

Merda. Penso seguindo o Jimin, ele ia entregar Tae para os responsáveis, não podia fazer nada, tentava conter meus tremeliques, mas foi impossível assim que vi Tae sendo levado para uma sala particular, não podia escutar nada, fiquei por horas esperando fora da sala algum sinal de Tae.

Finalmente ele sai, uma gota de baba saia da sua boca, ele mantinha o olhar abaixado em sem vida vindo de uma cadeira de rodas, Jimin aparece do meu lado perguntando se preciso de ajuda.

– Já não fez o bastante? – Sôou grosso e ele abaixa o rosto se sentindo culpado, o vejo sair e acompanhar outro paciente, já havia passado um tempo, o lugar estava ficando sem idosos, começavam a vim pacientes de um hospício de pouco a pouco aquilo se tonara uma clínica psiquiatra, queria tirar Tae antes que isso se tornasse realidade.

– Tae...? – Falo entrando com cuidado no quarto do maior que estava deitado com os olhos bem abertos.

– O que eles fizeram com você? – Me sento na ponta da cama passando a mãos em seus cabelos, ele nega com a cabeça sem querer falar.

Suspiro forte, iria me levantar, mas senti o toque da mão de Tae então me deito ao seu lado e ele me abraça como se fosse um pequeno urso, acaricio suas costas com minha mão livre enquanto escuto o maior chorar, haviam feito algo péssimo com Tae e eu não sabia o que era.

Acabei dormindo com Tae ali me abraçando, mas acordo meio envergonhado com Jimin me pedindo para sair da cama do paciente, saímos do quarto ficando em silêncio no corredor.

– Por que você estava deitado com o paciente??? – Ele me perguntou sério, parecia decepcionado? talvez por eu ter sido o primeiro que ele via aqui e ainda sim termos tido um começo ruim.

– Ele pediu... Ele não parecia b-bem, e-eu só queria deixa-lo confortável. – Suava frio dando as costas para o mais novo. Não queria que ele  notasse meu nervosismo mesmo que fosse algo obvio pelo gaguejar.

– É contra as normas Yoongi hyung! E se o chefe soubesse?? – Me viro para o mais jovem novamente negando com a cabeça e erguendo o dedo.

– Você não pode contar para o chefe! Não irá mais acontecer, eu juro, eu só não entendo porque ele só... – Fiz uma cara triste ao lembrar de escutar o Tae chorar – Fizeram algo errado com ele 

Ele suspira abaixando a cabeça, sou surpreendido com um abraço, sou obrigado a por minha cabeça sobre o ombro de Jimn. Era bem diferentes do corpo esguio de Tae, Jimin parecia ter o dobro de músculos.

– Eu estou bem, – Não retribuo – Só preciso saber mais. –Me afasto do abraço em uma reação automática.

– Não podemos, ainda somos apenas cuidadores Yoongi hyung. – Ele repara que eu quero ficar sozinho e decide ir em bora. Fico no corredor sem saber o que fazer, Tae não me contaria. Já estava amanhecendo e eu nem mesmo havia me movido do lugar, resolvi ficar ali mesmo até Tae acordar, entro no quarto fazendo uma careta ao ver que acordei o maior por acidente.

– Com licença. –Sussurro e ele vira o rosto sem animação, aquilo estava me deixando com medo, desde aquele surto não tinha ouvido a voz do maior, aquilo estava me deixando aflito.

Saio do quarto e vou para a sala de pesquisa o deixando em paz, era do que ele precisava. Pego um portuário para fazer o exame dele, já que o maior se recusava a fazer o tratamento, teria que continuar como um paciente normal. Depois de fazer conclui qye foi o exame mais melancólico que havia presenciado na vida. Não aguentava ver seu anjo assim.

– Paciente Kim taehyung, terá uma nova baterias de remédios e exercícios físicos. –Sabia que era perigoso mudar a medicação de Tae mas não conseguia me manter sã.

Ele da um pequeno sorriso inacreditado com a receita, se levanta trocando de roupa e colocando uma de ginástica, o acompanho até o parque, ele já estava mais feliz, as vezes me dava até pequenos beijinhos, ficou mais feliz ainda quando viu o cachorro vagabundo.

– Cachorro! Achei que você não iria mais voltar. –Falou Tae recebendo uma lambida do cachorro, me aproximo recebendo uma lambida também, Tae corria com cachorro e estava quase completando suas voltas obrigatórias, deito na grama de jeito preguiçoso.

– Hyung, vai ficar ai? Aish deixa de ser preguiçoso. – Ele deu uma pequena pausa para se aproximar e ficar em cima de mim, com os braços estirados.

