História I Can't Be Just Your Friend - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Bianca Andrade (Boca Rosa), Christian Figueiredo, Depois das Onze, Felipe Z. "Felps", Flavia Sayuri, Gustavo Stockler (Nomegusta), Kéfera Buchmann, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Rafael "CellBit" Lange
Personagens Alan Ferreira, Bianca Andrade, Christian Figueiredo, Felps, Flavia Sayuri, Gabie Fernandes, Gustavo Stockler, Kéfera Buchmann, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Thalita Meneghim
Tags Amizade, Amor, Depressão, Drama, Escolar, Fanfic, Festa, Rafael Lange, Revelaçoes, Romance, Traição, Violencia
Visualizações 39
Palavras 2.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oooooiiiiiii
Quanto tempo! Eu arrumei a fic! Se olharem os capitulos anteriores vão ver que estão igual a esse. Mas não precisão reler e n quiserem. A mudanças foram minimas e não muda nada na história.
AVISO:
Pra quem não gosta de hots, pare de ler no terceiro "(...)", depois não acontece nada de mais.
Espero que gostem.

Capítulo 15 - Eu te amo! E sempre vou amar.


Fanfic / Fanfiction I Can't Be Just Your Friend - Capítulo 15 - Eu te amo! E sempre vou amar.

Vihtória

Acordo com a claridade vinda da janela dificultando minha visão. Aos poucos vou lembrando do que aconteceu ontem, desde o momento em que acordei atrasada até eu dando boa noite pro Rafa.

Pego meu celular de cima da cabeceira da cama e olho a hora. Estou duas horas atrasada, de novo. O Rafa não está mais na cama, então já deve ter ido pra escola.

Levanto e vou para a sala. Encontrando com o Rafa, que está sentado no sofá tomando café enquanto ouvia música. 

- Oi. – Falo indo pro seu lado e ele tira um lado do fone prestando atenção em mim.

- Bom dia. – Ele se levanta. No caminho pra cozinha passa por mim e me beija.

- Por que não me acordou pra ir pra escola? – Falo me escorando na batente da porta da cozinha.

- Porque não vamos pra escola.

- Por que?

- Você não ta bem. E já são quase nove e meia.

- Eu não to bem?

- Sim. – Ele se senta no sofá.

- Por que acha isso? – Me sento do lado dele.

- Ontem perguntei se só estava com medo por causa do filme. Tu disse que não sabia. Saberia se fosse só o filme.

- É, tem razão. Eu não to bem, não to bem porque tu não ta bem.

- Como assim? – Ele me olha como quem não entendeu nada.

- Tu anda meio estranho ultimamente.

- E por que isso faz com que você não esteja bem?

- Por que eu to com medo. Medo de te perder.

- Mas não vai. – Ele me da um selinho. – Por que acha isso? 

- Tem ficado muito tempo no celular. Anda preocupado e não me fala porque.

- Tem razão. Eu não to bem.

- Por que?

- Se tudo der certo, não vai precisar ficar sabendo.

- Por que não quer me contar?

- Não quero falar sobre isso.

- Okay. – Dou um beijo nele e me levanto.

- Aonde tu vai?

- Pro banheiro. 

Entro no banheiro e fecho a porta, escovo os dentes porque ninguém merece sentir meu bafo logo de manhã cedo.

Saio do banheiro e vou em direção a porta enquanto o Rafa me olha franzindo o cenho. 

- E agora? – Me viro pra ele.

- E agora o que? – Falo colocando a mão na cintura.

- Onde vai?

- Pro meu apartamento. – Falo abrindo a porta. Ia sair, mas o Rafa me interrompe novamente.

- Por que? Fica aqui comigo!

- Calma moço. Eu vou no meu apartamento pegar roupa pra tomar banho.

- Ah... – Ele da uma breve pausa. – Ta.

Saio do apartamento dele e vou até o meu. Abro ele e vou para o meu quarto, ligo as luzes e abro meu armário. Pego uma blusa branca sem estampa, uma calça larga, já que não vou sair, uma lingerie e continuo de pé descalço sem levar sapato nenhum e volto pro apartamento do Rafa.

