História I don't believe you anymore - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Frank Iero, Gerard Way, Kerbera, My Chemical Romance, Seremedy
Personagens Frank Iero, Frank Iero, Gerard Way, Personagens Originais, RAY, SEIKE, Yohio
Tags Anjos, Boys Love, Bruxas, Demonios, Drama, Feiticeiros, Frank Iero, Frerard, Gerard Way, Hibridos, Personagens Originais, Ray, Romance, Seike, Seike X Frank, Sobrenatural, Vampiros, Yaoi, Yohio
Exibições 11
Palavras 1.532
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Feliz dia das crianças hahahaha


boa leitura meus amores ^-^

Aviso:
aqui tem dois POV'S então prestem atenção amores ^-^

Capítulo 10 - Red Stars


Fanfic / Fanfiction I don't believe you anymore - Capítulo 10 - Red Stars

-Pov's Frank -

Era a primeira vez em muito tempo que acordava sentindo algo estranho tive um sonho horrível onde estava por algum momento tentando gritar e não conseguia, logo depois estava todo sujo de sangue e Seike aparece do nada no sonho com um sorriso de orelha a orelha aquilo foi realmente assustador, eu por má sorte não consegui falar com ele quando era de manhã estava passando mal não iria trabalhar ligo a Luka, e peço para ele vir na minha casa.

Ele sempre cuidou de mim e não iria ser agora que ele não faria isto logo ele chega na minha casa e vai direto a cozinha fazer um chá que segundo ele poderia me fazer ficar mais calmo e explicar para ele o que estava acontecendo comigo já que não tinha a menor ideia de por onde começar, contei o sonho para ele que ficou me olhando meio surpreso.

- Olha florzinha, dizem que isto é quando alguém vai ficar doente, mas, no fundo acho que você de algum modo deve ter medo de perder o Seike de maneira trágica ou apenas andou vendo muitos filmes de terror. – Luka parecia saber de mais do que aparentava e sabia que por mais que perguntasse ele não iria falar.

- Estou todo dolorido. – Mudo de assunto e ele pega o remédio no armário e coloca na minha frente. – Se quiser pode ir embora.

- Relaxa, eu não tenho nada para fazer então apenas tome seu remédio e deixe que eu cuido de você hoje. – Ele sorri de modo amigável.

- Vou deitar na minha cama, vou dormir um pouco. – Vou ao meu quarto e fico deitado olho meu celular e nada de o Seike aparecer, no fundo sentia que algo tinha acontecido com ele, mas, não sei o que era, acabo por adormecer na minha cama calmamente.

-Pov's Luka –

Vejo que o Frank tinha dormido e suspiro, faço uma breve analise vendo que ele estava bem, aquilo me assustava quando ele tinha estas reações e tinha de me manter em silêncio, afinal não poderia interferir em tudo, saio para a varanda do quarto dele e fico ali ele dormia feito uma pedra, ligo para o pai dele, que sabia sobre minha verdadeira raça e mantinha segredo.

- Ligação ON –

- Esta acontecendo algo com o Frank que não estou sabendo? – Falo de uma vez assim que ele atende.

- Relaxa, precisamos conversar onde você está? – Ele fala e reviro os olhos.

- Não quero ver você, eu estou na casa do Frank. – Falo serio.

- Olha só não vou até onde está por que não quero causar transtornos a Frank, mas, saiba que cedo ou tarde vai ter de me ver. – Ele fala e aquilo me dava ânsia.

- Olha não é por que você sabe o que sou que vou deixar você me manipular assim. – Falo nervoso.

- Seu namoradinho, eu posso mexer com ele. – Ele fala e fico nervoso.

- Fala logo o que ele tem o Frank apagou e não levanta hoje pelo visto. – Falo calmo.

- Ele esteve em um campo de batalha. – Ele fala calmo. – Como ele não esta acostumado com este tipo de energia seu corpo vai dormir por um ou dois dias relaxa. – Ele fala como se aquilo fosse comum.

- Então o que faço? – Falo meio estressado.

- Pode sair dai, mas, faz uma proteção e vá resolver seus problemas, assim que terminar volte ai. – Ele desliga na minha cara.

- Ligação OFF. – 

Escrevo um bilhete de volto logo, coloco na mão de Frank e saio da casa, faço a proteção e vou no apartamento de Ale que abre a porta o mesmo tinha os olhos sonolentos e incrivelmente azuis graças a transformação dele que havia acabado de iniciar, a minha já tinha acontecido a muito tempo, então já estava acostumado a esconder as mudanças.

- Oi baby. – Falo entro na casa dele e vejo algumas coisas quebradas. – Um furacão passou aqui. – Rio levemente ele fecha a porta com tudo, o olho e vejo voltar ao normal.

- Oi, cuida de mim. – Ele me abraça e acaricio os cabelos dele.

