História I Did Not Forget You|| Vkook - Taekook - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Neo Culture Technology (NCT)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, Taeyong, V
Tags Vkook
Visualizações 157
Palavras 2.377
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pequenas cherrys! 🍒 - tudo bem com vocês?

Ainda lembram dessa fic? HAKAHAK

Eu sei que estou muito atrasado com esse capítulo. AAAAH é tão chato ficar recebendo desculpas, não? Mas eu sinto muito (explico nas notas finais o motivo do atraso)


- Welcome!

Capítulo 21 - XX|


Capítulo 21

~*~



Em momento algum Taehyung soltou-se do alfa. Deixou ser levado pelo mais novo, até estarem na área de treinos. Haviam alunos treinando no local. Cada especialidade que deixava o beta de boca aberta. Mesmo estudando e treinando ali, nunca havia realmente parado para observar os outros.

Em meio aos tantos alunos, encontrou uma garota que chamou muito sua atenção, tanto pela face delicada, como por sua especialidade.

A menina mantinha os braços esticados em frente ao corpo, com as palmas das mãos viradas para cima e, em cima destas, flutuando delicadamente como nuvens, haviam bolhas de água do tamanho de uma bola de basquete. Elas brilhavam, como se em seu interior houvesse uma luz azul.

Percebeu que a garota estava se preparando para atacar.

À algumas passadas na frente dela, havia um garoto. Ele aparentava ser mais novo, seus cabelos em um tom amarelado contrastava com seu rosto branco e angelical, encarava a outra com os olhos inteiramente brancos.

Jungkook reparou, disfarçadamente, o cenho levemente franzido do beta e seguiu o olhar deste.

— Impressionado? - obteve atenção alheia para si.

— Oh... Não. - o Kim deu uma última olhada para os outros dois, antes de prestar atenção ao caminho que seguiam. — Só achei legal. - deu de ombros.

O alfa sorriu do canto antes de se focar novamente no caminho. Já se encontravam a poucas passadas de onde pretendia o levar.

Taehyung estranhou ao pararem em um local aberto. Um campo, com o gramado devidamente aparado. Diferente dos outros blocos para treinos, aquele estava vasto; vazio, não havia nem mesmo uma pessoa treinando ali.

— Jeongguk. - o acastanhado fôra puxado até o meio do campo. — O que viemos fazer aqui?

— Eu vou te mostrar o que posso fazer. - parou em frente ao acastanhado e sorriu para o mesmo.

O beta mais uma vez olhou para o local onde se encontravam, tentando de alguma forma, adivinhar o que o moreno poderia fazer.

Até que uma vaga idéia brilhou em sua mente.

— Então você controla a natureza? - arqueou uma de suas sobrancelhas.

— Não... talvez um pouco. - o mais novo sorriu baixo. — Bom, para mostrar o que sei fazer, vou precisar da sua ajuda.

Taehyung deitou levemente sua cabeça para o lado, com cenho franzido em uma forma muda de questionar ao outro de que forma o ajudaria.

— Eu preciso que use seu poder contra mim. - Jungkook soltou o mão do acastanhado e se afastou com passadas largas.

— Jeongguk, eu não vou te machucar! - o tom preocupado que usara deixou o mais novo surpreso.

— E não vai. - sorriu divertido.

Assim que a distância entre ambos já estava longínqua o suficiente, o moreno parou e tirou sua camisa, deixando Kim confuso e minimamente constrangido.

— Hyung, lance seu poder em mim! - falou mais alto devido a distância.

O beta não se demorou para negar. Sabia da força que possuía e não estava afim de machucar o garoto.

— Confie em mim, hyung. Por favor! - o mais novo juntou as mãos em súplica. — Essa é a unica maneira de te mostar. Ou não quer ver?

— Eu quero ver sim, mas... não vou te atacar! - viu o moreno revirar os olhos e se irritou. — Tudo bem Jeon. Eu vou fazer o quer, mas se eu te machucar... - deixou a frase no ar e respirou fundo.