Entro no apartamento do Rafa, vou para o quarto dele e largo minha roupa em cima da cama. Volto pra sala e agora o Rafa está assistindo alguma coisa na TV.

- Eu esqueci de pegar toalha então vou pegar umas das tuas.

- Tudo bem. Ta no armário do lado da porta do banheiro no corredor. 

Abro a porta do armário e tiro de dentro a primeira toalha que vejo. Entro no banheiro e fecho a porta. Estendo a toalha e me dispo. Entro de baixo d’água e começo meu banho. Eu estava quase acabando quando o Rafa entra no banheiro.

- Virou um hobby entrar no banheiro enquanto eu tomo banho?

- Não. Mas poderia. – Ele começa a escovar os dentes.

- Vai tomar banho também?

- Vou. – Ele fala com a boca cheia de pasta deixando mais difícil de entender. – Mas também vim aqui avisar que eu derrubei café na tua blusa branca.

- O QUE?

- Isso mesmo o que tu ouviu. Já coloquei a coberta e a tua blusa na máquina.

- E o que eu vou usar agora?

- Eu vou deixar uma blusa minha em cima da cama junto com o resto da roupa. – Ele fala e sai do banheiro.

Eu desligo o chuveiro, puxo a toalha e me seco, me enrolo na toalha e saio do banheiro e o Rafa entra. Em cima da cama estava a roupa que eu tinha pego, mas a blusa branca fora substituída por uma com as mangas escuras e o meio branco, igual as que o Rafa usa normalmente. Me visto.

Eu coloco a mão no pescoço e percebo que o colar que ganhei da minha mãe em meus 15 anos não está mais ali. Deve ter caído enquanto eu tomava banho. Entro no banheiro.

- Resolveu fazer uma visita? *risos*

- Não. Meu colar deve ter caído do meu pescoço enquanto eu tomava banho. Ta aí? Ele tem um pingente pequeno de coração.

- Ta sim.

- Ainda bem! Pode me entregar?

- Não.

- Sério Rafa. Joga ele aí por cima do vidro.

- Não, vem buscar.

- Rafa! É sério. Eu já tomei banho.

- Taaa. Mas só porque já ta seca. Toma. – Ele abre uma fresta do vidro e me entrega o colar.

- Ah merda!

- O que foi agora?

- A corrente arrebentou.

- Isso da pra consertar.

- É muito caro. Não conseguiria pagar. Esquece. – Saio do banheiro antes que ele respondesse.

Vou para a sala e me sento no sofá. Fico olhando o face enquanto o Rafa não saia do banho. O que não demorou muito, ele sai do banheiro já pronto e se senta do meu lado.

- E aí? Vamos fazer o que no resto do dia?

- Não sei. Mas temos que pensar no que nós vamos comer. É quase meio dia e eu to morrendo de fome.

- Eu também.

- Vamos comer o que então?

- Pizza?

- De novo? Eu gosto muito de pizza mas eu só tenho comido isso ultimamente.

- Ta. Fica aí. Eu vou sair e já volto.

- Onde tu vai?

- Já vai saber. Não vou demorar muito. Espero que não pelo menos.

- Okay. – Ele sai do apartamento e eu ligo a TV.

 

 

(...)

 

 

Já são 13:00 horas e o senhor Rafael ainda não chegou. Merda! Ele disse que não ia demorar e...

- Voltei. – Ele entra no apartamento e joga as chaves na mesa.

- “Não vou demorar muito.” – Imito a voz dele. – Já passou mais de uma hora! Onde tu foi?

- É uma surpresa... Pra algum dia. Mas eu trouxe o almoço. – Ele mostra a sacola na mão dele e vai pra cozinha.

- Como assim surpresa? – Falo me sentando no balcão.

- Eu não posso falar. Não seria uma surpresa. – Ele fala enquanto tira a comida da sacola.

- Vai demorar muito?

- Provavelmente. Quer comer ou ficar me interrogando?

- Comer. O que tu trouxe?

- Massa. – Ele coloca as coisas na mesa e nós começamos a comer.

