História I do not care - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Alfredo Flores, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Pattie Mallette, Personagens Originais
Tags Amor, Criminal, Justin, Psicopata, Sexo, Terror, Vilão
Exibições 23
Palavras 1.288
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Alone Together


Fanfic / Fanfiction I do not care - Capítulo 6 - Alone Together

Flash back on*

Justin estava com uma arma na mão apontando para um homem, ele estava falando algo sobre ter filhos e sua mulher estar gravida, para poupa-lo a vida.

-Eu não ligo, era para pensar nisso antes de me trair.

O homem estava em um beco sem saída, onde ele podia correr estava Justin, ele fechou os olhos aceitando seu destino.

Foi quando uma menina empurrou Justin para o lado.

-PARA CARA, NÃO FAÇA ISSO COM LEANDRO, ELE É UM BOM HOMEM.

Justin olhou para a menina, ela não aparentava ser muito velha, na verdade parecia uma criança, seu cabelo era de um vermelho vivo, ela parecia ter ignorado completamente a arma nas mãos de Justin, ela foi até o homem no chão o ajudando a levantar.

Justin parecia surpreso por aquela menina ter aparecido naquele beco, e por ela parecer não ter medo, nunca ninguém tinha o enfrentado, ele deixou a menina ajudar o homem e deixou o homem sair correndo, depois ele poderia acertar com ele, mas ele estava intrigado na moça, quando ela ia sair, passando por ele, ele a impediu a segurando pelo rabo de cavalo vermelho e a trazendo para sua frente.

-Onde pensa que vai mocinha? – Ele perguntou dando seu famoso e temido sorriso maligno, mas isso não pareceu assustar a menina.

-Para minha casa, agora, me de licença.

Mais uma vez a menina passou por ele e Justin a parou, dessa vez apenas segurando seu braço.

-Se sente muito corajosa em me desafiar, não é? Qual seu nome?

-Meu nome é Ariana, e eu nem sei quem você é, não chamo de coragem tentar salvar um pai de família, é apenas honra, agora me deixe ir para casa, não quero chegar atrasada para o jantar.

Justin riu, viu que a menina era osso duro, mas não faria mal a ela, ainda era uma criança.

-Não são horas de crianças estarem na rua -Justin zomba.

-Eu estou fazendo 16 anos hoje, não sou tão criança assim senhor...

-Justin Drew Bieber – ele se apresentou para a garota se inclinando para pegar sua mão. Totalmente bipolar.

Flash back off**

 

 

Justin sorriu com a lembrança de como conheceu Ariana e como está aliviado por ela ainda estar viva, é como se apenas por isso o lado humano dele voltasse a vida e talvez, só talvez ele não fosse todo aquele monstro.

 

Justin queria comemorar, mesmo não tendo ela em seus braços, o simples fato da culpa não estava mais pesando sobre seu ombro já aliviava tudo, mesmo que ele nunca mais pudesse toca-la (o que não era esse o caso), só de saber que ela estava viva, já ajudava a tornar sua vida menos dolorosa.

Sobre a mesa de seu escritório ele colocou varias de suas drogas que tinha guardado ainda, optou apenas por carreiras de cocaína, a maconha o deixaria lesado nesse dia, e ele precisava da adrenalina do pó e talvez do LSD, escolheu apenas cheirar, deixaria para se divertir mais na festa.

Assim que a droga o deixou mais acordado, tratou de trabalhar o mais rápido que pode, ele estava curioso, queria saber o que Alfredo descobriu, ele queria saber por que Ariana estava fingindo não o conhecer, será que Ryan tinha razão? Que ela queria se manter distante dele? Mas se fosse isso por que morar tão perto?

Justin não aguentando mais esperar, assim que concluiu a nova rota para fora da cidade, foi diretamente ao escritório de Alfredo, ele precisava de respostas e sabia que o amigo acharia o necessário.

 

-Então, Ryan te falou o que achamos no tumulo de Ariana? – Justin falou tentando manter a ansiedade baixa, porém era quase impossível, Alfredo apenas assentiu lentamente com a cabeça mexendo em algo no computador, sem ao menos olhar para Justin – Então, você achou alguma coisa?