Ao longe, o moreno observou-o fechar os olhos e deixar as mãos em punhos ao lado do corpo, para logo depois abri-las juntamente das pálpebras, revelando suas iris azuis.

— Vamos Tae, ataque-me! - incentivou, já arrumando sua postura.

Taehyung buscou concentração.

Logo suas mãos ficaram roxas, um tom brilhante, indicando que estava prestes a atacar o moreno.

— Jeongguk, tem certeza?

— Kim. - o moreno desfez sua postura. — Ande logo com isso! - sacudiu as mãos em frente ao corpo.

O beta concordou com uma aceno e esperou o mais novo se arrumar novamente.

Decidiu que não o atacaria para machucar, afinal, não estava a fim de matar seu alfa. Focou seus olhos no abdômen levemente sarado do mais jovem e ergueu as mãos, empurrando ao ar.

Jungkook olhou desapontado para o acastanhado, pois, mesmo depois de seus movimentos de "ataque", nada havia realmete atingido-o.

— O que foi is... - o moreno não teve tempo de perguntar. Seu corpo fôra lançado para longe por uma ventania que surgira do além.

Taehyung tinha seus olhos o dobro do tamanho normal, temia por tê-lo machudo, mas no momento em que o outro sentara-se na grama o olhando furioso, quis rir, e assim o fez.

— Vento, Taehyung!? - questionou com desdém, ao passo em que se levantava com o apoio dos braços. — Ah! eu esperava mais de ti.

O Kim o olhou incrédulo. Não aceitando ser rebaixado daquela forma, indiretamente.

— Tudo bem, senhor indestrutível. Vou te dar o que merece. - crispou os olhos e sacodiu as mãos de cima para baixo. O ato deixando as pontas de seus dedos eletrizantes.

Observou o moreno se levantar rapidamente.

Esticou um dos braços a frente do corpo seguidas vezes, com os dedos mirados no corpo do outro. Após cessar os movimentos, viu o alfa cair sentado no chão.

— O que foi isso? - sorriu ladino, ao perceber o rosto assustado do outrem. — Nossa... eu sinto meu corpo formigar! - levantou-se mais uma vez.

Jungkook averigou seu corpo a procura de algo que estivesse diferente, entretanto, tudo estava correto. Exceto por ainda sentir seu corpo formigar, como se seu sangue tivesse virado trilhões de minúsculos grãos de areia.

Descidiu tocar seu próprio abdômen e gruniu ao levar um choque.

— Hyung! - olhou espantado para o acastanhado, que se mantinha no mesmo lugar. — Que poder é esse?

Taehyung franziu o cenho.

Nada havia acontecido com o outro após tê-lo atacado, sabia que havia o atingido, pois o garoto caira no chão. Mas ainda assim, estava intacto, como se nada tivesse realmente o atingido.

— Eu lancei eletricidade em você, mas não afetou. - cruzou os braços e ficou pensativo.

O Jeon não deixou de sorrir arteiro.

— Bem... conheça meu poder senhor Kim. - abriu os braços antes de girar no lugar e parar novamente de frente para o mais velho. — Tem uma explicação bem complexa sobre isso mas, irei resumir. Eu posso sugar todo e qualquer coisa que é lançado em mim.

O beta se viu confuso e ainda assim surpreso. Aquilo explicava o motivo dos choques não tê-lo machucado.

— E isso não é tudo! - teve mais uma vez a atenção capturada pelo mais jovem. — Eu posso também lançar de volta, o que recolhi. - sorriu por fim.

O alfa rapidamente se aproximou do acastanhado.

— O que essa eletricidade pode fazer? - questionou enquanto levava as mãos a altura de seus olhos, para observar as pontas de seus dedos.

— Quando eu a lancei em ti, era pra ter acontecido algo. Geralmente as pessoas desmaiam ou se tremem pelo choque. - dera de ombros, como se aquilo fosse algo normal de se acontecer e fazer.

Entretanto, Jungkook estava espantado. Percebera que a preocupação inicial do outrem em machuca-lo, era um teatrinho muito bem feito. Todavia, sentiu-se sortudo por te se protegido, mesmo não sendo atitute intencional.