 

 

(...)

 

 

- RAFA! – Ele vem correndo.

- O que é?

- Meu colar sumiu! Eu tinha colocado ele em cima da mesa.

- Sério que era só isso? Pensei que era alguma coisa importante.

- Isso é importante! Eu ganhei o colar da minha mãe no meu aniversário de 15 anos antes de me emancipar. Minha vó usou ele no casamento dela!

- Calma! Deve ta em algum lugar por aí.

- Eu preciso encontrar ele!

- Mas tu não disse que ele arrebentou?

- Sim. Mas em algum momento eu ia consertar.

- Como? Não disse que não tinha dinheiro?

- Sim. Mas em algum momento vou ter.

- Me lembro de tu ter me dito que precisava trabalhar pra conseguir o dinheiro, mas de manhã está sempre na aula e a tarde não vai trabalhar. Como funciona isso?

- Eu não trabalho. Eu ia, mas eu e meus pais resolvemos esperar eu entrar na faculdade pra começar a trabalhar.

- É, bom, não falta muito.

- Uma merda isso. Estamos no último semestre do terceiro ano e eu não faço a mínima ideia de que faculdade vou fazer.

- Pode virar youtuber. Conhecer meus outros amigo e ir a eventos junto comigo. Não é uma má ideia.

- É uma má ideia. Sobre o que eu falaria?

- Não sei coisas aleatórias, entretenimento. Podia ter um canal secundário de jogos. Ou ao contrário.

- Olha Rafa, não acho que isso seja uma boa ideia. Preciso de um emprego que me sustente.

- Ta, que seja. Vamos fazer o que o resto da tarde?

- Não sei. Vamos jogar?

- E tu joga alguma coisa?

- Claro. Eu jogo toda noite antes de ir dormir.

- Ta bom. Vamos jogar o que então?

- Sei lá. Escolhe um jogo aí. – Ele coloca um jogo, não vi qual era mas é de corrida. Nós ficamos jogando o resto da tarde.

 

 

(...)

 

 

- GANHEEEIIII! – Eu grito.

- Não grita! Já era pra estarmos dormindo!

- Só ta dizendo isso porque sou EU quem ganhou e tá comemorando. – Mostro a língua pra ele.

- Ta, ta bom, tu ganhou. Parabéns. – Ele chega mais perto de mim me fazendo ir mais pra trás e me encostar nas costas do sofá.

- Eu te amo Rafa. – Fiquei encarando aqueles olhos azuis por uns três segundos até o Rafa colar nossas bocas. 

No início foi mais calmo, mas foi ficando cada vez mais intenso, como foi da primeira vez. Eu coloco minhas pernas ao redor da cintura dele e ele se levanto comigo no colo sem interromper o beijo. Ele abre a porta do quarto com um chute e me coloca na cama, vai em direção a porta e a fecha. Ele vem na minha direção e volta a me beijar, ficando cada vez mais intenso. Ele passa a mão pelas minhas costas e vai até o meu sutiã, mas para. Eu tiro a blusa dele e ele se senta na cama e me encara.

- O que foi?

- Er, nada, mas... Tem certeza de que quer fazer isso? Eu não quero te forçar a fazer nada que não queira.

- Eu quero.

- Tem certeza mesmo? Na outra vez disse que não estava pronta. Se ainda não estiver não precisa fazer isso.

- Eu estou um pouco nervosa sabe, é a minha primeira vez... Mas eu quero fazer isso! Eu tenho certeza! Eu te amo Rafael! – Ele sorri.

- Eu também te amo Vihtória! – Ele me beija e se levanta.

- Aonde tu vai?

- Segurança. – Ele sai e volta com um pacote de camisinha na mão. – Eu preciso que saiba que no início vai doer, mas depois passa.

- Como sabe? Não é a tua primeira vez? – Ele cora.

- Não... – Flávia!

- Ah... Ta. – Ele volta pra cama.

Nós nos beijamos de novo mas ele para e tira a minha blusa, eu sinto seu membro encostar no meu baixo-ventre.

