História I Can't Breathe - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Exibições 9
Palavras 1.342
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey gurias ❤ Bom, em alguns capitulos eu não vou colocar os P.O.V.'s da Lilah em Itálico por conta das regras de formatação do site. Beijos

Capítulo 3 - Helping Mike


Fanfic / Fanfiction I Can't Breathe - Capítulo 3 - Helping Mike

Amber ainda estava completamente confusa e sem acreditar que Mike passou a noite com Ivy, mas com isso teve ainda mais certeza de que dois bêbados juntos não combinam.

Parou em frente à casa de Luke e viu que o carro dos garotos estava ali, inclusive do Mike. Ficou muito contente que ele esteja superando a perda da minha amiga, mas precisava ser com a outra amiga dela?

- Olá – falou abrindo a porta. Ela tinha a chave da nova casa de Luke que estava mais para um cubículo.

- Oi amor – ele saiu do vídeo game e lhe deu um beijo.

- Preciso conversar com você – falou e ele a olhou preocupado.

- Ai vem bomba – Cal falou.

- Eu falei pra não aprontar – Ash prosseguiu e ela começou a rir.

Foram até a cozinha, aonde a garota sentou-se em cima do balcão e Luke parou a sua frente.

- Luke eu vou ser direta porque não tem outra forma de falar, eu estou... – ele a interrompeu.

- Grávida! – ele exclamou e deixando-a surpresa.

- Como você sabe? – pediu.

- Achei o exame na sua casa hoje de manhã – lembrou que o havia deixado em cima do sofá.

- E o que você vai me falar disso?

- Eu não quero um filho – essa já era a resposta que ela imaginava.

- É uma pena Luke – respondeu firme – e o que você acha que eu devo fazer? – perguntou para ouvir a resposta absurda que ele ia dar.

- Quero que você case comigo logo – ela ficou sem entender nada.

- Repete, por favor?

- Amber, casa comigo e vamos criar essa menina ou menino? – ele se ajoelhou e ela desceu do balcão.

- Luke levanta daí – ele riu – anda logo.

- Me responde antes – falou.

- É claro que eu aceito – estendeu a mão para que ele colocasse a aliança.

- Que fofos – Cal falou.

- Xiu japa – a garota disse e ele riu.

- Mais um amarrado – Ash falou.

- Como? – perguntaram todos juntos.

- Er... bem como a Jojo vai voltar para Liverpool e eu não consigo mais ficar longe dela, eu pedi ela em casamento um dia antes da corrida – todos ficaram com os queixos mais do que caídos..

- Podíamos casar juntos?! – Luke exclamou.

- Nem pensar – Cal falou – e eu e a Emmy ficamos de fora?

- Para de ciúmes – Ash o abraçou – nunca vou te deixar amor.

- Sai para lá – Cal o empurrou e começaram a rir.

- Pede a Emmy em casamento também – Amber sugeriu e ele a olhou.

- Será que ela aceita? – perguntou duvidoso.

- Elas voltam depois de amanha pra Liverpool, acho que você consegue – ele deu um beijo em sua bochecha.

- Parabéns pelo bebê – saiu correndo.

- Parece que só eu sobrei – Mike falou deprimido, Amber quase faz um comentário de mau gosto, porém preferiu guardar para si.

- Você vai encontrar alguém – ela o abraçou solidária – ou presumo que já encontrou – sussurrou em seu ouvido.

- Acho que vou ir – Mike falou.

- Não vai fazer besteira que precisamos viajar daqui três semanas – Ash advertiu e Mike apenas concordou com um aceno de cabeça, saindo logo em seguida.

A 5SOS pretendia começar a voltar a sair fazendo shows. Eles haviam parado de ir para lugares distantes depois que Mike ficou com Lilah, mas agora que Mike já parecia um pouco melhor resolveram que não podem parar com a banda, pois assim como Amber ficou, tinham certeza que Lilah também ficaria feliz.

 

Delilah P.O.V.

Apareci na cozinha de Luke onde estavam os garotos e a Amber. Eles pareciam sorridentes e isso me deixa alegre, eu nunca quis fazer nenhum deles sofrer por mim. Eu não conseguia entender o que os garotos falavam apenas o que Amber dizia.

