História I can't fight this feeling ( AU! Stony) - Capítulo 60


Escrita por: ~

Exibições 112
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olha quem voltou! EUUUUU!!!

Já apresentei o tc e PASSEI!

Obrigada à todos que torceram por mim <3

Capítulo 60 - Capitulo 57


Fui até o local marcado. Como saberei quem ele é? Eu esqueci de perguntar qual a roupa que ele estaria usando. Entro no local. Vejo apenas um homem no local. Checo meu relógio e aproximo-me dele. - Stephen? Ele me olha e sorri. - Sim! Eu mesmo! Você é a garota do email? - Isso! - E qual ajuda uma moça tão bonita precisa? - Bom... eu ganhei poderes! Não sei por quê... e eu faria qualquer coisa para que eles sumissem. - Poderes? - É... eu ultrapasso vidraças... – reviro os olhos- que ridículo isso!!! - Não é ridículo não! – ele levanta e puxa a cadeira para eu sentar- Sento-me. - Isso é incrível – ele continua- você pode dominar todos os tipos de vidros? Dou de ombros. - não faço a mínima ideia! - como assim não faz?não teve curiosidade? - Não! Eu achei tudo isso a coisa mais sem nexo do mundo! - E se eu te disser que... eu posso fazer você ter controle de tudo. - Verdade? Ele assente. - Eu simplesmente posso te ajudar a aceitar seu estado atual e fazer você revelar todos seus outros poderes, que ainda são ocultos. - Eu duvido que existam outros. - Não duvide... - Como não duvidar? Duvido que eu preste ao menos para salvar alguém. - Hey! Shhhh! Não fale isso. Qualquer pessoa pode salvar alguém. É só querer. - Você fala isso por que é um Doutor. Eu vi no seu histórico. - Eu não exerço mais. - E por que não? Ele levanta as mãos para mim e mostra. - Nossa! O que houve? - Um acidente. Mas enfim... você quer ver como eu posso te ajudar? Assinto. - Eu vou te levar para um lugar mais sossegado e dai te mostrarei. - E eu devo confiar em você? - Isso só depende de você... Respiro fundo. - Tá! Vamos lá. - Mas antes... - Hum? - Você tem namorado? Ri. - E quer saber para que? - Ué... foi apenas uma pergunta. - Você não acha que é muito velho para fazer essa pergunta para mim? - Você tem que idade? - eu estou no ultimo ano do ensino médio! Talvez isso responda né? - Idade não é empecilho para nada. - Vai continuar esse assunto ou vai me ajudar? Por que senão eu vou embora! - Não! Me desculpe. Venha comigo! Saímos do local, vamos para uma espécie de beco. - Ih... vai fazer o que comigo? Ele ri. - Eu não vou fazer nada com você. -E para que me trouxe aqui? - para te mostrar isso! Ele faz algo com as mãos e algo muito estranho acontece. - MEU DEUS! O QUE É ISSO?? - Poderes Místicos. - Credo! Isso é macumba! Ele para e me olha. - Dá pra parar de me chamar de macumbeiro? Você quer que eu te ajude ou não? - Quero! - Estão faz o favor de ficar quietinha! E ele faz novamente e eu fico observando-o admirada. - Você é iluminatti? - E por que essa pergunta? - Esse olho ai pendurado no seu pescoço. Eu hein! Isso é batuque! Você vai oferecer minha alma ao satã! - Hey garota! Você para com isso! Presta atenção aqui e FICA QUIETA! - Como é que você faz isso? - Eu posso te explicar... SE... - SE???? - Se você aceitar a levar uma vida igual a minha. - Vida igual a sua? - De abdicações. - Que tipo de abdicações? - Praticamente tudo. - TUDO O QUE? - Coisas materiais que só te prendem à Terra. Guardo meu celular no bolso. - Começando por isso ai. - Ah nem vem! Como vou me comunicar com as pessoas? Não! Sai fora! - Você não vai mais precisar de um celular para se comunicar. - Como assim? - Você vai ver mais pra frente como se faz isso. - Meu Deus! Eu devo estar ficando louca! - Posso te levar para sua casa? - Bom... não é a minha casa... eu apenas moro lá. - Me diga onde é. - Instituto Xavier para jovens superdotados. Ele faz novamente uns movimentos com as mãos e um portal se abre. - Venha. - Você quer que eu entre ai? Nem sou doida! - Entra logo! Você estará dentro do seu próprio quarto. - Do meu quarto? Como você faz isso??? - Entra logo! E eu faço o que ele pede, passo pelo portal. - CEUS! É o meu quarto. Que tipo de mandinga é essa? - Nenhuma mandinga! Que coisa! São poderes! Que