– Aigo, não quero. –Falo manhoso dando um beijo lento em Tae, respiro forte o mandando sair de cima de mim e voltar a correr, assim ele fez mas acabei dormindo acidentalmente.

Acordo assustado vendo Tae berrar com Jimin, ele estava tendo mais um surto espontâneo.

– DEIXA MEU HYUNG EM PAZ –Tae gritou dando um empurrão no Jimin, corro engatinhando até Jimin e ficando na frente dele, sabia que ele levaria socos se não fosse por mim que levei no lugar.

Tossia fechando os olhos com força, os murros que Tae dava em minhas costas não eram controlados, estava sem forças, meus braços queriam cair, mas continuaram erguido escondendo Jimin. O mesmo parecia tão assustado, em seus olhos tinha lagrimas contidas por seus cílios, ele olhava para mim com uma expressão assustada.

como deixei isso chegar à esse ponto?

Me perguntava já não conseguindo escutar bem o que Tae dizia entre os gritos, na minha cabeça parecia tocar um ritmo de tambor como se tivesse ouvidos internos e pudesse escutar por dentro o barulho de fora.

Jimin segurou minha blusa saindo do transe aterrorizante e me tirando a minha heroica concentração tambem, eu não estava mais aguento e Jimin estava bravo por me ver tão "ridículo" por um paciente.

– Yoongi não deveria está dormindo no horário de trabalho! –Isso piora as coisas, sou levantado sem dificuldade e jogado para longe, Jimin leva alguns socos nas pernas, sendo que Tae o chutava, não tive escolha, tirei a grande agulha de meu bolso e enfiei na perna de Tae vendo ele desabar em seguida, meus olhos ousaram marejar, mas me contive na frente de Jimin.

Jimn se levanta com dificuldade me ajudando a levar Tae para cama e colocando as amarras de contenção. Trancamos Tae no quarto assim como ordenados, ao sair no quarto já via meu chefe me olhando com uma cara desgostosa e decepcionada. Tive sorte, pois a pernas do ruivo eram fartas e fortes provavelmente só ficaria uns dois roxos, mas eu... tinha sangue escorrendo pelas costas da minha blusa.

– Me desculpe senhor. – Falei ridiculamente fraco caindo no chão com o lado do braço encostado na parede.

– Como posso deixar isso passar Yoongi? Eu soube que você da muita atenção para esse paciente –Olho para Jimin com raiva. – Mas... não imaginava que fosse algo sério.

– Você parece patético. –Escuto algo quebrando no quarto, meu chefe me puxa para longe da porta sabendo que Tae provavelmente estaria ouvindo.

– Venha a minha sala antes do seu turno terminar. –Ele sai com passos rápidos apressados e ocupados, chorei, chorei baixinho, não queria deixar Tae sobre a supervisão de outra pessoa, não permitiria que isso acontecesse.

– Yoongi... – Jimin falou meio envergonhado, ainda estava do lado vendo tudo.

– Você fez isso! Eu estava mantendo tudo sobre controle –Ergo meu pulso pondo o dedo em sua cara já em pé sentindo muita dor.

– Tudo sobre controle?! – Ele me puxa para perto deixando nosso corpos colados, fico com raiva tentando me separar mas ele ergue minhas mangas mostrando meus braços marcados de hematomas, arfo sofrego com lagrimas que ainda caiam. Ele faz uma expressão brava vendo que só ao me tocar podia sentir dor, "Não se meta!" falei gritado tentando me afastar mais uma vez. Ele ignora minhas palavras repetindo a pergunta, "Tudo sobre controle?" afirmo com a cabeça sentindo a mesma doer e meus olhos fecharem.

 Ele me encosta na parede erguendo minha blusa até os ombros no corredor vazio olhando para aquelas manchas com um negar de cabeça preocupado. "tudo sobe controle?" falou tristonho enquanto arrastou a mão no meu rosto, Jimin parecia sofrer por mim. Ele deixou suas mãos encacharem na minha cintura ferida, murmuro para que ele se afastasse.

triste, dolorido, arrasado, bravo e principalmente envergonhado. Era assim que eu me sentia ao ter alguém tocando minhas feridas secretas, era assim que eu me sentia ao ter alguem que se enfiou na minha vida de segredos e deixou isso bem claro para a única pessoa que poderia estragar todo o amor que eu sinto por Tae.

Dou um tapa em seu rosto .

Ele continua parado no mesmo lugado, com o rosto virado para o lado pelo impacto da minha mão. Ele deixou uma lagrima escorrer por sua bochecha, Jimin era um garoto de ouro, não tinha duvidas. Provalvemente agia tão preocupado assim por algum acontecido em seu passado como um namorado abusivo. Nunca iria saber a razão disso, mas eu não o queria ali tão próximo de mim, me cercando e me tocando. Tocando em algo tão intimo e quente que escondo com todas as forças que eu tenho.