– Quer ir à casa do Frank? Eu tenho de cuidar dele como o mesmo esta meio mal podemos aproveitar para cuidar dele e assim eu ensino algumas coisas para você lá. – Sorrio.

- Porque cuida tanto do Frank? – Ele fala me olhando.

- O pai dele é um anjo que sabe sobre mim. – Falei calmo.

- Então espera vou me arrumar. – Ele sai indo ao quarto.

Depois de arrumado vamos a casa do Frank vejo que ele ainda dormia, tiro o papel da mão dele e jogo fora, e desço me sento no sofá olhando o Alecsey que estava se controlando, ou pelo menos tentando.

- Bom eu sou classificado como um de classe alta, a primeira fase da nossa mudança é achar nossa cor, elas são simples, vermelho, amarelo, verde, roxo, preto, branco e azul. – Faço um gesto fazendo uma borboleta azul aparecer na minha mão. – Depois somos designados a nossa classe, eu sou de classe alta, pois sou puro e tenho aparência bem humana, embora tenha os dentes pontudinhos e orelhas pontiagudas e cabelo azul, por isto eu uso um estilo de roupa diferente e consigo me esconder entre as pessoas normalmente, você é completamente humano, o que pode te fazer de um nível talvez até maior que eu, a não ser que você mude agora que começou a ter seus poderes, nossa fonte de poder e vida é a natureza, então quando você se transforma por completo é obrigatório que vá a um recanto que fica na área da reserva aqui perto da cidade e passe um tempo junto com os outros, nos somos poucos e a grande maioria prefere ficar longe da cidade já que com frequência muitos de nos morremos após o contato exciso com humanos e suas maquinas de poluição. – Rio levemente. – Mas, quando achamos outro da nossa espécie e nos apaixonamos, coisa que é bem raro, nos conseguimos viver bem perto deles.

 - Porque quando estamos perto de humanos nossa taxa de vida diminui? – Ele pergunta me olhando.

- Nos somos sinceros ao extremo e mentir para nos é quase impossível por isto omitimos muitas coisas, o que é perigoso, quando não morremos por entregar alguém acabamos morrendo por ficar muito fraco. – Falo calmo o olhando.

- O que cada cor significa? – Ele pergunta e deito minha cabeça no colo dele.

- Depende muito de “fada” para “fada.” – Falo o olhando.

- Serio isto é estranho. – Ele ri e acaricia meus cabelos. – Eu reparei que grande maioria das coisas que tentei fazer a minha cor era mais escura. – Ele me olha e estende a mão.

- A sua cor se definirá sozinha você não escolhe, e a transformação também, eu tive minha transformação com dois anos de vida. – Rio o olhando. – Por isto que demoramos a saber se nossos filhos herdaram algo, como você me disse sua mãe era uma de nos, ela tinha cabelos muito vermelhos não era? – Falo e ele apenas afirma com a cabeça.

- Porque é raro nos apaixonarmos por alguém da nossa raça? – Ele fala e mordo meu lábio.

- Não somos capazes de nos reproduzir com seres da nossa espécie, só podemos nos reproduzir com humanos ou outros seres, já ouvi relatos de que alguns mesmo apaixonados se relacionaram com humanos apenas para procriar. – Falo ele apenas ouve atento.

Ficamos quietos por um tempo e ouço um grito do Frank, me levanto assustado e corro até ele que estava sentado suando muito, o acalmo e abraço ele que me aperta com muita força, acaricio as costas dele ajudo a tomar banho e se vestir e levo o mesmo para comer comida e fico o olhando.

- Está bem? – Falo o olhando.

- Não muito, quero o Seike. – Ele me olha nervoso e vejo o lado demônio dele mais forte.

- Come e dorme ele vai aparecer apenas quando você estiver melhor. – Falo e sorrio para ele tento me manter calmo.

- Que cheiro doce é este? – Ele comenta me olhando.

- Deve ser do perfume do Alec, eu o trouxe para me ajudar a cuidar da sua casa. – Falo meio surpreso com o jeito de Frank, que come um pouco e depois começa a parecer tonto me aproximo fico ao lado dele.

- Eu... – Ele desmaia pego ele no colo, levo de novo para cama e deito ele e fico o olhando dormir, e saio em seguida.

- Você precisa controlar seu cheiro ou alguém pode descobrir que você é uma fada. – Falo me aproximo de Alec, e sento no colo dele de frente para ele.

- Como? – Ele fala me olhando.

- Evita ficar nervoso ou com medo, nosso cheiro só pode ser sentido quando ficamos assim. – Falo acaricio o rosto dele e o beijo calmamente.

Foi um beijo muito bom, ele me acariciou aproveitei para o acalmar usando um pouco de magia sem que ele perceba e o cheiro dele some e depois separo do beijo e sorrio, arrumamos a casa de Frank e subimos ao quarto onde ficamos o olhando dormir calmamente, por um longo período.


Notas Finais


em breve o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...