- Desculpa... – Ele cora.

- Não tem problema. *risos* - Ele tira meu sutiã e eu me cubro.

- Não precisa se cobrir, tu é linda, não precisa sentir vergonha. – Eu coro e paro de me cobrir.

Ele tira minha calça e eu a dele, por fim tiramos nossas roupas intimas. Ele beija meu pescoço e passa pelos meus seios e vai até minha barriga.

- Posso? – Eu assinto com a cabeça e ele começa a beijar minha intimidade. Eu me seguro pra não gemer, mas não aguento e solto um gemido baixinho. Ele sorri e volta a me encarar.

- Pronta?

- Sim. – Ele coloca a proteção em seu membro e me penetra. Ele da estocadas devagar e com cuidado.

- Rafa! – Falo me segurando pra não gemer. – Isso dói.

- Depois passa. – Ele continua a me estocar devagar e depois de uns três minutos parou de doer. E sinceramente, já estava cansada de tanta delicadeza.

- Rafa! – Ele também se segurava pra não gemer mas de vez enquanto não aguentávamos. – Mais rápido! – Ele acelera um pouco, mas ainda estava devagar de mais. – Mais rápido!

- Tem certeza?

- Anda logo Rafael! – Ele vai acelerando aos poucos e chegou um momento em que nenhum de nós aguentava mais segurar os gemidos. – Rafa!

- O que?

- Vai mais rápido! – Acabo soltando um gemido mais alto do que deveria no meio da frase.

- Assim? – Se fosse mais rápido nenhum de nós aguentaria.

- Aham! – Saiu mais um gemido do que uma resposta.

Seguro forte no cabelo do Rafa fazendo ele gemer muito alto.

Nós ficamos assim por um tempo.

- Vih! Aahn... Eu vou... Eu vou...

- Eu... Ahn, também... vou... – Nós não terminamos a frase e gozamos.

Chegamos ao nosso limite. O Rafa se deita do meu lado e ficamos olhando pro teto, sem falar nada, só ouvindo a respiração um do outro. Isso até o Rafa se virar pra mim e quebrar o silêncio.

- E aí? – Ele fala sorrindo e eu me viro pra ele.

- Foi incrível! Obrigada.

- Eu te amo! E sempre vou amar.

- Também te amo. Agora vamos. Não podemos ficar aqui pra sempre.

- Aonde iriamos as duas horas da manhã?

- Dormir. – Falo me enrolando nas cobertas e me levantando. – Amanhã temos aula. Lembra?

- Agora sim. Aff. Pelo menos da qui a menos de um ano poderemos fazer o que quisermos.

- Eu já posso. – Falo enquanto coloco a calça do pijama que usei na noite anterior. – Vai ficar ai pra sempre?

- Gostaria. – Ele se levanta e também vai colocar o pijama. – Vai dormir aqui de novo?

- Sim, eu espero. – Termino de me vestir e me jogo na cama. – To cansada.

- Eu também. – Ele se deita do meu lado.

- Já volto. – Me levanto da cama e vou ao banheiro e escovo meus dentes. Faço minhas nessecidades e volto pro quarto. – Voltei.

- Onde foi?

- No banheiro, escovar os dentes.

- Eu também vou. – Ele se levanta e sai do quarto.

- Demorou em.

- E isso te importa?

- Sim. – Ele ri. – Ta vem logo. – Ele deita de barriga pra cima do meu lado, eu coloco a cabeça em seu peito e ele me abraça.

- Boa noite.

- Boa noite. – Nós dormimos.


Notas Finais


E aí? O que acharam? Comentem ai em baixo o que acharam, deem sugestões e me avisem dos erros POR FAVOR!
Sinceramente, achei que ficou uma bosta. Não sou boa escrevendo essas coisas, mas em fim, já tava na hora e eu tava enrolando muito.
Tem uma surpresa esperando vocês! DAM DAM DAM DAM! Enfim, acho que não vai ter muitos outros capítulos até a surpresa (não me matem se não for tão grande assim quanto eu penso)
Até o próximo cap. BBBJJJJSSSSS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...