se você quiser poderá controlar os seus, descobrir outros que ainda não descobriu e ter novos. - Isso é demais! Imagina eu me teletransportando assim... QUE FANTASTICO! - Hey calma ai! Você tem que ter responsabilidade e não sair por ai brincando com isso. - Me ensina? - Claro que sim... Ouço alguém batendo na porta. - Grah... é você que está ai? Olho para Stephen. - shhh... Não pense em nada! - Não pensar em nada? – perguntou ele- - É o Charles! – reviro os olhos- Ele lê mentes... é um doido. - Grazielle quem está ai com você? Eu sei que é um homem, mas não consigo decifrar quem é. Reviro os olhos de novo. Stephen me olha e pergunta em voz baixa. - É seu namorado? - Eu não tenho namorado! - Grazielle! O que você está fazendo com esse cara ai? – falou Charles bravo- - Droga! Ele descobriu! Eu falei para você não pensar em nada! Anta! - Desculpa! Charles tenta abrir sua porta. - Eu estou avisando Grazielle. Você não faz ideia do que esse cara está pensando! Começo a rir baixinho. - Está rindo do que? – pergunta Stephen. - Ele está desesperado. Mas no que você está pensando? - Nada não! - Grazielle me responde! - Ai que insuportável! – falo alto e vou até a porta. Abro- O QUE VOCÊ QUER? - O que você faz com esse cara ai? - E é da sua conta? - Mas Grah...e o nosso relacionamento? - Que relacionamento? EU não quero nada com você! Você é um idiota completo! - Idiota completo é esse cara ai! Que estava olhando para seus peitos e pensando coisas! - E dai? – começo a rir- ele é homem. e não é de se jogar fora... - Ele é velho... - E desde quando isso é problema? Ao menos ele não é louco como você! - Você nem o conhece! - E eu por acaso te conheço? - Mas Grah... E aquilo que tivemos? O jeito que você estava... você se entregou pra mim. - Eu devia estar louca. - Não fala isso... - Cala a boca! Eu não quero mais nada com você! - Mas Grah... eu te amo! Meu corpo gela quando escuto aquilo. - N-não ama! – tento parecer forte- Se me amasse como diz... Teria chamado o Stephen para me ajudar... VOCÊ SABE DESDE SEMPRE QUE EU NÃO QUERIA SER ASSIM! - Mas Grah... - MAS NADA! SAI DAQUI! – falo empurrando ele para fora- SAI! Bato a porta e me jogo na cama. Começo a chorar. - Grazi... – fala Stephen. – Quer conversar sobre? Ele é seu namorado? Nego com a cabeça enterrada no travesseiro. - Tem certeza? - Stephen... eu não quero falar sobre isso..eu nem devia estar falando isso pra você! Ele passa a mão em meus cabelos. - Eu não me importo. - Vai voltar para sua família... - Eu não tenho família. Na verdade... eu não tenho ninguém. Olho para ele. - Somos dois então. - Podemos ser amigos. Sorrio de canto. - Claro que sim... Desde que você não haja igual ao idiota do Charles. - Eu já fui uma pessoa com um ego imenso, hoje sou um humilde místico. - Isso é bom ... - É sim... – e ele continua em mexendo em meus cabelos- - Vai ficar aqui? - Posso ficar até quando você quiser. Posso sempre vir te visitar, sem nem ao menos entrar pela porta. RI. - Isso é demais! Ele sorri. - Podemos começar amanhã Grah? - Claro! Sem problemas! Mas depois da aula. - Tudo bem! Combinado então! Virei te buscar. - Pelo seu portal mágico? Ele assente. - Uhhh! Que demais! Ele ri. - Mas e então... quem te ensinou tudo isso? Ele se encosta na parede e me olha. - Quer mesmo saber? Assinto. E ele começa a contar a longa história da vida dele. Desde sua infância, passando pela sua brilhante carreira médica, seu terrível acidente e como aprendeu seus poderes. Passamos assim a tarde toda conversando sobre nossas vidas. Contei para ele como perdi minha família e de como eu sinto falta deles. De como eu queria que tudo tivesse sido diferente e do quanto eu queria ter salvo meus pais. - Sabe Grah. Eu acho que você não deveria perder seus poderes... eu acho que você deveria conhece-los melhor e salvar pessoas, do mesmo modo que você queria ter salvo seus pais. - Será? - Eu acho que sim. Você não conseguiu salvar eles. Mas poderá salvar muitos outros pais. Sorrio. - É Steph... você tem razão.


Notas Finais


Mereço coments??


x.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...