- Você vai encontrar alguém – foi até Mike o abraçando – ou presumo que já encontrou – falou baixo, mas, ainda assim, consegui entender. Será que é isso que chamam de evolução? Provavelmente.

Uma coisa me deixou curiosa, o que será que ela quis dizer com a ultima frase? O Mike já teria seguido em frente? Eu esperava que ele guardasse um luto por mim por pelo menos algum tempo. Está bem, eu morri, conforma que dói menos Lilah.

Mike saiu e eu resolvi voltar para o lugar onde eu fico agora, não sei se chamo aquele lugar de além, espaço entre céu e terra, sei lá.

 

- Já bisbilhotou o suficiente? – olhei para trás e tinha um homem que não era novo nem velho.

- Acho que sim – respondi confiante.

- Daryl Clifford – ele estendeu a mão.

- Espera você é o pai do Mike? – pedi empolgada e ele riu assentindo.

- Ninguém melhor que eu pra te guiar aqui – na verdade, tinha sim, diga-se de passagem, qualquer pessoa.

- Ah claro, tomara que você não pense como seu filho e ache que eu te matei – ele riu alto.

- Meu filho é meio idiota às vezes – concordei – eu posso falar assim dele, você não –repreendeu-me.

- Desculpe – falei acuada.

- Não precisa, mas é só porque gostei de você – sorri – e claro porque a partir de hoje vou ajudar você a se relacionar com o mundo humano e como evoluir.

- Eu sou obrigada a evoluir? – Pedi.

- Só se você não quiser ficar vagando por aqui – um sorriso surgiu em meus lábios.

- Tá, então o que significa evoluir porque isso me interessou? – soltou uma risada um tanto quanto parecida com a de Michael.

- Na hora certa você vai descobrir as desvantagens e benefícios – respondeu misterioso.

- Ah ta bom, e quando podemos começar? – perguntei meio animada.

- Agora mesmo – segurou minha mão me arrastando para o meio de um nevoeiro que havia acabado de surgir, isso parecia coisa de cinema e eu, particularmente, estava adorando.

Algum tempo depois nós estávamos em Sydney, mais precisamente na casa de Mike.

- Porque você me trouxe aqui? – perguntei relutante.

- Aguarde e verá – que resposta ótima, pensei comigo, típica de um espírito velho e ranzinza o qual eu culminei na morte.

Como eu estava com preguiça, me sentei em uma poltrona enquanto Daryl apenas me observava com reprovação, ele possuía as mesmas características que meu pai. A porta se abriu e Mike entrou, olhei confusa para o pai dele que fez sinal para eu esperar. Mike foi até o guarda-roupa e pegou um pacotinho com um pó branco, não precisa ser adivinho pra saber o que era.

- Eu já sabia que ele anda fumando e cheirando drogas era desnecessário me trazer aqui – falei e ele me olhou com cara de tédio.

- Você é muito apressada, calma menina.

Mike consumiu todo o pacotinho e depois saiu.

- Agora vamos conversar – Daryl se pronunciou.

- Eu pedi que ele não usasse – tentei me defender mesmo sem ser acusada de nada.

- Eu sei, alias, sei de tudo o que aconteceu – revirei os olhos, sério que cara chato.

- Depois que nós morremos, pra evoluir precisamos guiar uma pessoa na terra e cada coisa que ela faça de bom o ruim nos atinge – não estou gostando desse papo – adivinhe quem eu protegia? – essa era fácil.

- Obvio que o Mike – ele riu.

- Não querida, era você – engoli em seco porque eu devo ter ferrado muito a vida ou morte de Daryl.

- Desculpe qualquer coisa – falei sorrindo fraca.

- Não tem problema, você até se saiu bem – sorri mesmo sabendo que ele mentia – não é sobre isso que quero falar. O Michael anda muito perdido ultimamente e você deverá ajuda-lo a superar.

- Como vou fazer isso se morri esses dias? Eu estou bem mais perdida que ele – perguntei indignada.

- Eu vou te ajudar querida e vou também adiantar que sua tarefa não vai ser fácil.

- Como assim?

- Você terá de se afastar assim que ele seguir em frente, estando disposta a nunca mais vê-lo; além de aceitar muitas coisas no futuro. – Respondeu misterioso.

- Tipo?

- Precisamos voltar – desapareceu e eu fiquei ali sozinha encarando o nada.


Notas Finais


Love u ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...