História I Can Make You Happy - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cara Delevingne, Fifth Harmony, Margot Robbie, One Direction, Selena Gomez
Personagens Camila Cabello, Cara Delevingne, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Louis Tomlinson, Margot Robbie, Personagens Originais, Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Camila G!p, Camilacabello, Camilag!p, Camren, Camren G!p, Camreng!p, Drama, Fanfic, Laurenjauregui, Romance
Exibições 1.076
Palavras 2.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Fantasia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais um capítulo espero que gostem e desde já desculpe qualquer erro.

Capítulo 27 - Estou grávida


Fanfic / Fanfiction I Can Make You Happy - Capítulo 27 - Estou grávida

Pov. Camila 

 

Quando chego no hotel tudo que faço é tomar um longo banho e me jogar na espaçosa e tambem luxuosa cama. Estou tão exausta as gravações do comercial foram encerradas à cinco dias, agora estou em uma longa corrida de entrevistas e torturantes sessões de fotos. Essa vida de modelo é uma merda. Estou proibida de comer as coisas que gosto, tenho longas horas de torturas em academia, sem contar que gasto tanto tempo em salão de beleza cuidando dos cabelos e da pele que já perdi a conta.

 

Eu não sirvo pra isso, tudo que eu mais quero é poder voltar para minha namorada. Deus! Sinto tanta falta de Lauren que só de lembrar meu coração se aperta. Em toda minha vida jamais imaginei que ficaria tão dependente de uma mulher como estou de Lauren. Meu alto nível de vício é tanto que resolvo ligar para ela imediatamente. O telefone toca, mas ela não atende. Ainda é cedo em Miami ela sempre atende minhas ligações a essa hora. Quando estou perto de desistir e tentar o telefone residencial ouso batidas frenéticas na porta do quarto.

 

– O que tá fazendo Robbie? – Pergunto quando vejo a loira entrar em meu quarto feito um tsunami com um notebook nas mãos. 

 

– Você já soube? – Ela me avalia atentamente e eu franzo as sobrancelhas fechando a porta logo em seguida.

 

– Soube o que? 

 

– Você está calma. – Me encara. – Pelo visto não sabe de nada.

 

–Quer parar de me olhar assim e fala o que tá havendo. – Me sento na cama.

 

– Estão falando nos jornais que sua namorada foi socorrida em casa por uma ambulância de emergência. –Coloca o computador em meu colo.

 

Um choque inicial atravessa meu corpo e me paralisa. Meus olhos se arregala e meu coração dispara fortemente. Tenho certeza que estou parecendo um fantasma. 

 

– Em nenhum lugar diz ao certo o que aconteceu mas ela foi internada inconsciente. – Diz Robbie.

 

Eu pisco várias vezes e saio do transe jogando o notebook sobre a cama para arrumar minhas coisas. Estou em choque. Desesperada. Sabia que não devia ter vindo. Por alguns segundos a culpa me consome e pesa em minhas costas, então sem perceber eu começo a chorar.

 

–Camila se acalme! – Robbie segura meus ombros enquanto estou jogando todos os meus pertences dentro da mala. 

 

– Eu... eu não consigo. Tenho que saber o que aconteceu ou então vou enlouquecer. – Digo me livrando das suas mãos para voltar a fazer minhas malas. – Por favor diz a Verônica que estou indo embora. 

 

– Não precisa ela está agora mesmo preparando um jatinho para vocês voltarmos para Miami. 

 

Com menos de cinco minutos eu arrumo todas as minhas coisas, como Vero ainda não chegou do aeroporto eu me sento na cama e tento ligar para Lauren novamente. Estou tão angustiada que assim que a chamada é encaminhada para a caixa postal eu desabo em lágrimas novamente.

 

– Ei... – Vejo Verônica Iglesias entrando no quarto. – Se acalme Lauren está bem falei com Dinah agora e ela me disse que a Branquela já está medicada e se recuperando. 

 

– O que ela tem? – Passo a mão em meu rosto para enxugar as lágrimas.

 

–Ainda não sabemos e provavelmente só vamos saber quando chegarmos em Miami. Mas aposto que deve ser saudades. –Ela levanta da cama com um sorriso animado. – Vamos? Vou levar você pra ela.

 

[...]

 

Estou a horas dentro do avião e meu humor está ácido, não quero falar com ninguém, ver ninguém, nem mesmo ouvir ninguém, por isso escolhi a última poltrona do jantinho. Antes de embarcar para Miami eu consegui falar com Lauren e mesmo que brevemente sua voz rouca foi como um calmante para mim. 

 

Estou arrasada, meu coração está afundado. E mesmo com Lauren me dizendo que estava bem e que foi apenas um mal estar não consigo espantar a preocupação que está gravada em meu rosto. Pois sei que algo está errado, e eu sei que ela está escondendo alguma coisa de mim.

 

Exatamente as 19hs da noite o avião chega em Miami, nem se quer me preocupo com minha bagagem já que Verônica disse que cuidaria de tudo. Vou direto para fora do avião e antes de pisar em solo americano vejo Charles a minha espera.

