História I Could Be The One - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Fantasia, Magia, Romance
Visualizações 6
Palavras 1.146
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Escolar, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hello!
Boa leitura <3

Capítulo 1 - Prólogo - Prodígio de gelo


Fanfic / Fanfiction I Could Be The One - Capítulo 1 - Prólogo - Prodígio de gelo

[Prólogo]

[Prodígio de Gelo]

— Não o deixem escapar!

— Atrás dele!

— Se não o pegarem ficaremos sem jantar essa noite!

— Cadê aquele garoto?! Sem ele nunca pegaremos esse demônio!

Em um pequeno vilarejo coberto por neve, os moradores tentavam pegar um javali selvagem, enquanto uma grande nevasca os assolava. Todo o vilarejo havia se reunido para pegar o animal, mas ele era mais rápido que todos ali. Grandes estacas de gelo se formaram em volta do animal o prendendo como uma jaula.

— Hm? Onde você estava todo esse tempo garoto? — Os aldeões abriram um sorriso de alívio.

Esse garoto era diferente dos demais, seus olhos azuis e seu cabelo esbranquiçado eram muito chamativos.

— Desculpem pela a demora. — O garoto coçava a nuca enquanto pedia desculpa para os aldeões. — É que quando eu estava voltando da metrópole apareceu um dragão.

— Um dragão?! Você está bem? — Perguntou um dos homens levando o javali para o abate.

— De boa. E então, esse jantar vai sair ou não? — Todos ouvem o ronco da barriga do garoto.

{...}

Naquela noite, uma grande festa iluminava o pequeno vilarejo, bebidas e muita comida! Todos comemoravam pelos 16 anos do prodígio da vila. Um garoto que há oito anos o acharam vagando nas redondezas do lugar. Ele parecia ter perdido suas memorias e não sabia seu nome, apenas sua idade. Ele era muito especial para todos, ele era o garoto que sobreviveu a uma grande nevasca, sozinho.

— Ei branquelo! Venha tomar algumas conosco! — Alguns homens que estavam enchendo a cara, convidaram o garoto, o mesmo apenas deu um sorriso tímido e seguiu sua trilha. 

— Ei garoto! Por que não aproveita a comida? Está uma delícia! — Uma senhora que estava sentada com outros o chamou.

— Estou ocupado agora dona Flora. — Ele gentilmente recusou o pedido.

O Ancião do vilarejo tinha chamado o albino para sua casa. O garoto então, se dirigiu até lá a fim de saber o que havia acontecido. Chegando ao lugar, percebeu algo de estranho, algo ameaçador. Longe da festa, ele adentrou a casa velha e escura.

— Senhor? — Chamou batendo levemente na porta. — Senhor Ancião? Err... Sou eu. Geez. — Engoliu seco.

Uma grande sombra se formou atrás do garoto que procurava pelo velho. Ele sentiu a presença repentina e virou rapidamente, mas não havia nada lá. Então levantou sua mão criando uma grande estava de gelo atrás dele. Ele se vira para a estaca dando um suspiro.

— O senhor não muda nada. — Bufou o menino olhando o velho pendurado pela a camisa na estaca.

— Hehehe, você é muito esperto Filhote. — O velho sorria com seu semblante envelhecido. o garoto  desfaz a estaca. — Hehehe, oito anos se passaram não é?

— Sim... — Assentiu o garoto.

— Está na hora. — O velho senta em sua cadeira de balanço, o garoto se senta no chão. — Você já pode ir para a academia.

...

— Recuso.

— O QUÊ?! M-mas filho, você não pode! Vai desperdiçar essa chance? — O velho parecia apreensivo com a decisão do garoto.

— Por que diabos eu sairia da minha casa para arriscar a vida longe daqui? — O garoto perguntou cruzando os braços.

— Bom, há muitos anos, pessoas  do Reino de gelo tentaram ingressar na academia, mas eles não tinham poder o suficiente para esse feito. Mas você. — O Velho aponta para o garoto. — Você pode mudar o rumo dessas antigas histórias, você tem o poder que jamais teve. Você poderia ser até o primeiro.