— Então... - olhou incerto para o mais velho e engoliu em seco. — Se eu lançar de volta em você, saberá se defender?

O expressão que o Kim fizera deixou o garoto deveras desconcertado. Naquele momento, sentiu-se ameaçado.

— Está dizendo que eu não sei me defender!? - cruzou os braços sobre o peito e juntou as sobrancelhas. — Jeon, não é porque eu não partice nos treinos, que não sei me defender!

— Eu não quis dizer isso, hyung! - o alfa balançou a cabeça em negação. — É só que...

— Tudo bem, Jeon. - Taehyung desmanchou sua pose de durão. — Vamos! Pode lançar em mim.

O mais novo sorriu vitorioso e se afastou do corpo alheio. Não se demorou muito para atacar-lo. E como o esperado, o beta se defendeu fazendo o mesmo escudo que um dia usara para encurralar o Jeon.

Passaram-se tempos e ambos decidiram treinar entre si, até sentirem-se exaustos e deitaram abaixo da sombra fresca de uma das grandes árvores que se encontravam no local.

— Tae? - o moreno virou o rosto para o mais velho, notando que o mesmo se encontrava com os ante-braços atrás da cabeça e os olhos fechados. Recebeu um resmungo como resposta. — Que tipo de poder é o seu? Sabe... você é muito misto, tem um pouco de tudo. Isso é... estranho. - o garoto balançou a cabeça rapidamente em negação. — N-não estou chamando você de estranho. É o... ah! Deixe quieto. - bufou por fim, xingando-se mentalmente.

Taehyung sorriu baixo e revirou os olhos.

Pegou impulso para se sentar no gramado e olhar diretamente para o mais jovem.

— Eu entendo, Jeon.

O alfa observou o rosto do mais velho. Ouviu o mesmo suspirar alto e então percebeu o olhar distate deste. Não fôra difícil entender que estava pensando no que havia dito para si.

Estava prestes a questiona-lo, quando o Kim veio a intervir.

— Minha mãe costuma me chamar de mágico. - as lembranças de sua progenitora o elogiando por ter tantas abilidades, fez seu coração acelear. — Ela sempre se empenhava em fazer-me descobrir minhas abilidades. Todos os dias me pedia para tentar fazer algo. Começamos com a fotossíntese - desviou para os pequenos raios de sol que passavam entre as folhas da árvore. — Esse era o poder dela. Fazer a natureza crescer. No começo eu nunca conseguia fazer uma mudinha nascer e ela sempre me reconfortava.

O acastanhado fechou fortemente seus olhos e engoliu em seco. Não queria ser tão fraco quando o assunto era a mais velha, mas nunca conseguia se conter. A culpa gritava em seu subconciente.

— Ela dizia sentir que eu tinha o mesmo poder dela, e por isso, mesmo depois de muitas vezes falhando, ela insistia. Até que eu consegui. - sentiu uma nostalgia tomar conta de si, aquele dia fôra histórico. — Fiquei tão feliz, que comecei a pular todo animado. Isso fez com que eu pisasse em falso e meu corpo curvasse para frente, mas para minha sorte, eu não cai. Mamãe olhou com cenho franzido para mim, ela estava tentando entender o que estava acontecendo, afinal, não é normal uma pessoa ficar suspensa no ar. Então, segundos depois ela olhou me contende e disse que eu controlava a gravidade.

— Hyung, acho que no nosso mundo é normal uma pessoa ficar suspensa no ar. - Jungkook sorriu divertido.

— Céus Jeon! Você entendeu. Não era normal para EU estar suspenso. - revirou os olhos pela segunda vez naquela tarde. — Posso prosseguir, ou já perdeu a vontade de saber?

— Fique a vontade. Estou a todo ouvidos.

— Então depois desse dia, eu fui conseguindo contralar outras coisas da natureza. - estalou os dedos e uma pequena bolha d'água se formou. — Não é tão forte como daqueles que nascem apenas com uma abilidade. Eu posso controlar de tudo, mas nenhum deles são fortes, exceto por um o que eu sempre evito usar.