Meu amor por Tae.

Ele continuou olhando para o lado com os olhos apagados.

– Foi seu paciente? – Ele tocou um dos roxos mais antigo que ainda doía. Senti minha pele arrepiar e o meu corpo tremer com o toque que só durou um segundo antes de ser arrastado até minha bunda a qual foi puxada até o quadril de Jimin. Ele estava duro, completamente duro. Não sabia como me sentir além de enojado por Jimin se sentir atraído por meus hematomas mesmo que tiverssemos começado uma briga exatamente por essa razão.

– O nome dele é Taehyung! –Falo quase rudemente mas não gritando e o empurrando com os punhos fechados, ele cuspia palavras me deixando com raiva e me fazendo ficar culpado, continuava o empurrando até que ouvir o impacto do corpo de Jimin encostar-se à parede. Ele segura minha cintura e me vira de costas me prendo em seus braços.

– Me solta seu desgraçado –Me debatia um pouco com os braços presos.

– Yoongi eu posso te proteger dele. – Jimin falou me soltando aos poucos. 

– Eu nunca mais quero ouvir sua voz, novato. –Falo calmo o olhando indiferente, ele faz uma expressão desgosta e sai sem dizer mais nada, ajeito minha blusa e abro a porta do quarto de Tae, ele se debatia na cama, chorei mais ao ver aquela cena.

 Havia perdido completamente Taehyung? Ele ficaria o dia todo assim agora? Esses surtos exigiam demais de seu corpo.

– Tae... – Falei com minha voz chorosa chegando perto com medo, por um único segundo ele para de se debater, e vomita em si, solto suas amarras limpado seu vômito, ele estava exausto de todo a adrenalina que seu cérebro havia produzido.

– Hyung... Eu ainda não quero fazer o tratamento. – Ele falou fazendo meu coração murchar com a ideia de que depois de todo esse sofrimento ele tentaria aguentar o tratamento novamente.

– Você não ver como está? Eu... Eu não...

– fala!

– Eu não posso te amar mais assim.

Escuto meu relógio alarmar vendo que eu tinha que falar com meu chefe assim como prometido, me afastei limpando meu rosto de todas as lagrimas e suor, dou um beijo em sua testa.

–Tae, eu te imploro, faça esse tratamento.

Saio da sala indo de encontro ao chefe, aquela sala parecia mais longe do que nunca, meu corpo tremia tanto que sentia uma dor em minha barriga, ao abrir a porta só encontro Jimin vestindo sua blusa.

– Aonde está o chefe? –Me questiono a razão pela a qual Jimin estava sem blusa lá.

– No quarto de Tae. – Ele falou indiferente fazendo meus olhos dobrarem de tamanho. "como assim no quarto do Tae?" Corri, me perdi nos infinitos corredores, entro no quarto abrindo a porta ofegante.

– Min Yoongi – Ele falou olhando para Tae que dormia tranquilamente.

– Sim? –Falo me aproximado, ponho minhas mãos atrás das costas sem saber o que fazer ou sequer pensar.

– Não recebera nenhuma punição. Agradeça a Park Jimin – Ele me encara seriamente e sai da sala.

Meu coração doía, doía tanto.

Desabo de joelhos no chão respirando ofegante, parecia que esse dia havia passado em câmera rápida, tão rápida que podia por todos esses pensamentos em uma música aterrorizante.

 Olho para Tae me sentindo aliviado, estava livre para cuidar do meu anjo, Kim taehyung.

Escuto uma batida fraca na porta, me levanto cansando do dia e encontro Jimin, ele me olhava com remorso.

– Jimin, eu não sei o que você fez, mas obrigado. – Estendo minha mão para agradecer-lo.

– Você quer saber o que eu fiz? –Ele estende sua mão também apertando a minha me puxando para perto. Sussurra no meu ouvido.

– Eu fiz o que era preciso por você, eu nem mesmo te conheço, me explica hyung, por que fiz isso? –Ele fala.

– Eu não sei Jimin. –Falo sincero.

– Acho porque foi por isso. –Ele me beija, me beija de forma rude e viril, me assustei ao ser carregado no colo para fora do quarto de Tae, dou um tapa em Jimin, nenhum muleque abusaria da minha paciência e minha dignidade por segredo nenhum.

– Eu não quero mais ver sua cara nesse lugar, me entendeu bem? –Falo para Jimin, ele parecia magoado, simplesmente saiu praticamente correndo como um filhote de cachorrinho magoado lá me deixando sozinho.


Notas Finais


O que vocês acharam da brotada do Jimin na historia?
kissus desculpa a demora, ontem não deu pra postar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...