 

–Olá Srta. Cabello como foi de viagem? – Ele pergunta com educação.

 

–Podia ter sido melhor se eu não tivesse tão preocupada com Lauren. – Digo caminhando rapidamente para fora da pista de poso.

 

– Senhorita não precisa se preocupar a Srta Jauregui já está em casa. Foi só um mal estar que já foi resolvido. – Tentou me tranquilizar.

 

O caminho para a casa de Lauren parecia ser bem mais longo que ter vindo da Suíça tamanha minha ansiedade. E assim que o carro estacionou ao lado de mais dois carros eu saltei para fora como um foguete. Procurei Lauren em toda casa e quando a encontrei sentada em sua cama, com roupas casuais, um notebook sobre suas pernas e uma expressão suave no rosto eu soltei todo o ar de angústia que tomava meu corpo.

 

–Oi. – Falo chamando sua atenção e assim que seus lindos olhos verdes me olham meu coração revira em meu peito.

 

–Meu amor! – Lauren joga o computador de qualquer jeito na cama e vem para meus braços onde é o seu lugar.

 

Estou completa novamente, minha Lauren está comigo novamente. Meu coração está explodindo de felicidade, ela está bem e comigo. Nunca mais vou deixa-lá. Eu a amo com intensidade, assim que nossos lábios se encontraram foi como se minha alma tivesse despertado de um sono profundo. Então depois de dias eu finalmente posso sorrir de felicidade.

 

–Eu te amo Lauren Jauregui. – Sussurro com nossas testas grudadas e ela sorri lindamente agarrando meu rosto com suas mãos. 

 

– E você é a minha vida Camila Cabello. – Diz ela.

 

Não espero nenhum segundo para beija-lá com todo amor que tenho. Estou faminta por seus toques, tenho vontade de pega-lá no colo, jogar seu corpo na cama e fazer amor até que não restar nenhuma carga de energia em meu corpo. Mas lembro que isso pode esperar, quero ficar olhando em seus olhos por horas até decorar cada características das suas íris verdes, quero conversar com ela, ouvir sua voz até o sono me roubar, beijar seus lábios macios até que toda saudade se esvair de mim.

 

– Eu fui tão idiota em ter deixado você ir para longe de mim. – Ela diz me arrastando até a cama. – Nunca mais vou permitir isso. Seu lugar é ao meu lado.

 

– Sim é. – Digo curta olhando em seu rosto. 

 

Lauren é tão linda que sua beleza não me dá oportunidade para descreve-lá, ela não precisa de maquiagem, brincos, colares, nada superficial, ela é linda por si só. Mas não é só sua beleza que me fascina, não sou tão tola a ponto de amar uma mulher só por ser bonita até porque muitas mulheres bonitas já passaram por minha cama. Lauren tem um brilho diferente, algo que nunca vi em mulher nenhuma. Eu admiro seu caráter, sua personalidade forte, seu jeito sonhador, fico completamente encantada quando ela fica constrangida com meus elogios, Lauren tem um sorriso tão simples mas que pra mim ilumina todo meu mundo. Sou tão sortuda por ter seu amor. 

 

– Sabe, eu senti muita falta sua, mas de tudo oque eu mais tinha saudades era de você me olhando assim. –Ela falou sentando em meu colo com as pernas aberta.

 

–Assim como? –Fechei meus olhos quando sua mão espalmou em meu peito e foi descendo até adentrar a minha camisa ea sua boca sugava meu pescoço.

 

– Como se eu fosse a mulher mais linda do mundo. –Sussurrou baixinho em meu ouvido em seguida mordeu levemente o nódulo do meu ouvido.

 

Minha respiração ficou descompassada Lauren estava me torturando, quase gozei ao ouvir sua voz de excitação e pra piorar ela ainda mordeu minha orelha, ela sabe que isso é o fim. Me controlar está praticamente impossível já que meu pau tomou vida própria com suas carícias. Mas tive que juntar meu último resquício de sanidade e a joguei na cama segurando suas mãos a cima da sua cabeça.

 

–Esta tentando me enlouquecer Srta. Jauregui? –Movimentei meu quadril precionando minha ereção em sua boceta que estava coberta com um short preto. – Porque se estiver pare, estou sem sexo a dias e quando for matar minha saudade do seu corpo eu não vou parar. – Prendi com firmeza suas mãos em cima da sua cabeça com uma das minhas mãos e a outra segurei seu pescoço. – Não vejo a hora de meter forte em sua boceta. – Passei minha língua em seu pescoço e ela grudou as unhas em minha nuca. 

 

–Camila! –Murmurou em meio a um gemido de excitação. 

 

– Mas eu não vou fazer isso. –Rapidamente me afastei de seu corpo e fiquei em uma distância considerável segura. 

 

–Camz. –Lauren Choramingou.

 

–Teremos outras oportunidades para foder Lauren. Agora quero saber o que aconteceu, por que foi para o hospital?

 

Seu semblante muda completamente com minha pergunta, ela cora e desvia seu olhar para suas mãos que ficam inquietas sobre seu colo. Alguma coisa está errada. Será que é alguma doença grave? Porra! Isso não, Deus por favor. 