Foi nessa hora que Alfredo levantou os olhos até o amigo, viu em seu olhar a mistura de alegria, esperança e preocupação, ele sorriu, seu amigo estava de volta, depois de 8 anos, Alfredo jurou que Justin tinha perdido todo tipo de emoção boa, mas naquele momento viu o que sentia falta no amigo, ele procurou algo no computador e para matar a ansiedade de Justin ele finalmente abriu a boca.

-No mesmo mês da suposta morte de Ariana, Alessia, nunca registrada antes, em nenhum lugar, foi cadastrada em um hospital da Inglaterra, no mesmo mês seus documentos saíram, no hospital que ela estava ficou internada alguns meses e quando acordou foi diagnosticada com amnesia, porém não vejo indícios de nenhum tratamento para recuperar a memoria, nada além de bons meses do acidente, coisas que consistem em poucas seções de terapia, ou seja, não queriam de fato que ela lembrasse das coisas, depois dos 21 anos os registros de Alessia simplesmente somem, assim como apareceu, do nada...

 

Alfredo parou para respirar, na verdade nem ele acreditava em tudo que descobriu, ele voltou a olhar para Justin, mas não conseguiu descobrir qual a emoção que estava em seu rosto, ele parecia em choque, claro, muita informação de uma vez, ele tentava absorver cada palavra disso tudo.

-Ryan jurou matar a família dela, por tê-la afastado e por terem negado a ajuda para que ela recuperasse a memória – Alfredo disse tentando chamar a atenção de Bieber.

-Então ela não lembra de mim? Não lembra de nada que vivemos?

-Não tenho certeza disso, acontece comumente que pessoas com amnesia consigam lembrar de algumas coisas da vida, ou com o tempo e encontros, não sei o que Ariana lembra, isso só dá para descobrir pessoalmente – Alfredo disse – de qualquer forma, vamos para casa se arrumar para festa, acredito que a melhor oportunidade de descobrir isso é na festa logo logo.

 

Flash back on**

Justin tocava a arma pela primeira vez, não tinha tempo para aprecia-la, precisava esconder em algum lugar, seu sustento dependia daquilo, sua vida dependia da fuga, ele tinha que ser o mais rápido e esperto ali, ele já tinha visto os pais de Ryan usar uma dessas varias vezes, não tinha segredo, e ele sempre foi bom em tiro ao alvo com aquelas armas de pressão.

Ele olhou para Ryan, a vida dos dois dependiam daquilo, afinal os inimigos da família de Ryan não iam aliviar para duas crianças herdeiras, no momento de distração de um dos guardas ele roubou uma das armas sobre a mesa e entregou para Ryan, outra ele escondeu debaixo de sua camisa.

Justin olhou para cima, se acreditasse em Deus ele até poderia dizer que era uma oração silenciosa pedindo para que Ele o ajuda-se, mas a verdade é que ele estava apenas olhando para o relógio, não demorou para que os dois pré adolescentes percebessem que a cada dois minutos trocavam os guardas, ou seja, eles teriam alguns segundos de vantagens para fugir, Ryan arrumaria os edredom para parecer que estavam ali em baixo, ganhando mais alguns segundos de distração.

-Um, dois, três, vai Ryan – Justin disse segurando a arma em sua mão com força, tinha medo de perde-la, era a única coisa que garantia sua segurança, Ryan fez o que Justin pediu e saiu abaixado correndo o mais silencioso que conseguia, Justin o seguiu tomando cuidado para que ninguém os visse.

Foi quando Ryan caiu e soltou um suspiro um pouco mais alto do que o permitido, estava quase chegando até um dos carros, mas atraiu a atenção de um dos homens.

-Onde vocês pensam que vão? – ele disse indo em direção de Ryan.

No mesmo segundo que ele deu as costas para Justin para ir atrás de Ryan Bieber pegou a arma e deu vários tiros no cara, até ter certeza que estava morto.

Foi ai que aprendeu uma lição, nunca vire as costas para um inimigo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...