— Eu ser o primeiro? — Perguntou receoso.

— É claro, filhote. — O velho levanta e segura o rosto do garoto com as suas duas mãos. — você tem tanto poder que congela quem chega perto de você, veja minhas mãos. Quem sabe não pode ser mais forte que o Rei Nevasca.  Você leva a alma de todas as pessoas desse reino, Você tem o poder de gelo!

— Eu... Tá bom. Amanhã estarei partindo! E levarei seu sonho comigo. — O albino levanta rapidamente do chão.

— Muito bem então!  Avisarei a todos! — O Velho sai correndo de sua casa até o centro do vilarejo. — Escutem todos! Nosso filho irá para a academia! — Todos começam a festejar ainda mais.

— Humpf... Esse velhote. — O albino vai para a festa e para a alegria de todos, ele foi proclamado guardião daquele lugar.

 

{...}

Em meio à fina nevasca que caía, o sol aparecera no horizonte, anunciando um novo dia. O albino estava se despedindo de todos com havia convivido naquele longo período de tempo.

— Aqui estão suas luvas de ferro. — Uma jovem de cabelos e olhos azuis o entrega duas luvas forjadas. — Faça bom proveito delas. — Sorriu.

O garoto as colocou com toda a alegria do mundo, finalmente poder tocar as pessoas sem elas congelarem, era um sonho para o garoto.

— Muito obrigado mesmo! Agora é hora de enfrentar minha jornada. Geez. — Ele se curva diante de todos, abriu um grande sorriu e olhou para frente, para seu destino. — A gente se ver em breve! — Acenou para todos e desapareceu na neblina do horizonte.

{...}

[Metrópole]

A metrópole era sempre recheada de pessoas e sua economia estava em constante crescimento. Ela interligava os principais reinos do continente, os separando para evitar conflitos. Dentro da cidade, havia um grande lugar chamada Academia. Lá, era onde os novos guerreiros dos reinos eram desenvolvidos para se tornarem os primeiros. 

Academia era simplesmente gigantesca! Vários jovens de todos os reinos iam para lá para testarem suas forças e poderes. Mas muitos nem chegam a entrar...

Depois de um bom tempo, o garoto chega à cidade com um sorriso bem confiante. Ele não perde muito tempo e corre até a Academia, pois seu prazo de inscrição estava acabando. Ele corria loucamente pelas ruas da metrópole e sem querer acaba esbarrando em alguém que acaba caindo.

— E-ei! Olha por onde anda! — Uma menina ruiva caída gritou com o garoto que não parou de correr. — Que grosso! — Reclamou levantando do chão limpando sua blusa.

— Foi mal! — Ele gritou já longe. — Depois te pago um lanche!

Ele desaparece na multidão de gente.

{...} 

Seu tempo estava acabando, ele sabia que se não conseguisse todos do vilarejo ficariam chateados. O garoto já conseguia ver o grande portão do lugar, mas ele estava se fechando. Sabendo que não conseguiria, esticou suas mãos e fez um esforço, criando uma grande pista de gelo que o levava direto para a recepção. Ele criou uma parede de gelo atrás de si e impulsionou para frente pegando uma grande velocidade.

— Isso que é velocidade!

Os guardas no local perceberam o garoto, mas mesmo assim continuaram a fechar o portão, ignorando a velocidade que o garoto vinha. Mesmo assim, ele se esquia e consegue passar por debaixo do portão exatamente na hora que ele fechou. O garoto para na frente da recepção.

— Nossa! Você é o ultimo a chegar! Parabéns! — A recepcionista, meia-elfa parabenizou o garoto pegando uma de usas pranchetas. — Então, qual é o seu nome e habilidade?

— Eu sou Freeze. Usuário de Gelo.


Notas Finais


Até a próxima! Fuiz o/ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...