 

–Lauren! –Assustada chamo sua atenção. –O que você tem?

 

Ela engole em seco e novamente não me olha nos olhos.

 

– Não foi nada. Apenas não estava me alimentando direito e não me senti bem. –Responde evasiva. –Por falar em comida, estou faminta. Ainda bem que você chegou para comer comigo.

 

Ela me puxa para fora do quarto, percebo que sua mão que está entrelaçada com a minha está trêmula e gelada. Que porra tá havendo? Em silêncio me sento ao seu lado na mesa enquanto Penélope vem nos servi. Um file mignon assado com alguns acompanhamento é posto a nossa frente. Uma das comidas preferidas de Lauren, mas aparentemente ela não gostou já que ficou pálida quando viu a cozinheira cortar o pedaço de carne e um pouco de sangue escorrer assim que foi posto em seu prato.

 

Abro a boca em descrença quando vejo Lauren praticamente correr da mesa deixando até sua cadeira tombar pra trás. O que diabos tem de errado com minha namorada? 

 

– Tem algo errado com a comida Camila? –Penélope pergunta aflita. – A Srta. Jauregui me pediu mais sedo para fazer esse prato que estava com vontade de comer, e agora? Sera que ela não gostou?

 

–Não é isso Penélope. Lauren não está se sentindo bem só isso. – Retiro o guardanapo do meu colo e jogo sobre a mesa. –Sua comida está perfeita como sempre, não se preocupe com isso. 

 

Deixo a sala de jantar e vou atrás de Lauren, ela estava escovando os dentes no banheiro do seu escritório. A encaro constantemente até que ela tenha consciência da minha presença. E assim que seus olhos me encontram ela termina de lavar sua boca e passa por mim sem dizer nenhuma palavra. Eu não consigo mais aguentar sua indiferença. Antes que ela saia do escritório seguro em seu braço e a faço olhar para mim.

 

– Porra! Lauren, você vai me dizer o que tá acontecendo ou vai me fazer de idiota até quando? 

 

Ela olha pra mim silenciosamente. Seus olhos estão opacos, sem brilho, e parece amedrontados.

 

–Por favor me diz oque você tem ou vou enlouquecer Lauren. – Imploro.

 

Seu rosto está tomado pelo pânico e isso faz meu coração ficar enlouquecido dentro do meu peito. Ela engole em seco antes de me encarar.

 

– Eu estou grávida.

 

Por um momento penso em ter ouvido ela dizer que está grávida, mas isso não pode ser porque ela disse que tomava a injeção de anticoncepcional.

 

–O que? –Volto a perguntar mesmo temendo ouvir o que achei que ouvi.

 

–Estou grávida.

 

Eu congelo onde estou, todo meu sangue desaparece do meu rosto. 

 

–Como? –Sussurro minha pergunta com meu corpo trêmulo.

 

–Como você pensa que eu engravidei? – Diz áspera livrando seu braço da minha mão.

 

Com sua resposta imediatamente fico ereta e adquiro uma postura dura com um olhar mais frio que gelo.

 

–E a sua injeção? Você disse para não me preocupar que havia tomado a merda da injeção. – Eu berro irritada e ela se encolhe.

 

–E... eu esqueci. –Murmura baixo e eu explodo.

 

Eu não posso acreditar nisso! Meu corpo está quente como brasa de raiva. Eu estou tão furiosa. 

 

–Esqueceu? Porra! Como pode ter sido tão estúpida Lauren? 

 

Ela se assusta com meu comportamento, mas eu não recuo, estou muito brava.

 

– Camila...

 

–Não diz nada. – Levanto minha voz e me afasto dela.

 

Não posso perder meu controle. Não com ela. Mas porra... Grávida? Eu não posso ter filhos! Eu não sirvo para ser mãe, não sou boa o suficiente para uma criança. Sou a porra de uma mulher com pinto, como explicaria isso para meu filho? Ou como ele ia me amar? Uma mãe aberração. E se ele nascer com algum defeito por causa da minha genética? Agora sim o medo bateu de cheio em mim. Lembro-me do médico me alertando em minha adolescência dos riscos de uma gravidez, dos riscos do feto e da mãe. 

 

Não. Me recuso a colocar a vida de Lauren em perigo.Porra! Eu devia ter me cuidado e não ter deixado na responsabilidade de Lauren. 

 

–Você vai tirar isso. –Grito. –Essa coisa pode matar você e eu não vou permitir.

 

–Camila, por favor, para. – Seus olhos estão úmidos  seu rosto está molhado em lágrimas. –Eu não vou tirar nossos filhos.

 

O QUE? FILHOS? Meu corpo não reage bem com as informações e eu vou ao chão desacordada.

 


Notas Finais


Capítulo turbulento Bo barco camren né? Não muito diferente da realidade mas... dias melhores estão por vim.

Mudando de assunto... será que é muito tarde para começar uma maratona? Espero que não porque vou fazer uma nesse momento. Assim que ultrapassar dos dez comentários posto o outro.😉😎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...