A goroto silênciou-se deixando o outrem ansioso para saber o resto da história.

— E qual seria esse poder? - chamou a atenção do beta, visto que o mesmo havia divagado.

— O fogo. - seus olhos procuraram pelo do moreno. — Esse é o meu real poder. Para usar os outros, eu preciso estuda-los, passar horas meditando. Mas o fogo, é de sangue.

Jungkook sentou-se deixando o rosto de ambos centímetros de distância um do outro.

— Você é um mágico, hyung. Isso é perfeito. Você tem TODOS os poderes na suas mãos. - Jeon sorriu largo.

— Não quando esse poder pode machucar outras pessoas Jeongguk. - o voz do acastanhado saira mais grossa que o normal. — Mamãe sempre dizia-me que eu era seu melhor super-herói. - cerrou os lábios num sorriso amargo. Aquile assunto sempre o afetava. — Mas eu nunca fui o herói da história.

Jeon franzira o cenho ao perceber os olhos do beta brilharem mais que o normal, ficando óbvio que o mesmo estava prestes a chorar.

O beta abraçou as próprias pernas e colou sua testa em seus joelhos. Estava em conflito interno. Pretendia contar ao alfa, o que havia feito com sua progenitora, mas temia pela reação deste. Agora era marcado pelo outro e qualquer distância longa, poderia afetar os dois lados, sendo a si, o mais prejudicado. Entretanto, não estava de fato ligando em ser prejudicado, apenas não queria contar, pois tinha sentimentos fortes demais para com o alfa. Não queria destruir o bela laço que haviam criado.

Uma lágrima escorrera de seu olho esquerdo no momento em que levantou o rosto para encarar novamente o mais novo.

— Hyung, por que... - assustou-se quando os lábios alheios calou os seus com um beijo quente, ainda assim, não deixou de retribuir, fechando os olhos para aproveitar do momento.

O Kim sentou-se nas pernas esticadas do moreno e subiu suas mãos ao lado do tronco deste, parando uma no ombro e a outra na nuca do outrem, onde fazia um leve carinho com as curtas unhas, que arranhavam aquela pequena parte do couro cabeludo alheio e o fazia arfar.

Jungkook posicionou suas mãos na cintura do acastanhado e o puxara para mais perto de si, deixando seus corpos colados. Sem aviso prévio, invadiu a boca alheia com língua e se encontrou com a do outro, que a recebera sem excitar.

O contado fora cortado repentinamente pelo Kim, deixando suas bocas ligadas por uma fina linha de sáliva. Colou ambas as testas e permaneceu de olhos fechados.

Encontravam-se respirando entrecortado.

— Ggukie. - o beta levou as mãos para as bochechas levemente rubras do outro e engoliu em seco. — Eu... e-eu matei - sua voz embargou ao extremo.

 Era angustioso ter de segurar o choro, mas o garoto não queria se mostrar fraco. Ainda mais pêlo o que diria a seguir.






 — Matei minha mãe.


Notas Finais


Obrigado por ler até aqui :3

Como será que o Kook vai reagir!?

Espero ter os agradado! Estão livres para comentar.

Genteeee +100 favoritos. Eu to MUITO feliz aaah que maravilhoso <3 obrigada por tudo.

Então... vamos nos explicar autora? Vamos, claro! Bom.. demorei com este capítulo, pois ele foi MUITO, vocês não tem noção (talvez sim) foi muito difícil de escrever. Minha criatividade foi 99% a 0% em segundos! Sem contar que as aulas voltaram e fiquei sem tempo. E se esse capítulo estiver ruinzinho, me pordoem - qualquer coisa eu refaço ele :3 obrigada por não me abandonarem. Vou tentar não demorar com o próximo e se demorar, tentarei recompensa-los. Prometo <3

Agora chega de desculpas!


Amo vocês. Nos vemos em breve! ❤





(Estou preparando um supresinha para vocês) ... *corri*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...